20 de dez de 2015

XXVII ENVFEB – OLD SOLDIERS ...NEVER DIE...EM SANTA ROSA


Velhos Soldados … Nunca Morrem … versos de antiga canção da 1ª. Guerra Mundial, revividos na região missioneira do Rio Grande, bem perto da fronteira argentina, na Cidade da Soja, terra da Xuxa e de Taffarel, Santa Rosa.


Já fazem mais de 70 anos… o Brasil, país pacifico e ainda rural foi atacado sem aviso pela mais poderosa potencia militar da época, utilizando a ultra-moderna arma submarina. Em seis dias de agosto de 1942 mais de 600 preciosas vidas de brasileiros inocentes foram sacrificadas em nome de uma ideologia equivocada. O povo nas ruas exigiu que o governo desse uma resposta à cruel agressão. Eram os caras pintadas daqueles tempos.


O governo decretou então o estado de guerra com as potencias do Eixo.

Dos 25 mil homens que o Brasil enviou à Europa para incorporar-se aos exércitos aliados, apenas foi possível a presença de 18 daqueles bravos no 27º. Encontro Nacional dos Veteranos da Força Expedicionária Brasileira, na acolhedora Santa Rosa.

Nos bons tempos, estes encontros reuniam centenas de ex-combatentes, filiados a mais de 50 seções regionais da Associação Nacional de Veteranos da FEB – ANVFEB.

Elas existiram em todas as cidades de onde seguiram expedicionários para a Itália, pois a FEB era um microcosmo social e geográfico da Nação Brasileira.


De Norte a Sul, do campo e da montanha, da caatinga e da selva, os pracinhas foram convocados para formar a FEB.

Hoje, muito poucos ainda estão entre nós, todos já na faixa dos 90 anos.

Nossos pensamentos voltam-se para esses heróis. Transcorridos tantos anos, tendo o nazismo sido derrotado, mesmo após enorme sofrimento, ainda hoje há quem enxergue aspectos positivos na ditadura de Hitler, conforme estudo de uma universidade alemã.

O legado dos últimos veteranos é pois da maior importância, pois em breve já não teremos entre nós quem possa contar aquela historia, para evitar que ela se repita.

O Brasil se orgulhou dos seus soldados, marinheiros e aviadores, que enfrentaram os nazistas na neve, nas montanhas, no mar e no ar.

Passadas mais de 6 décadas, o significado da sua luta está cada vez mais atual.

Por isso é tão importante que a cada ano ocorram estes Encontros, que os combatentes nacionais sejam lembrados, pois nos ensinaram preciosa lição, deixando-nos seu exemplo, e legado para defender.

Como foi o Encontro Nacional dos Veteranos Brasileiros
da 2ª. Guerra Mundial – Santa Rosa – RS nov 2015
Israel Blajberg

Pela primeira vez, uma cidade do interior sedia o ENVFEB – Encontro Nacional dos Veteranos da FEB.

Este foi o 27º. Encontro, reunindo 150 participantes de 09 estados do Brasil (RS, PA, SC, RJ, DF, MG, BA, SP, MA), sendo 18 Veteranos da FEB, de 18 a 22 novembro 2015 em Santa Rosa – RS.

Da Itália compareceram o Guardião do Monumento Votivo Brasileiro em Pistóia, Mário Pereira, e o historiador Giovanni Sulla com sua gentil esposa Francesca, de Montese.

Foram momentos de reencontro, integração, confraternização, e sobretudo de valorização da história da Força Expedicionária Brasileira e seus bravos Pracinhas.



Da região de Santa Rosa seguiram alguns pracinhas para a FEB, incluindo cidades vizinhas. Como filhos e netos desses veteranos, Vladimir Ribas e outros integrantes da Familia FEBiana de Santa Rosa, empenharam-se em conseguir a indicação da cidade para sediar o encontro, o que foi decidido em 2014 no Encontro do Rio de Janeiro. Tenente Coronel da Brigada Militar, onde comanda o Batalhão de Policiamento de Área de Fronteira sediado na cidade, Ribas reuniu operosa equipe para planejar e organizar o evento, que foi um dos mais bem sucedidos dos últimos anos.

O “Berço Nacional da Soja”, como é conhecida a cidade, sedia já há 50 anos a FENASOJA, e acolheu os veteranos, familiares e amigos com muitas gentilezas, através do Prefeito Alcides Vicini e demais autoridades.

Santa Rosa disseminou a soja por todo pais, e hoje sua cadeia produtiva é importantíssima para a economia do estado e do Brasil.

Diversas etnias estão presentes na cidade, e pelo seu pioneirismo e trabalho se chegou aos dias de hoje com uma cidade moderna e acolhedora, onde a paisagem é plena de silos, moageiras, e demais estabelecimentos ligados a setor.

O Encontro foi pleno de atividades e eventos culturais.

A abertura contou com um Culto Ecumênico, onde destacamos as palavras do Pastor Ricardo Lavarda, da Igreja Batista de Santa Rosa, ao recordar passagens bíblicas onde comparou o heroísmo do Rei Davi e seus valentes guerreiros que lutaram contra oponente mais fortes, à luta dos pracinhas da FEB.

A exibição do documentário “Cabo Weber” emocionou os participantes, com a história do filho de Santa Rosa que não voltou. Sua irmã estava presente. Uma das principais avenidas da cidade leva seu nome, Avenida Expedicionário Weber.

O Dr. Marco Aurélio Rosa, de Santa Catarina, proferiu a Palestra “Os direitos dos Ex-Combatentes e seus dependentes, no Salão de Convenções do moderno Hotel Imigrantes, que alojou os participantes.

Tivemos uma Solenidade Militar no 19º RCMec, com formatura para entrega de medalhas, e o desfile da tropa com sua característica boina preta da tropa blindada – AÇO ! BRASIL ! .

O Regimento leva o nome do General José de San Martin, Herói de 3 Pátrias, juntamente com Simón Bolívar um dos libertadores da América do Sul da colonização espanhola, grande herói que tornou possível a liberdade em nosso continente e buscou a integração dos povos da América, ideal que até hoje continuamos perseguindo, a liberdade em nossos países-irmãos e a integração de nossos povos.

No museu do regimento pode se apreciar um pouco do legado de San Martin, condutor de uma das mais extraordinárias operações militares registradas pela historia universal, como seu Código de Honra Sanmartiniano que até hoje rege a conduta de rotina dos “Granaderos a Caballo”, e a Marcha de San Lorenzo, marcha militar argentina composta em 1901 por Cayetano Alberto Silva que honra o combate de San Lorenzo, travado entre as tropas do Coronel de Granaderos José de San Martín e forças realistas.

Um monumento aos expedicionários foi inaugurado na Av. Expedicionário Weber, ao longo do quartel do Regimento, com a bênção e espargimento de água benta pelo Pe. Victor Iványk, da Igreja Ortodoxa Russa, ligada ao Patriarcado Latino de Jerusalém.

Foi realizado também no Centro de Convenções do Hotel Imigrantes o Seminário “O futuro e as Perspectivas das Associações de Veteranos e Ex-Combatentes da FEB, com intervenções de diversos participantes, sendo a mesa composta por Cesar Ataide Figueira Torres, da ADESG e Liga da Defesa Nacional de Caxias do Sul, Profa. Dra Carmen Rigoni, da ANVFEB-PR, Gen Marcio Rosendo de Melo, Presidente da ANVFEB-DC e Mario Pereira, Guardião do Monumento Votivo de Pistóia. Em seguida foi exibido o filme “A Estrada 47."

EM EVENTOS PARALELOS foram lançados em Porto Alegre em 17 nov 2015 os LIVROS ESTRELA DE DAVID NO CRUZEIRO DO SUL e HERANÇA ESPIRITUAL JUDAICA – BRASILIDADES, de Israel Blajberg. No dia 20 os livros foram lançados em Santa Rosa, no Centro de Convenções do Hotel Imigrantes, durante o referido seminário em que se discutiu o Futuro e Perspectivas das associações de ex-combatentes.

Os livros foram editados pela ACADEMIA DE HISTÓRIA MILITAR TERRESTRE DO BRASIL. No Centro Hebraico Riograndense, PRESTIGIAM A SOLENIDADE o Presidente da ACADEMIA DE HISTÓRIA MILITAR TERRESTRE DO BRASIL, Coronel Luiz Eduardo Camnha Giorigs, Presidente dos Ex-Combatentes Gauchos, Dr Jorge Krieger de Mello, Veteranos Oudinot Willadino, Pedro Paz e Lot Eugenio Coser, PRESIDENTE DO CONSELHO ESTADUAL DE CULTURA, DAEL RODRIGUES, CoNSUL DE ESPANHA, JOSÉ PABLO ALZINA. O HINO NACIONAL abriu a homenagem, executado pela Banda de Musica do Comando Militar do Sul. Em seguida O PRESIDENTE DO CONSELHO ESTADUAL DE CULTURA e DIRETOR CULTURAL DO CENTRO HEBRAICO, Prof DAEL RODRIGUES, usou da palavra, seguindo-se a saudação do autor aos expedicionários, e o coquetel de autógrafos.



No sábado os participantes dirigiram-se a Santo Angelo, onde houve a reinauguração do Monumento ao Expedicionário, na Praça da Catedral, seguindo-se a visita ao Museu Marechal Rondon no 1º. BCom – Santo Ângelo que possui acervo alusivo a FEB.

Em seguida houve a Visita ao sitio arqueológico de São Miguel das Missões, patrimônio mundial, e a noite o grupo assistiu ao espetáculo de luz e som que narra a saga dos padres jesuítas e dos índios guaranis em busca do sonho da Terra sem Males.

Houve uma Visita ao loteamento “Montese”, e nos horarios de almoçlo e jantar, apresentações artísticas da Banda Municipal de Horizontina, Grupo Folclórico Russo TROYKA de Campina das Missões, Grupo de dança Alemã Immer Lusting e Etnia Afro de Percussão Batuque na Cozinha, Grupo de Dança Tradicionais do CTG Chama Crioula, apresentação do cantor Ademar Pereira e apresentação do Coral de Índios Guaranis.

Uma visita ao município de Porto Mauá permitiu conhecer o Rio Uruguay, que representa a fronteira entre Brasil e Argentina, onde o grupo foi recebido pelo Prefeito Municipal.

Por iniciativa da Profa. Dra Carmen Rigoni, foi elaborada a Carta de Santa Rosa, a ser entregue ao Comandante do Exército, com um resumo dos trabalhos e sugestões alusivas.

Por ocasião da reunião de presidentes, foi decidida a criação da Seção Regional da ANVFEB de Santa Rosa, tendo em vista que a SR Santo Ângelo já não mais estava em funcionamento.

Decidiu-se também que os próximos encontros serão em 2016 – São Luiz – MA e 2017 Curitiba – PR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.