28 de abr de 2017

Coronel Ulysses Araújo detona política de segurança do Estado do Acre e diz que PMs são vítimas



Luciano Tavares - O coronel Ulysses Araújo, da Polícia Militar do Acre, acredita que os policiais que espancaram três assaltantes em Rio Branco são vítimas e não vilões. A declaração do oficial, ex-subcomandante da corporação foi dada via Facebook.

“O policial trabalha sob condições de estresses incomparável a qualquer outra profissão deste mundo. No caso do Acre a situação é potencializada, pois atuam submetidos à enorme “pressão” que abrange desde as falhas no treinamento técnico-profissional continuado, carga horária excessiva de trabalho para cobrir a defasagem de efetivo, falta de estrutura e investimentos. Volto a dizer, policial é vítima, sim! Vítima de um política de segurança pública fraca, de uma legislação pró-crime, das nossas “audiências de custódia” (Polícia prende, Justiça solta, devido uma legislação arcaica)”, desabafa.

Ainda segundo o coronel “a sociedade acreana é enganada todos os dias com falsas declarações de tranquilidade e manipulações de dados em um Estado que a violência está fora de controle e ultrapassa o limite da razoabilidade”.

Segundo ele, no ano de 2015, houve em média 26 homicídios. Esse número aumentou em 2016 em 80%, e somente no primeiro trimestre de 2017 em relação ao ano 2016 houve um aumento de 134,5%.

Ulysses Araújo diz que conhece um dos PMs envolvidos na ocorrência e que esse policial “já tirou do bolso pra trabalhar, nem que seja para “remendar” um fardamento ou até mesmo para ajudar no conserto de uma moto ou viatura, pois nossa instituição está sucateada, pois o Estado não oferece condições satisfatórias para o trabalho do militar nas ruas”.

Ulysses completa: “O mesmo direito que cabe ao bandido, cabe aos militares com mais veemência. Se fosse os bandidos agredindo algum cidadão de bem teríamos representantes dos “direitos humanos” tratando eles a “pão de ló”, como agora é o inverso, temos que tolerar a execração pública”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.