27 de jun de 2017

Ministro da Saúde vai fazer auditoria em contratos com governo do Acre



João Renato Jácome  - Uma segunda-feira de muita discussão sobre o setor de saúde do Acre. Com a presença do ministro Ricardo Barros, mas na ausência do secretário estadual Gemil Júnior, parlamentares da oposição e situação, sindicalistas e membros de movimentos sociais apresentaram ao ministro um panorama do setor acreano.

No Acre, Barros visitou as obras inacabadas do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), e logo depois se reuniu com os prefeitos na sede da Associação dos Municípios do Acre (Amac). Na pauta, o ministro deixou bem claro: mais investimentos e a abertura de autorias para saber como estão sendo aplicados os recursos federais no estado.

Sem criticar os serviços oferecidos, o ministro foi bastante político. Ele destacou que 70% dos recursos utilizados no Huerb é fruto do caixa da União. Mas ao tempo em que alfinetou o gestor da unidade, médico Fabrício Lemos, acrescentou: “a estrutura está sendo bem utilizada para a população com os recursos disponíveis”, isso porque, segundo Lemos, ao dia, quatro ou cindo cirurgias são feitas na unidade.

“A média nacional é de 1,5 cirurgia por dia por centro cirúrgico e aqui no Huerb nós temos de quatro a cinco cirurgias por dia, com uma taxa de ocupação de mais de 90%, quando a média do Brasil é de 60%”, comparou Barros ao dizer que não há nenhuma problema para a União cumprir com o que lhe é devido.

Segundo Fabrício Lemos, o apoio do Ministério da Saúde ao estado é fundamental. “Nós ficamos imensamente felizes com a parceria do governo federal em investir na saúde do nosso estado, mas é importante salientar o esforço do governo estadual para manter a saúde do Acre, investindo sempre para levar assistência adequada e com qualidade aos usuários do SUS”, pontuou.

Auditoria em contratos

Ao conversar com a imprensa, Ricardo Barros demonstrou preocupação com a aplicação dos recursos federais no Acre. Não por acaso, repetiu, por pelo menos quatro vezes em sua visita, que vai destacar, imediatamente, uma equipe de técnicos do Departamento Nacional de Auditoria do SUS (Denasus) para fiscalizar todos os contratos firmados com o Governo do Acre. Ele voltou a citar obras e investimentos.

“Em poucos dias, uma equipe do Denasus será mandada. Teremos um relatório, não só sobre essa obra, mas de outras obras inacabadas que temos aqui no estado, inclusive, o Instituto de Traumatologia, que é um hospital federal do Rio de janeiro, que tem uma extensão aqui”, destacou sem dizer exatamente quando essa visita ocorrerá.

Ao todo, destacou o ministro, o Acre recebeu, em 12 meses R$ 65 milhões, incluindo as emendas parlamentares que são, em grande parte, para obras e investimentos como a compra de equipamentos, qualificação de servidores e, ainda, ações mais internas da pasta. Ricardo Barros fez uma apresentação de 20 minutos sobre o que o governo Michel Temer fez pela saúde do Acre.

Ajuda aos municípios em crise

As cidades acreanas vão receber R$ 6,5 milhões a mais em recursos para investimentos. Esse dinheiro será investido em serviços de Urgência e Emergência, e, ainda, nos setores de Atenção Básica, contemplando, além de Rio Branco e Cruzeiro do Sul, outros 11 municípios. Além disso, o ministro garantiu que vai renovar a frota de ambulâncias nas cidades de Cruzeiro, Sena Madureira e Senador Guiomard.

“O estado tem vários problemas, porque tem várias regiões de saúde que precisam de atenção. O estado é muito amplo e cada região tem uma solução necessária e diferente. Mas, nós procuraremos investir os recursos necessários para concluir a obra, que está bastante adiantada. Não podemos colocar recursos, além daqueles que estão no convênio, por isso a auditoria”, comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.