29 de jul de 2013

NÃO VIAJE PELA BR - 364 SEM ELE


O KIT PERFEITO

CIDADE COM PIOR RENDA VIVE COM R$ 96,25 POR PESSOA

UOL - Marajá do Sena (Maranhão) não tem agência bancária. Mas, para seus 8.000 habitantes, esse é o menor dos seus problemas. A cidade tem o pior IDHM Renda do país e por lá circulam apenas R$ 96,25 por pessoa. Uma estrada asfaltada, mais escolas e um hospital fazem falta. Entre as 32 cidades com piores Índices de Desenvolvimento Humano do País, a falta de estrutura é a principal característica.
Balneário Camboriú, em Santa Catarina, está empatado com Vitória na 4ª posição no ranking do IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) com a marca de 0,845. Os dados são do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). 
Melgaço, a pior de todas do ranking, fica a oito horas de barco da capital do Pará, Belém. Chegar à cidade é caro e difícil. Manari, que em 2003 ganhou o título de pior IDHM do Brasil, não é de acesso complicado, mas, assim como Inhapi, em Alagoas, fica no sertão pobre do Nordeste. A característica que une as piores cidades do país é a falta de renda, a economia quase sem saída e a educação em níveis muito baixos. Entre elas, o IDHM Educação mais alto, de Assunção do Piauí, é de apenas 0,382, muito longe do limite para ser considerado apenas baixo.


Uma em cada três cidades tem índice alto
Na outra ponta, as melhores cidades do país nem sempre têm rendas tão altas - Assis, em São Paulo tem renda per capita de apenas R$ 967 -, mas ainda assim tem uma economia muito mais dinâmica e oferecem serviços sociais muito melhores. Todas elas estão nas regiões Sul e Sudeste e incluem seis capitais. Apesar das dificuldades apontados especialmente nas redes escolares e de saúde de cidades como São Paulo, Porto Alegre e Vitória, a estrutura já estabelecida, o orçamento alto e os recursos que circulam dão a essas cidades uma capacidade muito maior de resolver os problemas dessa população.


EXCESSO DE MINISTÉRIOS ELEVA DESPESAS COM ALUGUEL


Falta de espaço para as 39 pastas leva ministérios a pagarem aluguéis que beiram até R$ 1 milhão por mês. Quatro deles gastaram R$ 26 milhões com esse tipo de despesa desde o ano passado

POR EDUARDO MILITÃO - Ministério da Pesca gastou R$ 7,8 milhões ano passado com o aluguel de instalações no Setor Bancário SulA Esplanada dos Ministérios ficou pequena para o governo Dilma Rousseff. Os dois corredores de prédios oficiais traçados pelo arquiteto Oscar Niemeyer no Eixo Monumental não comportam mais os 39 ministérios. Diversos órgãos da cúpula da administração federal, sobretudo aqueles criados nos dez anos de governo petista, trocaram a Esplanada por prédios alugados em regiões valorizadas da capital do país.

Sem licitação, como permite a lei, muitos deles tiveram de deixar o tradicional cartão-postal de Brasília em busca de espaço para abrigar seus funcionários. Em alguns casos, o gasto de cada pasta com esse tipo de despesa passa dos R$ 6 milhões por ano. Ainda assim, segundo os ministérios, sai mais barato alugar do que construir ou comprar novos imóveis.

Da Esplanada “paralela” dos Ministérios, fazem parte as pastas da Pesca, das Cidades e da Integração Nacional e a Secretaria da Aviação Civil, também com status de ministério. As duas primeiras foram parar em edifícios no Setor Bancário e no Setor de Autarquias. A Secretaria de Aviação Civil se prepara para deixar o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) e ocupar dois andares num luxuoso prédio comercial ao lado do Parque da Cidade, na Asa Sul.

O Ministério da Integração Nacional abandonou o bloco que dividia com outra pasta e foi parar na Asa Norte, pagando R$ 752 mil por mês, num contrato que só se encerra em 2016, já no próximo mandato presidencial. Só esses quatro ministérios gastaram R$ 25,9 milhões com aluguel desde o ano passado. Desse total, R$ 22,8 milhões foram pagos somente em 2012, segundo registros do Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) obtidos pelo Congresso em Foco. O preço do aluguel varia de R$ 31 a R$ 60 por metro quadrado, de acordo com informações dos ministérios e dos contratos de locação.

Os quatro ministérios alugaram imóveis sem licitação, como prevê a lei, mas afirmam ter comparado as condições no mercado antes de efetuar o negócio. De acordo com a assessoria do Ministério da Integração, foram consultados 14 prédios antes de ser escolhido o da 906 Norte. “Diversos aspectos foram observados, entre eles, o valor do metro quadrado do aluguel, a localização do prédio, o espaço necessário”, explicaram os assessores do ministro Fernando Bezerra. O aluguel e as taxas somam R$ 752 mil por mês. A pasta ainda aluga um outro imóvel no Setor Bancário Norte, por R$ 354 mil por mês.

O ministério deixou três andares no prédio que ocupava na Esplanada porque o local está em reformas. “Há pavimento no Bloco E interditado pela Defesa Civil Nacional, por ter risco de desabamento.” Apesar das obras, ainda são realizadas reuniões no oitavo andar, onde funcionava o gabinete do ministro Fernando Bezerra.

Chamada malsucedida

O Ministério da Pesca chegou a fazer uma chamada de fornecedores, mas sem sucesso. “Os imóveis ofertados não atendiam às necessidades da SEAP/PR [antiga sigla do ministério], espaço físico insuficiente, difícil acesso ou com área muito extensa”, explicou a assessoria do ministério. Daí, a pasta então comandada pelo ministro Altemir Gregolin alugou um prédio de 19 pavimentos no Setor Bancário que pertence a uma construtora. Preço: R$ 671 mil por mês, já incluídas as taxas de água, luz, impostos e manutenção.

No Ministério das Cidades, também não houve licitação. A assessoria do ministério disse que foi feita uma “pesquisa no mercado de imóveis” de acordo com as necessidades da pasta. Optou-se por um prédio de 18 pavimentos no Setor de Autarquias, que pertence a uma construtora. “Os critérios de seleção foram a disponibilidade do espaço adequado, a localidade próxima à Esplanada, as condições das instalações e a proposta mais vantajosa para administração”, explicou o ministério, que à época da assinatura do contrato era dirigido por Márcio Fortes. Preço: R$ 750 mil por mês.

A Secretaria de Aviação Civil escolheu sua sede a partir de uma espécie de concorrência. Depois de uma chamada publicada em jornais, recebeu dez propostas, mas desclassificou nove. “Apenas o Edifício Parque Cidade Corporate atendeu às características exigidas pela SAC/PR”, esclareceu o ministério, ao citar espaço e vagas de garagem.

27 de jul de 2013

DIA BONITO - 27/07/2013

RODRIGUES ALVES COMEMORA ADIMPLÊNCIA COM O GOVERNO FEDERAL

MINISTRA DA MULHER FAZ TRÊS VOOS DE JATO EM DOIS DIAS

AeroMenicucci 

Titular de uma pasta inexpressiva diante de outros ministérios, a ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Eleonora Menicucci, não se intimidou com a revelação da farra de autoridades nos jatos da FAB. Em dois dias, fez três voos num Learjet 35, de sete lugares, apenas em companhia de uma assistente para agenda em Curitiba e Porto Alegre. A hora/voo no mercado para avião similar sai por R$ 15 mil. Em suma, a ministra gastou cerca de R$ 90 mil em rotas que custariam à pasta menos de R$ 4 mil, para a dupla, em voos comerciais – em consultas feitas para os trechos.

Jato exclusivo
A ministra decolou Domingo e voltou Terça. A dupla fez rota Brasília-Curitiba-Porto Alegre-Brasília. Com o avião à disposição nos pátios. A assessoria não se pronunciou. 

Campeão
O campeão da semana até ontem foi o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, de uma das pastas mais importantes. Voou na rota Brasília-Belém-São Luís-Manaus-Brasília.

Justiça seja feita
Competente no transporte de autoridades, o GTE da FAB quase leva a má fama nessa farra dos voos das autoridades. Os oficiais apenas obedecem às ordens. 

Mistério
O presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), voou de FAB na Segunda-feira à noite logo após a recepção ao Papa, de volta para sua Natal. Levou mais cinco passageiros, um mistério a lista. 

26 de jul de 2013

LADRÃO ROUBA BOLSA DA PROFESSORA E PAGA SUAS CONTAS - " SOU LADRÃO, MAS SOU HONESTO"

Luiz Arthur - A professora C.L. B, 50 anos, docente da Rede Pública do Ceará, teve sua bolsa roubada dentro de um coletivo. Na bolsa havia R$ 1.100,00 (salário mensal de dois turnos da professora), talões de água, luz, telefone celular, prestação de uma casa popular e contas de um perfume da Avon e de uma bijuteria.

Ao ser preso, o ladrão de iniciais C. A. A, 23 anos, não estava mais com nenhum centavo. No entanto, para grande surpresa de todos, verificou-se que o “mão ligeira” havia pago os talões de água, luz e a prestação da casa da professora.

Indagado por nossa Equipe sobre os porquês de tão estranha atitude, o ladrão alegou somente que: “Minha consciência pesaria ao lembrar que uma simples professora, tão injustiçada pelos governos, corria o risco de ter água e luz cortadas, além de ameaças de despejo por falta de pagamento da casa”. Sou ladrão, mas sou honesto”, justificou.

Questionamos então por que ele não pagou também as prestações do celular, do perfume e da bijuteria, uma vez que sobrou dinheiro. “Tudo isso aí é supérfluo, a professora pode devolver se não conseguir pagar, não sou a favor de consumismo”, concluiu.

Segundo um advogado da Defensoria Pública, que fará a defesa do “justo delinquente”, sua pena será bastante reduzida em virtude dos procedimentos humanos incomuns encontrados no caso.

A professora, em um ligeiro depoimento a nossa Equipe, disse apenas que:  – “Estou muito emocionada, nunca esperei ser assaltada por um ladrão tão bom como esse”.

UM ANO DE UMA DAS MAIORES BOBAGENS QUE UM MINISTRO PODERIA TER DITO

"Investimento em educação vai quebrar o Brasil", declara Guido Mantega

Por Julio Cesar Cardoso - A Câmara Federal aprovou, em 26/06/2012, por unanimidade - e agora a matéria está sendo analisada no Senado - o Plano Nacional de Educação (PNE), que prevê, entre outras metas educacionais, investimento de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) em educação, a ser alcançado no prazo de dez anos. O texto aprovado determina que sejam ampliados os atuais recursos de 05,1% do PIB para 07% no prazo de cinco anos até atingir os 10% ao fim da vigência do plano.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega (foto acima), criticou, dia 04, as medidas aprovadas pelo Congresso. "Isso coloca em risco as contas públicas. Isso vai quebrar o Estado brasileiro", disse durante o Seminário Econômico Fiesp-Lide, em São Paulo. Explicou o ministro que o país caminha em 2012 para um dos menores déficits fiscais de toda a série histórica, em torno de 1,4% do PIB, bem como que "É com solidez fiscal que se abre espaço para reduzir os juros. Nossa dívida líquida em 35% do PIB é a menor de todos os tempos. Nossa situação fiscal é bastante sólida".

Causa perplexidade a forma como o ministro Guido Mantega trata a educação no Brasil, quando deveria ser a primeira preocupação dos governos. Investimento em educação não se mede como gastos, senhor ministro. A preocupação com a educação deveria ser um projeto de curto, médio e longo prazo de qualquer governo nacional e a principal prioridade das plataformas governamentais. E o Congresso Nacional está muito certo em aprovar medidas positivas direcionadas ao fortalecimento de nossa educação.

Não se constrói nem se reedifica uma nação sem investimento maciço na educação e cultura de seu povo. O Brasil tem uma dívida com a sua educação que precisa ser purgada não com retóricas ou tergiversações, mas com medidas efetivas que possam responsabilizar qualquer governo.

Ora bolas, que risco poderá comprometer a nossa solidez fiscal com a canalização de recursos para o fortalecimento da escola que irá produzir os alicerces de nossa estrutura social, financeira, econômica etc.? O país poderá quebrar por outras razões, mas não por investimentos educacionais.

Quanto se gasta inutilmente com a manutenção ostentosa dos Três Poderes, em Brasília: salários fabulosos, mordomias, privilégios e tudo o mais? Não se vê do governo federal uma prestação de contas à sociedade do que é arrecadado e onde o dinheiro está sendo aplicado. Por exemplo, não existe no plano federal um índice único de reajuste salarial nos Três Poderes. Por quê? A Constituição Federal no Art.37-X determina uniformidade de índice de reajuste salarial. Agora mesmo os servidores sem concurso dos gabinetes de deputados federais foram reajustados em 30%.

Se o Congresso, acossado pelas críticas sociais, não fizer a sua parte tornando o Plano Nacional de Educação mais consentâneo com as necessidades educacionais, quando o governo tomaria medidas realistas, se ele está mais preocupado em vender a imagem de um Brasil robusto, de solidez fiscal, etc., enquanto graves problemas sociais e educacionais não são combatidos com a competência devida? Não adianta apresentar o doente todo maquiado de cor saudável se o seu organismo não está funcionando bem.

Texto publicado no Jornal Grito Cidadão

*Júlio César Cardoso é bacharel em Direito e servidor federal aposentado

FOTOS BY ÂNGELA SILVA - 26/07/2013

25 de jul de 2013

IGREJA CATÓLICA DE TARAUACÁ INOVA POR DENTRO E POR FORA


Não obstante a mudança no comportamento dos católicos de Tarauacá que voltaram a lotar as missas, o padre Sebastião inova também na parte física colocando vitrais na Igreja de São José e construindo um monumento a São Francisco onde terá uma loja onde os fiéis poderão adquirir diversos itens relacionados à Religião Católica.

DA SÉRIE: TRÂNSITO EM TARAUACÁ - 25/07/2013

CARO DEFICIENTE, FAÇA O SEGUINTE: COMPRE UMA CADEIRA ELÉTRICA, OU VENHA NO EMBALO.

DESENHADO PARA QUEM NÃO ENTENDEU

FACECOISAS - 25/07/2013

EU CONHEÇO PAÍS QUE FAZ COPA DO MUNDO, MAS NO HOSPITAL NÃO TEM NEM ESPARADRAPO
TRADUÇÃO PARA GUTI-GUTI

 ESPERO QUE ISSO SEJA MONTAGEM
 AUTO-EXPLICATIVO

HUMOR

MARINHA APROVA OBRAS PARA AUMENTAR USO DE HIDROVIA NO PARÁ

MARIA CRISTINA FRIAS - A Marinha deu sinal verde para um projeto que tem o objetivo de estimular a navegação pelo rio Tocantins.

Um conjunto de pedras prejudica a passagem em um trecho de 43 km, entre as cidades de Tucuruí e Marabá (PA). Com isso, as eclusas de Tucuruí ficam subutilizadas.

Concluídas em 2010, após três décadas de obras, as eclusas custaram cerca de R$ 1,5 bilhão. Em dois anos, porém, foram feitas 55 transposições, segundo a Eletronorte, responsável pela operação.

O parecer da Marinha foi entregue na semana passada ao Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes), que abrirá licitação para explodir as pedras.

O projeto mais viável custa R$ 500 milhões, estima a Ahimor (administração das hidrovias da região, vinculada ao Ministério dos Transportes).

“A hidrovia tem potencial para escoar produtos de siderurgia, soja e gado até o porto de Vila do Conde, no norte do Estado, e fazer o caminho inverso, em direção ao sul do país”, diz o superintendente do órgão, Michel Dib Tachy.

FONTE: Folha de S. Paulo/VIA PODER NAVAL

24 de jul de 2013

TEMPERATURA EM TARAUACÁ AO AMANHECER 13º C - PRESSÃO 1021 Hpa

MINISTRO LEVOU FAMÍLIA A CUBA EM JATO OFICIAL

FILIPE COUTINHO DE BRASÍLIA - O ministro Aldo Rebelo (Esporte) usou um avião da FAB (Força Aérea Brasileira) para ir a Cuba no Carnaval com a mulher, o filho e assessores.

Ele esteve em Havana em missão oficial e justificou a carona à mulher e ao filho dizendo que ambos também foram convidados pelo governo cubano.

Nenhum dos dois representou o governo brasileiro na missão. Quando o ministério publicou nota sobre a viagem de Aldo, em fevereiro, o nome deles não constava na lista oficial da comitiva.


A mulher do ministro, Rita, é coordenadora na Secretaria da Mulher do governo do Distrito Federal, controlada pelo PC do B, mesmo partido de Aldo. Já o filho, de 21 anos, é estudante universitário e estagiário.


A Folha revelou que três políticos usaram aviões da FAB para dar caronas a amigos e parentes a eventos fora da agenda oficial. Depois dos casos revelados, todos anunciaram a devolução dos valores das passagens.

O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), foi o primeiro flagrado dando carona a parentes para ir ver o jogo do Brasil. O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), levou a mulher a uma festa de casamento da filha de outro senador em Porto Seguro.

O ministro Garibaldi Alves (Previdência) foi outro que deu carona a um empresário também para ver o jogo do Brasil. No total, os três devolveram R$ 44.245,29.

O decreto 4.244/2002, que disciplina o uso de aviões da FAB por autoridades, diz que os jatos podem ser requisitados quando houver "motivo de segurança e emergência médica, em viagens a serviço e deslocamentos para o local de residência permanente". O texto do decreto não diz quem pode ou não viajar acompanhando as autoridades.

PARCERIA

No caso de Aldo, a missão oficial a Cuba serviu para o ministro assinar fechar intercâmbio de atletas entre os dois países para os jogos de 2016. O ministro recebeu diárias de R$ 1.776,25.

O grupo saiu de Brasília no sábado de Carnaval, dia 9, fez escala em Boa Vista (RR) e só voltou na Quarta-Feira de Cinzas, dia 13 de fevereiro.

A FAB destacou um jatinho Legacy, da Embraer, com capacidade de 14 passageiros, para levar a comitiva.

Em missão oficial, os ministros têm direito a usar os jatos da FAB ou podem viajar com aviões de carreira. Foi o que ocorreu com Aldo depois de ir a Cuba em aviões da FAB. No mês seguinte ele foi à Suíça e o governo bancou passagens executivas ao custo de R$ 25 mil.

A Folha cotou preços para duas pessoas, em viagem de ida e volta entre Brasília e Havana na aviação civil. Na primeira semana de agosto, duas viagens de ida e volta custariam mais de R$ 5.500. Para novembro, o valor cai para R$ 3.600.

OUTRO LADO

Em nota, o Ministério do Esporte disse que a viagem da mulher e do filho do ministro Aldo Rebelo a Cuba, em missão oficial, não gerou custos ao governo. Segundo a pasta, os dois foram convidados pelo governo de Cuba e cumpriram a programação "definida pelo protocolo cubano".

"A esposa e o filho do ministro o acompanharam na viagem a Cuba como convidados do governo daquele país. O ministro cumpriu agenda oficial em reuniões com autoridades. Sua esposa e seu filho cumpriram programação definida pelo protocolo cubano. A presença dos dois não representou acréscimo ao custo da viagem".

O ministério, contudo, admitiu que a mulher e o filho foram em voo da Força Área Brasileira. "A esposa e o filho do ministro, também convidados do governo cubano, o acompanharam na viagem "" em avião da Força Aérea Brasileira", diz a nota.

Segundo a pasta, não houve gastos com hotel, uma vez que a mulher e o filho do ministro "foram hospedados pelo governo de Cuba".

Ainda segundo,a nota, "o ministro participou de reuniões com dirigentes, visitou centros de treinamentos e assinou acordos para a criação de grupos de trabalho que vão executar intercâmbio entre o Brasil e Cuba".

Editoria de Arte/Folhapress

ESSE É O CARA, E ENTENDE DE POLÍTICA TAMBÉM

FINALMENTE O FRIO CHEGA EM TARAUACÁ - VEJA O GRÁFICO DA PREVISÃO

FONTE: CLIMA TEMPO

DA SÉRIE: BOLOS DA EIRE - 24/07/2013

22 de jul de 2013

RESPONSÁVEL PELA SEGURANÇA DO PAPA DEVERIA SER EXONERADO OU DEMITIDO


BASTAVA UM DOIDO E O ATENTADO SERIA COMETIDO. FICAR ENGARRAFADO NA AV. PRES. VARGAS FOI DEMAIS. AINDA BEM QUE AS FORÇAS ARMADAS NÃO FORAM RESPONSÁVEIS

PAPA FRANCISCO, SEJA BEM VINDO!

DESAFIO TARAUACÁ NOTÍCIAS: ONDE O AMPERSAND FOI PINTADO DE CABEÇA PRA BAIXO?


FACECOISAS - 22/07/2013

ROSEANA SARNEY É ACUSADA DE FRAUDAR ELEIÇÃO PARA O GOVERNO DO MARANHÃO

Agência Brasil
PF vai investigar eleições de 2010,  quando Roseana Sarney 
foi eleita  governadora do Maranhão
Polícia Federal vai investigar supostos vícios no processo eleitoral de 2010; suspeita é de que pelo menos 40 mil votos foram computados após término das eleições

Wilson Lima , iG Brasília - O Tribunal Regional do Maranhão (TRE-MA) pediu abertura de inquérito à Polícia Federal (PF) para que apure indícios de fraudes nas eleições de 2010, vencidas em primeiro turno por Roseana Sarney (PMDB-MA), filha do ex-presidente do Senado José Sarney (PMDB-AP). A suspeita é de que pelo menos 40 mil votos foram contabilizados após o término do horário das eleições. A investigação ocorre dois anos e meio após a declaração do resultado oficial das urnas.

Segundo laudos elaborados a pedido do PCdoB, partido do candidato derrotado e presidente da Embratur, Flávio Dino, foram contabilizados votos após às 17h20 em aproximadamente 70% dos 217 municípios do Estado. Os laudos afirmam que a contabilização de votos fora do horário da votação é normal quando existem situações de exceção, fato que não ocorreu em todo o Maranhão durante as eleições de 2010.

“A ocorrência simultânea de muitos votos rápidos e tardios pode estar apontando para situação de inserção indevida de votos nas urnas em condições sem fiscalização, compatível com a modalidade de fraude de ‘emprenhamento da urna’ pelos mesários”, afirmam o engenheiro de Tecnologia de informação Almicar Filho e a advogada Maria Cortiz, responsáveis pelo laudo técnico.
Leia o restante aqui

21 de jul de 2013

SITE AMERICANO DIZ QUE SUL DO BRASIL SERÁ LUGAR MAIS FRIO DO MUNDO NA PRÓXIMA SEMANA


Difícil de acreditar, mas é o que vem aí!
O Sul do país não será o lugar mais frio do mundo, mas estará na região do planeta fora do polos com temperatura mais abaixo do normal na semana que vem.

É o que mostra o mapa a partir de dados do modelo meteorológico operacional dos Estados Unidos. O Centro da América do Sul será a área com maior temperatura negativa em todo o planeta Terra, excluindo-se os polos.

No domingo chegaria ar polar com força impressionante e rara e que poderia trazer mínimas extremas, máximas muito baixas, sensação térmica pelo Minuano baixíssima, geada, geada negra e talvez neve até em locais em que o fenômeno é bastante raro (nível do mar). 

Fonte: MetSul Meteorologia

CHARGE DO DIA - 21/07/2013

MINISTRO DO TCU 'REJUVENESCE' DOIS ANOS PARA EVITAR APOSENTADORIA E PRESIDIR CORTE


Raimundo Carreiro, que foi secretário-geral do Senado, apresentou registro de 1946 para conseguir o salário integral de aposentado pela Casa; mas, após chegar ao tribunal, foi à Justiça provar que nasceu em 1948, evitando a saída compulsória em 2016

Fábio Fabrini - Nomeado há seis anos para o Tribunal de Contas da União (TCU), o ministro Raimundo Carreiro envelheceu, sem truque de beleza ou matemática, só quatro de lá para cá. Depois de assumir o cargo, conseguiu na Justiça mudar sua data de nascimento de setembro de 1946 para setembro de 1948 e, assim, esticar em dois anos a permanência na corte, tida como o "céu" de políticos e servidores públicos em fim de carreira.

Veja também:
‘Minha data de nascimento? É setembro de 1948’
Indicação na corte contou com ajuda do padrinho Sarney

A manobra adia a aposentadoria do ministro, obrigatória aos 70 de idade, e lhe assegura a posse na presidência do tribunal no biênio 2017-2018, escanteando colegas de plenário.

O comando do TCU é definido anualmente numa eleição pró-forma, que ratifica acordo de cavalheiros previamente costurado. O presidente exerce mandato de um ano, renovado sempre por mais um. Pela tradição, o escolhido é sempre o ministro mais antigo de casa que ainda não exerceu a função. O próximo da fila é Aroldo Cedraz, que tomou posse em janeiro de 2007, dois meses antes de Carreiro, e sucederá a Augusto Nardes no período 2015-2016. Em seguida, será a vez de Carreiro, que, com nova certidão de nascimento, tirou a cadeira de José Múcio Monteiro. "Pode ser consequência (assumir a presidência), mas não que o objetivo seja esse", diz Carreiro.

A decisão que o "rejuvenesceu" foi obtida na Comarca de São Raimundo das Mangabeiras, município do interior do Maranhão em que cresceu, foi vereador e se tornou influente. Para remoçar dois anos, Carreiro mostrou à Justiça certidão de batismo da Igreja de São Domingos do Azeitão, lugarejo vizinho a Benedito Leite, onde veio ao mundo. Preenchido à mão e de difícil leitura, o documento registra o nascimento de "Raimundo", filho de Salustiano e Maria, em 6 de setembro de 1948, e não nos mesmos dia e mês de 1946, como no registro civil original do cartório.

Antes de migrar para o TCU, em março de 2007, Carreiro se aposentou no Legislativo usando a idade antiga, ou seja, aos 60 anos contados de 1946, e salário integral. Deixou a Secretaria-Geral da Mesa do Senado para ser empossado no TCU. A remuneração bruta alcança hoje R$ 44 mil, mas, segundo o Senado, não é paga por causa dos proventos do TCU, não acumuláveis.

Em 2008, já aposentado, Carreiro recorreu à Justiça para "corrigir" a confusão. Desta vez, lhe interessava comprovar a data de nascimento de 1948.

A sentença da Justiça maranhense saiu em março de 2009. Antes de concordar com a troca do registro, o Ministério Público rejeitou duas vezes os documentos juntados por Carreiro. Foi preciso o ministro viajar para São Raimundo e levar à audiência o padre de São Domingos, com livro de batismo e tudo. "Sabe quantos dias ele ficou para dar esse parecer? Contei: 43", recorda Carreiro, reclamando do promotor Cássius Guimarães Chai: "Ele é muito conhecido lá, porque é muito ‘cri-cri’", acrescentou o ministro.

Reforçaram o conjunto probatório os depoimentos da mãe biológica, Maria Pinheiro da Silva, que corroborou a data, e os de dois conhecidos da época de menino. Questionado se o registro de batismo é 100% certo, o padre atual, José Edivânio de Lira, explica: "Aqui é comum dar os dados de cabeça. É um pouco mais preciso, apesar da dúvida".

Origem do problema. Embora nascido nos anos 1940, Carreiro só foi registrado em cartório em junho de 1965, em São Raimundo, o que era comum no passado. Na versão dele, foi por pressão dos políticos da época, interessados em qualificá-lo para votar, que o cartório marcou 18 anos de idade, e não 16. Com a fraude, sustenta, a irmã Floracy passou a ser, no papel, apenas três meses mais velha, ou seja, sem o intervalo de uma gestação. "Ficou por isso mesmo", diz Carreiro. Na ação, ele argumentou que, embora transcorrido tanto tempo, era alvo de chacota dos familiares e, nas consultas médicas, obrigado sempre a reiterar a idade "de fato".

No TCU, a notícia da retificação provocou críticas. "O poder rejuvenesce", ironizou fonte graduada do tribunal. Além de administrar a estrutura da corte, com um orçamento anual de R$ 1,5 bilhão, o presidente não relata e julga processos, cumprindo, a seu critério, agenda recheada de negociações políticas e viagens internacionais.

MORALES PEDE DESCULPAS AO BRASIL POR REVISTA DE AVIÃO MILITAR EM 2011

Bolívia assegura não ter sido informada sobre o assunto na época – País promete punir quem violou a imunidade do país vizinho

O presidente da Bolívia, Evo Morales, pediu desculpas nesta.sexta-feira (19) ao Brasil pela revista em um avião militar brasileiro no final de 2011, assegurando não ter sido informado sobre o assunto, e prometeu punir quem violou a imunidade do país vizinho.

“Desculpas ao povo brasileiro, a seu governo. Não foi instrução do presidente, do vice-presidente, nem do gabinete”, afirmou, referindo-se à revista. “Sinto que alguns oficiais exageraram. Sob pretexto de luta contra o narcotráfico, não respeitam os aviões oficiais”, afirmou Morales em entrevista em La Paz.

No entanto, Morales considerou que o assunto está resolvido entre a chancelaria e a embaixada brasileira, apesar de admitir que isso ainda não é suficiente. Segundo o presidente, o caso será averiguado, e os responsáveis serão punidos.

O Brasil apresentou uma queixa oficial ao governo boliviano pelo fato de o avião em que se encontrava o ministro da Defesa ter sido revistado em uma viagem a La Paz, em 2011, e afirmou que, se uma ação similar voltar a ocorrer, será aplicado o “princípio da reciprocidade”.

Este incidente com o Brasil foi revelado depois que quatro países europeus proibiram, no início de julho, o avião de Evo Morales, que regressava de Moscou e ia para La Paz, de usar seu espaço aéreo por conta de rumores de que transportava o ex-agente de inteligência americano Edward Snowden, procurado por Washington por acusações de espionagem.

“Eu não tinha nenhuma informação. Apenas nos últimos dias fomos informados pelos meios de comunicação”, defendeu-se Morales, referindo-se ao avião do governo brasileiro. O presidente boliviano ainda ensaiou uma explicação sobre o por que, em sua opinião, este incidente veio à luz dois anos depois de ter ocorrido.

“Sinto que, no Brasil e na Bolívia, querem nos confrontar. Alguns subalternos estão interessados em nos confrontar. Não vão conseguir nada porque existe uma confiança única, antes com Lula e agora Dilma (Rousseff). Esta confiança vai continuar”, garantiu Morales.

O governo boliviano admitiu na quarta-feira que agentes da polícia antinarcóticos revistaram na Bolívia um avião da Força Aérea Brasileira (FAB), mas garantiu que a medida não teve relação com o caso do senador Roger Pinto, asilado na embaixada do Brasil em La Paz.

“Às vezes, os agentes da Força Especial de Luta Contra o Narcotráfico cometem algumas infâmias porque não sabem se é um avião ‘VIP’ ou não. Houve uma reclamação (do Brasil) e esclarecemos isto”, assinalou o chefe da diplomacia boliviana, David Choquehuanca, em entrevista à AFP. Choquehuanca respondeu nestes termos um comunicado emitido na terça-feira pelo ministério da Defesa do Brasil sobre o incidente envolvendo o avião militar a serviço do ministro Amorim, que não estava na aeronave.

Segundo Brasília, “no segundo semestre de 2011 ocorreram ações por parte das autoridades bolivianas que configuraram violações da imunidade das aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB)”. O chanceler boliviano destacou que a revista no avião da FAB “não teve o objetivo de encontrar o senhor (senador Róger) Pinto”, asilado há mais de um ano na embaixada brasileira em La Paz, mas sem salvo-conduto para sair da Bolívia.

Pinto, alvo de uma série de ações judiciais do governo Morales, pediu asilo ao Brasil alegando perseguição política. La Paz nega o salvo-conduto ao senador oposicionista alegando que Pinto está sendo processado no país por corrupção durante seu período de 10 anos como funcionário público, e que já foi condenado a um ano de prisão.

A oposição boliviana aproveitou a notícia do incidente com o avião do Brasil para assinalar que o governo de Evo Morales tem dois pesos e duas medidas: revista as aeronaves estrangeiras e fica indignado quando lhe pedem para seguir procedimentos similares, como ocorreu com o avião presidencial há duas semanas, na Europa.

FONTE / FOTO:  G1/via Poder Aéreo