9 de out de 2015

ENQUANTO ISSO NA FILA DE EMBARQUE: " O Sr. ESTÁ LEVANDO ALGUM MATERIAL CORTANTE OU ARMA DE FOGO? - SÓ MINHA FACA DE COMBATE, UM FUZIL E ALGUMAS GRANADAS"


Sem navios disponíveis, Marinha do Brasil contrata companhia aérea para enviar militares ao Haiti



Sem navios disponíveis para navegar até o Carine, a Marinha do Brasil contratou a companhia Gol Linhas Aéreas para realizar o transporte de pessoal e bagagem até o Haiti, onde as forças armadas brasileiras atuam na missão de paz das Nações Unidas para estabilizar o país.


A medida atende à determinação do Ministério da Defesa, que incumbiu a Marinha do Brasil de contratar uma empresa aérea para realizar o transporte do contingente devido ao mau estado de boa parte da frota.



Conforme divulgado pela Secretaria Geral da Marinha, o valor do contrato é de R$ 4.920.392,40. O número de voos necessários para enviar todo o contigente ao Haiti não foi divulgado. Os voos de longa distância da Gol são realizados por aeronaves Boeing 737-800.

Em outras ocasiões, o envio de soldados brasileiros ao Haiti também já foi realizado por aeronaves de transporte da Força Aérea Brasileira, como os antigos Boeing KC-137, que ficou conhecido como “Sucatão” e também serviu como avião presidencial. Em 2013, uma dessas aeronaves se acidentou durante a decolagem na capital Porto Princípe e acabou quebrando o trem de pouso dianteiro ao sair da pista. Nenhum dos 143 ocupantes do avião ficou ferido.

Missão de paz

A missão de paz no Haiti foi criada pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas em 2004 e o Brasil foi incumbido de assumir o comando. O objetivo da empreitada é estabilizar o país, pacificar e desarmar grupo guerrilheiros e rebeldes, promover eleições livres e formar o desenvolvimento instituicional e econômico do país, que é um dos mais pobres do mundo.

Em 2011, o Brasil também assumiu o compromisso de ajudar na reconstrução do Haiti, que foi severamente abalado por um terremoto em 2010, incidente que matou 18 militares brasileiros. Também estão presentes no país militares da Argentina e do Chile.

FONTE: Airway

Nota: O subtítulo é o título original

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.