27 de abr de 2016

SEBASTIÃO DEMITE ASSESSORES DE JASMYL ASFURY, PRESOS POR VENDA DE CASAS POPULARES


João Renato Jácome - O Diário Oficial do Estado (DOE/AC) dá publicidade nesta quarta-feira, 27, à exoneração do diretor-executivo da Secretaria de Estado de Habitação e Interesse Social (Sehab), Daniel Gomes, e o colega dele de trabalho, Marcos Henrique Huck, que respondia por um departamento técnico do órgão estadual.

Marcos e Daniel foram presos na terça-feira, 26, durante a segunda fase da Operação Lares, que investiga crimes ligados à distribuição de casas populares. Os dois são acusados de comercializar casas e, inclusive, as distribuírem a empregadas pessoais, uma amante e, ainda, a babá da filha de um dos servidores. Eles negam o cometimento de crimes.


De acordo com a Secretaria de Estado de Gestão Administrativa (SGA), Marcos Henrique Huck é servidor do quadro efetivo do Instituto de Administração Penitenciária (IAPEN). Ele recebia, mensalmente, R$ 6.720,00, fruto do cargo em comissão que deu a ele o direito à complementação salarial.

Já Daniel Gomes, assessor direto do secretário Jamyl Asfury (que já trabalhou como assessor parlamentar quando o secretário era deputado estadual), recebida a quantia de R$ 11.944,47 todos os meses. Gomes, por não ser servidor público efetivo, deve ficar desempregado.

DESTRUIÇÃO DE PROVAS – Computadores apreendidos durante a segunda fase da Operação Lares comprovaram que Daniel Gomes e Marcos Huck extraviaram computadores utilizados por eles próprios, Cícera e Rossandra. O objetivo era destruir os arquivos que estavam nos aparelhos, dificultando assim que as investigações chegassem a eles ou outras pessoas, que colaboravam externamente com os crimes.

“Daniel e Marcos estavam ocultando provas. Eles chegaram a ocultar computadores tanto da Cícera, como da assistente. Uma tentativa clara de impedir que a polícia chegasse a mais nomes. Por isso eles estão presos hoje. O Marcos Huck, coordenador técnico-social, entregou casa para a babá dele. Ela não tinha o perfil porque não morava em área de alagação. Ela morava no Conquista”, completa o investigador Roberth Alencar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.