23 de mai de 2017

Considerada a deputada mais atuante, Sinhasique avalia mandato e crise política do Brasil


"Desde o início, busco fazer um mandato propositivo e popular", disse Eliane



Jorge Natal - Depois de ser considerada uma das vereadoras mais atuantes das últimas décadas, Eliane Sinhasique (PMDB), de 47 anos, agora acumula outro feito. De acordo com uma pesquisa feita pela Agência Delta, entre os dias 29 de abril a 4 de maio, ela foi escolhida a deputada estadual mais atuante da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac). O estudo ouviu 1.200 pessoas na Capital e em 14 municípios do Acre.

Além das proposições, do destaque que ela é na tribuna e da participação nas comissões e audiências públicas, o mandato de Sinhasique estende-se às ruas. Mensalmente ela coloca o seu gabinete na rua e possui a equipe “Alô, meu povo”, que atende aos chamados pelas redes sociais. Essa intensa ação parlamentar e política, aliadas a outros fatores, fazem dela um dos grandes destaques da política local.

Sempre atuante, Sinhasique faz uso da tribuna da Aleac todas
 as vezes em que acha necessário /Foto: Reprodução
Oposicionista ferrenha, Sinhasique pauta os principais debates e faz a maioria das denúncias do Executivo, o que causa uma verdadeira fúria no núcleo do poder e entre alguns colegas palacianos.

O PT, em sua opinião, é desonesto na sua essência e método. No primeiro, por produzir e manter relações desiguais, disfarçada por uma falsa utopia de justiça social. Segundo, porque utiliza os meios mais antirrepublicanos em nome do seu projeto de poder. “Além disso, o petismo tenta tirar a capacidade de iniciativa e empreendedorismo das pessoas”, afirma a parlamentar.

Eliane e seu ‘Gabinete na Rua’ em busca de
atender a população /Foto: Reprodução
O principal quadro de seu partido, o presidente República, Michael Temer, no entanto, acabou de protagonizar mais um vexame na política brasileira, fato que a constrange, mas não a impede de se posicionar. “O PMDB é maior do que qualquer membro que, porventura, tenha cometido algum deslize. Defendo investigações de qualquer ato ilícito. Que se investigue, apure e penalize”, declarou.

Nascida em Guaíra (PR) e criada até os 16 anos no Projeto de Assentamento Dirigido (PAD) Pedro Peixoto, no município de Plácido de Castro, Sinhasique chegou à Capital e se tornou jornalista, radialista e publicitária. Foi repórter e apresentou jornais nas TVs locais.

Obteve destaque no rádio, sendo líder de audiência por duas décadas. Eliane utilizava o espaço para atender pedidos do público, cobrando serviços ou pedindo melhorias. Em 2012 foi candidata a vereadora e acabou sendo a mais votada em Rio Branco. Em apenas um ano, apresentou mais proposições do que a legislatura inteira.

Sinhasique recebeu a equipe da ContilNet para um bate-papo em seu gabinete /Foto: Reprodução

Nas últimas eleições foi candidata a prefeita de Rio Branco e obteve 32% dos votos válidos. Em seu gabinete na Assembleia Legislativa ela recebeu a equipe da ContilNet e concedeu esta entrevista. Vejam os principais trechos:

ContilNet – A que a senhora credita ter sido considerada, em seu terceiro ano de mandato, a deputada mais atuante da Assembleia?

Sinhasique – Fiquei muito feliz com essa pesquisa, pois ela mostra que estou no caminho certo. Desde o início, busco fazer um mandato propositivo e popular. Faço parte de diversas comissões da Assembleia, sou a líder do PMDB na Casa. Apresentei e aprovei inúmeros projetos que beneficiam a população, como a Lei da Escala Médica, por exemplo, que dispõe sobre a afixação da escala dos plantonistas do dia em local visível nos Hospitais do Estado.

Tenho colocado a boca no microfone para reclamar da precariedade dos serviços públicos e denunciar as omissões e equívocos dessa gestão. Apontamos os problemas e apresentamos soluções para o nosso Estado. O nosso gabinete, mensalmente, está nas ruas e a equipe “Alô, meu povo”, diariamente, nos bairros.

Acho que todo esse trabalho colaborou para que nosso mandato fosse o mais lembrado na pesquisa. Também temos nossas atividades partidárias, como presidente do PMDB Mulher e da Fundação Ulysses Guimarães, executo diversos cursos nos bairros, levando conhecimento para a população mais carente.
ContilNet – Após quatro anos afastada da rádio, por que resolveu voltar?

Sinhasique – Voltar para a rádio faz parte da nossa intenção de estar mais próximo da população. Temos inúmeras ações na Assembleia, [além disso] nos bairros temos nossas ações partidárias, através dos nossos núcleos do PMDB Mulher e da Fundação Ulysses Guimarães, dos quais sou presidente. Porém, o rádio me aproxima ainda mais das pessoas. É mais um canal de interação com o público. Lá recebo e faço denúncias, cobro melhorias para os bairros e nos serviços públicos.

ContilNet– Como a senhora avalia os últimos acontecimentos em Brasília, principalmente as denúncias envolvendo o presidente Temer?

Sinhasique – Eu fique bastante abalada com a notícia. Não por causa do presidente Temer, mas pelo Brasil, pois estamos retomando o crescimento econômico, o controle da inflação, da taxa de juros e a confiança dos investidores.

Embora Temer seja do meu partido, eu sempre defendi e continuo defendendo que sejam feitas as investigações e, caso seja provada a culpa, que ele e mais envolvidos do meu partido ou de qualquer outro, paguem. A crise que vivemos está desnudando a vida política do país.

Ninguém está acima da lei nem do Estado Democrático de Direito. O povo está indo às ruas para revelar a sua vontade. Desde 2014, percebe-se que algo mudou e as manifestações populares passaram a vocalizar o inconformismo do povo contra a corrupção e o desgoverno.

ContilNet – Passaram-se quase 20 anos e PT não resolveu os principais problemas do Estado? Por quê?

Sinhasique – Porque eles (administradores petistas) são péssimos gestores. Dão calotes nos empresários. Não mantêm uma relação de respeito com essa classe. Por exemplo: não pagam em dia e isso gera uma crise econômica sem precedente. São desorganizados, gastam muito e mal.

Não existe um projeto de Estado, mas um projeto de poder em vigor. Apesar de todas as riquezas existentes em nossa região, elas seguem ainda subexploradas e mal administradas por um Executivo subserviente a seus próprios interesses.

Neste ponto, o Acre precisa de pessoas revolucionárias para que possa experimentar toda sua potência, desenvolvendo-se plena e satisfatoriamente, melhorando a qualidade de vida da população como um todo.
ContilNet – Como a senhora avalia o governo de Tião Viana?

Sinhasique – Péssimo. Ele se mete a ser empresário. Governo nenhum pode gastar dinheiro público em indústrias, metendo-se na iniciativa privada. Nem as afugentar como faz esse governo. Todos os empreendimentos que o governo esteve no meio deram errado: indústria de peixes, fábricas de tacos e preservativos, em Xapuri, de biscoitos em Cruzeiro do Sul. O governo do Tião Viana é um ‘Rei Midas às avessas’, ou seja, tudo que ele toca dá errado.
ContilNet – O que a senhora faria para trazer desenvolvimento e melhoria na vida das pessoas?

Sinhasique – Faria tudo o que esse governo não está fazendo. Levaria investimentos e tecnologia para fomentar a produção agrícola, dotando os produtores de opções, uma vez que o desmatamento e uso do fogo estão proibidos.

Abriria e recuperaria os ramais, pois a maioria está sem trafegabilidade. Faria fazer valer o zoneamento ecológico e econômico, isto é, cultivaríamos apenas aquilo que é vocacional para uma determinada região e sem agredir o meio ambiente.

Traria a Suframa de Manaus para verdadeiramente investir em nosso Estado, porque estamos na tríplice fronteira e, portanto, numa região estratégica. Diminuiria a carga tributária para que a iniciativa privada pudesse aqui se instalar.

Faria, também, aquilo que chamo de inversão de prioridades, ou seja, ao invés de gastar exageradamente com propaganda, diárias de assessores e mordomias, eu direcionaria esses recursos para a Saúde, Educação e Segurança.

Tentaria, ainda, ser transparente com a coisa pública, alargando a participação das pessoas na administração. Acabaria com essa simbiose com algumas instituições autônomas. Enfim, seríamos um governo democrático, respeitador do contraditório e do Estado Democrático de Direito.

ContilNet – A senhora é uma opositora combatente. Considera-se radical?

Sinhasique – Faço oposição com argumentos consistentes, com provas e documentos. E voto pela aprovação daquilo que é bom para a população. Não faço oposição [simplesmente] por fazer oposição. Sou mulher de ações propositivas. Em uma democracia, a oposição tem papel fundamental. Se o governo é ruim, a oposição coloca o governo para trabalhar. Se é bom, a oposição não deixa ele se acomodar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.