28 de mar de 2016

O BOLSONARO É TÃO RUIM MESMO? NÃO É BEM ASSIM!



OINDIGESTO.COM /ICARO DE CARVALHO - Conhecido – e atacado! – por suas frases polêmicas e posicionamentos duro, o Deputado Federal Jair Bolsonaro coleciona amigos e inimigos. Há quem o chame de racista, homofóbico e até mesmo fascista. Afinal de contas, ele é tão ruim assim?

Jair Messias Bolsonaro nasceu na cidade de Campinas, no dia 21 de março de 1955 e ocupa, atualmente, o cargo de Deputado Federal pelo milésimo ano consecutivo. Mentira, é só o sexto mandato. Em seu hall de conquistas, foi o deputado mais votado do estado do Rio de Janeiro, com o apio de 6% do eleitorado. Atualmente, pretende voos maiores; quer se tornar Presidente da República.

Na sua longa trajetória política, coleciona dissabores. Arranjou confusão – ou foi arranjado – por boa parte da esquerda e é visto como um dos poucos políticos do país que realmente fala o que pensa. Seus adversários disparam contra ele todo tipo de adjetivo: racista, preconceituoso, fascista, nazista e coisas do tipo.

Bolsonaro, para a esquerda lado B, aquela ala cult, que geralmente é sustentada pelos pais, é sinônimo de atraso.

Mas, será isso mesmo? O indigesto foi atrás e ranqueou pelo menos dez projetos de lei do polêmico ex-militar. E não é que achamos que todos eles são bem razoáveis? Aliás, poucos representantes do legislativo podem ostentar uma quantidade tão grande de projetos de lei favoráveis aos interesses populares. Agora, chega de papo e aqui vão eles.

PEC-5107/2007.

O projeto de emenda à constituição proposto pelo Deputado, amiguinho, isentaria de impostos a produção e a comercialização de programas de computador. Ou seja, você que gosta de baixar aquele joguinho bacana na Steam ou aumentar a capacidade da sua placa de vídeo, saiba que poderia estar pagando um preço bem mais acessível por tudo isso, se a proposta oferecida pelo Bolsonaro fosse votada favorável.

PL-106/2007.

O projeto de tem tem como objetivo incluir no hall de crimes hediondos o roubo de veículos automotores. Esse projeto combate diretamente o terror rodoviário, a indústria do desmanche e os altíssimos preços securitários cobrados pela máfia dos seguros, financiada pelo nosso mercado fechado à concorrência. Além do fato óbvio de que mantém na rua um criminoso que colocou a vida de uma família em risco, para tomada do bem. Que deputado sem coração!

PL-5481/2009.

Esse projeto de lei isentaria, se aprovado, os rendimentos auferidos através de proventos percebidos pelos portadores de lúpus eritematoso sistêmico. O que isso quer dizer? Que o Deputado Federal acredita que pessoas vulneráveis, acometidas por essa doença incurável, deveriam pagar menos impostos, o que faria com que sobrasse um pouco mais de dinheiro ao final do mês para o seu tratamento, afim de que tivessem dignidade.

PL-367/2011.

Direto e reto: o projeto de lei em questão proíbe a direção, por meio da supressão do direito de habilitação, de qualquer motorista que supere os quarenta pontos na carteira nacional de habilitação, pelo período de um ano. Para o país que ostenta o título de campeão mundial das mortes no trânsito, eu tenho certeza que esse projeto contribuiria em muito no combate ao caos rodoviário do país.

PL-5490/2014.

Não é de hoje que as organizações criminosas infiltram menores de idade em suas práticas criminosas, a fim de depositarem em suas costas os crimes mais pesados. É sempre um adolescente quem puxa o gatilho para, pouco tempo depois, estar de volta às ruas, tocando o terror. O PL-54900 pretende aumentar a pena dos maiores que estiverem se utilizando dessa falha no sistema. Ou seja, estão de patifaria? Vão puxar uma cadeia mais pesada!

PL-5398/2014.

Agora para tudo! Atenção! De acordo com a redação desse projeto de lei, Jair Bolsonaro propõe que condenados por estupro possam, voluntariamente, se submeterem a um tratamento químico capaz de reduzir os seus impulsos violentos e, com isso, receberem o abrandamento da sua pena. Além disso, aumentaria a pena para esses crimes, ou seja, manteria um número maior de homens violentos atrás das grades.

Mas, espera ai! Não era justamente a Maria do Rosário quem dizia que o deputado era um estuprador e que odiava as mulheres? Ao passo que o legislador pretende manter estupradores atrás das grades, a sua colega de casa pretende soltá-los. Quem está – realmente – a favor das mulheres?

PL-8176/2014.

O Brasil é um dos países que mais testemunha a morte dos seus policiais no planeta. Aqui, vestir uma farda é sinônimo de má remuneração, pouco amparo estatal e descaso para com a sua própria vida. Esse projeto de lei pretende tornar crime hediondo o homicídio cometido contra agentes de segurança pública. Como um policial acaba não sendo um policial sozinho, o projeto de lei prevê a extensão do aumento da pena aos crimes cometidos também contra os seus familiares.

PL-7473/2014.

Mais um projeto de lei que prevê, se aprovado, a isenção de impostos para portadores de doenças crônicas. Nesse caso, quem possuir doença pulmonar obstrutiva crônica. Ao que parece, isso é ruim. O que o povo de esquerda quer mesmo é que inválido trabalhe – e pague impostos! – até morrer.

PL-7104 e 5/2014 e 15.

O projeto de lei acrescenta ao artigo 23 do decreto lei número 2.848, de dezembro de 1940, inciso que descaracterize como crime qualquer ato de legítima defesa quando alguém pretenda invadir a sua propriedade. Ou seja, se um vagabundo caiu para dentro da tua casa e você sentar bala nele, está tudo tranquilo e favorável. Razoável? Não, porque ai sobra menos bandido e como é que os direitos humanos e esse pessoal todo da esquerda irá continuar na sua boquinha? Bola fora, Deputado!

Conclusão? Oras, não é óbvia?

Abandone esse preconceito bobo. Você pode, assim como eu, divergir de uma série de opiniões acerca de temas polêmicos com ele. Eu não acho que o Fernando Henrique deveria ser fuzilado nem acho que se cura o homossexualismo com porrada – isso é um absurdo! -, mas deixe de lado essa ideia de que o Jair Bolsonaro é um político ruim, ainda mais quando comparamos com tantas tranqueiras que existem por ai.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.