5 de dez de 2015

TEATRO, TV E CINEMA BRASILEIROS PERDEM MARÍLIA PÊRA, AOS 72 ANOS


Atriz entrou no palco pela primeira vez ainda bebê. Na carreira, fez mais de 50 peças, quase 30 filmes e cerca de 40 novelas e minisséries com algumas atuações inesquecíveis. A causa da morte ainda não foi divulgada

A atriz Marília Pêra morreu neste sábado (5), no Rio, aos 72 anos


Morreu, às 6h da manhã deste sábado, a atriz, cantora e diretora Marília Pêra, aos 72 anos. Ela estava em sua casa em Ipanema, no Rio de Janeiro. O velório será no Teatro Leblon, sala Marília Pêra, a partir de 13h, também neste sábado. A causa da morte ainda não foi divulgada. No mês passada, Hildegard Angel, jornalista e amiga da atriz, afirmou que ela enfrentava um câncer, mas a informação não foi confirmada. Marília deixa os filhos Ricardo Graça Mello, Esperança Motta e Nina Morena e o marido Bruno Faria.


Além de atuar, Marília também se destacava por ser cantora, bailarina, diretora, produtora e coreógrafa. De seu currículo constam mais de 50 peças, quase 30 filmes e cerca de 40 novelas, minisséries e programas de televisão.

A estreia da atriz no teatro se deu quando ela era apenas em bebê, com menos de 20 dias de vida, embalada no colo de uma atriz, amiga de sua mãe, em 1943. Depois disso, ela não parou mais: aos 4 anos, já fazia parte da companhia de Henriette Morineau e fez parte da peça Medeia, em que interpretou umas das filhas do personagem principal.

Depois de uma temporada como bailaria, a atriz foi contratada pela Rede Globo, aos 22 anos. Entre as novelas de que participou na emissora, a atriz apontava os trabalhos em duas minisséries como os favoritos: O Primo Basílio, de 1988, em que interpretou a vilã Juliana, e Os Maias, de 2001, em que deu vida à Maria Monforte.

Seu talento também foi reconhecido no teatro. A atriz ganhou o Prêmio Molière pela peça Apareceu a Margarida, de 1974, e dez anos depois, com a peça Brincando em Cima Daquilo. Marília também trabalhou, desta vez como diretora, da peça Irma Vap, uma das mais bem-sucedidas do país, que ficou em cartaz por mais de dez anos, com Marco Nanini e Ney Latorraca como protagonistas.
Recentemente, a atriz fez parte dos elencos de Começar de Novo, em 2004; Cobras & Lagartos, em 2006; Duas caras, em 2007; e desde 2013 era a Darlene em Pé na Cova, em que contracenava com o amigo Miguel Falabella.

Ela foi homenageada no Carnaval de 2014 pela escola de samba Mocidade Alegre, em São Paulo. Com o samba-enredo Nos Palcos da Vida... Uma Vida no Palco: Marília, a escola ficou em segundo lugar na disputa entre as escolas paulistanas, perdendo para a Vai-Vai, que homenageou a cantora Elis Regina.

No ano passado, ela ficou um ano afastada da série Pé na Cova, um de seus últimos trabalhos, para cuidar de um problema no quadril causado por desgaste ósseo. No último mês, surgiu na imprensa a notícia não confirmada de que a atriz estaria com câncer no pulmão em estado avançado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.