16 de jun de 2015

RB: APÓS RECLAMAÇÕES AUTORIDADES SE REÚNEM PARA COIBIR A POLUIÇÃO SONORA EM CASAS E RUAS


Segundo os dados do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), a média diária é de sete reclamações de perturbação da tranquilidade

Reunião entre polícias e meio ambiente ocorreu na Secretaria de Segurança Pública

Nesta sexta-feira, 12, representantes da Segurança Pública e do Meio Ambiente estiveram reunidos para discutir sobre poluição sonora e perturbação da tranquilidade. A ideia é unir forças e direcionar ações para fiscalizar e coibir crimes desse tipo, que, apesar de ter um menor potencial ofensivo, em alguns casos podem resultar em confusões e até situações mais graves.

Segundo os dados do Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp), a média diária é de sete reclamações de perturbação da tranquilidade, registradas nos primeiros cinco meses do ano. Já a Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semeia) disse que, das 77 denúncias formais feitas este ano, 36 são relacionadas à poluição sonora em residências.

“Vamos procurar mecanismos para padronizar a forma de atuação das instituições diante desses casos. A ideia é unir os Batalhões de Policiamento Ambiental e Policiamento de Trânsito, com a Semeia, a Polícia Civil, o Ministério Público e o Ciosp para fiscalizar e coibir esse tipo de crime”, explicou o secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp, coronel Ricardo Brandão.

As instituições assumiram um pacto para realizar uma ação integrada e com desdobramento em operações de fiscalização. 

“Esses casos de poluição sonora, são um dos crimes ambientais mais difíceis de tipificar. Essa união vai fazer com que a gente consiga dar uma resposta para as pessoas que sofrem com esse transtorno”, disse a secretária de Meio Ambiente de Rio Branco, Silvia Brilhante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.