4 de dez de 2015

BRASILEIROS VÃO PAGAR MAIS CARO PELO GÁS DE COZINHA A PARTIR DE HOJE; AUMENTO PODE FICAR EM 5%


É o segundo reajuste neste ano. No primeiro, em setembro, a alta foi de 12%



A Petrobras comunicou ao mercado novo reajuste no preço do gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha) vendido em botijões maiores de 13 quilos e a granel.


Segundo sindicato das empresas distribuidoras de GLP (Sindigás), o aumento no preço cobrado pelas refinarias vai variar entre 2,5% e 5%, dependendo do ponto de entrega do produto.

Os novos valores começam a vigorar hoje, (4).

O repasse ao preço final, porém, é livre e depende das estratégias de distribuidoras e revendedores. “Portanto, o Sindigás orienta o consumidor a pesquisar o preço final”, disse a entidade.

É o segundo reajuste neste ano. No primeiro, em setembro, a alta foi de 12%.

DIFERENCIAÇÃO

O gás de cozinha vendido pela Petrobras tem dois preços diferentes: um para botijões de 13 quilos, mais usados por residências, e outro para vasilhames maiores ou a granel, mais usados por condomínios, pelo comércio e pela indústria.

O preço do gás vendido em botijões de 13 quilos não terá aumento agora, de acordo com o Sindigás.

O produto foi reajustado pela estatal em agosto, depois de 13 anos de congelamento do valor de venda pelas refinarias da estatal.

No fim de 2002, a Petrobras suspendeu os reajustes após críticas públicas do então candidato à Presidência José Serra (PSDB), para quem a série de aumentos nos preços dos combustíveis prejudicava sua campanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.