30 de abr de 2013

ACIDENTE COM UM AVIÃO CARGUEIRO NO AFEGANISTÃO EM FEVEREIRO - SETE MORRERAM

CABEÇA DIGITAL PODE 'REVOLUCIONAR' ENSINO DE MEDICINA

Estudantes de medicina e odontologia
 podem praticar técnicas de exame e cirurgias

Especialistas da Escola de Artes de Glasgow, na Escócia, desenvolveram um modelo digital de cabeça e pescoço humanos que tem o potencial de revolucionar o ensino de odontologia e medicina.

O sistema emprega uma tecnologia chamada de "force feedback" que simula a sensação de toque no tecido.

Os designers passaram 3 anos dissecando, escaneando e fotografando o corpo humano para desenvolver o modelo digital.

Um dos responsáveis pelo projeto, o professor Paul Anderson, afirma que o modelo proporciona uma boa plataforma de treinamento para que estudantes possam praticar repetidamente certas técnicas e processos, sem se preocupar com erros.
E a tendência ainda é melhorar, veja o vídeo abaixo

IMAGENS DA CAMINHADA PELA PAZ EM TARAUACÁ

HUMOR - 30/04/2013




29 de abr de 2013

ATENTADO OU ACIDENTE? AGENTE PENITENCIÁRIO É ATROPELADO QUANDO SAIA DO TRABALHO






















Gleydison Meireles – da redação do ac24horas Os acontecimentos ocorridos nos últimos dias envolvendo agentes penitenciários tem levantado o questionamento sobre uma possível ameaça da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC) contra os carcereiros acreanos. Em quatro dias três agentes foram vítimas de ações suspeitas.

A último ocorrência aconteceu na tarde de domingo (28), quando um agente saiu do presídio Francisco de Oliveira Conde (FOC) e foi atropelado por um carro ainda não identificado.

O atropelamento aconteceu na Estrada Dias Martins, e a vítima, que pilotava sua motocicleta, foi encaminhado para UPA do Segundo Distrito.

De acordo com o agente, que pediu para não ser identificado, ele trafegava pela estrada quando o carro emparelhou com sal motocicleta e depois jogou o carro contra o agente. O atropelador fugiu sem prestar socorro à vítima, o que reforça as suspeitas de ataque ao carcereiro. O próprio agente suspeita de um ataque.

“Acredito que fui vítima de um ataque criminoso. Pelo jeito que as coisas aconteceram creio que os bandidos estão querendo a nossa morte”, revelou o agente ao sindicalista Adriano Marques no momento que recebia atendimento médico na UPA.

Diante disso o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Acre (Sindap/AC) está convocando todos os agentes penitenciários para um ato público marcado para a próxima quinta-feira (2) às 7h30 em frente ao presídio Francisco de Oliveira Conde.

Os agentes farão uma concentração em frente à penitenciária e depois seguirão em carreata até a Assembleia Legislativa, onde uma comissão se reunirá com os parlamentares para cobrar a realização da audiência pública sobre segurança.

LEIA TAMBÉM NO CONTILNET: Agentes penitenciários organizam ato público contra supostos atentados

UMA REPORTAGEM ME CHAMOU MAIS ATENÇÃO DO QUE A VITÓRIA DOS DANÇARINOS LÁ EM CRUZEIRO: OBSERVEM O QUE ESTÁ EM VERMELHO


Vacina do sapo é usada como remédio, mas pode até matar

A substância retirada de um anfíbio da Amazônia, usada pelos índios em rituais xamânicos e pelos caboclos como remédio, foi proibida pela Anvisa. 


CLIQUE AQUI PARA VER O VÍDEO

Remédio ou veneno? Uma substância extraída de um sapo da Amazônia vem sendo usada como um suposto remédio pra várias doenças. Só que na verdade pode até matar. A polícia investiga quem está por trás desse comércio proibido, como mostra agora o repórter Marcelo Canellas.

Maravilha curativa? “O kamboa é um depurativo da limpeza do sangue, da pele, corta tipo de diabetes, colesterol, problema de doenças infecciosas. Ele vai curando tudo”, explica o ambulante José de Sousa.

Ou um veneno mortal? “Ele tomou o negócio e, em um minuto ou dois, ele passou mal, foi para o banheiro, evacuou e enfartou no banheiro, lembra uma testemunha.

Uma substância retirada de um anfíbio da Amazônia - usada pelos índios em rituais xamânicos e pelos caboclos como remédio - foi proibida pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Conhecida como vacina do sapo, ela é objeto de uma investigação policial que envolve contrabando, biopirataria e até a morte de uma pessoa.

Estivemos no oeste do estado do Amazonas, a caminho de Atalaia do Norte. No local não há quem ao menos não tenha visto os poderosos efeitos da vacina do sapo.

“Já vi, mas não tive coragem, porque a pessoa passa mais de vinte minutos fazendo efeito, o negócio lá”, diz o taxista Raimundo Falcão. Ele conta que já levou muita gente ao local.
O táxi nos leva a um aldeamento dos índios marubos. Eles acabam de chegar da mata. Eis o famoso kambô, kampô ou kamboa, como é chamado dependendo da região da Amazônia, cujo nome científico é philomedusa bicolor.

“Ele tem hábito noturno, então de dia parece que fica meio molinho. Os índios amarram as patas do bichinho e o esticam entre duas estacas.

O pajé raspa levemente o corpo do animal para extrair o veneno. Ao fim da retirada, os índios devolvem o bicho à mata. A substância pastosa é colocada numa palheta de madeira. Os marubos tomam a vacina desde cedo.

O pajé usa um pedaço de cipó incandescente para queimar a pele do garoto. Depois, aplica a secreção diretamente na queimadura. O veneno entra na corrente sanguínea e começa a agir. Sabendo que vai passar mal em poucos segundos, o garoto corre para a beira do rio. A irmã dele, Neidilene Marubo, tenta ajudá-lo. “Ele está se sentindo tonto. Sente a cabeça rodando e dá vontade de vomitar”, conta.

Em seguida, é ela quem toma a vacina. “Tenho medo, mas tem que tomar para tirar a preguiça e poder trabalhar”, diz Neidilene.

Eles acreditam em poderes mágicos. Tomando a vacina, os homens se tornam caçadores hábeis. As mulheres ganham destreza para o artesanato.

E todos sentem o mesmo desconforto. São poucos minutos e o efeito é quase imediato. Apesar desse sofrimento todo, os índios vivem assediados por gente que vem de longe em busca da secreção. Horácio Marubo de Oliveira revela: “Já veio gente de vários lugares, estrangeiros”.

“Nos preocupa muito na Funai a venda desse conhecimento agregado também, o conhecimento xamânico do povo marubo, como vocês estão aqui entrevistando eles”, afirma o coordenador regional do Vale do Javari Bruno Pereira.

A Funai já recebeu dezenas de denúncias: estrangeiros estariam comprando o veneno do kampô em várias partes da Amazônia.
Fantástico: O estado brasileiro teria como fiscalizar isso e impedir a retirada dessa substância?

Bruno: É como procurar uma agulha num palheiro. Qualquer turista com acesso a essa região pode chegar aqui facilmente e conseguir um mateiro, independente de ser índio ou não, e ter acesso ao sapo.

No Acre, o assédio é sobre os kashinawás. Quem os procura? “Eles são brancos, altos e outra língua, a pessoa não entende a língua deles. Vêm à procura da palheta com o veneno. E vêm outras pessoas pra traduzir a língua deles”, conta o agente de saúde Nonato Kashinawá.

Só na aldeia dele, já saíram muitas palhetas. “Venderam mais de cem palhetas já”.

Tudo por causa da fama nunca comprovada de remédio potente capaz de curar da dor de cabeça ao diabetes.

É justamente esse mistério que envolve as supostas propriedades medicinais da vacina do sapo que atrai pessoas de outras regiões do Brasil e até do exterior. A Polícia Federal monitora o movimento de estrangeiros que estariam assediando índios e caboclos em busca da secreção extraída do animal.

Com a ajuda da Embrapa, que desenvolveu um método para identificar a secreção, os peritos conseguiram analisar o material apreendido. “Todas, até o momento, que chegaram com a suspeita, ela foi confirmada. Era a vacina, a secreção da philomedusa bicolor”, afirma o perito da PF César Silvino Gomes.

A investigação corre sob sigilo, mas a polícia já ouviu as primeiras testemunhas. “Algumas pessoas, inclusive estrangeiros, que estariam extraindo produtos oriundos do sapo. Há notícias de que essas pessoas estariam, inclusive, enviando ao exterior esse material”, conta a delegada Anne Vidal Moraes.

Qual a razão dessa procura? Quais seriam os efeitos medicinais de uma substância tão agressiva?

O biólogo do Instituto Butantan de São Paulo Carlos Jared esclarece: “Vacina do sapo! Eu sempre falo: não tem outro nome de falar, mas é totalmente errado. Porque não é vacina. E também não é sapo”.

O professor explica que o kampô é, na verdade, uma perereca. E que a secreção que ela libera é um veneno com centenas de componentes.
“Você tem um monte de contraindicações que seriam as substâncias do caldeirão da bruxa, que é a glândula de veneno da perereca. Tem substância que causa vômito, que causa diarréia, e outras tantas substâncias, que é exatamente o problema, que não se conhece. Esse caldeirão da bruxa é muito pouco conhecido”.
Cruzeiro do sul, Acre. Campus da Universidade Federal. Um pesquisador estuda o kampô há sete anos. O biólogo Paulo Sérgio Bernarde é fascinado pela philomedusa bicolor.
“Tem umas ventosas, almofadas digitais. Praticamente ele escala”, explica.

Para ele, a aplicação medicinal da vacina ainda é um mistério: “Nós não sabemos ainda, cientificamente, qual é o benefício da aplicação do veneno bruto em uma pessoa”.

O professor já tomou dez doses da vacina. “A primeira vez foi curiosidade científica. Eu tinha que experimentar”, explica Paulo Sérgio.
Ele está indo tomar sua décima primeira. E, desta vez, vai monitorar seus batimentos cardíacos.

“O batimento cardíaco está 76. Esse vai ser o melhor indicativo para gente ver a alteração durante o processo. Ele vai queimar a minha pele no ombro. Ele coloca bem no local dos pontos das queimaduras. Agora a reação vai ser praticamente imediata. A gente já percebe que tem alguma coisa estranha no corpo. Você sente um calor agora percorrendo o corpo, O batimento cardíaco foi para 117. Agora começou a outra parte também desagradável da aplicação, que é uma dor no estômago. Eu devo estar vermelho, o olho deve estar ficando vermelho, inchado. A dor  na região do estômago  está aumentando. Como se o corpo inteiro formigasse”, descreve o professor.

Só vinte minutos depois os batimentos cardíacos começam a cair. “Está 100, está voltando ao normal”.

Não deixa de ser muito estranho que as pessoas procurem tanto isso para passar tão mal. O professor completa: “Eu até brinco: nos primeiros cinco minutos você pensa que vai morrer, com dez minutos, você tem certeza!”

Em Pindamonhangaba, no interior de São Paulo, a morte veio de verdade. “Chamaram o resgate e ele morreu lá mesmo. Quando o resgate chegou ele já estava morto”, lembra uma testemunha.

O irmão deste homem morreu em 2008, minutos depois de receber a vacina. Quem aplicou foi um comerciante que trouxe uma palheta do Acre. “Diz que sarava colesterol, diabetes, até câncer. Na hora que ele teve a aplicação e começou a acelerar o batimento cardíaco dele”, conta.

O comerciante foi embora da cidade. Denunciado por curandeirismo, e com direito de permanecer em liberdade, ele ainda está sendo processado. Embora a necropsia não tenha detectado nenhuma substância estranha no corpo da vítima, a polícia acredita que foi a vacina que a matou.

“Não pelo veneno, mas sim pelos efeitos. Se ele tivesse uma pré-doença, uma pré-doença cardíaca, e ele tem o aumento significativo da pressão e do batimento cardíaco, isso pode levar a um infarto, que foi a causa indicada como morte”, explica o delegado Vicente Lagioto.

“O kambô é milenar e ocorreu uma morte. E a gente não reclama das mortes que acontecem todos os dias nos hospitais. Acho que a proporção é injusta falar que o kambô gerou uma morte”, diz um psicoterapeuta. Quem defende a aplicação da vacina do sapo como método da chamada medicina da floresta é o terapeuta Amir El Aouar.

“Eu não sou médico. Eu sou psicoterapeuta de formação na linha transpessoal, da psicologia transpessoal, que é uma coisa pouco conhecida no Brasil, mas largamente difundida no mundo afora”, explica Almir.

Ele nos recebe numa casa ampla, na Vila Madalena, Zona Oeste de São Paulo. “Eu não só recomendo como faço uso e sinto os benefícios. Justamente por sentir esses benefícios é que eu recomendo”.

Amir diz que elimina os riscos ao monitorar pessoalmente os pacientes: “A capacidade no âmbito psicoterapêutico e uma avaliação através de perguntas se a pessoa está usando determinado tipo de medicamentos, a gente já não corre o risco”.

E nos apresenta dois aplicadores de kampô, que vieram do Acre: Francisco e Francisca. Todos sabem que a Anvisa proibiu a venda da vacina do sapo, no que dizem estar de acordo.
“Ocorreu de venderem uma palheta de kambô a R$ 18 mil aqui. Já aconteceu isso, e a gente não admite esse tipo de coisa”, diz Almir.

E, para não infringir as regras da Anvisa, propõe demonstrar a aplicação em uma pessoa conhecida. A atriz Anna Fecker é nora de Francisco e Francisca. Ela já tomou a vacina várias vezes.
“O kambô vai buscar no seu organismo o que está errado e aí ele vai consertando, entendeu?”. Sob a supervisão de Amir, Anna toma uma dose.

“As pessoas confundem o passar mal com essa reação, que a é uma reação natural do tratamento”, esclarece o terapeuta.

Depois, o próprio Amir recebe a sua. “Sagrada medicina cura. Minha mão já começa a formigar. Sagrada medicina cura, desvela o ser e cura”, canta. Com o complemento do rapé e de um colírio feito com uma raíz da Amazônia.

Em Brasília, a Anvisa informa que, não apenas o comércio, mas o uso terapêutico de uma substância sem registro oficial é proibido.

“O que a legislação sanitária prega é que qualquer insumo que você não tenha conhecimento da procedência dele, que não tenha nenhuma garantia da eficácia terapêutica, a recomendação é de que não seja utilizado”, explica José Agenor Alvares da Silva, da Anvisa.

Perguntado se não tem receio de, ao recomendar a pacientes em São Paulo, ele possa estar cometendo alguma ilegalidade em função dessas proibições, Almir esclarece: “Na verdade, eu, particularmente, não recomendo que seja feito a aplicação aqui em são Paulo. Eu recomendo que ela seja feita no Acre”.
Para a polícia de São Paulo, qualquer terapia que use a vacina do sapo está fora da lei.

“Às vezes, para a população se vende assim: esse produto é natural, então eu posso tomar, isso não vai fazer mal para mim. E não é assim. Na natureza, essa substância tem uma função de veneno”, alerta o delegado Vicente Lagioto.

CONTE ATÉ 10 – MAIS UMA CAMPANHA LANÇADA AQUI EM TARAUACÁ POR INICIATÍVA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - DAQUI A POUCO ÀS 17:00HS CAMINHADA PELA PAZ


Hoje no auditório da Escola de ensino médio Dr. Djalma da Cunha Batista, foi lançada mais uma campanha pela Paz por iniciativa do Ministério Público que visa demonstrar a todos principalmente às crianças e aos jovens a importância do controle emocional para evitar homicídios e outros crimes contra a vida e a integridade física.


Com várias autoridades presentes o Promotor Dr. Rolim fez uso da palavra chamando a atenção para o enorme número de homicídios no município ano passado que foram 19, muitos desses homicídios envolvendo jovens, drogas e bebidas, o que é um número absurdo comparado com Feijó que foram 5. 

O debate foi proveitoso, o que se espera da sociedade organizada é que não fique somente na seara do discurso. Agressão a professores como também a servidores e depredação do patrimônio público, virou lugar comum nas escolas e cidades brasileiras.

O ponto baixo do ato foram os alunos que ficaram olhando para o celular, para o teto, conversando alto com a colega ao lado, suspirando como se aquilo fosse “um saco”, chupando seu pirulito ou mascando seu chiclete demonstrando assim que estava ali somente por obrigação, isso quando não estavam dando gritinhos. Esses alunos quando estiverem nas mãos da justiça deverão pelo menos se lembrar desse dia, para não cobrar nada dos outros.

O ponto alto além do próprio ato em si, foram as demonstrações da fanfarra do ensino médio e de jovens capoeiristas.

A campanha CONTE ATÉ 10 continua durante o dia, finalizando com uma caminhada pela Paz partindo da praça próxima a Paróquia de São José.

TARAUACÁ É INTERESSANTE...


AQUI A PARÓQUIA É DE SÃO JOSÉ, MAS O NOVENÁRIO QUE DÁ A MAIOR QUANTIDADE DE DEVOTOS É O DE SÃO FRANCISCO, MAS MESMO ASSIM, É UM LUGAR ONDE AINDA SE MALTRATA MUITO OS ANIMAIS.

VAGNER SALES INAUGURA COMPLEXO DE ATENDIMENTO PRIORITÁRIO AO AGRICULTOR

Vagner Sales e os familiares dos homenageados inauguram unidade de saúde do agricultor e centro de comercialização
Empreendimento que custou mais de R$ 1,6 milhão tem central de comercialização e unidade de saúde referência para os agricultores que se deslocam a zona urbana de Cruzeiro do Sul

Ray Melo, da redação e ac24horas - O prefeito Vagner Sales (PMDB) inaugurou no sábado (27), na cidade de Cruzeiro do Sul, um complexo de atendimento prioritário ao agricultor. O empreendimento dividido em uma central de comercialização para os pequenos produtores e um centro de saúde do produtor rural, que funcionará como unidade referência de atendimento prioritário dos agricultores que procuram atendimento médico no município.

O complexo custou mais de R$ 1,6 milhão. O posto de saúde do agricultor foi construído através de emenda parlamentar do ex-senador Geraldinho (PMDB), no valor de R$ 800 mil. A prefeitura de Cruzeiro do Sul entrou com a contrapartida. A unidade de saúde leva o nome do empresário Zinho Santos, que faleceu em 2011. O objetivo de Vagner Sales é criar atendimento 24horas no novo centro de saúde.

Centro de Saúde do Produtor Rural Zinho Santos será referência em atendimento aos agricultores
“Esta é uma justa homenagem a um empresário que contribuiu com o crescimento de Cruzeiro do Sul. O centro de saúde leva o nome de Zinho Santos, um amigo que posso dizer que foi o adversário político mais difícil de ser enfrentado em uma eleição. Neste centro o agricultor vai encontrar o atendimento desejado. Quem vier à cidade não vai mais precisar andar sem saber a quem recorrer. O pequeno produtor terá atendimento prioritário”, diz Vagner Sales.

No Centro de Saúde Zinho Santos, o produtor rural contará com acolhimento, acompanhamento da gestação e do bebê (pré-natal e puericultura), curativo, dispensação de medicamentos básicos, dispensação de preservativos e contraceptivos, enfermagem, exame preventivo (câncer de colo do útero), grupo de educação em saúde, imunização (vacinas), consultórios médicos, nebulização, planejamento familiar e consultórios odontológicos.

A central de comercialização que leva o nome de João Silvério Sobrinho, o João da Horta também tem como foco o produtor rural. O projeto que teria passado por várias modificações custou R$ 790 mil. R$ 630 mil de recursos provenientes do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), através do programa Território da Cidadania. A contrapartida da prefeitura de Cruzeiro do Sul foi de R$ 160 mil de recursos próprios do município.

Centro de Comercialização João da Horta, o mercado do produtor
“Esta obra é de importância fundamental para nossos produtores rurais, que terão um local adequado para fazer a comercialização de seus produtos. A prefeitura garante o espaço e o transporte para que produtos de qualidade cheguem à população. Eliminamos ainda a figura do atravessador que tornava o produto mais caro ao consumidor final. Os pequenos produtores contarão com uma estrutura moderna e funcional”, enfatiza Vagner Sales.

O Centro de Comercialização João da Horta conta com um espaço dedicado aos piscicultores, uma área para as cooperativas de produtores de farinha, agência bancária, lanchonete, banheiros públicos e um amplo salão que receberá os produtores de frutas e verduras. “Precisamos prioriza os trabalhadores que trazem o alimento a mesa da população urbana. Esta obra beneficia o povo da zona rural e da zona urbana”, destaca Vagner Sales.

A delegada federal do MDA, Zenilda Barbosa destacou que “foi um parto difícil, mas graças a determinação do prefeito, a obra pode ser viabilizada e entregue a população. Nosso objetivo é trabalhar sem distinguir bandeiras partidárias e servir a quem nunca teve vez e voz. Esta é a meta do MDA. Produzir no Norte e Nordeste é um heroísmo sem tamanho. Por isso, a presidenta Dilma incentiva investimentos desta envergadura”.

Os familiares dos dois homenageados no complexo de atendimento prioritário ao agricultor participaram da inauguração. Secretários, vereadores, empresários e populares também visitaram os prédios que foram classificados como uma das maiores obras da administração de Vagner Sales, em Cruzeiro do Sul. O deputado federal Flaviano Melo (PMDB) e a deputada estadual Antonia Sales (PMDB) falaram da importância da inciativa.

Vagner Sales: “O Acre só vai ser grande, quando produzir”
“É uma obra de grande relevância para o agricultor de mãos calejadas que não tinha espaço adequado para tratamento de saúde e comercialização de seus produtos. São dois locais para os pequenos produtores que foram esquecidos há muitos anos. Quando o morador da zona rural chegava a cidade, não sabia onde procurar atendimento, mas agora, eles terão um local de referência no centro de Cruzeiro do Sul”, afirma Antonia Sales.

Para Flaviano Melo, a inciativa “é uma obra do prefeito que se lembra de sua infância difícil nas barrancas do Rio Juruá. Vagner Sales tem esta sensibilidade porque nasceu lá. Ele conhece a realidade das comunidades rurais. Como político, ele evoluiu e se transformou. Era impetuoso, quando jovem. Hoje, ele faz política sem rancor e presta homenagem em um de suas mais importantes obras, a um adversário político. Isso é fazer política sem rancor e sem perseguição”.

Vagner Sales finalizou a cerimônia de inauguração do complexo de atendimento prioritário ao agricultor destacando a importância do setor produtivo. Para Sales, só é possível promover o desenvolvimento se os gestores apostarem nos investimentos na produção e na manutenção dos produtores rurais em suas propriedades. “O Acre só vai ser grande, quando produzir. Temos que gerar riquezas e esta riqueza está aliada ao investimento no setor produtivo. O governante precisa oferecer as condições necessárias e qualidade de vida para o agricultor promover este desenvolvimento através de um setor produtivo forte”.

SENADO DEVE APROVAR LEI GERAL DAS RELIGIÕES EM MAIO


Bancada evangélica reclama de morosidade em tramitação de projeto que impede sacerdotes de exigir todos os direitos trabalhistas. Relator garante que entregará parecer em até trinta dias, conforme acordado

Isenção de impostos concedida à igreja católica seria estendida a evangélicos e outras religiões

POR MARIANA HAUBERT - Após quase quatro anos tramitando no Senado, o projeto de Lei Geral das Religiões pode finalmente ter um desfecho na Casa. Líderes partidários acordaram um prazo de trinta dias para que três comissões analisem o texto e o enviem ao plenário. Atualmente, ele está parado na Comissão de Assuntos Sociais do Senad.

O projeto quer garantir a isonomia de direitos a todas as religiões do Brasil. A proposta surgiu depois que o governo brasileiro assinou um acordo com o Vaticano, em 2008, para criar o Estatuto Jurídico da Igreja Católica no país.

Preocupados com a diferenciação que o Estado estava tentando promover, parlamentares da bancada evangélica fizeram um acordo com o governo para apoiar o projeto na votação feita na Câmara dos Deputados em 2008. O deputado George Hilton (PRB-MG), pastor da Igreja Universal do Reino de Deus, apresentou então, um projeto de lei garantindo os mesmos direitos previstos no estatuto para todas as outras religiões.

O Estatuto da Igreja Católica estabelece normas sobre ensino religioso em escolas públicas, casamento, imunidade tributária para entidades ligadas às religiões, prestação de assistência espiritual em presídios e hospitais, garantia do sigilo de ofício dos sacerdotes. O projeto também reforça o vínculo não-empregatício entre religiosos e instituições ligadas às igrejas e templos, o que impede um padre de exigir todos os direitos trabalhistas. Agora, os evangélicos querem os mesmos benefícios para todas as religiões.

“Começamos a articular com o governo porque teria que estender para todas as religiões porque o estado é laico”, disse Hilton. O senador Eduardo Lopes (PRB-RJ) disse que o projeto é fruto de um acordo com a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e com o governo. “À época, foi apresentado como tratado Brasil-Vaticano, mas, quando fomos ver, era para reconhecer o Estatuto Jurídico da Igreja Católica. Então, não é uma questão de Estado. É uma questão de Igreja. Por isso, não era questão de mérito, ainda que tivéssemos algumas divergências. Mas as religiões não podem ser tratadas via tratado”, reclamou Lopes, também pastor da Igreja Universal do Reino de Deus. Segundo ele, que é co-autor do projeto, o acordo era de votar as duas propostas ao mesmo tempo na Câmara e depois no Senado.

No entanto, Lopes reclama que o acordo não foi cumprido quando a proposta chegou ao Senado. “O texto do Estatuto tramitou em pouco mais de 30 dias e foi aprovado. Já o outro projeto está parado nas comissões desde então”, disse em entrevista ao Congresso em Foco.

Para forçar a conclusão do trâmite da proposta, o senador apresentou um requerimento pedindo urgência. Dessa forma, o projeto pularia as etapas das comissões e seria analisada diretamente em Plenário. No entanto, os senadores que estavam presentes resolveram dar mais um mês para a análise da matéria. “Vamos aprovar isso, por uma questão de isonomia. Não é divisão, não é discussão religiosa, apenas queremos igualdade entre todas as crenças. O mesmo que está no tratado Brasil-Igreja Católica, é o mesmo que está na Lei Geral das Religiões”, afirmou.

O texto já foi aprovado pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte e está agora na Comissão de Assuntos Sociais, onde é relatado pelo senador Eduardo Suplicy (PT-SP). Depois, ele ainda terá que ser analisado pelas Comissões de Assuntos Econômicos (CAE) e de Constituição e Justiça (CCJ).

Várias religiões

Segundo Suplicy, uma audiência pública será realizada no dia 23 de maio e logo em seguida ele entregará o seu parecer sobre o projeto. “Eu preciso ouvir ainda as diversas representações religiosas do país para poder apresentar meu relatório. Mas farei isso cumprindo o acordo que foi feito”, disse ele.

Eduardo Lopes, no entanto, reclama que o colega está tentando evitar a análise da matéria. “O projeto está há um ano e meio parado nas mãos dele [Suplicy] e até agora ele não se mexeu. Não há nada de polêmico no texto. Só queremos dar prosseguimento à matéria”, disse. Caso o prazo não seja respeitado, Eduardo Lopes promete que entrará com novo pedido de urgência.

Apesar da discussão, Eduardo Lopes acredita que o problema da questão está em sua origem. “Já começou errado desde o início. Discutimos muito isso com vários segmentos da sociedade. Se o tratado fosse sobre temas relativos ao Vaticano, aí seria uma questão de Estado. Mas o Estatuto tratava de uma religião. Se o Estado brasileiro é laico, criou-se uma diferenciação que não poderia existir”, argumentou o senador.

28 de abr de 2013

BRASILEIRO FICA ENTRE OS QUATRO FINALISTAS COMO MELHOR PROFESSOR DOS EUA. MAS, ELE FOI CONSIDERADO O MELHOR PROFESSOR DA FLÓRIDA

BOA IDEIA VINDA DA CHINA - SE DER CERTO...

REPASSANDO - TÉCNICO EM COMPUTAÇÃO ADVERTE


A pessoa que enviou esta informação é um técnico em computação que passa muito tempo apagando spams dos seus clientes, e ouviu suas queixas sobre a lentidão do equipamento.

Nem todos os e-mails enviados são ruins, apenas alguns.

Sugiro que você leia toda esta mensagem até ao último parágrafo.

Eis o que ele escreveu:

1) Sempre que você ler "enviar este e-mail para" 10 "(ou qualquer outro número) de pessoas", "assinar esta petição", "vai ter má sorte","terão boa sorte" ou "algo engraçado aparecerá na a tela depois de enviá-lo " etc  pode presumir que o correio tem umcookie que irá acompanhar tanto o seu e-mail como o das pessoas para quem você o reencaminhar.

2) O autor original que lhe enviou o e-mail está ficando uma cópia cada vez que seu e-mail é reenviado. Essas cópias permitem-lhe compilar uma lista de "e-mail ativo", (a quem você reenvia) para enviar spams ou vender essaslistas a quem envia spams.

Cuidado com mensagens que dizem "se você tem vergonha de ter fé em Deus, Jesus etc. São mensagens rastreadoras que estão chantageando a sua consciência.Não seja tímido e não se deixe convencer! A essas pessoas não lhes importa como obter a o seu endereço de e-mail ... desde que o obtenha.

Também os e-mails que falam sobre crianças desaparecidas ou crianças com uma doença incurável, "Como você se sentiria se o seu filho?...", ou animais abandonados etc.. Eles também são rastreadores de e-mail.
Ignore-os e não siga o jogo!

3) Quase todos os e-mails que pedem que você adicione o seu nome e o reenvie para seus contatos, são semelhantes às cartas de há anos atrás, em que os entrevistados foram convidados a enviar cartas para uma menina da Flórida que queria quebrar o recorde Guinness por ter recebido o maior número de postais.

4) Esse golpe, como quase todo o correio deste tipo, é uma forma de tele-comerciante obter a validação de endereços de e-mail para ganho pessoal.

Você pode fazer um grande favor para sua família e amigos, se você reenviar ESTA INFORMAÇÃO. Nós estaremos fazendo um serviço real. A recompensa será que, no futuro, nem você nem eles,  receberão spams!

Ajude a si mesmo e evite adicionar seu nome a estes tipos de listas, independentemente de quão atraentes elas possam parecer, ou que tentem fazer você se sentir culpado se você não participar.

Sempre que eu recebo e-mails religiosos, os excluo diretamente, para evitar spams e vírus. Apenas pretendem obter a sua lista de e-mail.

Você pode acreditar que você está apoiando uma boa causa. Isso não é verdade!.Tudo o que você está fazendo é permitir receber toneladas de lixo eletrônico, e talvez até mesmo vírus. Além disso, você está ajudando quem envia o email a ficar rico ilicitamente. Não lhes facilite o trabalho.

Por esse motivo, os pedidos por e-mail não são aceitos pelo Congresso ou qualquer outra agência governamental, tais como Segurança Social, etc.
Para uma petição ser aceitável deve ter uma assinatura manuscrita e endereço completo da pessoa que assina. Assim isso é apenas um desperdício de tempo e você estará ajudando a rastrear o seu e-mail.

Outra coisa: mesmo que vc não faça nada disso, envie para seus contatos, para que eles não o façam, pois estarão prejudicando outras pessoas....além de você mesmo!

Dicas para lidar com Telemaketólogos (ou seja, os promotores que fazem uma oferta por telefone)

Quatro palavras que funcionam!

(1) Os quatro pequenas palavras são: "Um momento por favor ... "
Se você diz isso e, em seguida, deixa o telefone fora do gancho (em vez de desligar imediatamente), cada chamada de  telemarketing será tão longa para os vendedores, que terão de encontrar outro método de vendas.
Um pouco mais tarde, quando você ouvir o bip-bip-bip, você sabe que é hora de desligar. A sua missão já foi cumprida. Estas quatro palavras  vão ajudar a eliminar chamadas indesejadas: "um momento por favor".

(2) Alguma vez você já recebeu uma dessas odiosas chamadas mudas em queninguém diz nada? Nestes casos,é uma máquina que faz a chamada e registra a hora em que a pessoa atende o telefone.

Esta técnica é usada para determinar qual a melhor hora do dia para um vendedor "humano" saber que alguém estará  à disposição.

O que você pode fazer depois de atender e  perceber que é uma chamada muda?
Pressione o botão # no telefone 6 ou 7 vezes tão rápido quanto possível. Isso confunde a máquina que discou o seu número e o exclui do sistema. Então, você não fica mais nessa lista!

Tudo isso só vai funcionar se muitas pessoas seguirem estas dicas. Há muito tempo que eu faço isto e eu recebo cada vez menos e-mails de lixo.

Sabe aquelas 'correntes' que enviam pra você de Santas, animais, gente doente, outras que se dizem perdidas por suas famílias? Pois é meu amigo(a), tudo conversa fiada! Pois através destas msg's que movem opiniões públicas de todo mundo, na verdade é 'lixo da internet' que está rastreando tanto seu e-mail quando reencaminha aos seus amigos de sua pasta, quanto os e-mail's deles também!

Os malandros, bandidos, ficam estudando novas formas de descobrir a quem possam enganar e detonar com seu computador! Fique esperto e não seja mais 'coração mole', é uma das melhores formas de se aproximar de você e seus amigos e dar-lhe um verdadeiro prejuízo.

Envie para seus amigos,lembrando que devem usar cópia oculta, sempre excluindo os REMETENTES!

PRAGA BRASILEIRA MANIPULA BOLETOS ON-LINE E DESVIA PAGAMENTOS


Site de segurança analisou atuação da praga digital.
Código pode prejudicar quem não usa internet banking.

Altieres Rohr- Uma praga digital brasileira atua manipulando a "linha digitável" (código numérico) dos boletos bancários acessados na web para desviar pagamentos a outras contas bancárias. A técnica foi identificada em um uso e publicada por uma análise do site de segurança "Linha Defensiva" desta segunda-feira (15), mas o vírus já está em circulação há três semanas.
Ao acessar um boleto on-line, em qualquer site, a praga identifica o boleto e altera a linha digitável para desviar a agência e conta do cedente para uma conta determinada pelo vírus. Nos bastidores, o código se comunica com um servidor de controle que fornece as instruções de substituição ao programa.
Os boletos modificados apresentam algumas inconsistências, como o logo do banco e o número do banco no boleto, que não conferem. Para impedir a vítima de usar o código de barras, o vírus insere um espaço em branco no meio do código, o que fará com que leitores de código de barra acusem erro.
Caso a vítima pague o boleto usando a linha digitável, o valor irá para a conta determinada pelo vírus. O valor e o vencimento do documento não são alterados, diminuindo as chances de o problema ser percebido.
De acordo com a "Linha Defensiva", a técnica cria a possibilidade de atingir mesmo quem não faz uso do internet banking, mas realiza compras pela internet ou imprime a segunda via de boletos.
Além de manipular boletos, a praga também é capaz de capturar senhas de serviços on-line, como contas Microsoft e no Facebook. Segundo a "Linha Defensiva", o código emprega técnicas que tentam dificultar a análise da praga digital, mas a maioria dos antivírus já consegue detectá-la.
Cliente tem opções
Segundo a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos), "não há registro de invasão ou fraude eletrônica a partir dos sistemas internos dos bancos".
"O programa que permite acessar o boleto on-line, alterando dados e desviando a agência e conta do cedente para uma conta determinada pelo vírus, não afeta diretamente os bancos", afirmou a entidade ao G1, em nota.
Para a Febraban, uma forma segura de pagar os boletos é usar o Débito Direto Autorizado (DDA). Mas para usar o serviço, o cliente precisa se cadastrar como sacado eletrônico nas instituição financeiras na qual tem conta.
Podem ser pagas por meio do DDA contas como taxas de condomínio, planos de saúde, mensalidades escolares e assinaturas de publicações.

DEEM VOCÊS UM NOME PARA ESSA FOTO :-)

CHARGES - 28/04/2013



103 ANOS DE IDADE


27 de abr de 2013

NOVO ATAQUE - AGENTE PENITENCIÁRIO TEM CASA DESTRUÍDA NA MADRUGADA


Jairo Barbosa - A polícia ainda não encontrou pistas que possam levar ao grupo que nesta madrugada invadiu e destruiu a casa de um agente penitenciário no Conjunto Xavier Maia. De acordo com informações de um outro agente, que pediu para não ter o nome publicado, a residencia foi totalmente destruída, mas o proprietário não estava em casa.

Esta foi a segunda ação contra um agente penitenciário em menos de uma semana. Na terça, um outro agente foi atingido com um tiro quando saia da casa da namorada. A Polícia não confirma, mas investiga a ligação dos ataques á uma facção ligada ao PCC.
Nota do Blog: A coisas começam assim. Depois só tendem a piorar se a resposta das autoridades não forem rápidas e duras.

26 de abr de 2013

MINISTÉRIO PÚBLICO DE TARAUACÁ PROMOVE ATO CONTRA A PEC 37 – A PEC DA IMPUNIDADE



Realizou-se ontem (25), na Câmara Municipal de Tarauacá um ato público contra PEC 37 (PROJETO DE EMENDA CONSTITUCIONAL), que passando garantirá exclusividade das investigações criminais às polícias Federal e Civil, e engessa não só os MP(s), como também Receita Federal, Banco Central, COAF - Conselho de Controle de Atividades Financeiras e até o Conselho Tutelar. Isso é uma escancarada tentativa de isolar institucionalmente o Ministério Público, que cá entre nós, disponibilizou para a sociedade brasileira um trabalho conjunto com as polícias, o que há de melhor em combate a corrupção dando assim um instrumento concreto para a população se defender, amenizando a impunidade reinante na terra brasilis, portanto, a população brasileira não pode deixar estancar essas águas que devem continuar passando por debaixo dessas pontes.

Vale lembrar aqui para a sociedade civil organizada que se o poder Executivo não gostar da autoridade policial ele pode ser “transferido”, já, a independência funcional que beneficia um Promotor é uma garantia da sociedade e não da Promotoria.

Esse ato foi promovido pelo próprio Ministério na pessoa do Dr. Luiz Henrique Rolim, visando abrir os olhos da população para não deixar que a teia política prenda os direitos tão duramente conquistados evitando assim um retrocesso jurídico que será maléfico para nosso país.

 O Ato contou com a presença de várias autoridades municipais, dentre elas o Prefeito Dr. Rodrigo Damasceno, tendo a população tarauacaene a oportunidade de ter o primeiro contato com o novo  Defensor Público Dr. Gilberto Leite Campelo que veio para substituir o incansável Dr. Paulo Michel que foi transferido para Senador Guiomard.