25 de abr de 2017

Dois trechos da BR-364 podem ter sido superfaturados em mais de R$ 443 milhões



Ray Melo -  O deputado Luiz Gonzaga (PSDB) pediu na manhã desta terça-feira (25), a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as obras da BR-364 e denunciou suposto superfaturamento de R$ 443 milhões em dois trechos da rodovia no interior do Estado. “Foi-nos dito que iria depender de uma decisão do Tribunal de Justiça do Acre, a decisão foi dada e até agora não se tem notícias da instalação da CPI”, diz Gonzaga.

Segundo o deputado tucano, “o Estado do Acre todo clama por essa CPI, porque os recursos vieram. R$ 2 bi para fazer uma estrada que não existe. Uma tomada de contas especial feita pelo Dnit constatou que em dois trechos da BR entre Cruzeiro do Sul e Tarauacá, o Dnit está cobrando R$ 443 milhões dos responsáveis pela obra e do Deracre, atualizados até março de 2016. Se em dois trechos tem desvio, imagine nos demais”.

Gonzaga destaca que o TCU foi quem determinou que o Dnit não aprovasse as contas do Deracre, se a obra não fosse entregue com qualidade. “E esta obra nunca foi entregue ao Dnit porque não tem qualidade. Se o governo federal pagou ao governo do Acre para construir a BR, o governo do Acre deveria entregar uma estrada de qualidade. Está aqui mais um exemplo de bandalheira do governo do PT no Estado. E estamos falando de apenas dois contratos”.

De acordo com o oposicionista, os gastos incluíram ainda empréstimos feito junto ao Banco Mundial, “que ninguém sabe para onde foram. Como é que vamos pagar um empréstimo de algo que não existe. A CGU também constatou desvios de recursos nos trechos que fiscalizou. Esta casa não pode de forma alguma ficar calada diante de tantas situações graves. Portanto, eu estou aqui pedindo que a mesa diretora, urgentemente, faça a instalação da CPI”.

O deputado afirma que em todos os locais que anda no Estado, as pessoas o questionam pela CPI. “Precisamos dar uma resposta à sociedade. É um direito do povo e um dever desta Casa como órgão de fiscalização instalar a CPI e dar condições para que a comissão funciona. Isso é um absurdo, R$ 2 bi para construir uma rodovia que não existe. A sociedade clama por uma resposta de seus representantes neste poder”, finaliza Luiz Gonzaga.

O presidente da Aleac, deputado Ney Amorim (PT) informou que, “nós temos pelo menos cinco pedidos de CPI protocolados nesta Casa. Três do deputado Daniel Zen, a CPI da BR e a CPI da Sehab. A mesa vai cumprir todos os rituais e vai dar condições para que as CPI’s possam acontecer de forma transparente e responsável, seguindo o Regimento interno da Casa e todos os requisitos legais para entrar me funcionamento”, destaca Amorim.

Líder do governo na Aleac afirma que a BR-364 “vai ficar para o rabo da fila”


O líder do governo na Aleac, deputado Daniel Zen (PT) ironizou o apelo do deputado Luiz Gonzaga (PSDB) para instalar a Comissão de Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as obras da BR-364. O petista afirma que o tucano precisa aprender a fazer contas e faltou as aulas de matemática, quando o assunto é o cálculo de R$ 2 bilhões que teriam sido investidos na estrada.


“Ele tem que aprender a fazer conta. Ele falou às aulas de matemática. Não foi dois bilhões, mas 1,7 bilhão, incluindo as pontes e travessias de cursos de rios. Se fizer a distribuição não tem nenhum valor que destoe da realidade. Sobre a CPI, tem pelo menos seis pedidos de CPIs antes da sua. O senhor vive viajando, não participa dos trabalhos não sabe do que acontece aqui”, diz Zen.

Na tentativa de desqualificar Gonzaga, Daniel Zen afirma que “se eu fosse seu suplente já teria pedido o mandado pelo seu excesso de faltas. Antes de instalar as CPIs, eu vou também fiscalizar para seja cumprida a ordem sequencial dos pedidos de CPI. Se a da Sehab for instalada, as minhas também vão ser, e a sua vai ficar para o rabo da fila”, dispara o líder de Sebastião Viana.

Luiz Gonzaga voltou a tribuna e rebateu Zen. “Deputado, sou um homem casado. Não entendo essa sua preocupação comigo. Se não tem argumento para defender seu governo que fique calado, mas não venha com ofensas pessoais. Eu não venho fazer denúncias sem provas. E tem mais, o senhor passa a imagem de professor de matemática aqui, só quem sabe fazer contas é o senhor, mas não computa os recursos dos empréstimo de 80 milhões de dólares que foi feito, mas o professor de matemática não soma essas coisas”, finaliza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.