3 de jun de 2015

USAF ADESTRA PILOTOS COLOMBIANOS NO COMBATE A VOOS ILÍCITOS NA FRONTEIRA COM O BRASIL


Super Tucanos colombianos em formação

A Força Aérea Colombiana (FAC) mobilizou três de seus grandes comandos – Grupo Aéreo del Amazonas (GAAMA), Comando Aéreo de Combate nº 2 (de Apiay, Meta) e Comando Aéreo de Combate nº 3 (Malambo) – para, na fronteira com o Brasil, exercitar suas tripulações juntamente com um Boeing E-3 americano, de alarme aéreo antecipado.

A convocação dessas organizações militares visa atualizar os colombianos nos procedimentos, no ar e em terra, do “Programa de Negação do Espaço Aéreo”, acordo operacional que os sul-americanos mantém com a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), visando combater os chamados “voos ilícitos” – de tráfico de drogas – nos céus colombianos.

O comando da FAC deslocou para a base aérea de Letícia, defronte à cidade amazonense de Tabatinga – a 1.108 km (em linha reta) de Manaus –, aeronaves de patrulha e ataque A-29 Super Tucano, jatos de detecção eletrônica SR-560 Citation e um monomotor de transporte Caravan C-208. Nos exercícios aéreos, este último modelo fará o papel de figurativo inimigo.

Boeing E-3 de alarme aéreo antecipado


Este é o 13º curso ministrado por militares americanos aos aviadores colombianos. Desta feita os exercícios contam com a participação de uma equipe da Joint Interagency Task Force-South (JITF-S), força-tarefa interagências de combate ao narcotráfico sediada no Anexo Truman da Estação Naval da Guarda-Costeira americana em Key West, na Flórida.

O JITF-S é subordinado ao Comando Sul dos Estados Unidos e liderado por um oficial superior da Guarda Costeira dos Estados Unidos.

De seu lado, o governo da Colômbia mobilizou elementos do Grupo Operativo Especial de Investigação Criminal (GROIC) – responsável pelas diligências acerca de aeronaves derrubadas pela FAC – e do Esquadrão de Operações de Segurança do Grupo Aéreo do Amazonas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.