1 de mai de 2018

Oposição prioriza os 22 municípios enquanto bloco petista discrimina prefeitos do Acre. Veja tabela


Assem Neto - Os cinco parlamentares federais do Acre aliados ao governador Tião Viana (PT) não priorizam os municípios na hora de destinar suas emendas individuais. Jorge Viana, Sibá Machado, Léo do PT, César Messias e Raimundo Angelim (todos da Frente Popular) contrariam, na prática, o discurso de que o Partido dos Trabalhadores “é democrático e ajuda todos os prefeitos, independente de cor partidária”. O engodo protagonizado pelos governistas  está claro na planilha de emendas para 2018 (ano eleitoral), cujo prazo para destinar e cadastrar os recursos encerrou em 19 de abril, última quinta-feira. Major Rocha, Alan Rick, Jéssica Sales, Flaviano Melo, Sérgio Petecão e Gladson Cameli (todos da oposição) foram mais democráticos na distribuição dos recursos e destinaram R$ 25 milhões a mais em relação ao bloco da situação. O acjornal pediu um estudo detalhado para, na próxima reportagem desta série, revelar para onde foi alocado o recursos que não vai ajudar os prefeitos neste ano.

Avaliando o critério de destinação das emendas, e considerando que os municípios têm sido renegados pelo senador e deputados da FPA, é possível levantar a seguinte suspeita: ou o PT está carreando as emendas individuais para o Estado, para outros estados ou para entidades sem fins lucrativos.

As emendas individuais variam de acordo com a receita corrente líquida do ano anterior, mas, em tese, se mantém em valores próximos de R$ 15,3 milhões (por parlamentar). O quadro que a reportagem mostra abaixo se refere apenas à distribuição dos recursos para os 22 municípios do Acre. A próxima reportagem mostrará quanto cada deputado e senador destinou para cada cidade acreana.
VEJA A PLANILHA OGU 2018 Emendas Individuais

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.