17 de mar de 2016

PROTESTO CONTRA DILMA E LULA REÚNE MAIS DE 5 MIL PESSOAS EM BRASÍLIA


Uma nova manifestação está marcada para hoje quinta-feira (17), às 10h, em frente ao Planalto; no mesmo local e horário, Lula será empossado como ministro



Mais de 5 mil pessoas – segundo a Polícia Militar – participaram nesta quarta-feira (16/3) de um protesto contra a presidente Dilma Rousseff e o agora ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva.

A manifestação começou por volta das 17h, em frente ao Palácio do Planalto. Munidos com faixas, apitos, panelas e instrumentos musicais, os participantes gritaram palavras de ordem e xingamentos contra o ex-presidente e pediram a renúncia de Dilma.

Às 18h, o protesto ganhou ainda mais fôlego com a divulgação de um áudio em que a presidente Dilma negocia com Lula o envio do termo de nomeação para que ele assine e se livre de um eventual mandado de prisão. A gravação revela que a nomeação do ex-presidente para o comando da Casa Civil pode ter sido uma manobra para que ele ganhasse foro privilegiado e a investigação contra ele na Operação Lava-Jato passasse para o Supremo Tribunal Federal.

Perto das 21h, o grupo começou a deixar o local. Alguns manifestantes, no entanto, seguiram em direção ao Congresso Nacional. Impedidos pela polícia legislativa de subir a rampa do prédio, eles se concentraram no gramado, mas a polícia atirou bombas de efeito moral para dispersá-los. O ato teve fim por volta das 22h.

O protesto foi organizado por entidades pró-impeachment, entre elas o Movimento Brasil Livre. Parlamentares de oposição também participaram da manifestação. Eles teriam, inclusive, tentado iniciar a manifestação, mas, barrados pela segurança, voltaram ao Congresso Nacional e só retornaram com a chegada de mais manifestantes.

Por conta do protesto, o trânsito chegou a ser interrompido na Esplanada dos Ministérios. Um novo ato está marcado para amanhã, às 10h, novamente em frente ao Palácio do Planalto. Na mesma hora e local, o ex-presidente Lula tomará posse como ministro. 

Ocorrências
Um pequeno grupo de pessoas favoráveis ao ex-presidente Lula e à presidente Dilma Rousseff também compareceu ao ato. Houve confronto entre os dois grupos. A Polícia Militar reagiu com cassetete e gás de pimenta.

Além disso, um homem foi retirado da manifestação, foi acusado de atirar uma bomba. Sem localizar o artefato, porém, a PM não pôde provar que ele soltou a bomba. Assim, ele foi apenas mandado embora.

Os manifestantes também atearam fogo em pneus, por volta das 21h. De acordo com a polícia, 50 PMs e 60 policiais do batalhão do Exército trabalharam na manifestação.

Mais tarde, por volta das 23h, alguns manifestantes atiraram pedras e objetos contra os policiais que faziam a segurança do Congresso Nacional. Algumas pessoas foram atendidas pelo Corpo de Bombeiros. Dois manifestantes foram levados para o hospital. Dois policiais também ficaram feridos, sendo que um deles levou uma pedrada no joelho.

Com informações de Bernardo Bittar, Rosana Hessel, Taís Braga e Fernando Jordão, Hédio Ferreira Jr. e Gabriela Ribeiro, especiais para o Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.