31 de dez de 2016

FELIZ 2017 PARA A PÁTRIA DE CHUTEIRAS, O PAÍS DO FUTEBOL

CONTA DE LUZ TERÁ BANDEIRA VERDE EM JANEIRO, SEM COBRANÇA EXTRA, DIA ANEEL



Luciano Costa - As contas de luz em janeiro terão bandeira tarifária verde, o que significa que não haverá cobrança extra dos consumidores, informou nesta sexta-feira a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).


A agência disse que a bandeira verde nas tarifas é resultado de uma hidrologia favorável, que tem favorecido a produção das hidrelétricas do país.

Quando a oferta de energia é menor, podem entrar em vigor as bandeiras amarela e vermelha, que elevam o custo das contas para incentivar um consumo mais eficiente, segundo a Aneel.

TARAUACÁ: FESTA DA MILITÂNCIA DO 55



Blog do Accioly - Militantes da campanha da prefeita eleita Marilete Vitorino foram às ruas da cidade comemorar a vitória, faltando dois dias para a posse dos eleitos.



O grupo saiu do mercado público no final da tarde desta sexta feira e caminhou até o AeroPint, onde no palco montado foi realizado um show musical com o cantor Giovanni Acioly. 


Antes porem, tivemos as falas dos vereadores eleitos Diogenes Leão Fernandes (Dóla), Veinha do Valmar, Janaina Furtado, vice prefeito Chico Batista e por fim a Prefeita eleita Marilete Vitorino. Quem também falou no evento foi o professor Carlos Coêlho coordenador da campanha vitoriosa da coligação Avança Tarauacá.


A posse de todos os eleitos acontece neste domingo, 1 de janeiro de 2017, às 19 horas, na câmara municipal.

30 de dez de 2016

JUIZ ARGENTINO JULGARÁ CRISTINA KIRCHNER POR CORRUPÇÃO


Ex-presidenta é acusada de formação de quadrilha e fraude na concessão de obras públicas

Cristina Kirchner sai de sua casa para prestar depoimento no último 31 de outubro.  REUTERS

Federico Rivas Molina  - A ex-presidenta da Argentina, Cristina Fernández de Kirchner, recebeu uma má notícia na Justiça. Dias antes do início do recesso de fim de ano, o juiz Julián Ercolini resolveu indiciá-la por suposta formação de quadrilha destinada a desviar recursos de obras públicas para a Austral Construções, propriedade de um empresário vinculado ao kirchnerismo. A decisão judicial inclui também um embargo de 666 milhões de dólares (2,1 bilhões de reais) contra a ex-presidenta.


O início do processo contra a ex-mandatária significa que o juiz encontrou motivos suficientes para iniciar ação contra Kirchner, medida que lhe permitirá, se considerar necessário, impedir que ela saia do país e inclusive decretar sua prisão preventiva. O juiz Ercolini investigará agora uma suposta cadeia de responsabilidades que começa com a ex-presidenta e descende por toda a estrutura oficial de obras públicas. Por isso, o processo não se limita a Kirchner e alcança também o ex-ministro de Planejamento, Julio De Vido, Lázaro Báez, dono da empresa investigada e preso por suposta lavagem de dinheiro, e o ex-secretário de Obras Públicas, José López. Este último está detido desde que a polícia o encontrou jogando sacolas cheias de dólares ao interior de um convento nos arredores de Buenos Aires.

Esta é a segunda vez que Cristina Kirchner é processada desde que deixou o poder, em 10 de dezembro de 2015, mas é a primeira vinculada a uma ação por corrupção. Em outro processo, a Justiça investiga a ex-mandatária por uma operação com venda de dólar futuro por parte do Banco Central. Neste, os promotores denunciaram ao juiz que houve um "plano criminoso" montado pela Casa Rosada para favorecer a Austral Construções, empresa que durante a gestão kirchnerista obteve contratos viários de cerca de 3,3 bilhões de dólares (10,6 bilhões de reais). Uma auditoria da Vialidad Nacional [autarquia responsável por manter e ampliar a rede de estradas na Argentina] realizada pelo Governo de Mauricio Macri determinou que houve pagamento de sobrepreços de até 50% em algumas dessas obras, no valor total de 1 bilhão de dólares (3,27 bilhões de reais).

ACHEI POUCA COBERTURA JORNALÍSTICA EM RELAÇÃO AO TIME DE UGANDA


ÔNIBUS COM 38 PASSAGEIROS TOMBA NA BR-364



AC 24hs/Jairo Barbosa -  Um ônibus da empresa Transacreana que transportava 38 passageiros saiu da pista e tombou na BR 364 por volta das 5 horas da manhã desta sexta feira (30), há 3 km da cidade de Feijó, no interior do Acre.

O acidente, segundo o gerente da empresa no Vale do Juruá, Francisco Virgulino, foi causado devido um grande buraco na pista, mas essa informação ainda será apurada pelas autoridades.


Virgulino disse por telefone que o motorista teria desviado um buraco, mas acabou caindo dentro de outro, e o carro tombou, caindo de uma altura aproximada de 6 metros, indo parar próximo de um córrego á margem da rodovia.

O carro havia saído de Rio Branco às 19 horas da última quinta feira com destino a Cruzeiro do Sul. Dos 38 passageiros, 20 precisaram de atendimento médico e foram socorridos por policiais militares, que utilizaram uma caminhonete para levar as vitimas até o hospital de Feijó.

Dois passageiros idosos ficaram feridos com certa gravidade e devem ser removidos para a capital.

Ainda de acordo com Virgulino, a empresa deslocou um outro ônibus para dar suporte e atender os passageiros. 

29 de dez de 2016

COLIGAÇÃO AVANÇA TARAUACÁ CONVIDA OS TARAUACAENSES PARA UMA GRANDE FESTA AMANHÃ




A Coligação Avança Tarauacá liderada majoritariamente pela Prefeita Marilete Vitorino seu Vice Chico Batista e vereadores vencedores do último pleito eleitoral do município de Tarauacá convidam a população tarauacaense para participar de uma grande festa amanhã dia 30 com concentração às 16:00h (04 horas da tarde), no Mercado Municipal.


Itinerário:
De lá, os festeiros se encaminharão pela Rua Dr. Sansão Gomes; Justiniano de Serpa, Av. Antônio Frota; Av. (Pista Velha) e Epaminondas Jácome com término no Aero Point onde músicos locais proporcionarão agradável lazer para a população. 

UMA DAS MAIS BELAS ESPÉCIES DE ARARAS, A CANINDÉ, VOLTA AOS CÉUS DE MANAUS


Araras-canindé voltaram a aparecer em Manaus (Foto: Anselmo D’Affonseca/Divulgação)


Silane Souza - Sem aparecer há pelo menos dez anos em Manaus, as araras-canindé (de cores azul, amarelo e preto) voltaram a ser vistas este ano na cidade. Há relatos de revoada dessa espécie em diversas áreas verdes da capital, dentre as quais a do Museu da Amazônia (Musa), no bairro Cidade de Deus, da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e do conjunto Acariquara, no Coroado, além do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), no Adrianópolis. 


O veterinário Anselmo D’Affonseca contou que viu um casal de araras-canindé com um filhote na mata do Inpa e há três semanas viu um bando com aproximadamente 42 araras-canindé passar pelos céus do Musa. De acordo com ele, que fotografou essa espécie de arara numa reserva do Inpa, na BR-174, e em Balbina, em Presidente Figueiredo, nunca tinha visto essas araras em Manaus. “Foi uma surpresa porque pela primeira vez vi araras-canindé voando na cidade”, afirmou.

Conforme o jardineiro Naldo Silva, 30, houve muita revoada de araras-canindé na floresta do conjunto Acariquara. Ele relata que elas apareciam de manhã cedo e no final da tarde. Agora, elas continuam indo ao local, mas em menor quantidade. “Antes vinham mais e tanto araras vermelhas quanto azuis. Elas faziam muito barulho quando estavam comendo frutos dos açaizeiros e das azeitoneiras. Atualmente elas continuam aparecendo, mas em bando pequeno”, disse. 

A bióloga Aline Ramos dos Santos viu araras-canindé na Área de Proteção Ambiental (APA) da Ufam. Ela disse que ficou surpresa com a quantidade de araras por perto, nessa época, tanto no conjunto Acariquara quanto na Ufam. “Elas estão muito presentes agora. Acho que nunca vi tanta arara, com tanta frequência, como nos últimos dias! Além do ‘ressurgimento’ das canindés, de uma forma geral, está tendo mais araras na área. Qual será o motivo?”, questiona a bióloga.

Araras-canindé voltaram a aparecer em Manaus (Foto: Anselmo D’Affonseca/Divulgação)

De acordo com o pesquisador do Inpa Mário Cohn-Haft, as araras-canindé começaram a aparecer, em grande quantidade, em Manaus, em outubro deste ano. Ele disse que não da para saber o que trouxe essa espécie de arara, que não aparecia na cidade há pelo menos dez anos ou mais. “Esse é um evento misterioso. Não está claro se o que estimula é a abundância de alimento onde aparecem ou a escassez em seu lugar de origem ou as duas coisas juntas”, observou.

VIOLÊNCIA: 300 MORTES ESSE ANO NO ACRE - 86% DE AUMENTO. AINDA DÁ TEMPO DE FAZER MAIS UMA AUDIÊNCIA PÚBLICA



O Acre saiu de 49 mortes por arma de fogo em 2004 para 116 em 2014, um singelo AUMENTO DE 86%.


A UPP/TK (União dos Pais Pacientes), ainda vão aceitar serem enrolados com audiências públicas atrás de audiências públicas?

Ainda faltam dois dias pra terminar o ano, aproveitem, ainda dá tempo de fazer mais uma.

#VOLTAHILDEBRANDO: COM A SEGURANÇA NO ACRE FORA DE CONTROLE, INTERNAUTAS PEDEM A VOLTA DO CORONEL


Contilnet

Plano de Governo de Tião Viana parece ter falhado miseravelmente 
/Foto: Reprodução
Literalmente no vermelho

O governo de Tião Viana fecha o ano com uma conta negativa, literalmente no vermelho. Mais de 300 mortes registradas durante o ano, a maioria delas envolvendo jovens entre 15 e 35 anos. Uma geração perdida. A pior das facções, considerada a periferia do crime organizado é genuinamente acreana, por que não dizer, produto da política governamental errada praticada nas últimas décadas e que tem como protagonistas três lideranças petistas: Jorge Viana, Binho Marques e Tião Viana.

Holofote maldito

O secretário de Segurança Pública do Estado, Emylson Farias, ainda convoca uma coletiva para dizer que a matança se deu por causa de rixas entre facções criminosas, como se o Estado não fosse responsável pela segurança de seus indivíduos, sejam eles membros ou não das famosas facções, mais uma cultura maldita herdada pelo Brasil da periferia dos Estados Unidos. Emylson adora luz, câmera e ação, mesmo quando isso é desfavorável ao próprio currículo.

História

Sim, porque Emylson Farias entrará para a história como o secretário de Segurança mais incompetente que o Acre já teve. Após a coletiva concedida na terça-feira (27) circulava nas redes sociais o pedido de “volta Romildo”, ou “volta Hildebrando”.

Os números

O mapa da violência divulgado com correções no dia 28 de outubro em todo o país já mostrava o crescimento das mortes por armas de fogo. Ficou evidente, nesse estudo, o progressivo, sistemático e ininterrupto incremento das taxas de homicídio por arma de fogo, principalmente no Acre, onde o aumento da violência ultrapassou os dois dígitos, chegou a 136%.

Sem freio

Vejamos: o Acre saiu de 49 mortes por arma de fogo em 2004 para 116 em 2014. Deixou de ser menos violento em uma década apenas para os Estados do Amazonas e do Pará. Antes de se reeleger, o governador Tião Viana ocupou o terceiro lugar – com uma variação de 86% em dez anos – no ranking de homicídios por armas de fogo para cada 100 mil habitantes.

Hildebrando Pascoal /Foto: Reprodução
A era Hildebrando
Em 2002, quando o Acre saia do domínio do crime organizado na era Hildebrando Pascoal, o estado ocupava o 22º lugar entre a federação, com maior número de homicídios por arma de fogo. Em doze anos, o anuário mostra que os avanços no combate a violência não foram tão positivos. O Estado subiu uma única posição, ocupando, em 2014, o 21º lugar no ranking nacional de violência de homicídios por Armas de Fogo (AF).

Ganhando do Rio de Janeiro

A população acreana assistiu nesse mesmo período, Estados que na virada de século ocupavam os primeiros lugares no mapa da violência por armas de fogo, evidenciar quedas em 2014. Em alguns casos, quedas bem significativas, como Rio de Janeiro, que ocupava o primeiro lugar em 2000 e passou para o 15º; ou São Paulo, que passa do 6º para o 26º; ou Mato Grosso do Sul, da sétima posição para a 23ª.

Algo errado

Tem algo errado, mais muito errado mesmo na política pública do Acre. E olha que não estamos colocando no debate de hoje a situação do sistema carcerário, outra bomba relógio que pode a qualquer momento voltar a estourar. Somos o Estado que mais prende. Será essa a marca do PT?

PERU BARRA ODEBRECHT DE PARTICIPAR DE NOVAS LICITAÇÕES NO PAÍS



Marco Aquino - A empreiteira Odebrecht não poderá participar de futuras licitações de obras públicas no Peru, anunciou o governo peruano na quarta-feira, dias depois de a maior construtora da América Latina admitir o pagamento de subornos no país e em outras nações.


A Odebrecht reconheceu na semana passada o pagamento de subornos de 29 milhões de dólares no Peru entre 2005 e 2014, como parte de um acordo judicial nos Estados Unidos.

O primeiro-ministro peruano, Fernando Zavala, informou que o governo revisará a lei de contratações do Estado para incluir mecanismos que evitem que empresas que receberam sanções por corrupção possam participar de futuras licitações.

"No caso da Odebrecht e outras, não poderão participar de novas licitações sempre e quanto existam sanções por atos de corrupção ou, nesse caso, onde elas mesas tenham admitido esse tipo de conduta", disse Zavala a jornalistas após reunião de seu gabinete.

Em relação às obras que a Odebrecht vem executando no Peru, Zavala disse que o governo terá que diferenciar em quais houve atos de corrupção para adotar ações legais.

28 de dez de 2016

ACREDITE SE QUISER: ÓRGÃO SEXUAL MASCULINO TINHA OSSO! COMO ERA POSSÍVEL?


Não, isto não é uma brincadeira. É científico, e muito - muito - sério.

REPRODUÇÃO/DIDIER DESCOUENS/MUSÉUM DE TOULOUSE
VIX/PATRÍCIA BELONI - De acordo o rastreamento que foi realizado pela comunidade científica sobre o órgão sexual masculino que resultou em um estudo publicado no periódico científico Royal Society, o pênis dos primeiros primatas, 50 milhões de anos atrás, tinha SIM osso.

Ainda presente em alguns mamíferos, como os chimpanzés e as hienas, por exemplo, o osso do pênis é chamado de báculo, e também conhecido como pêmur.

Por que - e quando - o osso deixou de existir?

Com o tempo, o báculo foi se tornando maior em algumas espécies e menor em outras, e quando a monogamia emergiu, durante o período dos Homo Erectus, quase 2 milhões de anos atrás, seu papel passou a ser dispensável.

“Nós achamos que é quando o báculo humano teria desaparecido porque o sistema de acasalamento mudou nesse ponto”, explica Kit Opie, um dos pesquisadores do estudo, em entrevista ao site de notícias do The Guardian.

O osso, que varia de menos de um milímetro até quase um metro, foi perdendo a utilidade. “Com a diminuição da competição, você tende a precisar menos dele”, aponta Opie.

Qual era a função do osso do pênis?

REPRODUÇÃO/UNIVERSITY COLLEGE OF LONDON

A existência do tal osso está relacionada diretamente com o tempo que o órgão passa penetrando a vagina durante o sexo.

Segundo o estudo realizado pela Universidade College of London, na Inglaterra, o osso é importante para dar suporte, proteger o pênis e deixar a uretra aberta, facilitando a transferência do sêmen do macho para a fêmea.

Por que algumas espécies de mamífero ainda têm o osso?
As espécies que continuam tendo osso no pênis são mais poligâmicas. Ou seja, vários machos copulam com diversas fêmeas. Isso cria um ambiente de competição entre eles, que procuram ficar o maior tempo possível dentro de uma relação sexual (mais de três minutos).

Pode não parecer, mas “apesar do que gostaríamos de imaginar, nós, humanos, somos uma das espécies que permanecem menos de três minutos em penetração”, revela ele.

TRIBUTO AO PASSADO - PREFEITO RAIMUNDO RAMOS RETORNANDO DE VIAGEM


Prefeito Raimundo Ramos retornando de viagem no início da década de 70 em um C-115 Búfalo 2360 do 1º/9º GAv.

PREFEITOS TERMINAM O ANO COM MUITO DINHEIRO NOS COFRES PÚBLICOS E ALGUNS COM SAÚDE PARA DAR E VENDER




Jairo Carioca  - Prefeitos que passaram o ano todo reclamando da falta de recursos recebem um presente de réveillon a partir desta quarta-feira no Acre. Começa a ser depositado R$ 30,4 milhões oriundos do programa de regularização de ativos no exterior, também conhecido como repatriação de recursos. Os municípios de Rio Branco, Cruzeiro do Sul e Sena Madureira são os maiores arrecadadores do ativos. Santa Rosa do Purus, Bujari, Jordão e Manoel Urbano tiveram repasses menor do que meio milhão de reais.


Para a capital, foram repassados R$ 1.469.915, e Cruzeiro do Sul, a segunda maior cidade do estado, R$ 1.530.808. Em seguida, a cidade de Sena Madureira recebeu R$ 984.091 e Feijó, R$ 874.747.

O prefeito de Rio Branco, que presidiu a Associação dos Municípios do Acre, Marcus Alexandre, já havia alertado para que os gestores não fizessem contas antes dos recursos caírem efetivamente nos cofres públicos “e agravar ainda mais o déficit em muitas prefeituras”, disse. Mas alertava que o dinheiro chegava em um bom momento uma vez que, segundo ele, “esse ano os cortes afetaram ainda mais a situação dos municípios”, acrescentou.

A expectativa em torno das equipes econômicas para os repasses é grande e deve gerar muita correria nesse final de ano, devido, principalmente, o horário diferenciado do funcionamento dos bancos e as pendências a pagar de acordo com a realidade de cada cidade.

A Associação dos Municípios do Acre ainda não sabe a totalidade de prefeituras que cumpriu com o pagamento dos salários de dezembro e décimo terceiro e nem arrisca afirmar com qual finalidade – a não ser quitar compromissos da Lei de Responsabilidade Fiscal – os gestores irão utilizar os recursos repatriados.

Série Especial de Reportagem – Com relação a saúde para dar e vender, como diz a conhecida música composta por Francisco Alves e David Nasser, badalada nos finais de ano, nem todos os prefeitos estão assim tão dispostos.

A série de reportagem especial que o ac24horas começa a divulgar a partir da primeira semana de janeiro, vai mostrar que alguns prefeitos afastados de seus cargos, depressivos e nervosos, estão se escondendo de oficiais de justiça e literalmente sumiram de suas cidades. Outros, voltaram para roça, estão plantando bananas.

O que é a repatriação de recursos?

A lei  nº 13.254, sancionada em 13 de janeiro de 2016, pela ex-presidenta Dilma Rousseff, institui o Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (RERCT) e pretende incentivar o envio dos valores, obtidos de forma lícita, de volta ao país. Ela se aplica aos residentes ou domiciliados no país em 31 de dezembro de 2014 que tenham sido ou ainda sejam proprietários ou titulares de ativos, bens ou direitos em períodos anteriores a 31 de dezembro de 2014.

PANAMÁ VAI CANCELAR CONTRATO DE HIDRELÉTRICA COM ODEBRECHT


Ministro Alvaro Alemán, porta-voz da Presidência do Panamá, 
durante entrevista coletiva na capital panamenha.
Eduardo Grimaldo

Elida Moreno - O governo do Panamá anunciou na terça-feira que irá cancelar um

contrato de 1 bilhão de dólares com a Odebrecht para o desenvolvimento da hidrelétrica Chan II, depois de a empreiteira ter se declarado culpada na semana passada de pagamento de suborno em vários países, entre eles o Panamá.

O ministro Alvaro Alemán, porta-voz da Presidência do Panamá, disse que o governo buscará "adotar as ações necessárias" para encerrar o contrato de Chan II, na costa do Atlântico, que foi entregue à Odebrecht em 2014 para a construção e operação por 50 anos da hidrelétrica, sem custo para o Estado.

Alemán afirmou ainda que o Panamá proibirá a Odebrecht de obter novos contratos ou que sejam ratificados os que a empreiteira detém até que demonstre uma colaboração "efetiva e eficaz" nas investigações sobre os subornos, superiores a 59 milhões de dólares no Panamá e entregues entre 2010 e 2014 a funcionários governamentais e intermediários para assegurar, entre outros, contratos de obras públicas.

Um porta-voz da Odebrecht no Panamá não pôde comentar de imediato o anúncio do governo panamenho.

27 de dez de 2016

OPERAÇÃO DA PF MIRA GRÁFICAS DA CHAPA DILMA-TEMER


Objetivo da operação que está sendo realizada nesta terça-feira é inspecionar empresas para verificar se teriam capacidade de prestar serviços de campanha

Defesa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) diz não haver irregularidades na contratação das empresas


A Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira uma operação para verificar a capacidade de empresas subcontratas por gráficas que receberam valores da chapa Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB). A ação foi autorizada pelo ministro Herman Benjamin, relator do processo no Tribunal Superior Eleitoral que pode levar à cassação da chapa vitoriosa de Dilma e Temer. Estão na mira empresas que foram subcontratadas pelas gráficas Red Seg Gráfica, Focal e Gráfica VTPB. Não há mandados de prisão.


Na última semana, a força-tarefa da Polícia Federal, Receita e Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), criada por determinação do TSE para analisar as contas da campanha da chapa Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB), encaminhou um laudo ao ministro Herman Benjamin. Nas oitenta páginas do documento, os peritos apontam indícios de “desvio de finalidade” dos recursos da chapa. O próprio Ministério Público Eleitoral também analisou o relatório e apontou a existência de indícios de “fortes traços de fraude e desvio de recursos” da campanha. Diante do documento, o ministro Herman Benjamin deu, no dia 16, o prazo de cinco dias para as partes envolvidas na ação de manifestarem.

Uma das gráficas que prestaram serviços à chapa, a Focal, recebeu cerca de 24 milhões de reais e já foi alvo da Lava Jato. Segunda maior fornecedora da campanha petista em 2014, a empresa pertence a Carlos Roberto Cortegoso. O empresário é investigado pela Polícia Federal e Ministério Público Federal na Custo Brasil e é réu por suposta ocultação de propinas.

Segundo um laudo pericial contábil do TSE, a empresa teria recebido 3,2 milhões de reais de forma irregular da campanha presidencial de 2014 e pode ter sido usada para desvios de recursos eleitorais.

(Com Estadão Conteúdo)

SAÚDE E EDUCAÇÃO SÃO OS MAIORES ALVOS DE CORRUPÇÃO NOS MUNICÍPIOS AO REDOR DO BRASIL


Rombo causado pela corrupção em verbas federais repassadas a municípios chega a aproxidamente R$ 4 bilhões


Régis Paiva - As áreas de Saúde e Educação foram o principal alvo dos esquemas de corrupção e fraude desvendados em operações policiais e de fiscalização do uso de verba federal pelos municípios nos últimos 13 anos. Descobertos pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e a Controladoria-Geral da União (CGU), em parceria com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, os desvios nestas duas áreas somam aproximadamente 70% dos alvos de gestores corruptos.


Desde 2003, foram deflagradas 247 operações para investigar desvios de verbas federais repassadas aos municípios. Além de Saúde e Educação, também há desvios recorrentes em áreas como Transporte, Turismo e Infraestrutura.

O levantamento inédito feito pelo Estado com base em dados do Governo Federal desde 2003, mostra que houve fraude no uso de verbas federais em pelo menos 729 municípios — o que corresponde a 13% do total de cidades do País. Do Oiapoque ao Chuí, o prejuízo causado pela corrupção no período foi estimado em R$ 4 bilhões pela CGU.

O levantamento mostra que, no geral, o principal programa afetado na área da Saúde foi saneamento básico. No setor de ensino, quem mais perdeu, segundo a CGU, foi o Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação) — formado por recursos provenientes dos impostos e transferências dos estados e municípios e que deveria ajudar a melhorar a qualidade da educação básica nos municípios.

Má qualidade e corrupção

Um artigo publicado em 2012 pelos pesquisadores Claudio Ferraz, da PUC-Rio, Frederico Finan, da Universidade da Califórnia, e Diana Moreira, de Harvard, revelou que alunos de municípios onde a CGU descobriu fraudes no uso de dinheiro da educação tinham aprendizado pior e taxas maiores de repetição de ano e evasão escolar.

Segundo eles, como a qualidade da educação afeta o desenvolvimento econômico no longo prazo, o estudo sugere um canal direto pelo qual a corrupção diminui o crescimento do país.


O resultado ainda é mais relevante quando se leva em conta que a qualidade da educação pública no Brasil permanece estagnada em áreas importantes, especialmente no ensino médio. O Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) para essa etapa do ensino se manteve constante entre 2011 e 2015 em 3,7, abaixo da meta do governo de 4,3. Segundo especialistas, um dos grandes problemas é a má qualidade da formação dos alunos no ensino fundamental, de responsabilidade dos municípios.

26 de dez de 2016

NUNCA NA HISTÓRIA DE TARAUACÁ HOUVE UM NATAL TÃO TRANQUILO. PELO MENOS É O QUE EU VI E OUVI PELA PARTE DE QUEM COMPRA

Imagens Contilnet

Coitado dos Comandantes da PM que passam por aqui, se não trabalham são criticados, se trabalham, são criticados também. Difícil viver entre a cruz e a espada.

O novo Cmte. Tenente-coronel Emílio Virgílio inovou com simples ações e alcançou seu objetivo. Alguns munícipes com quem conversei se sentiram mais seguros e aprovaram as últimas ações do novo Cmte.

Fato é que não houve uma ocorrência de assalto; saidinha de banco, roubo de celular etc. como vinha ocorrendo em outros anos.

O tarauacaense reclama à toa. Quando viaja, anda quilômetros pra fazer compra, mas só porque é em Tarauacá ele não pode andar 100 metros.

Leia também:

Quanto aos comerciantes que reclamaram que o fechamento das ruas “atrapalhou” as vendas, é preciso lembrar que quem atrapalhou as vendas foi a senhora Dilma Rousseff que afundou a economia desse país e não o Cmte. da PM.

As viaturas da PM não pararam 1 minuto se quer. Fazendo ronda e ainda atendendo ocorrências quando eram solicitadas.

O novo Cmte da PM está de parabéns. 

Continue fazendo esse ótimo trabalho, e esqueça as línguas.

Produtos utilizados para o tráfico de drogas, armas e celulares e dinheiro recuperados

Enquanto alguns ficam fazendo Audiências públicas atrás de audiências públicas que não resolvem nada, ele age. 

MERCADO VÊ INFLAÇÃO E PIB MENORES EM 2017; TOP 5 ESPERA MAIS CORTE NA SELIC, DIZ FOCUS



Patrícia Duarte - O Brasil terá menos inflação e atividade econômica piores neste e no próximo ano, segundo pesquisa Focus do Banco Central publicado nesta segunda-feira, com o grupo que mais acerta as projeções vendo que a taxa básica de juros do país recuará ainda mais.

O levantamento, que ouve uma centena de economistas de instituições financeiras toda a semana, mostrou que, pela mediana das estimativas, o IPCA fechará este ano com alta de 6,40 por cento --dentro da meta oficial, de 4,5 por cento com margem de tolerância de 2 pontos percentuais--, abaixo dos 6,49 por cento esperados até então.

Para 2017, as contas passaram a 4,85 por cento, sobre 4,90 por cento da semana anterior, aproximando-se ainda mais do centro do objetivo, de 4,5 por cento, mas com banda de 1,5 ponto.

O cenário de inflação menor vem em meio ao de forte recessão do país, que levou a novas pioras nas expectativas para o Produto Interno Bruto (PIB) no Focus. Para 2016, espera-se queda de 3,49 por cento, sobre 3,48 por cento, enquanto que para 2017, a alta recuou a 0,50 por cento, sobre 0,58 por cento.

O IPCA-15, prévia da inflação oficial e divulgado na semana passada, subiu menos do que o esperado em dezembro e fechou o ano muito próximo da meta do governo, o que levou a alguns especialistas a não descartarem que o BC pode acelerar ainda mais o passo e reduzir a Selic em 0,75 ponto em janeiro. Por enquanto, as apostas majoritárias são de corte de 0,5 ponto, já maior do que as duas reduções de 0,25 ponto feitas até agora.

Na semana passada, o BC passou a ver inflação dentro da meta neste ano, ao mesmo tempo em que piorou sua projeção de crescimento econômico tanto em 2016 quanto em 2017, reiterando que o ritmo de desinflação nas suas projeções pode se intensificar diante da retomada mais lenta na atividade, mantendo aberto o espaço para corte maior nos juros.

A Selic está em 13,25 por cento ao ano. No Focus, pela mediana das projeções, a taxa básica de juros fechará 2017 a 10,50 por cento. Mas, pelo Top 5 --instituições que mais acertam as estimativas--, o BC será mais agressivo e levará a Selic a 10 por cento no período.

24 de dez de 2016

PARA QUEM DIZ QUE PAPAI NOEL NÃO EXISTE, TAÍ A PROVA CRIANÇADA!


PREÇOS DA GASOLINA E DO DIESEL SOBEM PELA 3ª SEMANA CONSECUTIVA, APONTA ANP


Foto: Paulo Whitaker

Marta Nogueira - Os preços da gasolina e do diesel vendidos nos postos do Brasil subiram pela terceira semana consecutiva, após a Petrobras elevar no início do mês os preços nas refinarias, apontou nesta sexta-feira pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).


Entre 18 e 24 de dezembro, a gasolina na bomba subiu 0,45 por cento, para 3,759 reais/litros em média, após ter avançado 1,38 por cento na semana anterior.

Já o preço médio do diesel avançou 0,43 por cento, para 3,038 reais/litros após avanço de 1,41 por cento na semana anterior.

A Petrobras elevou, no dia 6 de dezembro, os preços do diesel nas refinarias em 9,5 por cento e da gasolina em 8,1 por cento, em média.

Desde que a nova política de preços da petroleira passou a vigorar, em outubro, a Petrobras elevou os valores uma vez e reduziu em duas oportunidades. Mas as reduções não chegaram às bombas, com os agentes do mercado melhorando margens.

Os preços dos combustíveis fósseis nas refinarias estão sujeitos a alterações mais frequentes com a nova política de preços da estatal.

22 de dez de 2016

FOTÓGRAFO FAZ REGISTRO RARO DE TRIBO ISOLADA EM FLORESTA NO ACRE; VEJA IMAGENS


O céu escureceu e uma forte chuva obrigou o helicóptero que sobrevoava uma floresta no Acre a pousar
BBC
  Indígenas pareciam assustados com aproximação do helicóptero /Foto: Ricardo Stuckert


A chuva frustrou a viagem, mas proporcionou um registro raro e histórico de uma tribo indígena isolada, próximo à fronteira com o Peru. “É como achar uma agulha no palheiro. Pura sorte”, definiu o fotógrafo Ricardo Stuckert.


A BBC Brasil teve acesso a parte dos registros feitos por Stuckert no último domingo. Ele viajava para a aldeia Caxinauá (também no Acre), onde faria uma sessão de fotos para o livro Índios Brasileiros. A obra vai documentar a rotina de 12 tribos brasileiras e será lançada no dia 19 de abril de 2017 – Dia do Índio.

Mas ele estava acompanhado do experiente sertanista José Carlos Meirelles, que trabalhou para a Fundação Nacional do Índio (Funai) durante 40 anos, e a dupla resolveu investigar uma área da mata com mais calma.

“Depois da chuva, a gente voltou e viu umas malocas feitas de palha. A gente estava voando muito rápido, mas vimos plantações e decidimos voltar. Encontramos a tribo e eu comecei a fotografar”, relata o fotógrafo.

Guerreiros da tribo prontos para defender a aldeia /Foto: Ricardo Stuckert

Ao identificar uma possível ameaça, os índios reagiram. Os olhares de surpresa e raiva contra o helicóptero foram registrados pelas poderosas lentes de longo alcance de Stuckert. A tribo atirou dezenas de flechas na tentativa de afastar a aeronave, que sobrevoou a região durante sete minutos.

O próprio Meirelles avalia o voo como algo invasivo à comunidade isolada. “É um registro importante, mas é uma certa agressão. Por isso, a gente toma o cuidado de não voar baixo para não assustar tanto. Por outro lado, o mundo precisa saber que eles existem e que precisamos de políticas para conservá-los”, disse Meirelles, que demarcou áreas de tribos isoladas durante os 20 anos que trabalhou na região.

Indígenas escondidos entre árvores com medo do helicóptero /Foto: Ricardo Stuckert

Ele estima que a tribo, identificada apenas como “Índios do Maitá”, por estar próxima ao rio de mesmo nome, é composta por cerca de 300 pessoas. O número, segundo ele, é bem grande para uma aldeia isolada.

Algodão

Segundo o sertanista, não há nenhum relato ou documento de aproximação dessa tribo com povos civilizados e até mesmo outros grupos.

Após o sobrevoo e uma primeira análise das fotos de Stuckert, José Carlos Meirelles identificou detalhes que revelam alguns costumes dos índios isolados.

Comunidade indígena totalmente isolada no meio
da Floresta Amazônica/Foto: Ricardo Stuckert

“As mulheres usam uma saiota e eles têm plantações de algodão. São sinais de um povo que tece e fia. Parte deles também possui um cabelo incomum: careca até a metade da cabeça e comprido da metade para trás”, relatou.


O sertanista afirmou que os índios são mais altos que a média e os homens amarram o pênis a uma espécie de cinta. O especialista também identificou que a tribo planta milho, banana, mandioca e batata.

O grupo fotografado vive numa área de 630 mil hectares onde estão três reservas indígenas: Kampa Isolados do Envira, Alto Tarauacá e Riozinho do Alto Envira. O sertanista disse que, apesar do completo isolamento, a localização aproximada da tribo já era conhecida.

Nas fotos, não foram identificados objetos ou características que possam ter sido influenciadas ou levadas a eles por outros povos.

Um dos fatores apontados pelos especialistas para a sobrevivência da tribo é o fato dela estar localizada numa região de difícil acesso de madeireiros, garimpeiros e seringueiros.

Emocionante

Stuckert, que trabalhou como fotógrafo da Presidência da República durante oito anos e tem 28 anos de experiência na profissão, disse que o registro dos índios está entre “os mais emocionantes” de sua carreira.

“Eu gostaria de voltar lá, mas acho que a gente não pode ter contato. Precisamos preservar isso e quero que as minhas fotos mostrem que a gente tem que mapear tudo o que está perto e protegê-los para que não tenham problemas externos”, afirmou.

O fotógrafo disse ter ficado “maravilhado” por registrar pela primeira vez na sua carreira uma população que nunca teve contato com uma população isolada.

Visão panorâmica da localização da aldeia /Foto: Ricardo Stuckert

O sertanista José Carlos Meirelles também demonstra felicidade por ter visto os índios isolados, mas se disse preocupado com o possível avanço do desmatamento e de seringueiros.

“Fiquei muito feliz em saber que estão bem. Foi muito bom ver que eles têm um roçado e estão no seu espaço. O problema é que ninguém sabe até quando.”

PARA ECONOMISTAS, MEDIDAS DE MADURO NÃO FAZEM SENTIDO


A única explicação é política: Maduro quer culpar outros pelos próprios erros

Retrato da crise venezuelana: Pessoas atravessam a ponte internacional Francisco de Paula Santander, que liga Urena, na Venezuela, e Cúcuta, na Colômbia (George Castellanos)

Luiza Queiroz  - A escassez de dinheiro em circulação na Venezuela provocou dias conturbados no país. Isso porque o presidente Nicolás Maduro anunciou a retirada de circulação da nota de 100 bolívares, a mais alta do dinheiro em espécie. Menos de uma semana depois, porém, Maduro não só anunciou o adiamento da medida – já que as novas notas que substituiriam a cédula de 100 não haviam chegado ao país – como decidiu fechar as fronteiras com a Colômbia e com o Brasil.

O anúncio resultou em protestos violentos e em saques a bancos e a armazéns, já que os comércios pararam de aceitar as notas de 100 – que representam metade do dinheiro em espécie que circula na Venezuela.

O governo diz que, assim, vai combater as máfias colombianas que operam na fronteira, onde os venezuelanos vendem bolívares – uma moeda desvalorizada. O fechamento das fronteiras também seria um meio de combater essas máfias, que, segundo o presidente, “desestabilizam a economia nacional”.

A justificativa, porém, não faz sentido do ponto de vista econômico. “Nós economistas não encontramos lógica nessa medida de fechar as fronteiras. Os problemas econômicos na Venezuela vão continuar porque a origem deles está no governo”, diz o economista venezuelano Luis Oliveros.

A principal hipótese que foi levantada é a de que a abolição das notas de 100, inserindo seis novos valores de cédulas (as de 500, 1.000, 2.000, 5.000, 10.000 e 20.000), seria uma tentativa de frear a desvalorização da moeda nacional da Venezuela frente ao dólar, cujo câmbio já chega a 4.500 bolívares por dólar no mercado paralelo. Mas isso não funcionará no longo prazo.

“Não se abaixa o valor do dólar paralelo sem abaixar a inflação, sem reduzir a escassez, sem aumentar a confiança”, diz o venezuelano Ronald Balza, professor de economia na Universidade Católica Andrés Bello.

Com a moeda tão desvalorizada, a medida parece ter mais significado político do que econômico, oferecendo ao governo a possibilidade de culpar as máfias fronteiriças pela situação econômica do país, que vive uma hiperinflação. “A moeda venezuelana perdeu tanto valor que para comprar os bens necessários para uma semana é necessário ir com um carrinho de mão de dinheiro. Isso obriga uma reestruturação da moeda, ainda que realmente o imprescindível seja modificar todo o sistema econômico”, diz o economista monetário espanhol Juan Manuel López.

Não é a primeira vez que o presidente acusa terceiros de sabotar a economia venezuelana. Ele não se cansa de culpar os Estados Unidos, a burguesia nacional, o capitalismo, o empresariado, a Colômbia e os capitalistas pelos próprios erros.

Quando uma parte das novas cédulas, produzidas na Suécia, não chegou ao país, Maduro falou em complô internacional. “As medidas dele não têm sentido econômico, apenas político. São apenas criações dele para buscar responsáveis pela situação”, diz Oliveros.