6 de nov de 2015

SECRETÁRIO DE MINAS E ENERGIA DIZ QUE NÃO PODE GARANTIR FIM DOS APAGÕES NO ACRE E RONDÔNIA


Ildo Wilson disse que os riscos de novos desligamentos foram diminuídos

 Audiência pública na Aleac debateu os apagões e valor da tarifa de energia no Acre/Foto: Ascom Aleac


GINA MENEZES - O secretário de Minas e Energia, Ildo Wilson Grudtner, afirmou em entrevista coletiva concedida na manhã desta quinta-feira (5), que o Ministério de Minas e Energia não tem como garantir que os estados do Acre e Rondônia não sofrerão novos apagões.


O secretário ressaltou que os riscos de novas interrupções foram reduzidos por conta de uma série de ações realizadas pelo ministério.

Ildo fez uma longa e técnica explicação sobre os prováveis motivos dos apagões que atingiram o Acre entre os dias 3 de setembro a 8 de outubro e ressaltou que apesar de todas as providências adotadas não há garantia de que o problema não volte a se repetir.

“A garantia é bem difícil de dar, mas podemos dizer que reduzimos o risco destes desligamentos. Assim que começaram os apagões o ministro Eduardo Braga chamou as pessoas ligadas diretamente às usinas e pediu providências”, disse.

O secretário disse que dentre as medidas que devem ser adotadas visando a redução de desligamentos está a reativação da Usina Térmica de Energia (UTE) Termo Norte II, em Porto Velho, e a construção de um novo circuito de transmissão em Rio Branco e Jaru.


Secretário Ildo Wilson foi convidado pelo senador Jorge Viana/Foto: ContilNet

Ele afirmou, ainda, que os apagões aconteceram por conta de manutenção e testes em algumas redes, mas que não há qualquer problema com a produção de energia.

Ildo Wilson participou da audiência pública realizada na manhã desta quinta-feira (5) na Assembleia Legislativa do Acre. O evento foi promovido pelo gabinete do senador Jorge Viana (PT) e reuniu representantes de diversas instituições, como Ministério Público Estadual e Defensoria Pública.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.