11 de jul de 2016

HOMEM É DETIDO SUSPEITO DE PLANEJAR ATO TERRORISTA NO DF, DIZ POLÍCIA


Mulher contou à PM que ele queria 'explodir aeroporto JK' nesta segunda.
Polícia vasculha residência de homem paquistanês; nada foi encontrado.

  Avião no pátio do Aeroporto JK (Foto: Fábio Maciel/Decea)

Um homem paquistanês de 32 anos foi detido na tarde deste domingo (10) suspeito de guardar explosivos em casa e de planejar ato terrorista, em São Sebastião, no Distrito Federal. Segundo a Polícia Militar, a mulher do estrangeiro informou a corporação que ele tinha a intenção de "explodir o aeroporto Juscelino Kubitschek" na segunda-feira (11).

Até as 17h deste domingo, o esquadrão antibombas da Polícia Militar fazia buscas na residência em que o suspeito mora, mas não encontrou bombas até a publicação desta reportagem. Segundo a Polícia Militar, às 10h deste domingo, a esposa do estrangeiro foi ao 21º batalhão da PM, em São Sebastião, para denunciá-lo.

Quando chegou ao 21º batalhão de Polícia Militar, a mulher acusou o marido de ameaça, enquadrado na Lei Maria da Penha. Ao chegar à 6ª DP, no Paranoá, ela denunciou o estrangeiro por suspeita de ato terrorista.

Segundo a PM, o suspeito não confirmou nem negou as acusações e ainda convidou um dos militares a ir ao Aeroporto JK nesta segunda "para averiguar". O Aeroporto Internacional de Brasília informou que operou normalmente neste domingo.

A Polícia Federal afirmou que o estrangeiro e a mulher foram ouvidos na Superintendência, em Brasília. Um parente do suspeito, que possuía a documentação do estrangeiro, também foi levado ao órgão para prestar esclarecimentos. O órgão diz que ainda busca informações sobre o suspeito junto a organizações internacionais de investigação.

O paquistanês chegou ao Brasil em 2014, durante a Copa do Mundo e casou-se e teve um filho com a mulher. Ainda de acordo com a PM, o casal tinha problemas com a guarda do filho, de 1 ano. A mulher também informou à PM que ele era casado no país natal e que havia forjado um atestado de óbito da ex-mulher antes de vir para o Brasil e se casar com ela.

Segundo a PM, o homem possui documentação para trabalhar no país, mas não soube informar qual era a ocupação do suspeito. Ele também já tinha passagens aéreas de volta ao Brasil compradas para setembro deste ano.

"Amanhã [segunda-feira] ele iria embora e disse à família que esta segunda 'seria o último dia de todos da família'", afirmou o segundo tenente Rafael Feltrini.

"Ele falou muito em árabe, mas de maneira muito perturbada. Poderia ser o último dia dele no Brasil ou da vida dele, como em um atentado. Nós não apostamos e preferimos proceder com a investigação", complementou Feltrini.

A Polícia Militar não dispensou as acusações e continuou com as investigações. O suspeito segue na superintendência da Polícia Federal.

Questionado se o caso faria a polícia anteceder o policiamento para as Olimpíadas, a PM informou que não descarta nenhuma denúncia.

"Para a Polícia Militar, as Olimpíadas começaram há muito tempo. Estamos preocupados em garantir a segurança do DF e tratamos todas as denúncias e ocorrências com muita seriedade", afirmou o tenente-coronel Itamar Valverde.

Policiais do Bope fazem buscas na casa do suspeito, em São Sebastião, neste domingo (10) (Foto: Polícia Militar/Divulgação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.