17 de jun de 2015

SIM, ESSE LUGAR EXISTE - PRIMEIRO CRIME EM DÉCADAS CHOCA MORADORES DE ILHA ESCOCESA - ABAIXO A BANALIZAÇÃO DO CRIME NO BRASIL


Primeiro crime em décadas choca moradores de ilha escocesa

Ilha de Canna, na Escócia, tem primeiro crime em muitos anos(Rprodução/Facebook)

A pacata comunidade que vive na ilha de Canna, na costa da Escócia, está em polvorosa diante de uma experiência inédita na região: a ilha registrou o primeiro crime em muitos anos. Na noite da última sexta-feira, dia 12, uma loja que vende artesanato e alimentos foi furtada.

As portas do estabelecimento permanecem destrancadas à noite para que os pescadores acessem a internet wi-fi da loja e comprem biscoitos e outras guloseimas quando estão trabalhando no píer durante a madrugada - eles deixam o dinheiro na 'caixa da honestidade', que contém um livro onde os compradores registram os produtos que levaram da loja ao longo da noite.

Na semana passada, larápios esvaziaram as prateleiras de DOCES, chocolates e biscoitos e levaram seis chapéus de lã feitos pela gerente da loja, Julie McCabe, reportou o jornal britânico The Guardian.

Canna, cuja população de 20 moradores está habituada a uma taxa zero de criminalidade, está em choque. Como não há delegacia na ilha, o crime teve de ser registrado na cidade de Mallaig, localizada no continente.

"Estamos pensando em instalar câmeras de segurança na loja, mas isso vai contra todo nosso princípio de honestidade", disse Julie a um jornal local. "Quando se vive em uma pequena ilha você precisa confiar em todo mundo que vive aqui".

A comunidade também está considerando trancar as portas da loja à noite. A polícia da Escócia está investigando o furto dos DOCES e chapéus.

O último crime registrado pela polícia escocesa na ilha de Canna ocorreu na década de 60, quando uma placa de madeira foi roubada de uma das três igrejas da ilha - o autor do crime permanece um mistério.
Nota do Blog: O subtítulo é o título original

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.