10 de set de 2015

PERNAMBUCANOS LIDERAM MOVIMENTO PRÓ-IMPEACHMENT CONTRA DILMA



Tércio Amaral/Agência Câmara - Os líderes do PSC, do PSDB, do Dem, do PPS, do Solidariedade e da Minoria lançarão hoje um movimento suprapartidário pró-impeachment da presidente Dilma Rousseff. O movimento terá um site e uma petição eletrônica e vai cobrar do presidente da Câmara, Eduardo Cunha, que coloque em andamento os pedidos de impeachment. A intenção é juntar maior número de deputados insatisfeitos com o governo.


No movimento, estão os deputados pernambucanos Bruno Araújo (PSDB), líder da bancada de oposição ao governo na Câmara, além de Mendonça Filho, líder do DEM. Os dois ocupam posições de destaque na Casa. Bruno chegou a declarar que é evidente a prátia de “crimes de responsabilidade” por parte do governo.

“Quando é evidente a prática de tantos crimes de responsabilidade, a solução institucional para salvar o país e proteger a população e a democracia é mais do que clara: a saída da presidente. Faremos nosso papel: hoje será lançada na Câmara dos Deputados a frente parlamentar pró-impeachment da presidente Dilma”, disse o tucano.

O líder do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP), reforçou a fala do pernambucano e assinalou que o movimento tem um papel institucional de recepcionar a insatisfação da sociedade e transformá-la em ação no Parlamento. “O Brasil não suporta mais três anos e meio de Dilma.”

Já Mendonça Filho, ao Diario, fez questão de reforçar a tese do “estelionato eleitoral”. A tese vem sendo defendida pela oposição ao justificar o impeachment pelas promessas que Dilma fez na campanha do ano passado e não cumpriu. “Sua reeleição foi baseada em mentiras e atos de irresponsabilidade fiscal explicita, com as pedaladas fiscais. Além de grave contaminação de sua campanha com recursos do Petrolão. Isso tudo, mostra que o Brasil é uma nau sem rumo, afundando numa crise gravíssima”, disse o democrata.

Os parlamentares disseram que vão analisar todos os pedidos de impeachment já apresentados à Câmara. Segundo Sampaio, o mais viável é o apresentado na semana passado pelo jurista Hélio Bicudo. O líder do SD, deputado Arthur Oliveira Maia (BA), disse que mesmo na base do governo há parlamentares que se colocam a favor do impeachment. “Esse movimento quer congregar a todos. Eduardo Cunha tem obrigação de colocar o pedido em pauta.”

O lançamento ocorrerá às 11 horas, no Salão Verde da Câmara dos Deputados.

Pedidos na Câmara
No segundo mandato do governo, já foram protocolados 21 pedidos de impeachment. Desses, nove foram arquivados pelo presidente Eduardo Cunha, sendo quatro em fevereiro e cinco recentemente. Doze pedidos, incluindo o de Hélio Bicudo, estão atualmente em análise.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.