20 de nov de 2015

A APARÊNCIA QUE ENGANAVA


SOLDADOS DA BORRACHA: Os ‘criminosos’ não vinham para Amazônia

Biotipo nordestino

Arquilau de Castro Melo - Os milhares de Soldados da Borracha que durante o governo Getúlio Vargas foram recrutados nos estados nordestinos, especialmente no Ceará, e encaminhados à Amazônia para trabalharem na produção da borracha a fim de atender aos interesses dos Aliados, durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), se submetiam a vários exames antes de finalmente serem colocados em navios com destino à região.


Tomavam injeções contra a febre amarela, faziam exames para ver se não eram portadores de doenças sexuais como a gonorreia, entre outros. Mas havia um exame físico muito curioso, tido como científico, na época, imaginado pelo antropólogo e médico-psiquiatra italiano Cesare Lombroso (1835-1909), para verificar se se tratava de pessoa psicopata, com propensão à prática de crimes. Após exames esses lombrosianos eram dispensados do recrutamento.

A experiência de Lombroso em hospitais psiquiátricos o levou a formular a teoria de que o crime era da natureza de todos os seres vivos e exemplificava mencionando que havia animais que comiam seus filhotes, plantas que devoravam outras, etc.

Lombroso parte da ideia básica da existência de um criminoso nato, cujas anomalias constituiriam um tipo antropológico específico. Em outras palavras os psicopatas e criminosos em potencial podiam ser identificado a partir de certas características físicas, como por  exemplos nariz pontiagudo, queixo alongado, joelhos arqueados, etc.

Arquilau de Castro Melo

Para orientar os médicos o SEMTA – Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a Amazônia elaborou uma cartilha mostrando os diversos biotipos do homem nordestino mencionando as vantagens de cada um deles e como era possível identificar aqueles que detinham as características mencionadas na teoria de Lombroso. Segundo essa cartilha os criminosos natos tinham  “faces que exprimem uma inferioridade psíquica”.


Depois da Segunda Guerra Mundial, a teoria de Lombroso ficou estigmatizada como uma visão nociva e reducionista das origens da violência. Ao cair em descrédito, o pensamento lombrosiano foi substituído por uma perspectiva sociológica do comportamento, ideia que vigora até hoje. Não se sabe quantos homens foram excluídos do processo de recrutamento e, naturalmente, não é possível dizer quem foi mais feliz se aquele que para cá veio com a promessa de que tão logo terminasse a guerra voltaria rico para sua terra de origem ou os “lombrosianos” que lá permaneceram.

Nota do Blog: O Subtítulo é o título original

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.