27 de set de 2016

MPF/AC: LIMINAR PERMITE QUE SOLDADOS DA BORRACHA POSSAM ACUMULAR BENEFÍCIOS


INSS baseava-se em Portaria interna para negar pedidos

Foto: gazeta do povo

Da Assessoria - A Justiça Federal acreana concedeu liminar em ação proposta pelo Ministério Público Federal no Acre (MPF/AC) para proibir o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) de utilizar-se de norma interna para negar pedidos de concessão de pensão vitalícia de seringueiro ou dependente de seringueiro cumulada com qualquer outro benefício de duração continuada mantido pela Previdência Social.

Segundo a ação, o INSS utilizava-se da  Portaria MPAS n. 4.630/90 e no art. 528, inc. IV, da IN/INSS n. 77/20 para negar os pedidos de pensão vitalícia a pessoas que já recebessem outro benefício. Ocorre que tal situação afronta a Constituição, no Ato das Disposições Constitucionais Provisórias, que reconhece o direito à pensão aos seringueiros soldados da borracha como indenizatória, em virtude de terem ficado expostos a todos os tipos de mazelas na selva amazônica, em situação de trabalho que não correspondia às promessas políticas veiculadas, iludidos por condições de trabalho amenas, que não equivaliam à realidade do trabalho no seringal, à época.

 A Justiça Federal reconheceu a ilegalidade dos atos administrativos utilizados pela Previdência Social para negar as pensões, pois estes criam restrições que não existem na legislação que trata do assunto.

No julgamento do mérito sobre o caso, ainda será decidido sobre os pedidos anteriormente negados pelo INSS, sobre os quais o MPF pede que sejam reavaliados e concedidos, caso os indeferimentos sejam fruto apenas da vedação criada pelas portarias do próprio INSS.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.