17 de jun de 2015

ENDIVIDAMENTO DAS FAMÍLIAS CHEGA A 46,3% DA RENDA, O MAIOR NÍVEL JÁ REGISTRADO PELO BC


 - Dado Galdieri/2-5-2015 / Bloomberg News

Elevação se deve ao crescimento do crédito imobiliário. Sem considerar o financiamento da casa própria, houve queda de 27,73% para 27,61% em abril

GABRIELA VALENTE - Apesar do aperto do crédito feito pelo Banco Central para conter a inflação, o endividamento das famílias quebrou novo recorde. A percentagem da dívida em relação à renda anual subiu de 46,2% para 46,3% em abril: a maior já registrada pelo BCl desde quando a autarquia começou a registrar os dados há dez anos.

Esse aumento do endividamento das famílias reflete um crescimento do crédito imobiliário. Os números do BC revelam que houve leve queda do endividamento que exclui o FINANCIAMENTO da casa própria de 27,73% para 27,61% em abril.

O comprometimento de renda das famílias, ou seja, a parcela da renda que servirá para pagar dívidas naquele mês, teve uma leve alta. Passou de 21,97% para 21,98%. Se descontar a parcela do FINANCIAMENTOda casa própria, o peso da dívida caiu de 19,64% para 19,6%.

Por causa das altas de juros, todo o tipo de crédito para as famílias ficou mais caro. E os bancos já não emprestam mais como antes. O crédito – que funcionou como combustível para o crescimento da economia brasileira nos últimos anos – estagnou em abril.

O volume total dos empréstimos no Brasil cresceu somente 0,1%: a pior taxa para o mês de abril desde quando o BC começou a registrar os dados em 2007.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.