27 de out de 2016

DELEGADO QUER ABANDONAR TARAUACÁ APÓS SER PRESSIONADO POR "FORÇAS OCULTAS" DO CRIME


“Se ele sair, a violência volta a ser como era antes, quando os furtos e assaltos ocorriam à luz do dia", disse Jesus Sérgio

Jesus Sérgio foi mais um dos deputados a alertar sobre o sério estado em 
que se encontra a Segurança Pública no Estado /Foto: Reprodução

RÉGIS PAIVA - O deputado estadual Jesus Sérgio (PDT) foi mais um parlamentar estadual a se manifestar de forma crítica ao governo do Estado por conta do recente crescimento da violência. O parlamentar cobrou investimentos urgentes em equipamento e materiais de trabalho para as Polícias Civil e Militar.


O deputado disse que a situação na cidade de Tarauacá está tão precária que o delegado da cidade quer vir embora por pressão de forças ocultas: “Se ele sair, a violência volta a ser como era antes, quando os furtos e assaltos ocorriam à luz do dia. Temos de chamar juízes, promotores e policiais para termos uma explicação sobre o que pode ser realmente feito”.

Jesus afirmou que a violência chegou à porta dele, atingindo um amigo dele: “Hoje fui eu e amanhã pode ser qualquer pessoa. Precisamos unir esforços para diminuir, pois é um problema que não acaba e atinge a todos”. O agente socioeducador assinado recentemente em Tarauacá era amigo do deputado.

Conforme o parlamentar, a morte do agente socioeducador em Tarauacá abalou a comunidade: “Quem mata tem a sensação de impunidade. Os delegados afirmam que vão prender, mas dizem não saber o tempo que ficarão presos. Os próprios policiais desacreditam na Justiça.”

O deputado informou ter agendado uma reunião com o secretário de Planejamento em busca de uma solução para as precárias condições dos policiais para fazerem as diligências.

“As cidades do interior estão sofrendo com o abandono. Parabenizo a Saúde, a Educação e a Segurança. Mas tem outras deixando a desejar. Governador, não demita somente o pessoal do interior, pois lá na ponta é onde falará o serviço. Em Rio Branco fica um monte de gente nos gabinetes”, finalizou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.