8 de set de 2015

IMPRENSA PÚBLICA ERRA E DIZ QUE NAZARETH ARAÚJO É A PRIMEIRA GOVERNADORA A "REVISAR AS TROPAS" MILITARES




João Renato Jácome - A assessoria de imprensa do Palácio Rio Branco cometeu mais uma gafe. Na manhã desta segunda-feira, 07 de setembro, uma matéria jornalística foi veiculada afirmando que a vice-governadora do Acre, Nazareth Araújo (PT), seria a primeira mulher governante a fazer a “revisão da tropa”, momento que o chefe do Executivo caminha e oberva os militares de perto.


Erroneamente, os assessores da governadora em exercício esqueceram que o Acre já teve uma governante mulher, a peemedebista Iolanda Fleming (PMDB), que chefiou o Palácio Rio Branco por 300 dias, após o então governador, Nabor Júnior (PMDB), abandonar o cargo e concorrer a umas das cadeiras do Senado Federal.

Frente ao maior cargo político do estado, Iolanda revisou tropas em eventos oficiais. Fleming foi a primeira mulher a comandar um estado brasileiro. Na época, vigorava o regime militar brasileiro, que iniciou em 1964 e se encerrou em 1985.

Na divulgação da assessoria governamental, dizia o seguinte: “Embora Nazareth não seja a primeira mulher a assumir o posto de governadora do Acre, vale ressaltar que durante o governo Iolanda Fleming, primeira mulher a governar um estado, não existiam no Acre desfiles em comemoração ao 7 de setembro”, veiculou a Agencia de Notícias do Acre.


Maria Gomes, de 56 anos, achou estranha a informação repassada pelo governo. Através das redes sociais, ela leu o informe público. Segundo ela “na década de 80 tinham sim desfiles, tanto que a gente vivia a ditadura e isso era algo básico, tinha que ter. Naquela época as pessoas iam mesmo às ruas para assistir os desfiles. Hoje, o governo faz no início do dia, todo mundo sabe que é feriado. Aí as pessoas nem participam mais como antes. Eles estão enganados se pensam que a Nazareth é a primeira mulher a revisar os militares”, criticou a acreana.

Cerca de duas horas após a publicação do texto, a Assessoria do governo retificou a matéria e disse que seria a primeira vez que uma mulher revisaria a tropa “depois da promulgação da Constituição e da redemocratização do país”, fazendo, ainda, referencia ao último regime militar (1964-1985) pelo qual passou o Brasil.

INDEPENDÊNCIA
O desfile cívico de Rio Branco marcou os 193 anos da Independência do Brasil. O ato aconteceu na Avenida Amadeo Barbosa, que fica no 2º Distrito de Rio Branco. Nazareth Araújo, que na ausência do titular Sebastião Viana (PT), comanda o Estado desde a terça-feira, 1º de setembro, além de revisar a tropa, desfilou numa caminhonete do Exercito Brasileiro. Após a passagem pela pista, acompanhou todas as apresentações da arquibancada governamental onde estavam secretários e assessores do governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.