31 de dez de 2012

EU NÃO VEJO UMA LUZ NO FUNDO DO TÚNEL


Com o excelente crescimento de 0,6% do “nosso” país, só me resta ratificar meu pessimismo realista de que esse negócio de feliz ano novo, révellion, fogos e outras besteiras mais, são nada menos que uma doce ilusão regada à espumante de quinta categoria.

No fim do ano, em que uma menina é baleada na cabeça e demoram 11 horas para operá-la, (era pobre e negra), sem contar, claro a falta de médicos, ao mesmo tempo em que Dilma Rousseff corta verba da segurança pública para alocar nessa bomba que caiu no colo dela, idealizada pelo brilhante e rico palestrante Lula da Silva, só me faz ter certeza absoluta que esse negócio de ter presidente operário, sociólogo dentre outros, é pura perda de tempo. Presidente bom mesmo pra esse surrado país seria um engenheiro. Não é China?

Estou curioso pra saber quanto vai custar o ‘estacionamento’ durante os jogos da copa.

Que dia primeiro chegue logo com toda a sua realidade.

Pão e circo, Pão e circo, Pão e circo, Pão e circo, Pão e circo...

Feliz ano velho!

LULA MÁRTIR - " O BOM DE SER GOVERNO É DO DIA EM QUE VOCÊ É ELEITO ATÉ A POSSE. DEPOIS, É SÓ PROBLEMAS".

Discurso em 24 de março de 2004.


29 de dez de 2012

ATRIZ NIVEA STELMANN É PARADA EM BLITZ DA LEI SECA E DÁ EXEMPLO

UOL - A atriz Nivea Stelmann postou foto em uma rede social neste sábado mostrando que foi parada em uma blitz da lei seca no Rio de Janeiro. Ela soprou o bafômetro e disse: "Sempre sopro com força. Não bebo nunca". 

Em outra foto postada também no Instagram, ela brinca: "Ou eu tenho cara de bêbada ou meu carro chama muito atenção"

VEJA OUTROS FAMOSOS PARADOS EM BLITZ AQUI 

28 de dez de 2012

FALECEU ESTE MÊS DANIEL INOUYE - UM POUCO DE SUA HISTÓRIA


Nota de Falecimento: Daniel Inouye (07/09/1924 - 17/12/2012)/BLOG SALA DE GUERRA

Faleceu no dia 17 deste mês em Bethesda, Maryland, EUA, de falência respiratória aos 88 anos de idade, o ganhador da Medalha de Honra do Congresso, Capitão Daniel Ken "Dan" Inouye.

Nascido em Honolulu, no Havaí, filho de pais japoneses imigrantes, Inouye era voluntário da Cruz Vermelha em Pearl Harbor quando os japoneses atacaram o porto em 7 de dezembro de 1941 - ele tinha 17 anos. Após auxiliar as vítimas do ataque, Inouye e sua família foram presos pelo governo dos EUA, que os considerava "elementos perigosos".

Em 1943, Washington liberou o alistamento de nipo-americanos nas Forças Armadas, e imediatamente Inouye voluntariou-se para compor o 442º Time Regimental de Combate, a unidade nissei do Exército dos EUA. Chegando a Sargento antes mesmo de embarcar para o front, ele recebeu o comando de um pelotão. Desembarcando na Itália em maio de 1944, o regimento combateu de Roma até o rio Arno. Em setembro, os japoneses foram embarcados para a França, e enviados para o front das Montanhas Vosges. Foi lá que foram empregados na terceira tentativa de resgate do 1º Batalhão do 141º Regimento de Infantaria - o "Batalhão Perdido", que havia sido cercado pelos alemães nas montanhas. Ao liderar um ataque durante este sangrento combate, Inouye foi baleado no peito logo acima do coração, mas o projétil foi parado por duas moedas de prata que ele levava no bolso (e que se tornaram seus "amuletos de sorte" posteriormente). Por suas ações no resgate do batalhão, ele foi promovido a 2º Tenente.

Em 23 de março de 1945 o regimento foi novamente transportado para a Itália, desta vez chegando à Linha Gótica e sendo anexado à 92ª Divisão de Infantaria "Buffalo". Operando no setor costeiro da Ligúria em 21 de abril, Inouye liderou um ataque a uma fortificada posição alemã em San Terenzo. Ao tentar flanquear a posição, seu pelotão entrou na zona de fogo de três ninhos de metralhadora alemães a apenas 40 metros de distância. Ao ordenar que seus homens se abaixassem, Inouye foi atingido no abdômen, mas ignorou o grave ferimento e avançou sozinho contra o primeiro ninho, lançando granadas de mão e disparando sua submetralhadora Thompson. Destruindo a posição, ele chamou seus homens para um ataque à segunda metralhadora, que foi destruída logo antes dele ir ao chão devido à perda de sangue.

Enquanto outros soldados atraíam o fogo da terceira metralhadora, Inoyue arrastou-se pelo chão até chegar a 10 metros da arma. Ele então levantou-se e ergueu o braço direito para lançar sua última granada, quando um soldado alemão na casamata disparou, ceifando-lhe o braço na altura do cotovelo. Caindo completamente tomado pela dor lancinante, Inouye viu soldados vindo em seu auxílio e gritou para que se mantivessem longe, pois havia visto seu braço no chão ainda segurando a granada armada. Com a mão esquerda, ele tomou a granada de seu braço cortado no chão e, enquanto os alemães remuniciavam, atirou-a na casamata. Num último esforço supremo, Inouye levantou-se e foi em direção à posição inimiga disparando sua Thompson com o braço esquerdo, eliminando todos os alemães. Caindo inconsciente, Inouye foi então transportado para um hospital de campo.

Por esta ação, digna do mais alto reconhecimento, Inouye recebeu a segunda mais alta condecoração americana, a Distinguished Service Cross - sendo vítima do racismo velado que permeava as Forças Armadas dos EUA na época. Promovido a Capitão, ele permaneceu em serviço até 1947, quando passou para a reserva.

Voltando para o Havaí, Inouye formou-se em Direito e foi eleito para a Câmara dos Representantes dos EUA em 1959. Em 1962, foi eleito Senador pela primeira vez, sendo o primeiro nipo-americano a fazer parte da casa. Desde então, Inouye foi reeleito ininterruptamente para representar o Havaí em Washington.

Na década de 1990, o Pentágono reavaliou registros de combate de veteranos asiáticos e negros, para corrigir erros históricos motivados pelo racismo. Sendo assim, 21 veteranos nipo-americanos tiveram seus registros reconhecidos como aptos para a maior condecoração norte-americana por bravura. Em cerimônia na Casa Branca em 21 de junho de 2000, o Presidente Bill Clinton condecorou o Senador Daniel Inouye com a Medalha de Honra do Congresso, reconhecendo seus feitos heroicos em San Terenzo.

Sendo o senador com mais tempo de casa, Inouye era também o 3º na linha de sucessão presidencial. Ele deixa esposa e um filho.
Daniel Inouye com John Kennedy na Casa Branca, abril de 1962
Bill Clinton condecora Inouye com a Medalha de Honra, 21 de junho de 2000.
Senador Daniel Inouye.

CÃOZINHO DESAPARECIDO

ESSE CÃOZINHO ESTÁ DESAPARECIDO. QUEM ENCONTRAR FAVOR ENTRAR EM CONTATO COM HUGO JÚNIOR NA AGROTARAUACÁ, OU EM SUA RESIDÊNCIA.

MEC LIBERA ACESSO ÀS NOTAS DO ENEM 2012


Mais de 4 milhões de estudantes participaram do exame e podem concorrer a vagas em instituições públicas de ensino superior

Estadão.edu - O Ministério da Educação (MEC) liberou nesta sexta-feira, 28, o acesso dos candidatos às notas do Enem 2012. Mais de 4 milhões de estudantes participaram do exame. Eles fizeram provas objetivas de Linguagens e Códigos, matemática, Ciências Humanas e Ciências da Natureza. Também escreveram uma redação.

As notas podem ser consultadas no site http://sistemasenem2.inep.gov.br/resultadosenem/. Para acessar o sistema, o aluno deve informar seu CPF ou número de inscrição e a senha pessoal.

Alguns candidatos reclamam de dificuldade de acesso às notas. Segundo os alunos, a página está lenta e constantemente aparece uma mensagem de "erro inesperado". Procurado, o MEC disse ao Estadão.edu que não foi registrada queda no site e que, por conta do alto número de acessos simultâneos, alguns estudantes podem estar tendo problemas para conferir a pontuação.

Ontem à tarde, alguns candidatos viram a nota da redação durante teste do site do MEC. Segundo a pasta, o acesso ficou liberado por cerca de 30 minutos somente para quem estava logado no sistema. O ministério descartou a possibilidade de vazamento da pontuação. Disse que o teste é um "procedimento técnico comum" e serviu para verificar se o site estava funcionando como deveria.

Com a pontuação em mãos, os candidatos podem concorrer a vagas em instituições públicas de ensino superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que oferecerá 129.279 cadeiras no primeiro semestre de 2013.

As inscrições para o Sisu começam em 7 de janeiro. Para se candidatar às vagas o aluno deve ter feito o Enem de 2012 e não ter tirado zero na prova de redação.

Os estudantes já podem consultar as vagas oferecidas pelas 101 instituições públicas de ensino superior que utilizam o Sisu, no site http://sisu.mec.gov.br/.

Os candidatos conseguem pesquisar as cadeiras disponíveis por cidade, curso e instituição. Só para Medicina, por exemplo, são oferecidas 1.830 vagas.

O estudante pode fazer até duas opções de curso no Sisu. Diariamente, o sistema divulga a nota de corte preliminar de cada carreira com base na nota dos alunos que pleiteiam as vagas.

O estudante também deverá especificar uma entre as três modalidade de concorrência existentes. Ele poderá disputar as vagas destinadas à ampla concorrência, as cadeiras reservadas para cotistas ou aquelas separadas para as demais ações afirmativas adotadas pelas instituições.
NOTA: CLIQUEI NOS LINKS E  NÃO TRANSFERIU, ESSE É O MOTIVO DE ESTAREM DESABILITADOS.

27 de dez de 2012

RÚSSIA TERÁ MISSÃO TRIPULADA À LUA

Rússia testará novo foguete em 2017
Nave levará tripulação à Lua

O diretor da Energia, fabricante russa de naves espaciais, Vitaly Lopota, informou que terá início em 2017 a fase de testes com o foguete russo projetado para enviar uma missão tripulada à Lua. Ele afirmou que o projeto ideal do veículo teve de ser adaptado às novas exigências apresentadas pela Agência Espacial Russa (Roskosmos).

Ainda de acordo com Vitaly Lopota, as novas exigências da Roskosmos implicaram na revisão de custos do projeto. Ele acredita, porém, que os engenheiros e técnicos da empresa saberão trabalhar com a agilidade e eficiência necessárias à execução do projeto.



Há mais de 40 anos que o Homem não vai à Lua. Esta imagem foi tirada durante a última missão tripulada, Apollo 17, uma das seis que fez aterrar seres humanos na Lua e regressar com segurança. O cientista-astronauta Harrison Schmidt foi fotografado ao lado de um grande pedregulho. A Apollo 17 explorou o terreno escuro do local de aterragem Taurus-Littrow, detonou explosivos para testar a geologia interna da Lua, e regressou com a maior quantidade de rochas lunares de todas as missões.

FGV DERRUBA MITO CRIADO PELA FPA E DIZ QUE O ACRE É O PIOR LUGAR PARA SE VIVER NA AMAZÔNIA


Salomão Matos/ Da redação de ac24horas com informações da TV Acre - Dados divulgados pela Fundação Getúlio Vargas, com base nos parâmetros e levantamentos feitos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) coloca por terra o mito criado pela Frente Popular  (FP), que o Acre é o melhor lugar para se viver na Amazônia.

No levantamento que avalia 28 fatores distribuídos entre 6 categorias, apontou a nota de cada estado e municípios do Brasil, sendo os quesitos avaliados;  Segurança, Habitação, Emprego, Saúde, Renda e Educação, numa escala de 0 a 10.

O Estado do Acre foi indicado pela amostragem ser o pior lugar para se viver na Região Norte com nota de 3,77.

Ainda na Região Norte, Rondônia aparece como o melhor lugar para se morar com a nota de 4,59, e na seqüência, vem  o estado de Tocantins com 4,37, Amapá 4,18,  Roraima com 4,03 e o Amazonas aparece na penúltima posição com 3,89.

No Brasil, a pesquisa diz que o melhor lugar para se viver fica  no Distrito federal com índice de avaliação 5,71.
NOTA DO BLOG 1 : VIU? FORAM TIRAR O PANETTONE! O ANO PASSADO TINHA.
--------------------------------------------------------------------------
LEIA TAMBÉM NO ESTADÃO
NOTA 2: Para uma cidade que não tem tradição nenhuma no futebol, é dinheiro demais. 

CUIDADO PRA QUEM BUZINA

DEPUTADO CLÁUDIO CAJADO PROPÕE REVOGAR O ESTATUTO DO DESARMAMENTO

Sob o argumento da violência que aterroriza grandes cidades brasileiras nos últimos tempos, como São Paulo e Florianópolis, a Câmara Federal poderá aprovar o Projeto de Lei 3.722/2012, que revoga o Estatuto do Desarmamento. A relatoria da matéria é do deputado Cláudio Cajado (DEM-BA), informa o Correio Braziliense. A norma, em vigor desde 2003, impõe restrições à posse de armas no país. A insegurança da população foi o motivo mais citado na audiência pública promovida nesta quarta-feira (5) pela Comissão de Relações Exteriores para tratar da proposta. Entre as mudanças, o projeto pretende tornar o registro de posse de armas vitalício, diferentemente da regra atual, de renovação a cada três anos. Também aumenta de seis para nove a quantidade de armas que uma única pessoa pode ter. E diminui a indenização paga à população que entrega revólveres, pistolas, metralhadoras e fuzis nas campanhas feitas pelo governo. Na audiência, o discurso contra o Estatuto do Desarmamento prevaleceu, com a presença maciça de representantes da indústria armamentista. Ainda de acordo com o Correio Braziliense, o Instituto Sou da Paz, que poderia fazer o contraponto, por ser publicamente favorável às restrições atuais para posse de armas, chegou a ser convidado para o debate, mas, na véspera, teve o convite cancelado pelo deputado Cláudio Cajado, que presidiu a audiência pública

ENQUANTO ISSO NO PAÍS DA COPA: APAGÃO ATRASA VOOS NO AEROPORTO INTERNACIONAL DO GALEÃO

O Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão) ficou sem luz na noite desta quarta-feira. Um defeito no equipamento da substação dentro das instalações teria ocasionado o desligamento da linha de transmissão da Light.

A energia foi interrompida por volta das 21h. O local ficou totalmente às escuras por 10 minutos, e só voltou a normalidade por volta das 23h.
Segundo a Infraero, não houve atrasos ou cancelamentos de voos em decorrência dos problemas na substação da Light, mas passageiros afirmam que o check-in foi paralisado, causando, sim, atrasos.


HUMOR - 27/12/2012

PARA DESESTRESSAR O POVO ENQUANTO PENSA QUE O SALÁRIO AUMENTOU. SE PELO MENOS NÃO MEXESSEM NO DÓLAR, NÃO É MANTEGA?
:-)

GREVE
FIM DE ANO

FUTURO COM O GREEN PEACE

26 de dez de 2012

TRIBUTO AO PASSADO - AMÉRICO FIGUEIREDO; PROFº RAIMUNDO LOURO; UBALDO MENEZES E DONA NIÊDA

Sr. Américo Figueiredo primeiro à esquerda de terno Branco,  Profº Raimundo Louro também de terno branco, de terno escuro Ubaldo Menezes e D. Niêda. O último à direita ainda não foi identificado.

A VERDADE É QUE TODO DIA CIVIS ARMADOS IMPEDEM ASSASSINATOS EM MASSA

Como deter a matança de inocentes

Depois do massacre na Escola Primária Sandy Hook, será que deveríamos deixar que os políticos e os meios de comunicação estatais que vivem cercados de seguranças armados o tempo inteiro ofereçam exatamente a prescrição errada para deter a matança de mais inocentes?

Assim como dá para prever o avanço dos ponteiros do relógio, dava para prever que aqueles que buscam um monopólio estatal sobre o poder de fogo explorariam uma tragédia como essa para impor soluções inconstitucionais, contraprodutivas e antiamericanas para resolver uma bagunça que eles ajudaram a criar.

Permita-me lhe dar algumas coisas para pensar — coisas que você provavelmente não ouvirá nem lerá em nenhum outro lugar.

Primeiramente, considere a razão por que Israel, uma nação cercada por loucos que buscam matar crianças judias inocentes de todos os jeitos que puderem, raramente vê os tipos de carnificina que os EUA testemunharam em Newtown, Connecticut. Posso lhe mostrar numa única foto, que não requer nenhuma explicação adicional.



É um fato que muitos assassinatos em massa como o que testemunhamos na Escola Primária Sandy Hook foram evitados porque crianças e adultos inocentes não foram deixados sem defesa. Eis apenas alguns exemplos:

* Em 1 de outubro de 1997, Luke Woodham, de 16 anos, membros de uma religião satânica, deu facadas e porretadas em sua mãe antes de dirigir o carro dela para a Escola Secundária Pearl em Pearl, Mississippi, onde ele matou a tiros dois estudantes e feriu sete outros com um rifle que ele não fez tentativa alguma de esconder. Ele então voltou ao carro de sua mãe e planejava ir para a Escola Intermediária Pearl para matar mais alguns. Mas o vice-diretor Joel Myrick pegou sua pistola calibre .45 do porta-luvas de seu caminhão e subjugou Luke.

* Em 16 de janeiro de 2002, Peter Odighizuwa, de 43 anos, da Nigéria, foi à Faculdade de Direito Apalachiana na Virginia com uma pistola e matou três e feriu outros três. Com o som dos tiros, dois outros estudantes — que eram policiais — pegaram suas armas de seus carros. Enquanto isso, outro policial e um ex-fuzileiro naval pularam em Peter e o desarmaram na hora em que os outros policiais chegaram à cena.

* Em 23 de agosto de 1995, um bando de viciados em crack entrou numa loja em Muskegon, Michigan, com um plano de matar a todos e roubar dinheiro e joias suficientes para alimentar seu vício. Um membro da gangue atirou quatro vezes nas costas de Clare Cooper, dono da loja. Ele ainda conseguiu dar um jeito de pegar sua espingarda e atirar na gangue em fuga. Todos foram presos.

* Em 9 de dezembro de 2007, Matthew Murray, um homem armado de 24 anos, lançou uma ataque contra os membros da Igreja Nova Vida em Colorado Springs que deixou duas vítimas mortas. Uma ex-policial, Jeanne Assam, membro da equipe de segurança da igreja, atirou em Matthew 10 vezes, matando-o, enquanto ele estava atirando nela. Matthew havia matado outras quatro pessoas numa igreja a 112 km de distância naquele dia.

* Em 24 de julho de 2012, Richard Gable Stevens alugou um rifle num campo de tiro ao alvo em Santa Clara, Califórnia, e ajuntou três empregados do lado de fora da porta, dizendo que pretendia matá-los. Um dos empregados, porém, estava carregando uma pistola calibre .45 e atirou no agressor.

* Em 17 de dezembro de 1991, dois homens armados com pistolas roubadas ajuntaram 20 clientes e empregados de um restaurante Shoney em Anniston, Alabama, fazendo-os entrar num grande refrigerador e trancando-o de modo que eles pudessem roubar o estabelecimento. Contudo, um dos clientes estava armado com uma pistola calibre .45 escondida debaixo de uma mesa. Ele matou a tiros um dos criminosos armados. O outro assaltante, que estava mantendo o gerente do restaurante como refém sob a mira de uma arma, começou a atirar no cliente. Mas ele foi revidado por tiros que o deixaram com ferimentos tão graves que deram um fim no crime.

* Em 13 de julho de 2009, um homem armado entrou no Mercado Golden Food em Richmond, atirando e ferindo um caixa enquanto estava atirando nos clientes do mercado. Ele foi atingido por outro cliente que tinha uma licença para portar arma escondida, provavelmente salvando as vidas de outras oito pessoas no mercado.

* Em 29 de julho de 2012, Charles Conner atirou e matou duas pessoas e seus cães no parque Peach Tree RV em Early, Texas. Vic Stacy recebeu uma ligação de um de seus vizinhos, pegou sua magnum .357 e atirou na perna de Charles. A polícia chegou antes que outras mortes ocorressem.
A verdade é que todo dia civis armados impedem assassinatos em massa.

Contudo, toda vez que há uma horrenda matança como a que vimos na Escola Primária Sandy Hook, há um clamor automático para desarmar mais as pessoas.

Espere um minuto! O perpetrador desse crime roubou suas armas da casa de sua mãe depois de matá-la! Ele tentou comprar um rifle dias antes, mas foi rejeitado.

Nenhuma lei poderia ter impedido essa matança, a não ser que todos os cidadãos obedientes à lei fossem desarmados. E isso simplesmente resultaria em mais mortes e carnificina — e o fim da liberdade para todos.

O massacre de Sandy Hook poderia ter sido minimizado, ou até mesmo totalmente impedido, se apenas uma professora ou diretora da escola estivesse armada — uma professora como a que você está vendo nessa foto de uma escola primária de Israel.

Tradução: Julio Severo -Do artigo do WND: How to stop the slaughter of the innocents

www.juliosevero.com/FORTE

A RECEITA DE VENENO DO COMISSARIADO - "LULA QUER O POVO NA RUA DEFENDENDO DELINQUENTES" , AFIRMA ELIO GASPARI


"Lula acha que pode botar o povo na rua para defender delinquentes; Collor teve a mesma ideia, deu no que deu".

Folha de São Paulo- Lula e José Dirceu, bem como os comissários Gilberto Carvalho e Rui Falcão, mostraram-se dispostos a botar povo na rua para defender o que chamam de "nosso projeto". A ideia é tirar a nação petista do inferno astral em que se meteu com o ronco das praças.

Deveriam pensar duas vezes. Talvez três, consultando-se com o senador Fernando Collor de Mello. Em agosto de 1992, ainda na Presidência, acossado por denúncias de roubalheiras, ele foi à televisão e pediu ao povo que o defendesse, vestindo verde e amarelo no dia Sete de Setembro. A garotada o ouviu e saiu por aí vestindo luto, com as caras pintadas. Em dezembro, Collor renunciou à Presidência.

O que vem a ser o "nosso projeto" em cuja defesa o comissariado quer gente na rua? O pedaço dos dez anos de mandarinato petista que garantem popularidade a Lula e à doutora Dilma nada tem a ver com o infortúnio dos mensaleiros e dos jardins de Rose Noronha.

Há gente disposta a sair às ruas para defender muitas iniciativas realizadas pelo PT desde 2003, mas se o comissariado acredita que conseguirá uma mobilização popular para proteger delinquentes condenados pelo Supremo Tribunal ou apanhados pela Polícia Federal, pode estar apostando numa radicalização suicida.

O repórter José Casado acompanhou três comícios de Lula durante a última campanha eleitoral. Viu-o nas praças de São Bernardo, Santo André e Diadema. Em cada uma delas havia algo em torno de 2.000 pessoas. Dois terços da audiência eram compostos por uma plateia que havia chegado em ônibus fretados por comissários. Casado tirou uma prova perguntando a vendedores de água como ia a féria. Muito mal.
---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

ETERNO PAÍS DO FUTURO? DESAQUECIMENTO BRASILEIRO DIVIDE ECONOMISTAS

Painel de economistas avalia por que a economia do Brasil não decola
Brasil deixou de ser unanimidade após desaquecimento
Ruth Costas/Da BBC Brasil em Londres - Até 2011, a imprensa e mercados internacionais pareciam tomados por um grande entusiasmo em relação ao crescimento brasileiro. "O Brasil decola", anunciou em 2009 a revista britânica The Economist, fazendo um diagnóstico que, à época, parecia ser unanimidade.

A recente polêmica aberta em um artigo da mesma Economist chamava a economia brasileira de "criatura moribunda" - e anunciava: "O Brasil despenca" - dá a medida de como o clima mudou em relação ao País em 2012.
"Este foi o ano em que passamos de uma 'brasilmania' - um grande entusiasmo no exterior em relação ao Brasil - para uma visão mais realista e cética sobre o potencial do País. Agora, na imprensa e entre os mercados e investidores há muita incerteza sobre os rumos que a economia brasileira tomará a partir de 2013", disse à BBC Brasil Marcos Troyjo, diretor do BRICLab da Universidade de Columbia, nos Estados Unidos.
Entre as causas centrais da mudança está a desaceleração econômica dos últimos dois anos. De 2004 a 2010 o PIB brasileiro cresceu a uma média de 4,5%, alcançando, em 2010, os 7,5% que encheram os olhos dos mercados e investidores.
A expansão mais modesta do ano passado - de 2,7% - foi interpretada por analistas como um ajuste sobre o ano anterior, em que o PIB havia crescido mais que seu "potencial" estimado, de 4%.
O que explica, então, a alta de apenas 1% esperada para 2012? Ou o que freou tão bruscamente o crescimento brasileiro - em um contexto em que, ainda por cima, o desemprego está historicamente baixo?
Em um momento em que o governo brasileiro se esforça para garantir que o país retome o crescimento acelerado - com mudanças no câmbio, pacotes de incentivo fiscal e queda dos juros - economistas estrangeiros e brasileiros de prestígio responderam essa questão para a BBC Brasil e opinaram sobre o que é preciso para a economia voltar a alçar vôo em 2013.

Consensos e divergências
Alguns pontos parecem consensuais. Por exemplo, os baixos níveis de investimento são apontados como fator central do desaquecimento.
Como alguns analistas ressaltam, o aumento dos gastos do governo e a expansão da classe média brasileira impulsionaram o consumo nos últimos anos - mas os empresários não têm investido o suficiente, criando uma insuficiência de oferta.
No Brasil, o nível de investimento ronda os 18% do PIB, contra quase 50% da China e pouco mais de 30% da Índia. No Peru, Chile e Colômbia a taxa ronda os 25%.

Apesar de aumento no consumo, empresários brasileiros investiram pouco
A sobrevalorização do real, que mina a competitividade dos produtos brasileiros no mercado internacional, e problemas estruturais, como excesso de burocracia, gargalos de infra-estrutura e falta de investimento em educação e na formação de mão-de-obra também são apontados como freios do crescimento em 2012, além do acirramento da crise global e desaquecimento da China.
O governo está tentando atacar alguns desses entraves com medidas como cortes dos juros (para 7,25%) e a queda do real. "Mas tal ajuste só terá resultados no médio e longo prazo, porque os empresários levam tempo para refazer seus planos", diz Antônio Prado, da CEPAL.
Entre as diferenças de pontos de vista dos entrevistados algumas se referem às causas do desaquecimento. Por exemplo, um grupo atribui mais peso a fatores externos, enquanto outros veem exagero no cálculo do contágio.
Há também uma ampla variação nas receitas para o crescimento. Alguns defendem mais abertura e menos intervenção. Outros pedem políticas industriais mais ambiciosas. Confira algumas dessas propostas abaixo:

Jim O'Neill - Reformas microeconômicas
Economista da Goldman Sachs, criador do termo BRIC

JIm O'Neill é otimista sobre retomada do crescimento em 2013
O Brasil desacelerou por dois motivos em 2011 e 2012.

É importante entender que a taxa de crescimento anual do Brasil é bastante volátil. Na década em que a média de crescimento chegou perto dos 4% houve 3 anos em que a expansão do PIB ficou abaixo dos 2%.

 Primeiro, a redução do crescimento da China e dos preços de algumas commodities. Segundo, a sobrevalorização do real, que complicou o desafio do Brasil para ganhar competitividade. Mas no último trimestre, não fosse por uma estranha queda no setor financeiro, o crescimento anualizado seria de 4%, então acho que será mais forte a partir de agora.
Para assegurar um crescimento igual ou maior que 4%, o Brasil precisa de melhores condições financeiras (evitando uma nova valorização do real) e reformas focadas no lado da oferta. A macroeconômia tem ido na direção certa, mas é preciso mais reformas microeconômicas.

Michael Reid - Menos burocracia e arbitrariedade
Editor para América Latina da The Economist
"Com que países o Brasil quer se comparar? Com a Europa? Basta olhar para a América Latina e os BRICs para ver que o desempenho recente do Brasil é pobre."

É verdade que o ambiente externo tem sido um desafio. Mas com que países o Brasil quer se comparar? Com a Europa? Basta olhar para a América Latina e os BRICs para ver que o desempenho recente do Brasil é pobre.

Alguns motores do crescimento de 2004-10 enfraqueceram. As commodities já não estão subindo e os consumidores precisam pagar suas dívidas. O Brasil se trancafiou em um bloco comercial protecionista e de baixo crescimento - o Mercosul, e fez pouco para abrir novos mercados. Mas o que mais decepciona é a queda dos investimentos. O setor público não tem melhorado a execução de projetos e investidores privados parecem estar preocupados com o risco de mudanças regulatórias ou de políticas.
Outros países latino-americanos acabaram com uma burocracia estúpida que dificultava a vida das empresas. Por que o Brasil não faz o mesmo? Como a presidência já reconheceu, mobilizar investidores privados em projetos de infra-estrutura é crucial. Mas o governo precisa ser mais consistente ao atrair investidores, oferecendo a eles uma taxa de retorno razoável.
Simplificar a estrutura tributária brasileira e reformar leis trabalhistas leva tempo, mas o governo poderia anunciar planos claros para lidar com essas questões.

Marcos Troyjo - Novo modelo de crescimento
Para Troyjo, Brasil precisa de reformas estruturais
Diretor do BRICLab da Universidade de Columbia
Há exagero na avaliação do peso dos fatores externos sobre o desaquecimento brasileiro. O Brasil é uma economia relativamente fechada. As exportações representam 10% do PIB e o peso da China é de 2%. Por isso, o efeito direto do desaquecimento chinês é mais limitado do que muitos acreditam, embora haja também o efeito indireto, relacionado a uma mudança de expectativas.

Houve no Brasil um problema de oferta. O País cresceu recentemente com um modelo focado nos altos índices de consumo e gastos do governo. Isso gera crescimento de curto prazo, mas não desenvolvimento. Para crescer mais de 4%, o Brasil precisa investir 23% do PIB no mínimo.
A queda dos juros foi bem-vinda, mas ainda é preciso fazer reformas estruturais: reduzir a burocracia para a abertura de negócios e os gargalos de infra-estrutura; investir mais em inovação e formação de mão de obra.

Antonio Prado - Política Industrial efetiva
Secretário-executivo adjunto da CEPAL
Houve uma queda muito importante do nível de atividade da indústria - em parte por causa da sobrevalorização do real, que barateou as importações e desestimuliou a produção local. Isso levou a uma inconsistência entre a política industrial e política macroeconômica.
Por isso, mudança na taxa de câmbio e de juros era necessária, mas deve demorar para mostrar resultados. Empresas que já tinham contratos de compras de insumos e dívida em dólar devem ser prejudicadas no curto prazo com a desvalorização, mas no médio e longo prazo o Brasil ganha competitividade.
O País já está fazendo um esforço grande para levar adiante mudanças estruturais e deve continuar nesse caminho. . Medidas como o controle de fluxos especulativos financeiros também são importantes.

Antonio Prado
"O Brasil precisa estimular o desenvolvimento de novos setores e setores de alta tecnologia"

Pablo Fajnzylber - Parcerias público-privadas
Principal economista do Banco Mundial para o Brasil


Após crescer 0% em 2009, o Brasil implementou um política fiscal e monetária anticíclica que lhe permitiu crescer 7,5% em 2010. Mas pressões inflacionárias levaram a um aperto da política monetária até agosto de 2011, quando incertezas globais motivaram um novo ciclo de estímulo.
O impacto desse afrouxamento precisa de tempo para se materializar. A parcela das rendas familiares comprometida com dívidas está alta. O investimento continua baixo refletindo uma incerteza sobre o cenário global e doméstico. Além disso, muitas indústrias sofrem com custos elevados de mão de obra.
No longo prazo, é preciso elevar o PIB potencial do país. A produtividade e o nível de investimento precisam subir. O setor público deve concentrar investimento em atividades que aumentam a produtividade do setor privado, como educação e infra-estrutura, continuando a fazer parcerias com o setor privado em áreas em que o último tem vantagens comparativa como transportes.

Edward C. Prescott - Mais competição e abertura
Prêmio Nobel de Economia
O sistema político deve estar bloqueando mudanças e tomando medidas para manter o status quo. É preciso fazer mudanças para progredir, mas ao que parece a nova presidente não é tão habilidosa como Luiz Inácio Lula da Silva, que foi capaz de manter o apoio dos brasileiros permitindo uma mudança.

O Brasil precisa criar um ambiente em que grupos de brasileiros talentosos possam se juntar e levar adiante iniciativas empreendedoras. Mais competição entre os Estados e mais abertura para o resto do mundo poderia ajudar nesse processo.

Luiz Carlos Bresser-Pereira - Política cambial eficiente
Ex-ministro da Fazenda
A economia brasileira está crescendo menos que o esperado principalmente devido à grande apreciação cambial que ainda subsiste. Os anos 2000, como os anos 90, foram marcados pela tendência à sobrevalorização crônica e cíclica da taxa de câmbio. O dólar caiu de R$ 3,95 em 2003 para R$ 1,65 em 2010.
Com isso, as indústrias deixaram de exportar. Elas sobreviveram graças à política distributiva do governo, que aumentou o mercado interno e explica as taxas de crescimento do segundo mandato de Lula. Mas com o tempo, seu mercado foi capturado por manufaturados estrangeiros.
O essencial agora é continuar a depreciar o real até que ele chegue ao nível de "equilíbrio industrial", de R$ 2,70 por dólar, que torna competitivas as empresas brasileiras de manufaturados. Para exportadores das commodities, que originam a "doença holandesa" (sobrevalorização da moeda de países com recursos naturais abundantes), R$ 2,00 por dólar está bom.

DA SÉRIE: PÁSSAROS - 26/12/2012



23 de dez de 2012

NOVA LEI SECA ENTRA EM VIGOR E PM DE TK COLOCA EM PRÁTICA NA "OPERAÇÃO ÁLCOOL ZERO, E PRENDE DOIS CONDUTORES EMBRIAGADOS


Na primeira noite de vigência das novas regras da lei seca, a Polícia Militar de Tarauacá multou 09 motoristas em pontos diferentes da cidade. Outros dois foram  conduzidos para a Delegacia,, na  qual uns dos conduzidos havia se envolvido em um acidente.

Ao todo, a polícia Militar parou durante toda madrugada 64 motoristas, que foram verificados a documentação de porte obrigatório, e submetidos a uma observação visual se havia algum tipo de características de que o condutor havia ingerido bebida alcoólica. 

As mudanças na lei seca endurecendo a fiscalização da embriaguez ao volante começaram a valer ontem. A proposta, aprovada na terça-feira pelo Senado, torna válidos novos meios para identificar um condutor alcoolizado, além do bafômetro.

Há ainda uma alteração no Código de Trânsito Brasileiro que dobra a multa aplicada a quem for pego dirigindo embriagado: dos atuais R$ 957,70 para R$ 1.915,40, valor que pode dobrar em caso de reincidência em 12 meses.

Entre os meios que passam a ser aceitos para comprovação da embriaguez estão o depoimento do policial, vídeos, testes clínicos e testemunhos. Essa parte da lei depende ainda de uma regulamentação do Contran (Conselho Nacional de Trânsito), que deve ser publicada nos próximos dias.

O agente de trânsito poderá ainda se valer de qualquer outro tipo de prova que puder ser admitida em tribunal.

Antes da mudança, era considerado crime dirigir sob a influência de drogas e álcool - a proporção é de 6 dg/L (decigramas por litro) de sangue, mesmo sem oferecer risco a terceiros, e o índice só poderia ser medido por bafômetro ou exame de sangue.

Como ninguém é obrigado legalmente a produzir prova contra si mesmo, é comum o motorista se recusar a passar por esses exames, ficando livre de acusações criminais.

Além disso, a interpretação da lei vigente feita em março pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) dizia que só bafômetro e exame de sangue valiam como prova. Na prática, isso enfraqueceu a lei seca.

Com a nova regra, o limite de 6 dg/L se torna apenas um dos meios de comprovar a embriaguez do motorista. O crime passaria a ser dirigir "com a capacidade psicomotora alterada em razão da influência de álcool ou outra substância psicoativa que determine dependência".


Ao condutor será possível realizar a contraprova, ou seja, se submeter ao bafômetro ou a exames de sangue para demonstrar que não consumiu acima do limite permitido pela legislação.

Ficam mantidas a suspensão do direito de dirigir por um ano para quem beber qualquer quantidade e o recolhimento da habilitação e do veículo. A polícia Militar de Tarauacá vai dar sequencia às blitz de trânsito com o intuito de combater os maus motoristas que insistem em dirigir sob efeito de álcool.
PM/TK


Nota: Vamos ver até quando a polícia vai poder trabalhar sem pressão. Desde já coloco-me à disposição para divulgar os nomes de quem tentar tirar mais esse direito do cidadão, ou seja, de não ser atropelado por um idiota inconsequente.

CONDENAÇÕES E APLICAÇÕES DE MULTAS DO TCE A GESTORES PÚBLICOS DO ACRE EM 2012 SOMAM MAIS R$ 18,3 MILHÕES



Luciano Tavares – da redação de ac24horas

As condenações por irregularidades cometidas por gestores públicos no Acre somaram mais de 17 milhões de devoluções aos cofres públicos e mais R$ 1,3 milhões em aplicações de multas aos gestores e ex-gestores.

De acordo com assessoria do Tribunal de Contas do Estado foram julgados este ano 536 processos. Desses, as prestações de contas somaram 135 processos apreciados pela Corte.

O mais surpreendente é que das prestações de contas só 17 foram consideradas regulares, ou seja, sem nenhuma falha ou ausência de informações enviadas ao Tribunal.  Entre os exemplos estão as prestações da Câmara Municipal de Epitaciolândia, do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e da Controladoria Geral do Estado, referentes a 2010.
Entre os inúmeros processos julgados que apresentaram irregularidades estão a auditoria na prefeitura municipal de Tarauacá, exercícios de 2009 e 2010, prestação de contas da prefeitura municipal de Capixaba, exercício de 2008, e da prefeitura municipal de Porto Walter, exercício de 2010.

Chamam também atenção as condenações a gestores e ex-gestores do estado. Como a de Cassiano Marques, ex-secretário de turismo, que foi condenado a devolver R$ 1,9 milhão aos cofres públicos e a do ex-diretor do Deracre, Sérgio Nakamura, condenado a devolver R$ 2,1 milhões aos cofres do estado.

MAIS "ARTE"

21 de dez de 2012

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ HÁ 36 ANOS - FANFARRA DA ESCOLA PLÁCIDO DE CASTRO

29/09/1976

POLÍCIA FEDERAL SE PREPARA PARA PRENDER CONDENADOS DO MENSALÃO



FERNANDO MELLO, ANDREZA MATAIS DE BRASÍLIA - Equipes da Polícia Federal estão a postos para cumprir a ordem de prisão dos condenados no mensalão, diante da possibilidade de o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, acatar o pedido da Procuradoria-Geral da República em executar a pena imediatamente.

Decisão sobre prisões do mensalão sai amanhã, diz presidente do STF

Procuradoria tem obrigação de investigar depoimento de Valério, diz Barbosa
Maia não descarta oferecer abrigo a deputados condenados para evitar prisão
Saiba quem são os réus condenados e suas penas
Retrospectiva: Veja principais momentos do julgamento do mensalão

A medida é necessária porque muitos podem estar viajando. Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, por exemplo, estaria em uma praia no Nordeste, segundo pessoas próximas. Também houve determinação para que equipes de plantão em São Paulo, Brasília e Rio fossem reforçadas caso a ordem seja dada.

A expectativa na PF é de que a maioria se entregue espontaneamente. Entre petistas, contudo, há comentários de que os condenados filiados ao partido possam querer ser fotografados sendo presos antes do Natal para propagandear o que consideram ser uma injustiça.

Condenado como chefe da quadrilha do mensalão, o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu se reuniria com sua equipe ontem à noite.

Delegados ouvidos pela Folha ontem demonstraram preocupação com a possibilidade não negada pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), de abrigar réus na Casa.

O setor operacional da PF afirma que ordem judicial se cumpre e que se houver determinação neste sentido terá que entrar no Congresso.

Como no caso de Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete da presidência da República, a preocupação é deixar tudo esquematizado para evitar qualquer problema. No caso de Rosemary, a PF fez um reconhecimento no gabinete da Presidência antes da busca e apreensão.

Os momentos pré-prisão são sempre tensos. Normalmente, os agentes seguem os alvos dias antes para saber onde estão.

Recentemente, a PF perdeu um alvo que estava sendo monitorado pela possibilidade de a prisão ser decretada. Geovani Pereira, contador da quadrilha de Carlos Cachoeira, driblou os investigadores horas antes do estouro da operação Monte Carlo.

MARCO MAIA E SEUS 2012 MINUTOS DE FAMA - O PERIGO MAIA


Por Reinaldo Azevedo - O perigo Maia, neste 21 de dezembro, não era o calendário, mas o Marco… Ou: O fator Joaquim
Que preguiça, né?

Sabem o que vai acontecer se o ministro Joaquim Barbosa determinar hoje a prisão de mensaleiros? Nada! No “não-conselho” que dei ao ministro (já que não pago o mico de aconselhar ministros, a presidente, o papa, meus médicos ou gente mais rica do que eu…), opino que não é o caso de cair na provocação. Num outro post, demonstro também que a imprensa deu uma esquentada na resposta do verdadeiro perigo Maia que ronda o Brasil, hehe… Não é o calendário, mas o Marco, presidente da Câmara e terceiro homem da hierarquia da República. Considerado o que ele realmente falou, é exagero afirmar que ofereceu “asilo” aos deputados mensaleiros caso tenham a prisão decretada. Mas isso não significa que não tenha, digamos assim, ensaiado o seu próprio modelo de apocalipse.

É… A maldição maia o pegou de jeito. Na semana passada, quando estava em debate a cassação dos mandatos dos deputados mensaleiros, ele já havia declarado que não estava bem certo se cumpriria ou não a decisão do Supremo, como se ele tivesse alternativa. Ontem, estimulado pela notoriedade que lhe conferiu a valentia, deu aquela resposta meio vaga sobre a possibilidade de homiziar os mensaleiros — é claro que não é daquele modo que deve falar um presidente da Câmara — e, neste caso, sim, com todas as letras, resolveu ameaçar os ministros do Supremo com o impeachment: “Não acredito que nenhum ministro tenha a vontade de intimidar o presidente da Câmara com qualquer tipo de ameaça, até porque quem nomeia e cassa ministro do Supremo é o Parlamento, o Senado”.

Referia-se ao decano do Supremo, Celso de Mello, que lembrou o óbvio: a autoridade que não cumpre uma decisão judicial prevarica.

Há uma diferença brutal entre as falas de Mello e Maia. Não se trata só de chumbo trocado. O ministro aludia a uma situação concreta, designando o tipo de atitude inaceitável numa democracia de direito. Já o presidente da Câmara pretendeu apenas fazer do Judiciário um Poder derivado do Legislativo. É fato: senadores podem cassar ministros do Supremo. Mas precisam ter um motivo pra isso. Celso de Mello havia anunciado a disposição de cometer algum crime? Não me lembro… Os petistas montaram com dinheiro público uma subimprensa para lhes puxar o saco e para demonizar seus adversários reais ou supostos. Essa gente vive do extremismo retórico e, não raro, da baixaria. Comporta-se como moleques de rua atiçando cães para a briga: “Isca, isca, pega ele, pega ele!”. E há parvos que se deixam contaminar pelo clima. 

Maia, sempre perturbado pela aproximação do dia 21 de dezembro, também começou a flertar com a possibilidade, segundo ele, de dar posse a José Genoino, que é suplente. O deputado Jilmar Tatto (PT-SP) vai se licenciar da Câmara para ser secretário de Fernando Haddad. Trata-se de uma espécie de arrastão de provocações contra o Poder Judiciário.

O presidente da Câmara é expressão de um momento não muito feliz por que passa a política brasileira. O petismo se expandiu tanto que chegou àquilo que se chamava baixo clero, a tal “turma do fundão”. Ao mesmo tempo, o mensalão cortou algumas cabeças coroadas. No comando da Câmara, mais atrapalhou o seu próprio governo com demandas corporativistas do que ajudou, num biênio por nada digno de nota. Agora, na reta final, resolveu encarnar a figura do paladino das prerrogativas do Parlamento. Poderia, sim, fazê-lo. Não há nada de errado com a pretensão em si, mas há um modo inaceitável e muitos inaceitáveis de se dedicar a essa tarefa.

Se Joaquim Barbosa recusar o pedido do Ministério Público, não será por receio de comprar briga. Já topou duas maiores, quando aceitou a maior parte das denúncias e quando votou pela condenação da maioria dos réus, com a devida caracterização dos crimes que cometeram: não transgrediram apenas o Código Penal, mas também os fundamentos do regime democrático.

Mas também pode mandar prender, a depender da argumentação apresentada pelo procurador-geral da República. Sabem o que vai acontecer nessa hipótese? Quem não se apresentar será buscado pela Polícia Federal, os advogados vão recorrer etc. Apesar do perigo Maia, o mundo não vai acabar se José Dirceu for preso, a República continuará no mesmo lugar, o Natal acontecerá no dia 25 de dezembro, eu vou passar uns dias na praia, outros escolherão o campo, e haverá queima de fogos na passagem do ano…

Lembro um troço que, visto agora, parece até pitoresco. Durante o Regime Militar, quando alguém tinha algum pensamento, digamos, ousado —  democracia, por exemplo —, uma pergunta vinha lá das profundezas dos nossos temores: “Será que os militares vão deixar?”. Os petistas querem ocupar aquele lugar. Eles pretendem que nos perguntemos: “Será que o PT vai deixar?”.

Já disse o que penso sobre as prisões, mas também deixo claro o seguinte: o PT não tem de deixar ou de não deixar o que quer que seja. Barbosa decidirá se manda prender ou não porque a Constituição e o Regimento Interno do STF lhe facultam esse papel. Caso diga que sim, os condenados serão presos, e seus advogados vão recorrer. Ponto!

E o sol nascerá de novo, amanhã será sábado, o Natal virá no dia 25, haverá queima de fogos no Réveillon, alguns, como este escriba, continuarão a preferir a praia, outros o campo…

Não podemos deixar que a Maldição Maia atrapalhe a rotina dos dias. O bom da democracia é ser um regime desinteressante, sem surpresas, sem solavancos, medíocre mesmo! O bom da democracia é que, dada essa mediocridade, permite que a gente encontre motivos mais atraentes do que a política para tornar a vida interessante. Ou alguém consegue ter algum pensamento elevado quando lembra de José Dirceu ou de Delúbio Soares?

DEU MESMO

FRASE DO QUADRIÊNIO

20 de dez de 2012

BRASIL LIDERA NÍVEL DE TRIBUTAÇÃO SOBRE iPAD, ENERGIA E REFEIÇÃO EM RESTAURANTE

MARIANNA ARAGÃO/FOLHA-UOL de SP -  O Brasil é campeão no nível de tributação sobre o preço final de itens de consumo como iPad e serviços como energia elétrica e refeições em restaurantes.

A conclusão é de uma pesquisa com 22 países concluída em dezembro pela UHY, rede internacional de firmas de auditoria e contabilidade, com sede no Reino Unido.

O estudo analisou o peso dos tributos indiretos sobre uma cesta de 16 produtos. Os tributos indiretos são aqueles que incidem sobre o preço de bens e serviços --como ICMS, PIS, Cofins e IPI--, e não sobre a renda do contribuinte.

No Brasil, os tributos dessa natureza representam 42,2% do preço final do iPad, o tablet da Apple, 27,3% do valor da conta de energia elétrica e 27,2% do preço de uma refeição fora do lar --maiores índices entre os 22 países analisados.

O país também tem a maior tributação em roupas infantis (27,2%) e a segunda maior em vinhos (44,3%).

ACIMA DA MÉDIA

O Brasil apresentou a segunda maior taxa de tributação entre os países avaliados, considerando sua participação no valor total da cesta de 16 produtos.

Os tributos no país representam 28,7% do preço da cesta, ante uma média mundial de 13,8%. O país só perde para a Índia, com 38%.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a carga tributária paga pelos brasileiros nos produtos analisados pelo UHY é ainda maior.

Isso porque a pesquisa não contabiliza os encargos incidentes sobre folha de pagamento e sobre os lucros das companhias, que também estão embutidos no preço final dos produtos.

Para especialistas, a constatação do estudo reflete a distorção da matriz tributária brasileira, que prioriza a cobrança de impostos e contribuições sobre o consumo.

Em países da Europa, bem como nos Estados Unidos e no Japão, predomina a tributação sobre lucro ou patrimônio, diz João Eloi Olenike, presidente do IBPT.

"O sistema nacional encarece os produtos e desestimula o consumo", afirma.

Segundo ele, uma medida que poderia amenizar esse efeito seria a definição de alíquotas menores para bens essenciais. "Mas na prática isso não ocorre."
Editoria de Arte/Folhapress


DESIGUAL

Para Roque Pellizzaro Júnior, presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), a tributação indireta é também injusta.

"Ela incide independentemente da classe social. Pobres e ricos pagam o mesmo."

Segundo Pellizzaro, essa característica do sistema tributário brasileiro prejudica o crescimento da economia.

"Ao elevar o preço final do produto, o tributo elimina a possibilidade de muitos brasileiros consumirem, inibindo o círculo positivo de consumo e produção", diz.

BRIC

Segundo o estudo da UHY, nos países que compõem o Bric, a tributação média é de 22,9% do preço total da cesta de produtos analisada.

Na Europa, esse percentual é de 15,5% e de 5,8% nos Estados Unidos.

"Isso nos leva a questionar se as altas taxas de tributação sobre o consumo têm impedido um crescimento ainda maior dessas economias", diz Ladislav Hornan, da UHY.
----------------------------------------------------------------------------------