30 de abr de 2011

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ HÁ 95 ANOS


30/04/1916
Dona Evangelina Valverde de Vasconcelos esposa do Dr. Cunha Vasconcelos, reúne diversas pessoas, e resolve a construção da igreja desta cidade.
Fonte : Diversos dados sobre o Município de Seabra - 1905 - 1943 (atual Tarauacá).

Autor: Anastácio Rodrigues de Farias 

CONVERSANDO SEM SEGREDOS- MUITAS VEZES PADRE ORLANDO RICARDO GAMBI CSsR (+)

Muitas Vezes
É bom que saibamos:
Muitas vezes não é Deus que não é bom; nós é que somos maus.
Muitas vezes não é Deus que se cala; nós é que não lhe damos atenção.
Muitas vezes não é Deus que se esconde; nós é que não o notamos.
Muitas vezes não é Deus que falha; nós é que não nos decidimos.
Muitas vezes não é Deus que esquece; nós é que não lembramos dele.
Muitas vezes não é Deus que não quer entrar; nós é que lhe fechamos as portas.
Muitas vezes não é Deus que não ajuda; nós é que não contamos com ele.
Muitas vezes não é Deus que se afasta; nós é que fugimos dele.
Muitas vezes não é Deus que castiga; nós é que não aceitamos o que ele nos dá.
Muitas vezes não é Deus que abandona; nós é que não o buscamos.
Muitas vezes não é Deus que não é fiel; nós é que não persistimos.
Muitas vezes não é Deus que não ouve; nós é que não sabemos pedir.
Muitas vezes não é Deus que não vem; nós é que não vamos a ele.
Muitas vezes não é Deus que se vai; nós é que não ficamos.
Muitas vezes não é Deus que não pode; nós é que pensamos que podemos tudo.
Muitas vezes não é Deus que não espera; nós é que não temos pressa.
Muitas vezes não é Deus que cuida; nós é que não refletimos.
Muitas vezes não é Deus que não quer; nós é que queremos o que ele não quer.
Muitas vezes não é Deus que pede o impossível; nós é que não fazemos o que podemos.
Muitas vezes não é Deus que deixa faltar; nós é que somos egoístas.
Muitas vezes não é Deus que não acerta; nós é que nos desviamos.
Muitas vezes não é Deus que não desce; nós é que não queremos subir.
Muitas vezes não é Deus que não aparece; nós é que sumimos.
Muitas vezes não é Deus que é inacessível; nós é que somos difíceis.
Muitas vezes não é Deus que não se importa; nós é que somos orgulhosos.
Muitas vezes não é Deus que só fica nos céus; nós é que não o amamos na terra.
Muitas vezes é no silêncio do coração que há mais espaço para Deus!
Muitas vezes viva a vida! Muitas vezes viva o amor!
http://uneserinterativa.blogspot.com

29 de abr de 2011

GOVERNO QUER ACABAR COM AGRICULTURA FAMILIAR, DIZ RELATOR DO CÓDIGO FLORESTAL

Deputado Aldo Rebelo, relator do Código Florestal,
em seu gabinete (Foto: Mariana Oliveira / G1
Proposta do governo sugere a relator reserva legal para pequeno produtor.


Ministério diz que, se não houver acordo, apresentará emenda no plenário.
Mariana Oliveira
Do G1, em Brasília


Relator do projeto de reforma do Código Florestal, o deputado federal Aldo Rebelo (PC do B-SP) afirma que o governo propõe o “extermínio" da agricultura familiar ao pedir que os pequenos produtores tenham área de reserva legal dentro de suas propriedades.

Em entrevista ao G1 nesta quarta (20),  Rebelo disse que os pequenos não têm condições de separar uma parcela da área da propriedade usada para o cultivo a fim de  destiná-la à preservação.

O relatório de Aldo Rebelo, ex-presidente da Câmara dos Deputados e integrante da base do governo, prevê a isenção da reserva legal  para propriedades de até quatro módulos fiscais.
A reserva legal é um percentual dentro da propriedade que deve ser preservado – varia conforme a região. O tamanho exato de cada módulo também é diferente em cada região.
Rebelo recebeu nesta semana a posição do governo sobre o código e sugestões de alteração em seu relatório. No documento, o governo se posicionou contra dispensar reserva legal para os pequenos.

“Me apresentaram como solução para o problema, mas isso eu não vou adotar [no relatório]. Se o governo quiser, vai ter que mobilizar os partidos. Não vou fazer porque considero socialmente uma tragédia. É o mesmo que decretar o extermínio de uma parte da agricultura familiar.”
O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, afirmou na quarta-feira (20) que há consenso em vários pontos, exceto na reserva legal. Apontou que o Ministério do Meio Ambiente não quer a isenção para ninguém. “Não houve solução deste problema”, afirmou.

O Ministério do Meio Ambiente disse, por meio de sua assessoria, que o governo enviou a Rebelo uma proposta de consenso e não fará concessões. Disse que há intenção de apresentação de emenda no plenário para propostas que não forem incluídas no relatório.


Aldo Rebelo disse que o tema ainda será alvo de discussão entre os parlamentares e ministros do governo Dilma Rousseff na próxima semana.
O deputado diz ainda há consenso de “95% a 97%” do texto, e que fará ainda “pequenas alterações” até o começo de maio. O presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PT-RS), informou que o código vai à votação em 3 e 4 de maio.

Confira abaixo os principais trechos da entrevista.
G1 - O sr. vê possibilidade de o governo prorrogar o início da punição aos produtores que não estiverem com suas reservas legais adequadas até 11 de junho?
Aldo Rebelo - O que precisa é de uma lei, mas se não tiver lei, como a lei é impraticável - a atual -, o governo terá que adiar a entrada em vigor de uma lei que já está em vigor, o que mostra a situação absurda em que nos encontramos. A lei exige reserva legal, que ninguém tem, a lei exige área de preservação permanente (APP), que ninguém tem. Então, ou você põe todo mundo na cadeia como infrator ou você faz a lei que legaliza essas pessoas e proteja o meio ambiente.

G1 - Dentro da reforma do Código Florestal, como a questão reserva legal vai ser resolvida? Os pequenos produtores não vão precisar ter essa área?
Aldo Rebelo - A reserva legal é uma obrigação de todos hoje. Ela é um problema maior para os pequenos porque afeta economicamente mais os pequenos. Metade dos agricultores nordestinos tem até cinco hectares. E somando reserva legal e APP, eles não têm nem 1%. Significa que, se confiscar para reserva legal 20% de cada propriedade e mais uma área de proteção de água e de solo, eles vão ficar com pouca terra para trabalhar e, portanto, é economicamente inviável. O que estamos propondo é que proprietários de até quatro módulos sejam dispensados da obrigação de recompor a sua reserva legal. Eles teriam apenas que recompor a APP. Os grandes e médios teriam que recompor reserva legal e APP, somando os dois, para dar até 20% na Mata Atlântica, 35% no Cerrado e 80% na Amazônia. Isso é uma tentativa de resolver a situação.

G1 - O grande produtor também será beneficiado?
Aldo Rebelo - Os poucos que estão na legalidade são os grandes. Aliás, a ilegalidade é exatamente na proporcionalidade do tamanho da propriedade. O maior número está entre os pequenos e vai decrescendo até os maiores. Quem mais se aproxima de preencher os requisitos da lei são os grandes.

G1 - O relatório do sr. traz muitas críticas aos ambientalistas. Como o sr. avalia a atuação deles no debate?
Aldo Rebelo - Eu acho que eles simplesmente estão errados. E ao estarem errados, não conseguem apresentar argumentos razoáveis que contribuam para o debate. Esse debate exige solução para cada problema . Agora, no fim, eles se aproximam de sugestões. Esteve de manhã aqui o presidente da Frente Parlamentar do Meio Ambiente, deputado Zequinha Sarney, apresentou sugestões, me comprometi a acolher. Mas o que precisava era que eles se debruçassem sobre a realidade do país. A realidade do país é uma tentativa de equilibrar a defesa do meio ambiente com a produção agrícola. Você não pode ver só um dos lados, eles só vêem um dos lados.

G1 - Uma das principais críticas ao projeto é a anistia a quem desmatou.
Aldo Rebelo - Mas esse é o ponto menos importante. Porque a anistia está proposta no decreto do governo. O decreto do governo (o mesmo que estabelece prazo para punições) é um decreto de anistia. Quem se regularizar no prazo está anistiado. O problema é que as condições para regularização são impossíveis de serem praticadas. Nós estamos propondo a mesma coisa que o governo está propondo, oferecendo algumas facilidades, que é essa isenção da reserva legal e recomposição para os pequenos, a possibilidade de somar reserva legal com APP, a possibilidade de recompor a reserva legal se estiver em outro estado no mesmo bioma. Essas medidas permitem que as pessoas se legalizem.
Agricultura é um comércio disputado. E a agricultura do norte-americano e do europeu é muito subsidiada, quase estatal. E eles temem a concorrência da agricultura brasileira. Então eles financiam essas ONGs para que elas atuem aqui, para que elas ajudem a criar legislação ambiental que prejudique a agricultura brasileira."
Aldo Rebelo, sobre a atuação de entidades internacionais na área ambiental

G1 - O sr. é pressionado por ruralistas de um lado, ambientalistas de outro, o governo de outro. Como lida com isso?
Aldo Rebelo - Desde o primeiro momento, o relatório é a busca do equilíbrio. Uns vêem mais os problemas da agricultura, outros vêem mais o problema do meio ambiente. Nós fizemos concessões. Por exemplo, mantivemos a reserva legal. Isso contraria os agricultores, que não querem reserva legal porque não existe isso em lugar nenhum do mundo. Nem na Holanda, no país da sede do Greenpeace, não tem reserva legal nem de 1%.

G1 - O sr. mencionou o Greenpeace – vê intromissão de entidades internacionais?
Aldo Rebelo - Mais que intromissão, tem um interesse comercial. Agricultura é um comércio disputado. E a agricultura do norte-americano e do europeu é muito subsidiada, quase estatal. E eles temem a concorrência da agricultura brasileira. Então eles financiam essas ONGs para que elas atuem aqui, para que elas ajudem a criar legislação ambiental que prejudique a agricultura brasileira.

G1 – Essas entidades influenciam outros movimentos que hoje estão contra o relatório, como o MST?
Aldo Rebelo - Influenciam e ajudam a financiar também. E uma parte eles influenciam por desinformação. São as próprias editorias de meio ambiente dos jornais, das revistas, que não conhecem a realidade do campo. E nós somos colocados pela nossa própria imprensa como país ambientalmente irresponsável.

G1 - Quais mudanças no relatório o governo propôs ao sr.?
Aldo Rebelo - O governo quer a solução para o problema, precisa disso. A única coisa que eles estão contra hoje é dispensar de recomposição a reserva legal para os pequenos. Me apresentaram como solução para o problema, mas isso não vou adotar. Se o governo quiser, vai ter que mobilizar os partidos. Não vou fazer porque considero socialmente uma tragédia. É o mesmo que decretar o extermínio de uma parte da agricultura familiar. Cada metro quadrado para eles é muito importante, para produzir, se sustentar. É preciso ter muito cuidado.

G1 - O presidente da Câmara, Marco Maia  (PT-RS), disse que vai colocar o projeto na pauta em 3 e 4 de maio. Até quando o sr. vai trabalhar no texto para modificar?
Aldo Rebelo - O texto está praticamente pronto. Vou fazer algumas modificações no fim de semana. Isso é como vestido de noiva: a cada prova você tem que fazer um ajuste. Minha mãe era costureira e eu ficava olhando. A noiva não ficava preocupava com o noivo, ficava preocupada com o vestido. Então você faz um ajuste, mas quando prova de novo, tem outro ajuste em algum lugar para fazer.

G1 – O que ainda pode ser alterado?
Aldo Rebelo - O que vai ter é talvez uma disputa porque o pessoal da agricultura familiar, as 27 federações, não querem 15 metros [de preservação nas margem de riachos], querem 7,5 metros. Eu tenho muita simpatia por essa tese. Ainda vou tentar convencer as pessoas, pessoal de governo e líderes, de que, para agricultura familiar, 7,5 metros é uma coisa justa. Por um riacho de um palmo, meio palmo, não tem sentido tomar 30% da propriedade por causa disso. Posso mudar ainda se houver acordo.

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ - CONSTRUÇÃO DA CIA DE ENGENHARIA

Construção da CIA de Engenharia
Agradecimentos a Péricles Duarte que me enviou várias fotos  para a preservação da cultura tarauacaense.

Péricles, foi o SGT. do Exército citado pela irmã Clarinda em uma entrevista que eu fiz com a mesma há poucos dias.

Hoje o então SGT. Péricles reside em Manaus. 




Com o Carlos Freire perto do Pirajá
Juntamente com as fotos, veio essa mensagem abaixo que eu transmito para que fique registrado na história tarauacaense.
"Eu teria muitas coisas a serem lembradas, como as de muitas vezes ir buscar lenha mesmo em dia de Domingo para funcionar a usina de Luz senão a cidade ficaria no escuro, as carradas de tijolos para os Padres construir a escola profissionalizante, para as Freiras inúmeras vezes fui buscar tijolos na Copacabana, porque a Prefeitura só tinha um caminhão velho e não andava na lama. Eu fazia tudo isso e muito mais com muito prazer e alegria, e não era cumprindo ordens do Cap. Matuy, porque ele me deu total liberdade para ajudar a todos sem que atrapalhasse o Meu trabalho". 

O QUE REALMENTE PODE AJUDAR UM CASAL A SER FELIZ?

DINHEIRO(?) 
SENSUALIDADE(?) 
CRIATIVIDADE(?) 
CORPO BONITO(?) 
CARINHO(?) 
PRESENTES(?) 












MÍSSIL CAMBIAL

Caçapa cantada: o banco central americano, o FED, manteve a taxa básica de juros congelada entre zero e 0,25% ao ano.

Objetivo declarado: manter a economia respirando.


Objetivo oculto: manter o dólar derretendo.

É melhor aplicar dólares no Brasil, com juros de 12%, que nos Estados Unidos, com juros perto de zero.


Sem mistério: dólar furado encarece e reduz as importações e barateia e amplia as exportações.



Isso resgata a competitividade do "made in USA" em meio mundo, reacelerando a economia e o emprego.


Um míssil americano da nova guerra fria, a cambial, que tem na China o alvo principal. 

(27/04/2011)
Joelmir Beting é comentarista econômico da Rede Bandeirantes

Nota do Blog: O Wikpédia explica mais ou menos. O FED é uma instituição privada controlada por famílias tradicionais, como os Rockefellers, Rotschild, Morgan (do J.P. Morgan, hoje Chase Bank). Esse pessoal ganha dinheiro em qualquer situaçao, seja crise, recessão, depressão, bonança, alta ou baixa do dólar, na guerra e na paz..
É eles que imprimem o dinheiro USA, creio que é o único país que uma instituição privada que gerencia a economia do país. 

28 de abr de 2011

CORPO DE BOMBEIROS INICIA PRIMEIRA TURMA DE BOMBEIROS MIRINS EM TARAUACÁ



Hora do Batismo, um banho de água
O Presidente da Câmara Municipal de Tarauacá, Vereador Roberto Freire, juntamente com o Vereador Luiz Meleiro, participaram hoje (28), no auditório do Centro de Educação Permanente (CEDUP), da solenidade de abertura da primeira turma de Bombeiros Mirins em Tarauacá, um excelente projeto que ajudará sem dúvida nenhuma na formação de crianças e pré-adolescentes que às vezes vive em condições desfavoráveis dentro da sociedade.




Cap. Ferreira Cmte. dos Bombeiros em Tarauacá
O contato com a disciplina, respeito à hierarquia e lições de cidadania que essas crianças terão certamente os ajudará a ser no futuro um cidadão com caráter.

A solenidade teve a participação também na mesa da Professora Francisca Aragão, representando o Núcleo Estadual de Educação e do Ten. Abreu, representando a Polícia Militar de Tarauacá. O Cel. Rodrigues veio representando o Cel. Pires Comandante Geral do Corpo de Bombeiros do Estado do Acre, e o Comandante do Corpo de Bombeiros de Tarauacá o Cap. Ferreira.

Vereador Roberto Freire, Vereador Luiz Meleiro, Cel. Rodrigues Bombeiros do Estado do Acre, Professora Francisca Aragão e o Ten. Abreu da PM 
Pose para foto
A Anfitriã, a água
Hora do Batismo, o banho
Ao todo são 30 crianças que aprenderão por “EXEMPLOS”, e esses exemplos os ajudarão no processo evolutivo de nossa sociedade, pois, sem dúvida nenhuma eles se tornaram um multiplicador do que aprenderam, incitando seus parentes e amigos a agir da mesma forma.
Fonte: Câmara Municipal de Tarauacá


JOÃO AUGUSTO HOJE NA PM(TK), NEM, DAMASCENO, SD IVO, CARLINHOS DA BENÍCIA TRABALHA HOJE NA SUCAM EM RIO BRANCO, PAULO "S. FILHO" HOJE NA PM(TK), E  ZÉ MORANGUINHO 

Nota do Blog:


Muito me agradou essa iniciativa do Corpo de Bombeiros de Tarauacá de criar essa turma de Bombeiros Mirins. Isso é importante por vários fatores, mas o mais importante deles é sem dúvida o aprendizado sobre cidadania que terão daqui por diante. Tarauacá já teve Guardas Mirins provenientes da Polícia Militar, o que foi um pecado deixar terminar, igualmente aconteceu com o PROERD. 
Resgatar isso nos coloca novamente no rumo que “o vento” nos tirou, e que essa seja a primeira de muitas atitudes que essas crianças precisam. Nunca é demais lembrar a frase que Pitágoras disse: “Educai as crianças e não será preciso punir os adultos”. 

FOTOS DA CHEIA DO RIO ACRE EM RIO BRANCO

Agradecimentos a José Wilson Wanderley 




QUERIDA KATE, CAI FORA, AINDA HÁ TEMPO


Vá botar um jeans e seja feliz. Liberdade não tem preço. 

Daqui a pouco o jornal sensacionalista “THE DARK” te esquece.

27 de abr de 2011

EX-GOVERNADOR DE RORAIMA É CONDENADO A 16 ANOS DE PRISÃO


Neudo Campos (PP)
Segundo a promotoria, Neudo Campos (PP) teria desviado R$ 70 milhões por meio de funcionários fantasmas

Fausto Macedo, de O Estado de S.Paulo
SÃO PAULO - O ex-governador de Roraima Neudo Campos (PP) foi condenado a 16 anos de prisão por crimes de peculato e formação de quadrilha.

Em sentença de 76 páginas, o juiz Helder Girão Barreto, da 1.ª Vara Federal em Boa Vista, assinalou que Neudo "no exercício do cargo de governador, e abusando dos poderes que detinha, instituiu quadrilha com o fim de cometer crimes contra a administração pública".

Neudo governou Roraima por dois mandatos consecutivos, de 1995 a 2002. Engenheiro civil e dono de uma imobiliária, atualmente não ocupa cargo público. O juiz decretou cumprimento da pena em regime inicialmente fechado.Neudo, de 64 anos, pode apelar em liberdade.

Segundo a sentença, entre 1999 e 2002, "em concurso de agentes, o réu cometeu diversos crimes de peculato desviando milhões de reais do erário público tudo em troca de apoio político e para fins eleitorais". A ação foi aberta em 2004, com base em denúncia do Ministério Público Federal, que atribuiu a Neudo o papel de mentor do "Esquema Gafanhotos".

PARA QUE FIQUE BEM CLARO!

Sou amigo do Alexandre, desde criancinha.
:-)

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ HÁ 49 ANOS - ENCERRAMENTO DAS SANTAS MISSÕES - 1962



Procissão de Encerramento das santas Missões em 15/07/1962.

A Nossa Senhora de mãos postas é a Senhorita Marlene Angelim, sobrinha do Sr. João Gaudêncio.

O que eu consegui levantar por enquanto é que:

O Apostolado usava branco.

O Pai Nosso, usava saia preta, e a Ave Maria, usava saia rosa.

ENERGIA SEM FIOS, O FIM DOS EMBOLOS DE FIOS

Por Luís Santos para o Pplware!

Imagine que a sua casa não tem tomadas, extensões ou mesmo fichas triplas mas somente um transmissor de energia que alimenta toda a casa.

Pode pensar que isto é um conceito demasiado futurista para que se veja com olhos de ver, mas engane-
se pois estamos mais próximos do que se pensa, conforme o Pplware já aqui tinha adiantado.

Estamos a falar de uma tecnologia chamada de energia sem fios (wireless power) e já tem vindo a ser
estudada há bastante tempo. 

Dos métodos que foram sendo desenvolvidos para obter este tipo de transferência de energia, o mais utilizado é o de Nikola Tesla, que conseguiu efectuar transmissões com frequências a uma distância relativamente grande já no longínquo ano de 1896.

Os últimos desenvolvimentos mais marcantes foram feitos pela mão de empresas como a Intel, Sony ou o grupo Haier.


O problema tem sido conseguir um elevado nível de eficiência de transmissão.


A Intel com a sua demonstração do modelo de Tesla conseguiu uma eficiência de 75% e, já em 2010 a universidade da Colúmbia Britânica conseguiu chegar aos 82%. Ainda em 2010 o grupo Haier anunciou no CES ter usado com sucesso o interface de transmissão, o Wireless Home Digital Interface (WHDI) numa televisão LCD.

Nos próximos anos veremos certamente algumas novidades no melhoramento da eficiência de transmissão de energia e tudo indica que já deverão existir alguns aparelhos a usar este tipo de interface.

A era dos fios tem os dias contados… stay tuned para os próximos capitulos aqui no Pplware.

A FORMIGA ESTOURADA

Era uma vez, uma formiguinha e uma cigarra muito amigas.
Durante todo o outono, a formiguinha trabalhou sem parar, armazenando comida para o período de inverno.

Não aproveitou nada do sol, da brisa suave do fim da tarde e nem o  bate-papo com os amigos ao final do trabalho tomando uma cervejinha  gelada.
Seu nome era 'Trabalho', e seu sobrenome era 'Sempre'.

Enquanto isso, a cigarra só queria saber de cantar nas rodas de amigos e nos bares da cidade; não desperdiçou nem um minuto sequer.
Cantou durante todo o outono, dançou, aproveitou o sol, curtiu prá valer sem se preocupar com o inverno que estava por vir.

Então, passados alguns dias, começou a esfriar.
Era o inverno que estava começando.

A formiguinha, exausta de tanto trabalhar, entrou para a sua singela e aconchegante toca, repleta de comida.
Mas alguém chamava por seu nome, do lado de fora da toca.

Quando abriu a porta para ver quem era, ficou surpresa com o que viu.
Sua amiga cigarra estava dentro de uma Ferrari amarela com um aconchegante casaco de vison.

E a cigarra disse para a formiguinha:

- Olá, amiga, vou passar o inverno em Paris.
- Será que você poderia cuidar da minha toca?
- E a formiguinha respondeu:
- Claro, sem problemas!
- Mas o que lhe aconteceu?
- Como você conseguiu dinheiro para ir à Paris e comprar esta Ferrari?

E a cigarra respondeu:
Imagine você que eu estava cantando em um bar na semana passada e um produtor gostou da minha voz. Fechei um contrato de seis meses para fazer show em Paris... À propósito, a amiga deseja alguma coisa de lá?

Desejo sim, respondeu a formiguinha.
Se você encontrar o La Fontaine (Autor da Fábula Original) por lá, manda ele ir para #¨%$*&@..!!!'

26 de abr de 2011

ENTENDA PORQUE O PREÇO DA GASOLINA AUMENTOU TANTO – AUMENTANDO O PREÇO DIMINUI-SE A DEMANDA

comunidadeestudantil.blogspot.com


Petrobrás já admite que pode faltar gasolina em alguns postos

Preço do etanol anidro, que é misturado ao combustível, disparou por causa da entressafra e pode provocar desabastecimento. 

Reuters - Os preços de etanol estão disparando com o forte aumento da demanda, colocando mais pressão sobre a inflação e elevando temores sobre uma possível falta de combustível em algumas partes do país. O diretor de Abastecimento da Pétrobrás, Paulo Roberto Costa, reconheceu na terça-feira que pode faltar gasolina em alguns postos por causa da escassez de etanol.

ANP prevê novos leilões de blocos exploratórios até outubro

"O mais difícil (em termos de abastecimento) é o etanol anidro para ser misturado à gasolina. Se houver falta de gasolina, pode ser causada por isso", disse Costa à Reuters.

O Brasil produz dois tipos de etanol à base de cana-de-açúcar: o hidratado, que é usado diretamente em automóveis que rodam com o etanol; e o anidro, que é misturado a toda gasolina utilizada no Brasil, como forma de manter um limite aos preços de combustível ou para reduzir o consumo de combustíveis fósseis.

Contudo, os preços do etanol anidro subiram para níveis recordes, em parte por causa da diminuição da oferta de cana na entressafra, enquanto a colheita se aproxima. Isso pode deixar, em breve, partes do Brasil na posição atípica de não ter etanol suficiente para atender a mistura compulsória determinada pelo governo para a gasolina.

"As pessoas estão com medo de escassez em áreas mais isoladas do país", disse Marcelo Andrade, diretor da corretora Ecoflex, do Rio de Janeiro.

Distribuidores pagaram até R$ 2,80 pelo litro de etanol anidro na terça-feira, incluindo impostos, com ofertas atingindo até R$ 3 por litro, disseram corretores. Isso é um nível recorde, e muito acima dos R$ 2,10 de uma semana atrás.

Os preços do etanol hidratado também oscilam em torno das máximas de cinco anos, levando motoristas de veículos flex a aumentar significativamente a troca do etanol pela gasolina, que tem melhor desempenho que o biocombustível.

O etanol hidratado era negociado na terça-feira a 1,70 reais o litro, acima dos cerca de 1,60 reais o litro de duas semanas atrás, de acordo com a corretora Mikz.

A debandada para a gasolina corroeu os estoques de etanol anidro, forçando algumas usinas a recorrer a importações para atender à demanda. Assim como fez a Petrobrás, que importou gasolina.

O total das importações de etanol para a região centro-sul do Brasil entre janeiro e maio é agora estimado para atingir 200 milhões de litros, acima dos 150 milhões de litros estimados há um mês.

Um volume adicional de 120 milhões de litros de etanol importado chegaram ao nordeste do Brasil, outra importante área de produção.

A safra de cana deste ano está começando lentamente por causa das chuvas pesadas que atingiram o centro-sul, aumentando a pressão de oferta. Mas os preços devem cair assim que a nova oferta finalmente chegar ao mercado. Até lá, o mercado permanecerá sob pressão.

Mistura

Toda a gasolina vendida atualmente no Brasil tem uma mistura de 25% de etanol anidro.

Nos últimos anos, o governo reduziu o porcentual para um nível mínimo de 20% para ajudar a conter a pressão sobre os preços no período de entressafra e evitar qualquer falta. Autoridades têm sugerido que se faça ação similar em breve.

O governo também está trabalhando em uma proposta regulatória geral para a indústria de etanol e açúcar na tentativa de assegurar a produção de combustível e evitar o aperto de oferta anual na entressafra. 

(Inaê Riveras e Denise Luna)

GASOLINA ESTÁ MAIS CARA DO QUE O OURO

Em Brasília, jovens manifestam contra aumento de preço do combustível

Manifesto será realizado para representar consumidores de todo o país

Um grupo de jovens realiza no próximo dia 30 de abril em Brasília, uma manifestação contra o aumento de preço dos combustíveis no Brasil. A intenção é atrair o maior número possível de pessoas para demonstrar o descontentamento dos consumidores.
Na capital brasileira, a gasolina custa em média três reais e quatorze centavos, enquanto o Acre lidera o ranking tendo que pagar em média  três reais e trinta centavos pelo produto.

O protesto será realizado a partir das 9h30min com saída prevista para às 10h da manhã no estádio Serejão em Taguatinga percorrendo a EPTG, SIG, Eixo Monumental até o Congresso Nacional. De acordo com a representante do movimento, Deise Guedes, a intenção não é somente protestar por Brasília, mas principalmente pelas três capitais que segundo pesquisas possuem a gasolina mais cara do país.

"Não queremos manifestar só por Brasília, mas principalmente pelas três maiores cidades/capitais que enfrentam esse aumento abusivo no combustível. Queremos mostrar que a população não vai ficar calada vendo as coisas acontecerem". Afirmou Deise.

Os manifestantes deverão vestir as cores verde, amarelo e preto.

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ - TERRENO ONDE FOI CONSTRUÍDA A CÂMARA MUNICIPAL DE TARAUACÁ

TARAUACÁ POR OUTROS ÂNGULOS -FINAL DA RUA CEL. JUVÊNCIO DE MENEZES - DÉCADA DE 90

TARAUACAÊS LETRA - G

Garganta – conduíte
Gazo - albino.
Golpe - "Gópe" - corte
Grafite - lapiseira

PIADA

Pergunta a mãe à filha...


- Onde é que tu estavas?
- No quarto, brincando de médico com o Joãozinho. Ele era o médico e eu a doente.
A mãe dá um grito e um salto da cadeira!!!
- De méééééédico?


- Medico do SUS, mãe... ele nem me atendeu!

25 de abr de 2011

ESTATAIS FINANCIAM 1º DE MAIO DAS CENTRAIS SINDICAIS

CLAUDIA ROLLI
DE SÃO PAULO
UOL

Com custo estimado em cerca de R$ 5 milhões, seis centrais sindicais fazem dois megaeventos em São Paulo para comemorar o 1º de Maio e atrair pelo menos 2 milhões de trabalhadores às festas.

Os gastos serão parcialmente pagos com patrocínios de empresas estatais e privadas. A Petrobras destinará R$ 300 mil para o evento da CUT, com tema "Brasil-África", e R$ 300 mil para a festa única de cinco centrais sindicais --cujo slogan é "Dia do Trabalhador Unificado". O evento terá o sorteio de 20 carros e shows populares.

Centrais sindicais criticam alta da Selic

Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Eletrobras são algumas das empresas que devem fechar, nos próximos dias, os valores do patrocínio. As cotas variam de R$ 150 mil a R$ 200 mil.

Brahma, Casas Bahia, Carrefour, Pão de Açúcar, BMG, Bradesco e Itaú também devem contribuir, com cotas de R$ 80 mil a R$ 200 mil.

Na avenida Marquês de São Vicente, local da festa da Força em parceria com outras quatro centrais --UGT, CTB, CGTB e Nova Central-- são esperadas entre 1,5 milhão e 1,8 milhão de pessoas.

O custo estimado pelos organizadores é de R$ 2,5 milhões a R$ 2,7 milhões.

"Nesse dia, vamos marcar a posição das centrais. Mas não será necessariamente uma festa de oposição ao governo, que tem atuado na área social", diz Ricardo Patah, presidente da UGT.
Para a festa unificada, as cinco entidades convidaram políticos de vários partidos.

A presidente Dilma Rousseff, o governador Geraldo Alckmin (PSDB), o prefeito Gilberto Kassab (de saída do DEM para o PSD) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG) estão na lista de convidados.

FESTA AFRO

A CUT espera reunir cerca de 30 mil pessoas para comemorar o 1º de Maio no vale do Anhangabaú. O local foi definido na semana passada.

A central havia acertado com a prefeitura fazer o evento no parque da Independência, mas o Ministério Público do Estado de São Paulo obteve uma liminar para que o local não fosse ocupado.

Os organizadores não divulgam quanto devem gastar neste ano em que a programação da CUT começa no dia 25 de abril, com eventos culturais, e vai até o dia 1º de Maio. Empresas do setor de eventos estimam que a central deva gastar entre R$ 2 milhões e R$ 2,5 milhões.

Um dos destaques do dia é a participação do ator Dany Glover, que atuou em "Máquina Mortífera", convidado por ser ativista de causas humanitárias que envolvem o continente africano.
No dia 30 de abril também são esperadas 30 mil pessoas na feijoada --a preços populares-- e na roda de samba, também no Anhangabaú.

"A proposta é ir além da tradicional confraternização entre os trabalhadores e dar um passo para refletirmos sobre nossa condição de país afrodescendente e aprofundarmos a integração dos movimentos sociais e centrais sindicais brasileiros e africanos", diz Adi dos Santos Lima, presidente da CUT-SP.

Em comum, as duas festas das centrais têm temas como a redução da jornada para 40 horas semanais, o fim do fator previdenciário e a valorização das aposentadorias.

A CUT afirma que também vai defender o fim do imposto sindical, que é arrecadado de forma compulsória e equivale a um dia de trabalho.

No ano passado, as seis centrais sindicais receberam juntas cerca de R$ 100 milhões. E não há legislação que as obrigue a divulgar o que fazem com os recursos.

IMAGEM DO DIA - A PREGUIÇA VOLTOU A DAR SEU AR DA GRAÇA

Aqui, de cabeça para baixo fazendo o que ela mais gosta, se coçar