7 de abr de 2016

APÓS SUMIÇO DE MILHO, PRODUTORES BLOQUEIAM SILO DE BRASILEIA E PROMETEM LEVAR CASO AO MP E PF


Agricultores cobra acordo do governo sobre ressarcimento de 600 toneladas de milho que sumiu

  Produtores cobram ressarcimento de milho que sumiu em 2015/Foto: O Alto Acre

Alamara Barrros - Os produtores rurais de milho da regional do Alto Acre, em especial de Brasileia, bloquearam na manhã desta quarta-feira (6) o silo graneleiro do município. O protesto ocorreu devido ao não cumprimento, por parte do governo, dos acordos para o ressarcimento de aproximadamente 600 toneladas de milho que desapareceram do local em 2014. O furto do milho aconteceu durante a gestão do hoje líder do PT na Assembleia Legislativa (Aleac), Lourival Marques, à frente da Secretaria de Produção e Assistência Familiar (Separof).

No ano passado, o líder do DEM na Aleac, deputado Antônio Pedro, denunciou que dois produtores rurais de Xapuri o procuraram para informar o furto de sacas de milhos que foram encaminhadas ao Silo Graneleiro de Brasileia. O deputado solicitou providências por parte do governo para resolver a questão, e evitar que os produtores amarguem o prejuízo financeiro.

Algumas reuniões aconteceram com os produtores e ficou acertado que o Estado iria, aos poucos, ressarcir o milho. Neste tempo, foi informado pelo secretário-adjunto da Secretaria de Agricultura e Pecuária (Seap), Fernando Melo, que a diretoria do silo seria trocada, e abriu uma sindicância para saber quem foram os responsáveis.

Revoltados com a situação, os produtores, que já vêm tendo prejuízos há cerca de dois anos, resolveram impedir que as carretas com placas peruanas saíssem carregadas do silo. Os manifestantes, porém, permitem que os produtores possam descarregar.


A reportagem tentou contato com o secretário de Agricultura e Pecuária, Carlos Reis, mas não obteve sucesso até a publicação da reportagem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.