23 de nov de 2017

ARA San Juan: houve uma explosão no submarino


 ARA San Juan

O porta-voz da Armada Argentina Enrico Balbi comunicou há pouco em coletiva de imprensa que a Áustria informou que também captou uma anomalia pelos sensores sísmicos e hidroacústicos de monitoramento para controle de testes nucleares.

Essa anomalia corresponde a uma explosão não nuclear, coincidindo com a anomalia detectada e informada pelos EUA, ocorrida no dia 15 de novembro. A informação foi confirmada também por agências de outros países.

Balbi disse que os austríacos “registraram um evento anômalo, singular, curto, violento e não nuclear consistente com uma explosão” em suas estações sísmicas. Ele disse também que ainda se desconhecem as causas.

“Seguimos buscando. Vamos continuar com o esforço de busca ao submarino San Juan”, disse Balbi.

“Foi uma explosão, eles estão todos mortos. Eles mataram meu irmão”, gritou um dos parentes quando soube da notícia da última coletiva de imprensa sobre a busca ao submarino.

Com a coincidência das informações dos EUA e da Áustria, uma explosão a bordo seria o evento mais provável, mas só poderá ser confirmada de fato quando o submarino for descoberto.

Residências do Acre terão aumento no valor da energia em 2,65% com autorização da Aneel


Reajuste da tarifa passa a valer no dia 30 deste mês; em 2016, reajuste para consumidores residenciais chegou a 8,46%



Astorige Carneiro - Após sessão realizada na última terça-feira (21), conselheiros da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovaram um novo reajuste na tarifa da Eletrobras Acre. O valor aumentará em 2,65% para os consumidores residenciais. A decisão sairá no Diário Oficial da União em breve e estará validada a partir do dia 30 deste mês.

O cálculo leva em consideração os custos associados à prestação do serviço, o valor pago pela aquisição e a transmissão de energia elétrica, os encargos pagos pelo setor e a atualização do Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), que possui uma prévia da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para novembro de 0,37%.

Segundo a votação, os consumidores de alta tensão tiveram um aumento de 3,6%. Os novos valores não levam em conta ainda a bandeira tarifária, que fará o valor pago pelo consumidor aumentar ainda mais.

No ano passado, o reajuste para consumidores residenciais chegou a 8,46%, sendo que as indústrias tiveram uma elevação 7,34%. Em anos anteriores, toda a tramitação do processo poderia ser verificada por meio do site da Aneel, mas desde 2016, mesmo com cadastro, os relatórios e as decisões são conhecidas apenas após a divulgação no site da Agência.

A Eletrobras Acre, que corre o risco de ser privatizada, possui atualmente 257.725 medidores (unidades consumidoras) espalhados pelo Estado.

Bandeira vermelha

Apesar de o aumento começar a valer a para o próximo mês, os consumidores já começam a sentir o peso no bolos na conta referente ao mês de novembro, já que neste mês está em vigor a bandeira vermelha patamar 2, com custo de R$ 5,00 a cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos. O aumento se deu neste mês, anteriormente a bandeira vermelha patamar 2 cobrava R43,50 a cada 100 kwh.

Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o bom uso da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração.

As bandeiras tarifárias variam exatamente para dar esse sinal aos consumidores. O patamar 2 indica a necessidade de operar usinas térmicas mais caras para compensar a geração hidráulica inibida pela falta de chuvas.

Governo atrasa repasses e cooperados da Coopserg estão há dois meses sem receber salários, denuncia Nelson Sales



Ray Melo - O governo do Acre atrasou os repasses a Coopserg e mais de 400 trabalhadores estão com dois meses de salários atrasados. A denúncia é do deputado Nelson Sales (PP) que usou a tribuna da Aleac na manhã desta quarta-feira (22) para relatar um apelo que um dos dirigentes da cooperativa fez no seu gabinete.

“São mais de 400 trabalhadores que estão sem ter sequer dinheiro para passagem de ônibus e alimentação. Pelo menos foi o que um dos dirigentes me repassou durante uma reunião no meu gabinete na manhã de hoje. A situação acontece porque o governo do Acre não vem realizado os repasses”, diz Sales.

Segundo o deputado, os dirigentes da Coopeserg não estão recebendo nenhum a reposta do motivo do atraso dos repasses. “O governo não passa nenhuma posição de quando sai o repasse. Os cooperados estão sem dinheiro e sem ter o que comer nas suas casas. O governo deve uma satisfação”, finaliza Nelson Sales.

Vídeo: Caça Saab Gripen e Força G



Acompanhe agora uma viagem do interior de um caça Gripen em um teste com o piloto André e observe como a força G age durante manobras extremas.

Voar caças de última geração como o Saab Gripen não é para qualquer pessoa. É preciso possuir o preparo e as condições físicas para voar com segurança e suportar as elevadas cargas G que esses aviões produzem, quando realizam manobras de combate aéreo.

Por isso a Força Aérea Sueca possui um simulador de voo combinado com um centrifugador que serve como treinador para pilotos de Gripen e como laboratório médico, para pesquisas sobre os efeitos das elevadas cargas G nos pilotos.

Pilotos brasileiros que voaram o caça Gripen na Suécia já experimentaram o simulador, que pode ser visto aqui.

22 de nov de 2017

Caminhada 'Passos que Salvam' Todos juntos em direção à cura do câncer infanto juvenil


Prefeita Marilete Participa de encontro com senadores e deputados federais do Acre


Assecom - Líder da bancada do Acre no Senado Federal, o senador Sérgio Petecão (PSD-AC) recebeu no gabinete da liderança de seu partido a Presidente da Associação de Municípios do Acre (Amac), Marilete Vitorino, e demais lideranças municipalistas e prefeitos do Estado. A reunião, que ocorreu na manhã desta terça-feira, 21 de novembro, durante a Mobilização Municipalista em Brasília, congregou expressivamente a bancada parlamentar do Estado.

ARA San Juan: novo avistamento de pirotécnicos leva a busca intensiva




Segundo nossas fontes argentinas ligadas à operação de busca e salvamento do submarino ARA San Juan, houve um avistamento de pirotécnicos ontem à noite que teria ocorrido próximo ao local onde foi avistada e recolhida uma balsa no dia anterior.

O avistamento de três pirotécnicos foi confirmado há pouco pelo porta-voz da Armada, Enrico Balbi, embora este tenha dito que não há relação do avistamento com a presença do submarino, que segue desaparecido. Balbi também disse que não há confirmação de detecção de anomalia magnética nem de ruídos do submarino.

O avistamento dos pirotécnicos foi confundido pela imprensa argentina com uma notícia infundada sobre a detecção térmica de um objeto a 70 metros de profundidade. A informação falsa se espalhou pelo mundo.

Navios que compõem a força-tarefa de busca estão investigando intensamente a área, nas proximidades do local de avistamento dos pirotécnicos.

O navio Skandi Patagonia que leva material de alta tecnologia do Esquadrão de Resgate Submarino da Marinha dos EUA segue também para o local. O navio Sophie Siem está recebendo mais um mini-submarino de resgate em Comodoro Rivadavia e também seguirá para a área de buscas.

Foi declarado ontem alerta sanitário no hospital em Comodoro Rivadavia para o possível recebimento de tripulantes resgatados do ARA San Juan.

Sinhasique declara que Governo usa discurso ambiental para conquistar recursos, mas não faz melhorias nessa área



Ravenna Nogueira - A deputada estadual Eliane Sinhasique (PMDB) criticou, na manhã desta terça-feira (21), na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), a falta de investimentos nas populações das Florestas. Segundo ela, o Governo usa o discurso ambiental para conquistar recursos, mas não investe nas populações residentes nos projetos de manejo.

“Precisamos fazer algo urgente, porque essa história de o Governo receber os créditos de carbono, receber o dinheiro dos organismos internacionais, do Governo Federal, para essas causas ambientais sem trazer esses recursos para as comunidades que vivem e que preservam as florestas não está certo”.

Em 2016, a deputada preparou um minucioso relatório do manejo florestal nas Reservas Chico Mendes e Antimary e descobriu que a maioria dos benefícios que deveriam ter sido feitos nas comunidades não foi executado.

“O Governo tão somente age como polícia, opressor, penalizador, para quem tira uma árvore para construir a sua casa. Identificamos falhas dentro das reservas Chico Mendes e Antimary. Fizemos uma denúncia ao Ministério Público Federal, porque em nome dessas comunidades isoladas que vivem dentro das florestas, o Governo do Estado faz acordos internacionais e nenhuma melhoria é feita para essas comunidades”.

As famílias, residentes nas áreas de conservação, que deveriam ter sido beneficiadas com educação, saúde, abertura e melhoramento de ramais, serviço de telefonia, são em sua grande maioria analfabetas, não tem acesso aos serviços de saúde e de energia elétrica.

“O dinheiro que o Governo arrecada não chega em benefício para essa população. Não chega no Antimary, não chega no Cazumbá, não chega na Resex Chico Mendes. Quem preserva precisa ter uma parte nesses recursos”.

O manejo florestal beneficia madeireiros e Governo, em detrimento dos povos da floresta e da própria floresta. “Os marceneiros dos polos moveleiros de Acrelândia, Epitaciolândia, estão serrando MDF, porque a madeira legalizada dos projetos de manejo vão embora do Acre. Elas geram emprego e renda em outros lugares”.

Procon prevê aumento de queixas na Black Friday

                                               Estadão Conteúdo

A Black Friday deste ano, marcada para a próxima sexta-feira, 24, deve registrar um aumento do número de queixas e consultas dos consumidores, segundo a Fundação Procon de São Paulo. O motivo é o maior número de empresas participantes e dos mais variados setores: da loja tradicional a prestadores de serviços, como bancos, imobiliárias, por exemplo. Essa também será a primeira Black Friday após a recessão, o que, em tese, amplia o apetite do consumidor pelas compras.

“Em 2013, a Black Friday era praticamente o comércio eletrônico”, lembra o supervisor de Fiscalização do Procon-SP, Bruno Stroebel. Em 2013 foram realizados 641 atendimentos pelo órgão. Em 2016, subiu para 2.040 registros. No ano passado, as principais queixas dos consumidores estavam concentradas em pedido cancelado sem justificativa, seguido por produto ou serviço anunciado indisponível. A maquiagem de preço ou falso desconto, que liderou o ranking das queixas no ano retrasado, caiu para quarta posição no evento de 2016, com 8,7% das queixas.

Esperamos que maquiagem de preço tenha uma participação ínfima neste ano”, diz Stroebel. Segundo ele, as lojas e os prestadores de serviços sabem que essa prática é muito mal vista. “E todo mundo está de olho: o Procon está monitorando os principais sites nos últimos 60 dias.” Além disso, ele observa que, a disseminação muito rápida de informação pelas redes sociais dificulta o falso desconto.

Recomendações. A principal recomendação do supervisor de Fiscalização do Procon-SP ao consumidor para que ele não seja enganado com promoções falsas é pesquisar com antecedência o preço do produto ou serviço desejado.

“Pesquisa é essencial”, diz Stroebel. Na sua avaliação, as lojas querem que a compra ocorra por impulso. “Se o consumidor sabe qual o preço do produto que pretende adquirir, ele faz um melhor negócio”, diz. Outro ponto importante é documentar a pesquisa, imprimindo a página do site onde consta o preço do produto. Com isso, há provas para questionar a veracidade da oferta.

O supervisor de fiscalização do Procon-SP lembra também que é importante observa o custo do frete. Em eventos passados, houve problemas de mercadorias cujo preço pelo serviço da entrega era desproporcional em relação ao valor do produto. Pesquisar a reputação das lojas também é recomendável. No site do Procon-SP, existe uma lista com 519 sites não recomendados. Parte deles ainda está no ar, alerta Stroebel.

Um aspecto que pode gerar queixas neste ano é o grande número de lojas hospedadas dentro de outras lojas (market place). Nestes casos, se houver algum problema, a responsabilidade é dividida entre a loja que vende o produto e a dona do market place. “No market place a responsabilidade da venda é solidária”, diz o supervisor.

Guerra. A partir desta quinta-feira, 23, às 19h, o Procon-SP, montará uma operação de guerra. Seus técnicos estarão de plantão na Região Metropolitana de São Paulo e em oito cidades do Estado para atender ao consumidor pelo site, telefone e redes sociais. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

21 de nov de 2017

Missa de Sétimo dia pelo falecimento de Júlia Wanderley é amanhã 22/11

ARA San Juan: balsas podem ter sido trocadas durante modernização de meia-vida


Imagem ilustrativa: uma balsa de salvamento ligada a um EPIRB – Emergency Position Indicator Radio Beacon


Uma fonte ligada à operação de busca e salvamento ao submarino argentino ARA San Juan, disse com exclusividade ao Poder Naval que as balsas avistadas por aeronave P-8A Poseidon e por navios da Armada Argentina podem pertencer ao submarino argentino desaparecido.

No momento está ocorrendo uma discussão interna na Armada Argentina para saber se, durante a modernização de meia-vida do submarino ARA San Juan, as balsas reinstaladas foram tiradas de outro tipo de submarino, como o Type 209, por medida de economia.

As balsas encontradas são de capacidade menor do que o tipo de balsa que o TR-1700, classe do ARA San Juan, deveria ter. Se o submarino estava com uma tripulação de 44 pessoas, deveria ter duas balsas de 22 pessoas, mas as balsas encontradas são de capacidade menor. Mas o tipo de balsa é o mesmo usado em submarinos, da marca RFD Survitec.

O avistamento de pirotécnicos brancos ao invés de vermelhos (encarnados) também poderia ser pelo mesmo motivo, ou seja, os sobreviventes poderiam estar usando o equipamento que foi disponibilizado durante a modernização.

É preciso saber agora qual será a resposta da Armada Argentina sobre essa importante questão.

Armada confirma avistamento de balsa, mas diz que não é do ARA San Juan




Foi confirmado pela Armada Argentina o avistamento de balsa salva-vidas, que foi verificada pelo destróier ARA Sarandí e pela corveta ARA Rosales. A balsa estava vazia e não corresponderia ao submarino ARA San Juan.


Uma aeronave P-8A Poseidon, que também avistou a balsa, também viu à distância sinais luminosos brancos que não puderam ser vistos novamente e a área está sendo rastreada para identificar de onde eles vieram.

Foi dito que não há registro de outro navio em situação de emergência que possa ter lançado os sinais luminosos.

De Comodoro Rivadavia, dois navios, o Sohpie Siem e o Skandi Patagonia estão prestes a navegar com a equipe de resgate.

Levarão um dia e meio para chegarem à área de operações.

Tribunal nega embargos, e Dirceu pode voltar a ser preso



Rodrigo Félix Leal/Futura Press (FOLHAPRESS) – O Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou, nesta terça-feira (21), embargos de declaração encaminhados pelo ex-ministro José Dirceu.

Dirceu já teve a condenação na Operação Lava Jato confirmada na segunda instância e tentava reverter a sentença ainda na esfera do tribunal.

Em setembro, o TRF aumentou a pena que tinha sido determinada pelo juiz Sergio Moro e mandou o ex-ministro cumprir 30 anos e nove meses de prisão.

Ele foi solto por decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) em maio deste ano, após ter sido detido em 2015.

Com a recusa dos embargos, o ex-ministro pode ter que voltar à cadeia. Conforme entendimento do Supremo, o cumprimento da pena do réu pode ocorrer após a decisão de segunda instância. Ele aguardava a apreciação dos recursos em liberdade, em Brasília.

Na corte regional, a defesa de Dirceu questionava suposta violação à ampla defesa, a utilização de depoimentos de delatores e a dosimetria da pena.

OUTROS RÉUS
Também foram condenados na mesma ação o lobista Fernando Moura, o ex-sócio de Dirceu Júlio César Santos, o irmão de Dirceu, Luiz Eduardo, o ex-assessor do ex-ministro Roberto Marques, o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, o ex-sócio da empreiteira Engevix Gerson Almada.

No caso de Duque, os juízes consideraram que houve erro e reduziram o valor da multa aplicada anteriormente.

Gladson Cameli pede ajuda do Ministério da Saúde para falta de medicamentos no Hospital do Câncer em Rio Branco


Mariano Maciel  - Embora a falta de medicamentos para pacientes do Hospital do Câncer em Rio Branco, seja, segundo assessoria da Secretaria de Saúde do Estado, por falta de fornecedores interessados em participar das licitações, o senador Gladson Cameli (Progressistas) pediu hoje (16), atenção do Ministério da Saúde para o problema que atinge centenas de acreanos que precisam do tratamento.

Em Ottwa, no Canadá, onde representa o Senado no Parlamento Jovem Mundial, Cameli falou por telefone como o ministro Ricardo Barros. “Este foi um dos assuntos debatidos com a bancada de vereadores em Rio Branco e que eu me comprometi de tentar resolver junto ao Ministério da Saúde. Falei por telefone com o ministro Ricardo Barros e ele me afirmou que vai verificar o problema e buscar uma solução” disse o senador.

A unidade de saúde está sem medicamentos para os pacientes que fazem tratamento contra o câncer. Além da falta de quimioterápicos, o aparelho de radioterapia do local não está funcionando.

“O que não pode acontecer é a interrupção do tratamento por falta de medicamentos essenciais que deveriam ser comprados com recursos previstos no orçamento. O meu apelo junto ao ministro, que neste caso, não pode ser responsabilizado, é no sentido de buscar uma solução junto como Estado” comentou o senador.

Para Cameli a ingerência está clara ou na falta do medicamento ou na máquina de radioterapia ou quimioterapia que quebram. “Hoje mesmo recebi informações da deputada estadual Eliane Sinhasique que falta o medicamento 5-FU, usado para fazer quimioterapia e que o aparelho de radioterapia do hospital do câncer também está quebrado” concluiu o parlamentar.

Jungmann defende uma agenda de Estado com norte-americanos



Adriana Fortes - Washington (Estados Unidos), 17/11/2017 – O ministro Raul Jungmann continuou a cumprir agenda oficial nesta quinta (16) e sexta-feira (17) em Washington D.C, nos Estados Unidos. Em dois dias, o ministro realizou duas palestras sobre o cenário político brasileiro. O encontro de quinta foi no Wilson Center, o de hoje foi organizado pelo Fórum de Líderes Globais do CSIS.

Jungmann compartilhou sua visão estratégica do Brasil, discutiu temas globais e regionais e apresentou a situação atual do relacionamento bilateral em Defesa com os Estados Unidos.
O ministro também falou dos principais temas relacionados à sua Pasta, como a segurança de fronteiras, os projetos estratégicos das Forças Armadas, a base industrial de defesa e parcerias com os Estados Unidos.

O crime organizado, principalmente na região de fronteira, também foi destacado por Jungmann. “Diante do poderio e avanço dos ilícitos transnacionais em nossa região, estou propondo, juntamente com o Chanceler Aloysio Nunes, o lançamento de uma Iniciativa Sul-Americana na área de segurança pública, reunindo autoridades de defesa e segurança para o compartilhamento de inteligência e de programas de reconhecido êxito, como o Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras (SISFRON). A Inciativa poderia evoluir para a formação de uma Autoridade Sul-Americana de Segurança, semelhante ao Conselho de Defesa Sul-Americano” explicou.

Quanto à parceira entre sul e norte-americanos, Jungmann pediu que as duas maiores democracias do Hemisfério discutam e adotem uma verdadeira agenda de Estado, de longo prazo, e não apenas programas de governos que são descontinuados. Segundo ele, é preciso parar de trocar notas técnicas e passar a efetivamente sentar e construir um projeto em comum juntos, com base no interesse mútuo entre os países.

“Uma agenda estruturante, ampla, baseada não nos problemas, mas nas possibilidades de desenvolvimento, nos valores compartilhados de democracia e benefícios mútuos, que sirva de fator de estabilidade para o desenvolvimento socioeconômico não somente de nossos países, mas também com poder de irradiação benéfica para nossos vizinhos” conclui o ministro.

Em junho de 2015, o Congresso Nacional promulgou dois acordos assinados entre Brasil e EUA relativos à cooperação em matéria de defesa. Com as medidas, os Estados Unidos e o Brasil fortaleceram sua cooperação em diversas questões de defesa, incluindo tecnologias de defesa, produtos, capacidades e pesquisa e desenvolvimento.

Leia a íntegra da palestra do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, no Center for Strategic and International Studies (CSIS)

FONTE: Ministério da Defesa

Acre é o pior do país em ranking nacional de liberdade econômica, mostra estudo

As pontuações dos estados brasileiros são baixas, mesmo os que apresentam os melhores desempenhos


Ton Lindoso - O Acre apresenta grande dependência do governo em atividades econômicas. A conclusão é do Centro Mackenzie de Liberdade Econômica, em estudo feito partir de cruzamento de dados oficiais relativos à relação entre Estado e iniciativa privada.

No chamado IMLEE (Índice Mackenzie de Liberdade Econômica Estadual) 2017, que tem como referência informações de 2015, o Acre apresentou 4,440 pontos. É a menor pontuação do país.

Mato Grosso do Sul obteve 7,328 pontos e obteve a maior pontuação. Na sequência, entre os estados com os maiores índices, estão Pernambuco (7,172), Santa Catarina (7,157), Pará (7,070) e São Paulo (7,010). Os demais tiveram notas inferiores a 7.

Vale lembrar que o índice varia de zero a dez – quanto mais o Estado adota medidas que reduzem a interferência nas empresas e em toda sociedade maior é sua pontuação. Para o Centro Mackenzie, o estudo objetiva “fomentar o debate sobre a liberdade econômica no Brasil” e “estimular a adoção de políticas públicas que ampliem a liberdade econômica”.

Cálculo
No cálculo do índice, o Centro Mackenzie considera dados de três áreas: gasto públicos, tributação e mercado de trabalho. São usadas informações do IBGE, Ministério do Trabalho, entre outras fontes oficiais.

Na primeira área são consideradas as despesas primárias (custeio da máquina pública), transferências e subsídios efetuados pelo Estado e gastos previdenciários. Depois, é mensurado o peso da carga tributária em relação à renda das famílias.

Por fim, no caso de mercado de trabalho, são considerados, entre outros fatores, a existência de piso salarial estadual (diferente do vigente no País) e proporção entre empregos no setor público do total de trabalhadores.

ARA San Juan: balsas de salvamento do submarino são encontradas

 ARA San Juan


Uma fonte da Armada Argentina informou com exclusividade ao Poder Naval que foram encontradas duas balsas de salvamento pertencentes ao submarino argentino ARA San Juan.

Uma aeronave P-8A Poseidon encontrou as duas balsas no mar e a Armada Argentina destacou alguns navios para investigar.

Até o momento da publicação desta nota, uma das balsas estava sem tripulantes e a outra estava sendo verificada.

Navios estão no local tentando contato com o submarino e esperando o possível escape dos tripulantes.

A informação carece ainda de confirmação oficial e estamos tentando contato com a Armada para confirmá-la.

Mais informações serão acrescentadas à esta notícia à medida que elas forem chegando.

As balsas de salvamento encontradas são semelhantes a essa da foto, vista no submarino holandês HNLMS Walrus (S802)

Um foto feita durante treinamento com uma balsa de salvamento ligada a um EPIRB – Emergency Position Indicator Radio Beacon

Rússia proíbe a importação de carne bovina e suína do Brasil



A ractopamina é um aditivo alimentar utilizado para aumentar a massa muscular dos animais - AFP/Arquivos
AFP
A ractopamina é um aditivo alimentar utilizado para aumentar a massa muscular dos animais - AFP/Arquivos

A Rússia decidiu suspender a partir de 1o. de dezembro a importação de carne bovina e suína oriunda do Brasil depois da descoberta de várias substâncias proibidas, informaram os serviços veterinários.

Em um comunicado, a agência de regulação de produtos agrícolas Rosselkhoznadzor disse ter detectado ractopamina e outros hormônios de crescimento na carne brasileira.

A ractopamina é um aditivo alimentar utilizado para aumentar a massa muscular dos animais, o que é proibido na Rússia por seus possíveis efeitos negativo na saúde dos consumidores.

A agência russa informou ainda que foi preciso tomar “medidas severas para a proteção dos consumidores russos” impondo, a partir de 1o. de dezembro, restrições temporárias à importação de carne bovina e suína.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, não considerou a medida como um fechamento do mercado russo. Segundo ele, medidas desse tipo acontecem permanentemente em fiscalizações e apenas “três ou quatro empresas” em que a ractopamina foi detectada foram mencionadas.

O uso de ractopamina é permitida no Brasil, mas não na Rússia e na Europa, detalhou.

A Rússia é uma grande importadora de carne brasileira. Em 2016 importou produtos suínos por 513 milhões de dólares, valor que aumentou para 612,3 milhões nos primeiros 10 meses deste ano, segundo dados do Ministério de Agricultura.

As importações russas de carne bovina brasileira somaram 389,7 milhões de dólares em 2016 e passaram para 392,8 milhões entre janeiro e outubro de 2017.

Esta decisão tomada por Moscou restringe ainda mais as fontes de importação de carne para a Rússia.

A importação na Rússia de produtos da União Europeia, Estados Unidos, Canadá e Austrália, entre outros países ocidentais, está proibida pelo embargo imposto em 2014 em respostas às sanções pela crise ucraniana.

Em fevereiro, a Rússia decidiu suspender a importação de carne bovina neozelandesa também por utilização de ractopamina.

20 de nov de 2017

ARA San Juan: FAB participa da operação de busca ao submarino argentino


 Aeronaves SC-105 Amazonas SAR e P-3AM Orion serão empregadas nas buscas


A Força Aérea Brasileira (FAB) está participando dos esforços da Marinha da Argentina para encontrar o Submarino ARA San Juan que está desaparecido desde a última quarta-feira (15/11), com 44 tripulantes. A aeronave SC-105 Amazonas SAR, equipada especialmente para busca e salvamento, e o P-3AM Orion, quadrimotor de patrulha marítima de longa distância, foram disponibilizados pelo Comando da Aeronáutica para operar nas buscas. O avião SC-105 Amazonas SAR decolou na tarde deste sábado (18/11) em direção a Argentina, com 18 militares a bordo. Já o P-3AM Orion deve partir do Brasil na manhã deste domingo (19/11), após ajustes e calibração dos equipamentos, com 19 tripulantes a bordo.

O Chefe do Estado-Maior Conjunto, Major-Brigadeiro do Ar Ricardo Cesar Mangrich, esclareceu que assim que o Comando da Aeronáutica recebeu as primeiras informações sobre o desaparecimento do submarino, deixou os Esquadrões das aeronaves de sobreaviso. “O Comando de Operações Aeroespaciais estava atento e a postos para eventualmente auxiliar nas buscas”, afirmou.

O acionamento para a missão aconteceu na tarde deste sábado (18/11). “Como a região deve estar saturada com outros meios aéreos e navais, estávamos aguardando a coordenação para a participação do Brasil, o que aconteceu apenas na tarde de hoje”, complementou. A base de operações da FAB será no Aeroporto Comandante Espora, na Bahia Blanca.

O submarino ARA San Juan manteve contato com a base pela última vez na manhã de quarta-feira (15/11), quando estava no sul do mar argentino, a 432 quilômetros da costa patagônia do país. Desde então, não houve notícias da embarcação, de acordo com a Marinha do país. A hipótese principal até o momento é um problema de comunicação. De acordo com o protocolo, caso esteja apenas sem comunicação, o submarino deve sair a superfície para favorecer o contato visual, o que pode ocorrer pelas aeronaves empregadas pela FAB.

O FAB 6550, conhecido como SC-105 SAR, sigla do inglês Search and Rescue, é operado pelo Esquadrão Pelicano (2º/10º Grupo de Aviação), sediado na Ala 5, em Campo Grande (MS). A aeronave, incorporada à FAB em agosto deste ano, foi acionada porque possui itens de última geração, que auxiliam na busca e resgate, como radar com abertura sintética, imageamento por infravermelho e integração de sistemas.

O radar da aeronave tem capacidade de monitorar em 360 graus e simultaneamente até 640 alvos em um raio de 200NM (370 km). Pode detectar alvos tão pequenos quanto um bote e acompanhá-los em movimento na superfície com até 75kts (139 km/h). Além disso, pode captar imagens com resolução de até um metro quadrado dentro de uma área de 2,5km x 2,5km.


O sistema eletro-óptico infravermelho, que permite operação por 24 horas, tem a versão mais recente da câmera FLIR (Forward Looking Infra-Red). Além de registrar imagens coloridas, pode aproximá-la em 18 vezes e operar em ambiente de baixa luminosidade. O modo de operação em que o sensor de infravermelho é usado conta ainda com zoom de 71 vezes e funciona detectando o contraste termal, ou seja, por diferença de temperatura. Ele consegue gerar uma imagem independente da luz ambiente e o sistema pode gravar até seis horas de imagens.

A Aeronave P-3AM é operada pelo Esquadrão Orungan (1º/7º Grupo de Aviação), sediado na Ala 14, em Salvador (BA). O avião também utiliza de diversos recursos eletrônicos, como sistema radar e FLIR (Forward Looking Infra-Red), que proporciona visão noturna, sendo possível localizar o objeto por meio da temperatura emitida por ele.

Com quatro motores, a aeronave tem grande autonomia, podendo permanecer em voo durante 16 horas. Os sensores eletrônicos embarcados na aeronave são os mais modernos que existem. Tudo isso confere ao P-3AM a capacidade estratégica de vigilância marítima de longo alcance. Para a busca do submarino argentino, também será utilizado o detector de anomalias magnéticas (MAD), que permite detectar massas metálicas submersas.

FONTE: Força Aérea Brasileira

NOTA DO PODER AÉREO: Para saber mais sobre a operação de busca ao submarino argentino desaparecido, acesso o site Poder Naval clicando aqui.

Prefeitura de Tarauacá já reabriu neste ano mais de 200 Kms de Ramais




Assecom- A Prefeitura de Tarauacá, através da Secretaria Municipal de Obras e Agricultura, divulgou nesta semana um balanço relacionado ao trabalho de reabertura de ramais. Mesmo enfrentado algumas dificuldades no que tange à questão do maquinário, até o presente momento, segundo relatório, já foram reabertos 200 quilômetros de ramais. 

Na definição da parceria, a prefeitura de Tarauacá é responsável pela reabertura de ramais no trecho Tarauacá/Cruzeiro e o Estado, através do DERACRE, do trecho Tarauacá/Feijó.

Para o Secretário de Agricultura  Glecioney Fernandes é muito satisfatório saber que centenas de famílias vão poder escoar suas produções. “Estamos muito felizes por saber que com a reabertura dos ramais estamos proporcionando melhores condições de vida para nossa população rural que há tempos estava em total abandono”. Frisou o Secretário.
  
“Nossa administração  tem um compromisso muito grande com nossos munícipes, o Programa de Melhoramento de ramais  é de fato um benefício para os produtores da zona rural e seus moradores. O acesso a diversos pontos é facilitado, beneficiando também o escoamento da produção agrícola  para o transporte de alunos da rede pública de ensino e dos moradores da comunidade como um todo, além, de ajudar na segurança” – finalizou a prefeita Marilete Vitorino .

A determinação da prefeita Marilete Vitorino é de que a zona rural de Tarauacá receba total atenção por parte da Prefeitura, por meio da Secretaria de Agricultura e outros setores da Administração. 

INCENTIVO A PRODUÇÃO

Os trabalhos de recuperação de ramais têm por finalidade também facilitar o escoamento da produção rural até a cidade, proporcionando uma melhor margem de lucro para o produtor, mais variedade de produtos e melhores preços para o consumidor, além de aquecer a economia local.

Economia do Brasil cresce 0,40% em setembro e avança 0,58% no 3º tri, aponta BC


Marcela Ayres - O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), registrou expansão de 0,58 por cento no terceiro trimestre de 2017 ante o segundo, informou o BC nesta segunda-feira.


Em setembro, o índice teve avanço de 0,40 por cento em relação a agosto, sempre em números dessazonalizados, em um resultado acima da expectativa em pesquisa da Reuters de alta de 0,34 por cento.

16 de nov de 2017

Tarauacá esta entre os oito municípios aptos a receber verba Federal por estar adimplente - A matéria é da Contilnet


Segundo a AMAC, as cidades inaptas têm restrição no Cadastro Único de Convênios, uma espécie de Serasa das prefeitura

Segundo a AMAC, as cidades inaptas têm restrição no Cadastro Único de Convênios (CAUC), uma espécie de Serasa das prefeituras/Foto: reprodução

Dos 22 municípios do estado do Acre, apenas 8 estão aptos a receberem verbas extras do Governo Federal. A notícia preocupa a Associação dos Municípios do Estado do Acre (Amac) pela aproximação do final de ano, quando literalmente a bancada federal corre juntos aos ministérios atrás de garantir recursos que podem ser utilizados para obras de infraestrutura, investimentos em setores primordiais como saúde e educação.

Os oito municípios que fizeram o dever de casa e conseguiram sair da inadimplência são: Brasileia, Cruzeiro do Sul, Feijó, Mâncio Lima, Porto Walter, Rodrigues Alves, Rio Branco e Tarauacá.

Segundo a AMAC, as cidades inaptas têm restrição no Cadastro Único de Convênios (CAUC), uma espécie de Serasa das prefeituras. O município de Assis Brasil, administrado pelo tucano Antônio Barbosa, o Zum, é líder no ranking de pendências, com oito itens. A prefeitura de Senador Guiomard, administrada por André Maia, vem em segundo lugar, com um total de cinco itens, seguido por Plácido de Castro e Capixaba, com ambos com quatro itens.

Ainda de acordo a AMAC, uma parte do problema se deve à falta de capacidade técnica, mas muitos foram os municípios que chegaram ao fundo do poço. Em Assis Brasil, por exemplo, além de inadimplente, a prefeitura já figura com dois meses de salários atrasados e sem garantia de pagar décimo terceiro em dezembro.

O prefeito de Plácido de Castro, Gedeon Souza, não está adimplente, como chegou a ser noticiado nos meios de comunicação. A gestão de Gedeon conseguiu negociar dívidas com a Receita Federal e a Eletrobras, mas continua com restrição no CAUC.

Veja abaixo a lista de cidades adimplentes (comprovado) e os municípios com pendencias, de acordo a AMAC. As cidades em negrito estão adimplentes.

N° Município Situação

1 Acrelândia Falta um item
2 Assis Brasil Faltam oito itens
3 Brasileia Comprovado
4 Bujari Faltam dois itens
5 Capixaba Faltam quatro itens
6 Cruzeiro do Sul Comprovado
7 Epitaciolândia Falta um item
8 Feijó Comprovado
9 Jordão Faltam três itens
10 Mâncio Lima Comprovado
11 Manoel Urbano Falta um item
12 Marechal Thaumaturgo Faltam dois itens
13 Plácido de Castro Faltam quatro itens
14 Porto Acre Falta um item
15 Porto Walter Comprovado
16 Rodrigues Alves Comprovado
17 Rio Branco Comprovado
18 Santa Rosa do Purus Falta um item
19 Sena Madureira Falta um item
20 Senador Guiomard Faltam cinco itens
21 Tarauacá Comprovado
22 Xapuri Faltam dois itens

Procon divulga ‘lista suja’ de lojas para consumidor evitar na Black Friday


Estadão Conteúdo

A Black Friday, um dos dias mais aguardados pelo varejo nacional, acontecerá na sexta-feira, 24, e o Procon-SP divulgou a “lista suja” com as lojas que devem ser evitadas pelo consumidor. No total, são 518 estabelecimentos. A lista foi atualizada no dia 10 de novembro.

Há reclamações diversas que ficam como alerta aos consumidores: desde fretes muito caros até atraso nas entregas, além de produtos danificados ou que divergem do anunciado. Segundo o Procon-SP, a partir do levantamento, a instituição procura evitar que a população seja lesada e o tão sonhado desconto acabe se transformando em pesadelo.

Todas as lojas da lista foram notificadas sobre os problemas e, mesmo assim, não ofereceram solução aos casos ou não foram encontradas.

Para acessar a lista, consulte este endereço na internet ou clique (aqui).

http://sistemas.procon.sp.gov.br/evitesite/list/evitesites.php

Venezuela dá calote no Brasil


A Venezuela deixou de pagar uma dívida de US$ 262,5 milhões com o Brasil. A atitude já está sendo considerada um calote pelo governo brasileiro, segundo a agência Reuters.

O atraso do pagamento, de mais de dois meses, ocorreu dentro do chamado Convênio de Créditos Recíprocos, uma câmara de compensação entre países da América do Sul.

O governo do Brasil deve recorrer ao Clube de Paris para receber o dinheiro.

Estima-se que a dívida da ditadura de Nicolás Maduro com empresas brasileiras já chegue a US$ 5 bilhões.

Câmara paga a cassados até R$ 23 mil de aposentadoria


Estadão Conteúdo

A Câmara paga aposentadoria de até R$ 23.344,70 por mês para deputados cassados. Os benefícios são provenientes de um plano de previdência abastecido, em parte, com recursos públicos. Nove parlamentares que perderam o mandato por envolvimento em esquemas de corrupção ou improbidade administrativa recebem os pagamentos mensais – o valor mais baixo é de R$ 8.775,38.

As aposentadorias somam R$ 126.960,94 por mês e seu pagamento não é ilegal. Dos beneficiários desse montante, cinco deputados foram cassados em razão do escândalo dos anões do Orçamento – grupo acusado de receber propina de prefeitos e governadores em troca de liberação de recursos da União nos anos 1990 – e dois por causa do mensalão – esquema de compra de apoio político no Congresso, segundo a acusação, durante o primeiro mandato do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O petista José Dirceu, cassado em 2005 por envolvimento no mensalão e agora condenado a 30 anos de prisão na Operação Lava Jato, pode ser o próximo a receber o benefício. Na semana passada, a área técnica da Câmara entendeu que o deputado cassado tem direito a aposentadoria de R$ 9.646,57 por mês, conforme revelou a Coluna do Estadão. Caberá ao presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), definir se Dirceu receberá ou não o pagamento. Maia já disse que vai considerar o direito adquirido do petista e não vai politizar a questão.

A decisão ocorrerá em meio à retomada das articulações para a votação da reforma da Previdência, que, segundo o governo Michel Temer, tem como um dos objetivos eliminar privilégios e igualar direitos de servidores públicos e trabalhadores da iniciativa privada. A expectativa do Palácio do Planalto é de conseguir votar a proposta de emenda à Constituição (PEC) na Câmara, mesmo que mais enxuta em relação ao texto inicial, até meados de dezembro. Para a aprovação da reforma, são necessários 308 votos.

Além dos pagamentos feitos aos parlamentares cassados, a Casa também reserva uma pensão de R$ 937 à família de um deputado que era aposentado e perdeu o mandato durante a ditadura militar.

Procurados, os parlamentares cassados disseram que pagaram pelo direito de receber aposentadoria e rechaçaram o rótulo de “privilegiados”.

A maior aposentadoria paga aos cassados é a do ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), que perdeu o mandato em 2005 no mensalão. Pedro Corrêa (PP-PE), atualmente preso na Operação Lava Jato e cassado em 2006 também no mensalão, recebe benefício de R$ 22.380,05.

Hoje, o teto da Previdência Social para aposentadoria do trabalhador da iniciativa privada, pago pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), é de R$ 5.531,31.

Regra

Até 1997, deputados e senadores se valiam de um plano fechado de previdência com regras mais benevolentes do que as atuais. Pelas normas antigas, do Instituto de Previdência dos Congressistas (IPC), o deputado com oito anos de mandato e idade mínima de 50 anos já podia pleitear o benefício. O valor da aposentadoria era proporcional ao tempo de mandato. Se ele tivesse completado o mínimo de oito anos, teria direito a 26% da remuneração mensal de parlamentar.

Com o fim do IPC, extinto em 1999 depois de registrar um rombo de R$ 520 milhões, a Câmara e o Senado ficaram responsáveis diretamente pelo pagamento dos benefícios.

Atualmente, parlamentares podem requerer a aposentadoria integral desde que comprovem 35 anos de contribuição e 60 anos de idade. O Plano de Seguridade Social dos Congressistas (PSSC) prevê o pagamento proporcional de aposentadoria conforme o tempo de mandato. O salário de um deputado é de R$ 33.763. Segundo o site da Câmara, só compensa a adesão ao plano caso o parlamentar fique ao menos cinco anos no exercício do mandato.

As contribuições funcionam com regras semelhantes às das entidades de previdência privada, nas quais os participantes pagam uma cota e a entidade patrocinadora contribui com uma cota equivalente. No caso, o valor atual da contribuição do deputado ao PSSC é de R$ 3.713,93 (11% da remuneração atual) e a Câmara entra com uma cota de igual valor, retirada do orçamento público.

Direito de receber

Deputados cassados aposentados pela Câmara afirmaram que pagaram pelo direito de receber os benefícios e rechaçaram o rótulo de “privilegiados”. “Contribui todo mês”, disse Ibsen Pinheiro (PMDB-RS), que perdeu o mandato durante o escândalo dos anões do Orçamento.

Ele é um do caso dos parlamentares que se aposentaram com as regras do plano antigo, mais benevolente aos deputados. Hoje deputado estadual no Rio Grande do Sul, Ibsen Pinheiro recebe aposentadoria de R$ 12.070,27 por mês. O peemedebista cumpriu quatro mandatos e pagou o plano de previdência nos três primeiros. O deputado destacou que seu benefício é proveniente de um fundo privado.

Jerônimo Reis (PMDB-SE) foi cassado em 2010 por improbidade administrativa e recebe R$ 18.690,24. Segundo o deputado cassado, foram três mandatos de contribuição com parcelas superiores a R$ 3 mil. O ex-parlamentar defende a reforma do sistema previdenciário. “A gente sabe que a nossa Previdência não aguenta”, disse Reis.

Hoje comerciante no município de Lagarto (SE), Reis não se considera um privilegiado. “Para mim não foi privilégio, eu paguei um valor alto. Esse fundo foi criado para parlamentares, foi oferecido desde o primeiro mandato. Não é uma Previdência pública, foi criada pela Câmara”, enfatizou.

Reis também concorda com a concessão do benefício a Dirceu. “Se ele tem direito, é um direito”, afirmou.

Maior beneficiário entre o grupo de deputados cassados, Roberto Jefferson (PTB) afirmou que prestou serviços como deputado por 24 anos e contribuiu para o plano durante todo o período. Antes de assumir a função, Jefferson explicou que contribuiu por 20 anos para o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) como empregado da iniciativa privada e autônomo. Seu benefício é maior, segundo sua assessoria de imprensa, porque ele se aposentou por motivo de doença e por isso não recolhe Imposto de Renda.

Algoz de Dirceu no escândalo do mensalão, Jefferson também demonstrou concordar com o pleito do petista. “Por que seria diferente para o ex-ministro José Dirceu, se ele contribuiu de fato para o INSS como deputado?”, respondeu via assessoria de imprensa. O Estadão/Broadcast procurou os outros ex-parlamentares, mas não conseguiu localizá-los.

Pensão

A única pensão paga pela Câmara a parlamentar cassado com direito a aposentadoria é para viúva de Francisco Pinto (MDB-BA), morto em 2008. Durante o regime militar, ele foi condenado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) a seis meses de detenção e perda dos direitos políticos por “ofensa moral” ao general Augusto Pinochet, ditador chileno. Pinochet estava no Brasil para a posse do general Ernesto Geisel, em 15 de março de 1974.

O parlamentar perdeu o mandato por ter feito um discurso criticando a presença de Pinochet no País. Era a primeira viagem do ditador chileno ao exterior desde o golpe de 1973 que derrubou o governo de Salvador Allende no país vizinho.

Na véspera da posse de Geisel, o deputado, conhecido pelos colegas como Chico Pinto, foi à tribuna da Câmara criticar a ditadura chilena. “Para que não lhe pareça, contudo, que no Brasil todos estão silenciosos e felizes com sua presença, falo pelos que não podem falar, clamo e protesto por muitos que gostariam de reclamar e gritar nas ruas contra a sua presença em nosso País”, discursou.

O STF condenou Chico Pinto por insulto um chefe de Estado estrangeiro. Ele voltou à Câmara em fevereiro de 1979, após ser eleito no ano anterior. Foi reeleito em 1982 e, em 1984, votou a favor da emenda Dante de Oliveira, que previa o restabelecimento das eleições diretas. A viúva de Chico Pinto, Thaís Alencar, não foi encontrada pelo Estadão/Broadcast para comentar o assunto. Ela recebe R$ 937 por mês. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.