31 de mai. de 2019

Governo Federal quer tornar-se líder da América Latina em infraestrutura de transportes




Alguém viu bandeira nacional nas manifestações em defesa do ensino no Brasil?

Bolsonaro: MP 871 vai gerar economia estimada em R$ 10 bi por ano



O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (30), em sua conta no Twitter, que a Medida Provisória (MP) 871, que combate fraudes no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), deve gerar uma economia estimada em R$ 10 bilhões por ano. "O Brasil segue avançando", afirma o presidente. A MP foi aprovada na Câmara na madrugada de hoje. O Senado já marcou para esta quinta-feira a votação da matéria, que perde a validade na segunda (3).
A Medida Provisória 871 cria um programa de revisão de benefícios do INSS, exige cadastro do trabalhador rural e restringe o pagamento de auxílio-reclusão apenas aos casos de pena em regime fechado.

Grupo de elite do sistema prisional do Rio participa de força-tarefa no Amazonas


 Os agentes que participarão de força-tarefa Foto: Divulgação

Dez inspetores penitenciários do Grupamento de Intervenção Tática (GIT) da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro foram convocados para apoiar uma ação no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, no Amazonas, onde 15 presos morreram na manhã do último domingo.

Os agentes foram chamados para reforçar o efetivo no sistema prisional do estado, que está sob intervenção federal e fora anunciada na última segunda-feira. A intervenção, prevista para durar 90 dias, tem o objetivo de amenizar a crise no Amazonas.

Os agentes prisionais do Rio compõem a Força Tarefa de Intervenção Prisional (FTIP), do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Eles exercerão atividades e serviços de guarda, vigilância e custódia de presos, além de estarem habilitados para atuar em motins e rebeliões.

Esta é a terceira atuação do GIT em uma força-tarefa. A primeira foi na rebelião da penitenciária de Alcaçuz, em Natal, no Rio Grande do Norte, em janeiro de 2017. A segunda, no começo deste mês, na Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Roraima.

O GIT foi criado em 2004 e é o primeiro grupamento do Brasil habilitado para atuar, prontamente, em qualquer tipo de distúrbio em unidades prisionais.

Com informações do Jornal O Globo

30 de mai. de 2019

Presidente Bolsonaro participa de café da manhã com deputadas e senadoras no Planalto




Hoje é o dia da mulher militar 30/05/2019

*30 de maio - Dia da Mulher Militar*

Parabéns às mulheres militares por essa data especial!

Comemora-se o Dia da Mulher Militar em homenagem à Joana D'Arc, a padroeira dos soldados, que conseguiu mudar o rumo da "Guerra dos 100 Anos" entre França e Inglaterra, mas foi queimada viva pelos ingleses numa fogueira, em 30 de maio de 1431.

Guedes diz que governo quer liberar FGTS de contas ativas e inativas


"Vamos liberar PIS/Pasep, FGTS, assim que saírem as reformas", afirmou o ministro

Paulo Guedes - Isaav Nobega

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou em coletiva nesta quinta-feira (30) que o governo estuda liberar dinheiro de contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) como estratégia para impulsionar a economia.

"Vamos liberar PIS/Pasep, FGTS, assim que saírem as reformas", afirmou o ministro confirmando que fará parte desta liberação também as contas ativas. "Inativas e ativas. Cada equipe está examinando isso. Nós não batemos o martelo ainda, mas todas as equipes estão examinando isso".

O governo anterior, de Michel Temer, liberou no fim de 2016 o dinheiro de contas inativas do FGTS com a mesma intenção de recuperar a economia.

Segundo Guedes, as medidas ajudarão, mas é preciso esperar a aprovação da reforma da Previdência. "O problema é que se você abre essas torneiras sem as mudanças fundamentais, é o voo da galinha. Você voa três, quatro meses porque liberou, depois afunda tudo outra vez", disse.

O ministro afirmou ainda que os anúncios devem ser feitos nas próximas "três, quatro semanas" e que a liberação dos recursos de PIS/Pasep está "pronta para disparar".

"Gostaríamos de disparar hoje, mas aí fomos examinar também o FGTS, que atrasou um pouco o PIS/Pasep, para soltar junto", completou Guedes.

Ministro Abraham Weintraub tira Fake News de letra - cada vez ganha mais adeptos nas redes sociais




Deputados decidem que sindicatos não podem firmar acordos de cooperação com o INSS




Empresários entregam a Bolsonaro carta de apoio à Previdência


Empresários divulgaram nota de apoio ao texto proposto pelo governo Bolsonaro para reformar a Previdência

Renova Mídia - O presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Economia, Paulo Guedes, reuniram-se nesta terça-feira (28) com presidentes de confederações do setor produtivo.

Após o encontro, os empresários divulgaram um documento reconhecendo a “coragem e o patriotismo” de Bolsonaro em propor a reforma da Previdência.

“Confiamos também no apoio e no bom senso do Congresso Nacional que, atento ao senso de urgência da situação, certamente irá aprovar uma Previdência justa e sustentável”, consta em trecho do documento”, acrescentaram.

Memorial que conta a história da FAB na Amazônia é inaugurado na Ala 9, em Belém (PA)


Memorial da FAB fará parte do Sistema Integrado de Memoriais e Museus do Pará

                                         Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Cristiane
                                         Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Tenente Coronel Santana


Autoridades civis e militares 
participam da inauguração do Memorial
Quinta-feira (23), a Força Aérea Brasileira inaugurou o Memorial da FAB na Amazônia, na Ala 9, em Belém (PA). Este é o primeiro espaço dessa natureza construído em toda a região norte e fará parte do Sistema Integrado de Memoriais e Museus do Pará. O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, o Governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, oficiais-generais da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro, dentre outras autoridades civis e militares, participaram da cerimônia.

O objetivo do espaço é preservar o acervo histórico existente, bem como mostrar a relação da FAB com a integração local e nacional. No espaço, os visitantes poderão visualizar, por meio de painéis e materiais em exposição, toda a história e evolução das atividades e das aeronaves da Força Aérea Brasileira que atuaram no Pará e na Região Amazônica, desde a década de 1930, passando pela Segunda Guerra Mundial, até os dias atuais.

No Memorial também é possível visitar o Hangar Tenente Cézar, onde estão expostas as aeronaves Catalina, C-47,  L-19 e um helicóptero H-1H, modelos que voaram mais de 140 mil horas durante quase quatro décadas, e foram responsáveis por levar cidadania e desenvolvimento aos mais distantes rincões da Amazônia brasileira.

De acordo com o Comandante da Ala 9, Brigadeiro do Ar Ricardo José Freire de Campos, a intenção é destacar a relevância da atuação da Aeronáutica na região norte. “Queremos contar, por meio das aeronaves militares e das Organizações da FAB nesta região, a importância da Força Aérea em Belém, para a conquista definitiva da Amazônia”, disse.

O Memorial também busca relembrar como os catalineiros, aqueles que operaram a aeronave Catalina, foram importantes para a integração da região. De acordo com o Presidente da Associação Brasileira de Catalineiros (ABRA-CAT), Suboficial Controlador de Voo Antônio Lemanski, o espaço é mais que uma união de peças de aviação e lembranças. “É mais importante o respeito pela memória, principalmente por aqueles que já foram. 

Todos foram os desbravadores. A Amazônia é assim hoje graças aos aviões Catalina que não necessitavam de pistas, mas sim de rios e lagoas. Onde se formava um destacamento do Exército, a FAB chegava para dar apoio, levar alimentos, medicamentos e assistência médica, que eram as necessidades na época”, relembra.

O Comandante da Aeronáutica complementa, também, sobre a importância de resgatar a memória. “É a história de verdadeiros heróis que levaram e levam, até hoje, desenvolvimento, integração e cidadania aos brasileiros que vivem nos lugares mais remotos do nosso Brasil”, disse o oficial-general.

Memorial

Além do Hangar Tenente Cézar, o Memorial conta com o auditório Cine Catalina, em homenagem ao cinema de mesmo nome, cujos assentos são os mesmos utilizados na década de 1950. Há também o Salão do Catalineiros, com peças e artefatos da aeronave Catalina; o Salão Brigadeiro Protásio, que relata a jornada do militar na Amazônia em 1949, com mais de 16 mil horas de voo; e a Galeria do Primeiro Comando Aéreo Regional (I COMAR), que rememora as atividades administrativas e operacionais, o desbravamento e a construção de aeródromos na região amazônica.

 Auditório Cine Catalina integra o Memorial
 Comandante da Aeronáutica recebe lembrança da Associação dos Catalineiros

 Aeronaves antigas estão em exposição no Memorial

Memorial conta com paineis que contam a história da FAB na Amazônia
Fotos: Soldado Costa Ribeiro / Ala 9
Vídeo: Wanderson Nunes / CECOMSAER

Bolsonaro vai sancionar reforma administrativa como veio do Senado


Ele sinalizou que não editará decreto transferindo Coaf para Justiça


Andreia Verdélio - O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (29) que vai sancionar o Projeto de Lei de Conversão 10/2019, originado da Medida Provisória 870, que trata da reforma administrativa, da forma como foi aprovado pelo Senado, ou seja, mantendo o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) no Ministério Economia. “O Parlamento agiu legitimamente corrigindo o que eles achavam que tinham que corrigir. O Coaf continua no governo”, disse o presidente, ao deixar o prédio do Comando da Marinha, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Bolsonaro sinalizou ainda que não deve editar decreto transferindo o Coaf para o Ministério da Justiça e Segurança Pública, como originalmente propôs o governo.

Na noite de ontem (29), o plenário do Senado aprovou a MP, sem alterações em comparação com o texto aprovado na Câmara. Com isso, algumas mudanças no texto original realizadas na Comissão Especial do Congresso foram confirmadas, entre elas, que o Coaf fica subordinado ao Ministério da Economia.

A aprovação ocorreu sete dias antes do vencimento do prazo da MP. Caso não fosse votada até o dia 3 de junho, a medida provisória perderia a sua validade e o governo voltaria a ter o número de ministério do governo Michel Temer, 29. Hoje, são 22.

Visita surpresa

Pela segunda vez nesta quarta-feira, Bolsonaro surpreendeu ao deixar o Palácio do Planalto para participar de um evento. Na Marinha, o presidente compareceu ao almoço de aniversário do comandante da Marinha, Ilques Barbosa, que completa 65 anos hoje.

Mais cedo, ele foi à Câmara dos Deputados para a sessão em homenagem ao humorista Carlos Alberto de Nóbrega, do programa A Praça é Nossa, do SBT. “Tem que ter o momento de prestigiar os colegas e reconhecer o trabalho. A vida se faz de imprevistos e alguns maravilhosos como esses dois de hoje”, disse, ao deixar o Comando da Marinha.

Noruega: encontro entre representantes da Venezuela termina sem acordo


Terje Solsvik e Angus Berwick - Uma reunião de mediação entre o governo da Venezuela e a oposição, em busca de uma solução para o país sul-americano, terminou sem acordo na Noruega, informou o gabinete do líder da oposição Juan Guaidó, nessa quarta-feira (29).

Durante a reunião em Oslo, o gabinete de Guaidó disse que ratificou um roteiro para encerrar a presidência de Nicolás Maduro, instalar um governo de transição e realizar eleições livres que "resolveriam a tragédia que a Venezuela está sofrendo".

Seu gabinete, no entanto, não forneceu detalhes sobre desentendimentos, mas Maduro disse anteriormente que não se afastará da Presidência. Guaidó se autodeclarou presidente interino  em janeiro e denunciou Maduro como ilegítimo, depois de ter conseguido a reeleição no ano passado em uma votação criticada como fraudulenta.

"Esta reunião terminou sem acordo. Nós insistimos que a mediação será útil para a Venezuela sempre que houver elementos que nos permitam avançar em apoio a uma verdadeira solução", afirmou o gabinete em comunicado.

Os representantes do líder da oposição disseram que estavam dispostos a continuar o processo com o governo norueguês.

A anfitriã Noruega falou em "boa vontade" dos dois lados nesta segunda rodada de conversas.

"As partes têm demonstrado boa vontade para progredir em busca de uma solução consensual e constitucional para o país, o que inclui questões políticas, econômicas e eleitorais", informouy o Ministério das Relações Exteriores da Noruega.

Em nota, o governo norueguês conclamou os dois lados a mostrar discrição nos comentários públicos para não prejudicar o processo.

A Noruega tem longa tradição de mediação de conflitos, mas encara uma tarefa árdua para resolver a crise da Venezuela, que se tornou um xadrez geopolítico no qual dezenas de nações ocidentais e latino-americanas reconhecem Guaidó, enquanto Rússia e China apoiam Maduro.

O colapso econômico levou mais de 3 milhões de venezuelanos a emigrarem nos últimos anos, e os protestos políticos muitas vezes resultaram em violência.

Com aumento nos registros de armas, Santa Catarina tem redução nos índices de violência


Quarto Estado com mais registros em 2019 é exemplo de que facilitação de posse e porte não está relacionada ao aumento da criminalidade



Santa Catarina é o quarto Estado com mais registros de armas de fogo em posse de pessoas físicas desde o início de 2019 – Agência Brasil
ndmais/Cristiao Rigo Dalcin - Quarto Estado que mais re­gistrou armas de fogo em posse de pessoas físicas desde o início do ano, Santa Ca­tarina pode ser um dos tantos exemplos geográficos de que a facilitação da posse e do porte de arma não está relacionada ao au­mento da criminalidade. Entre janeiro a março de 2019, a Polícia Federal autorizou 879 catarinen­ses a portarem armas de fogo, o que representa uma média de 10 armas por dia, enquanto dados da SSP-SC (Secretaria de Estado de Segurança Pública) apontam que foram registrados 265 homicídios em 2019 (até 13 de maio), 81 a me­nos do que no mesmo período do ano anterior, em que foram 346, e 136 a menos que em 2017, quando foram 401.

Para o especialista em segu­rança, Benê Barbosa, o recente decreto assinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL) representa um avanço “gigantesco” no respeito ao direito de defesa do cidadão. Para Barbosa, relacionar a legalização das armas a um potencial aumen­to dos índices de criminalidade “é uma falácia”. “Isso é uma mentira que vem sendo repetida no Brasil. Santa Catarina tem o maior núme­ro de armas legalizadas, e o maior número de clubes de tiro do país, mas é o Estado com menores taxas de criminalidade”, contradiz.

Leia também:

O recente decreto tem como objetivo desburocratizar o acesso às armas para atiradores espor­tivos, caçadores e algumas cate­gorias, como jornalistas, cami­nhoneiros e políticos. “O Exército terá que analisar o seu processo no prazo de 60 dias. Têm processos que duraram até um ano para ser analisado”, relata Barbosa.

O especialista destaca que até o cidadão que não utiliza arma de fogo poderá se beneficiar com a nova legislação. “Está se passando uma mensagem para os crimino­sos que a sociedade não está iner­te”, justifica, ao lembrar que o Es­tatuto do Desarmamento foi eficaz em impedir que o cidadão com­prasse uma arma legalmente, mas não criou barreiras para que os cri­minosos ficassem desarmados.


Evolução das taxas de homicídios por arma de fogo – Infografia/ND

Mais responsabilidade para as polícias

A criminalidade está menos relacionada à disponibilidade promovida pela legalização das armas do que a outros fatores, como questões sociais e econômicas ou mesmo o tráfico de drogas, por exemplo. Essa é a opinião do comandante da PMSC (Polícia Militar de Santa Catarina) e chefe do Colegiado Superior de Segurança Pública do Estado, coronel Araújo Gomes. “Há países que são bastante flexíveis e tem altas taxas de criminalidade e há países flexíveis que têm baixos índices de criminalidade, indicando que esse talvez não seja o principal fator”, argumenta.

O coronel também cita o documentário “Tiros em Columbine”, do cineasta Michael Moore, que debate a cultura armamentista e compara as realidades de Estados Unidos e Canadá. “São dois países com legislação semelhante, mas com patamares diferentes de violência”, completa.

Segundo o comandante da PM, a discussão sobre o acesso às armas tem duas visões: uma pragmática e outra filosófica. Na primeira, as armas nas mãos dos cidadãos são uma boa estratégia, mas não há uma certeza sobre as consequências, pois dependem de uma fiscalização efetiva e de aplicação de regras rigorosas.

Já na visão filosófica, é discutível até que ponto o Estado tem direito ou dever de limitar o acesso às armas. “Na visão da PMSC, o porte e a posse de armas trazem alguns fatores positivos, como a proteção de cidadãos que residem em locais afastados, mas também trazem mais responsabilidade para as forças de segurança, que precisam evitar que as armas caiam nas mãos de criminosos e realizar o trabalho de fiscalização para verificar as condições de porte e posse de armas”, diz.

Regras alteradas

O governo federal publicou no dia 22 um novo decreto que altera regras do Decreto 9.785, de 7 de maio de 2019, que trata da aquisição, cadastro, registro, posse, porte e comercialização de armas de fogo no país. Em nota, o Palácio do Planalto informou que as mudanças foram determinadas pelo presidente Jair Bolsonaro “a partir dos questionamentos feitos perante o Poder Judiciário, no âmbito do Poder Legislativo e pela sociedade em geral”. O novo decreto é o 9.797, de 21 de maio 2019.

Entre as alterações está o veto ao porte de armas de fuzis, carabinas ou espingardas para cidadãos comuns. Além de mudanças relacionadas ao porte de arma para o cidadão, há outras relacionadas às forças de segurança; aos colecionadores, caçadores e atiradores; ao procedimento para concessão do porte; e sobre as regras para transporte de armas em voos, que voltam a ser atribuição da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil).

Como obter armas de fogo
Aquisição de Certificado de Registro CR: é emitido através do Exército, tem a finalidade de prática de tiro esportivo, caça e coleção
Requisitos: ser maior de 25 anos; não possuir antecedentes criminais; estar obrigatoriamente filiado a um clube de tiro; obter aprovação no teste de capacidade técnica e psicológico

Aquisição na Polícia Federal: a finalidade destas armas está voltada para defesa residencial e comercial
Requisitos: ser maior de 25 anos; não possuir antecedentes criminais; estar obrigatoriamente filiado a um clube de tiro e obter aprovação no teste de capacidade técnica e psicológico.

Armas lícitas são para cidadãos de bem

Instrutor de tiro, Carlos Vitorino defende o direito de todo cidadão escolher se deseja ter uma arma ou não. Sócio proprietário de um clube de tiro, ele se diz “ansioso” com a regulamentação do novo decreto. De acordo com Vitorino, a tendência é haver uma expansão do mercado com a flexibilização do acesso às armas, o que não significa um possível aumento da criminalidade. “Isso é uma falácia que foi criada pela cultura do desarmamento. Quem busca uma arma lícita é o cidadão de bem, que é capacitado nos clubes de tiro”, relata.


O instrutor acredita que, além de flexibilizar o acesso, o novo decreto pode dar novo impulso para a indústria do setor, atualmente regida por monopólio. “Uma empresa tcheca já esteve prestes a se instalar em Pomerode. O mercado é amplo e está expansão. Outros clubes de tiro devem abrir também”, afirma.


Instrutor credenciado pela Polícia Federal, Marcos Marçal também entende que o decreto é bem-vindo, uma vez que as restrições às armas de fogo sempre estiveram relacionadas diretamente ao controle, e não a potenciais consequências, como o aumento da violência. “Santa Catarina é um dos Estados com mais armas registradas e com índices menores de violência, enquanto os da região Nordeste têm os menores números de armas e as maiores taxas de homicídios”, exemplifica.

Marçal também argumenta que não há como medir uma procura maior pelo acesso às armas no atual momento, uma vez que o mercado está saturado e a concorrência aumentou. “Há cinco anos havia apenas um clube de tiro na região e, atualmente, temos cinco. O que vai determinar a procura é a economia”, ressalta, uma vez que o custo para aquisição de uma arma continua o mesmo que era praticado antes da mudança na legislação.

SC tem quatro cidades no ranking das mais pacíficas

No top 30, o Estado de São Paulo lidera a lista com o maior número de municí­pios mais seguros do país (21 no total), seguido por Santa Catarina (quatro cidades) e Minas Gerais (quatro). O Rio de Janeiro conta com uma representante no ranking. É o que revela uma pesquisa exclusiva do Ipea (Institu­to de Pesquisa Econômica Aplicada) e do Fórum Brasi­leiro de Segurança Pública.

O ranking das cidades mais pacíficas é montado a partir das menores taxas de homicídio do país, sen­do que segundo o ranking do Ipea estas são as 30 mais pacíficas do país. É possí­vel que cidades pequenas e do interior estejam entre as mais pacíficas, porém este estudo levou em con­ta somente municípios com mais de 100 mil habitantes.

29 de mai. de 2019

Abraham Weintraub - "Manifestações são democráticas. Coação é ilegal"




IBGE lança versão 2019 do Atlas Nacional Digital do Brasil




Chefe da Secom deixa a Globo em pânico: "não podemos investir 80% do orçamento em uma emissora que tem 35% da audiência"


Fabio Wajngarten, secretário especial de Comunicação do Palácio do Planalto. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Nesta terça-feira (28), o secretário especial de Comunicação do Palácio do Planalto, Fabio Wajngarten, participou de uma sessão no Senado Federal.

Fabio fez declarações a respeito da verba publicitária do governo, afirmando que este não trabalhará com viés ideológico na escolha de veículos de comunicação para investimento, prometendo transparência.

“Tenho relacionamento com inúmeros sócios, inúmeros proprietários de veículos, quase todos. E não tenho preconceito com ninguém e não vou deixar perpetuar este preconceito em quem quer que seja aqui em Brasília […] O governo tem que falar com todo mundo. Tem que investir em todo mundo, alicerçado nos mais rígidos critérios técnicos.” - declarou o chefe de comunicação do governo.
Wajngarten criticou a concentração de verba na "emissora líder" de audiência, no caso a Rede Globo, e defendeu a distribuição para mais veículos regionais:

“A gente tem uma emissora líder com 35% da audiência, aproximadamente, para um total investido nela entre 80% e 85%. Este é um ecossistema que o mercado precisa repactuar. Isso contribui para a concentração das verbas e não para a distribuição das mídias regionais e o fortalecimento dos veículos regionais. Quanto mais concentrado for e menos técnico for, menos sobrará para os outros veículos. Eu também tenho uma preocupação com isso.”

Será esse o motivo dos ataques da Rede Globo à Presidência da República? Fica a questão.

Estabelecida em Cochabamba a Missão Técnica Aeronáutica Brasileira na Bolívia. MTAB-Bolívia


Estabelecida em Cochabamba a Missão Técnica Aeronáutica Brasileira na Bolívia. MTAB-Bolívia é a nova Unidade Militar subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo e foi inaugurada no dia 21/5, tendo como chefe o Tenente-Coronel Gilson Antonio da Silva Sobral.

A iniciativa tem a finalidade de prestar apoio ao Comando de Seguridad y Defensa del Espacio Aéreo (COSDEA), órgão responsável pela criação do Sistema Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo do Estado Plurinacional da Bolívia. 

Exército Brasileiro intensifica patrulhas nas fronteiras

Em quatro meses, pequenos negócios criam quase 300 mil empregos


Levantamento foi feito pelo Sebrae, com base em dados do Caged

Pedro Rafael - Os pequenos negócios voltaram a responder pela geração de novos empregos no mês de abril. Segundo levantamento feito pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae), baseado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, esse segmento gerou, no mês passado, 93,7 mil postos de trabalho formais. O saldo foi quase três vezes maior que o gerado pelas média e grandes empresas e representou 72,3% do total de empregos gerados no país no mesmo período, que foi de 129,6 mil.

No acumulado dos primeiros quatro meses do ano, os pequenos negócios abriram quase 300 mil novos empregos. As médias e grandes empresas (MGE) criaram apenas 20,3 mil novas vagas. Entretanto, o saldo de postos de trabalho gerados pelas micro e pequenas empresas (MPE), no primeiro quadrimestre deste ano, ainda está 14,4% abaixo do saldo gerado por elas no mesmo período do ano passado.

“A recuperação do emprego passa pela retomada da economia, que depende diretamente da retomada da confiança de investidores, da aprovação das reformas no Congresso Nacional”, analisa o presidente do Sebrae, Carlos Melles. “Os números mostram que o empreendedorismo está no sangue do povo brasileiro. Foram os pequenos negócios os grandes responsáveis pelo grande número de abertura de vagas no mercado de trabalho. E isso mesmo em tempos difíceis economicamente”, acrescenta.

Serviços
O levantamento do Sebrae apontou ainda que nos primeiros quatro meses do ano, as MPEs do setor de Serviços capitanearam a geração de empregos, com um saldo de 193 mil novos postos de trabalho, 69% do total de empregos gerados no período de 2019. As MPEs que atuam no comércio, porém, ainda continuam a registrar saldos negativos de vagas de trabalho no acumulado de 2019, o que significa que demitiram mais do que contrataram. Mesmo assim, ainda geraram 10,6 mil postos no mês passado.

Em todos os setores, as MPEs registraram saldos positivos de empregos gerados no mês de abril de 2019, mas foram os pequenos negócios do setor de Serviços que puxaram a geração de empregos, criando mais de 55 mil postos de trabalho, 3,6 vezes mais do que as MPEs da construção civil, segundo setor em que as micro e pequenas empresas mais empregaram nesse mês. Pelo levantamento, as médias e grandes empresas tiveram uma queda de 1.057 postos de trabalho neste segmento, enquanto os pequenos negócios abriram 15,1 mil vagas.

Estados
As micro e pequenas empresas do estado de São Paulo lideraram a geração de empregos no país em abril deste ano, respondendo pela criação de 29,3 mil postos de trabalho e foram acompanhadas pelas MPEs de Minas Gerais, com 14,7 mil empregos. Com isso, as MPEs da região Sudeste foram as que mais geraram postos de trabalho neste mês no país (52,9 mil empregos), seguidas pelos pequenos negócios da região Nordeste, que responderam pela geração de 17,8 mil empregos. Praticamente todos os estados do país tiveram saldo positivo, com exceção ao Rio Grande do Sul, que registrou mais demissões que contratações no segmento...

Treta na esquerda: Ciro Gomes x Maria do Rosário

Operação ÁGUIA I lança foguetes de treinamento em Alcântara

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou no período de 20 a 24 de maio a Operação ÁGUIA I-2019, na qual foi lançado dois Foguetes de Treinamento Intermediário (FTI). Os lançamentos ocorreram na quinta-feira (23.05) e sexta-feira (24.05) em Alcântara, o último, ocorreu às 13h45min pelo horário de Brasília, atingindo seu apogeu em 1min44seg.

A Operação ÁGUIA I teve por objetivo proporcionar treinamento operacional das equipes do CLA de forma isolada. Nesta operação, os lançamentos foram realizados sem carga útil científica, a fim de executar os testes de aceitação do novo sistema de terminação de voo na qual foi acionado aos 2min12seg após seu lançamento, e a obtenção de dados para a análise de voo balístico.

A Operação Águia I-2019 é realizada integralmente pelo CLA, organização militar da Força Aérea Brasileira (FAB) subordinada ao Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), e conta com o apoio da Agência Espacial Brasileira (AEB), da Marinha do Brasil (MB), do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e dos Esquadrões Falcão (1°-8° GAv) e Netuno (3°-7° GAv).

As quatro instituições atuam respectivamente nas interdições marítimas e aérea da região e em eventual necessidade de evacuação aeromédica e no patrulhamento marítimo por meio do voo de esclarecimento realizado momentos antes do lançamento. Além de todos os procedimentos de segurança realizados foram emitidos também esclarecimentos à associação dos pescadores de Alcântara e às agrovilas no entorno do CLA, uma forma de as comunidades envolvidas estarem cientes das atividades operacionais do Centro.

“O lançamento com sucesso e em dias seguidos dos dois FTI comprova a eficiência de toda a equipe do CLA e dos esquadrões aéreos envolvidos, de todos os meios de solo, especialmente do novo sistema de terminação de voo, testado pela primeira vez nessa operação. Estamos cada dia mais dando um passo firme para elevar o Centro a um outro patamar, compatível com as expectativas da população brasileira”, concluiu o diretor do CLA, Coronel Aviador Marco Antônio Carnevale Coelho.

28 de mai. de 2019

Veja como o ditador Maduro deixou a Embaixada da Venezuela em Washington




Brasil ganha mais uma vez campeonato Sul-Americano de atletismo com 9 medalhas de atletas da FAB



Com 9 medalhas no Campeonato Sul-Americano de Atletismo, os atletas da FAB ajudaram o Brasil a conquistar o 32º título da competição que ocorreu no Peru. 



Danilo Gentili atinge o maior ibope do ano e vence a Globo com quase o dobro da audiência

Não é de hoje que o povo brasileiro se declarou cansado da programação baseada no lacre, e com isso, apresentadores e programas mais voltados para o politicamente incorreto tem, cada vez mais, caído nas graças da população. Esse é o caso de Danilo Gentili.

Além de competente, Danilo não tem amarras, e apresenta um conteúdo de qualidade. Consequentemente ele e sua equipe reinam absoluto nas madrugadas. Na quinta-feira, o The Noite atingiu o maior share do ano, 30,5% e marcou 7,5 no maior mercado do Brasil – a Grande São Paulo.

Em segundo a Globo marcou 4,4. Isso significa que 30% dos televisores que estavam ligados naquele horário estavam transmitindo o programa do SBT.

Segundo o Teleguiado, “Em São Paulo, um ponto de audiência representa 73.015 domicílios e 200.766 indivíduos. É o mercado mais importante do país, com 28,9% de influência sobre o Painel Nacional de Televisão.”

Com informação do Teleguiado.

Acre registra o mês de abril com mais oportunidades de emprego em 5 anos, diz Caged


Rio Branco teve o maior saldo de empregos, com 143 vagas abertas durante o mês

Everton Damasceno - Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado nesta sexta-feira (24) pela Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, mostram que no Acre, durante o mês de abril de 2019, 377 novos postos de trabalho foram criados – o melhor índice do mesmo período em 5 anos.

De acordo com o gráfico, em todo o estado, 1843 pessoas foram contratadas em vários segmentos do mercado e 1497 foram desligadas de seus postos.

Rio Branco teve o maior saldo de empregos, com 143 vagas abertas durante o mês. Já Cruzeiro do Sul, o segundo maior município do estado, obteve -21, ficando em negativo. Feijó (189), Sena Madureira (14) e Tarauacá (21) obtiveram os melhores resultados, em oportunidades.

Como destacado, a indústria de produtos alimentícios, bebidas e álcool etílico, foi a que mais empregou e demitiu no período: 160 pessoas foram contratadas e 117 foram demitidas.

As indústrias da madeira e do mobiliário, do material de transporte, construção civil e comércio varejista, também pontuaram no ranking.

Em âmbito regional, todas as regiões apresentaram melhora na geração de empregos, com destaque para o Sudeste, que criou 81.106 postos formais. Na sequência aparecem as regiões Nordeste (15.593), Centro-Oeste (15.240), Sul (14.570) e Norte (3.092).

O emprego foi positivo em 23 unidades federativas. Os maiores saldos positivos ocorreram em São Paulo (50.168), Minas Gerais (22.348), Paraná (10.653), Bahia (10.093) e Maranhão (6.681). Entre os quatro estados que apresentaram saldo negativo, o maior recuo ocorreu em Alagoas, com o fechamento de 4.692 vagas de emprego, seguido do Rio Grande do Sul (-2.498), Rio Grande do Norte (-501).

Relíquia de São Francisco de Assis chega ao Acre e vai percorrer municípios do estado


O ponto alto da passagem da relíquia no estado acontece no dia 15 de junho com a romaria diocesana rumo ao Centenário Santuário São Francisco de Assis, em Brasileia
                                       SECOM
Organizadores da peregrinação da relíquia no Acre visitam Secretaria de Empreendedorismo e Turismo (Seet). (Foto: Divulgação)

A Relíquia de São Francisco chegou ao Acre trazida de Manaus na madrugada desta segunda, 27, e segue na noite de hoje para Cruzeiro do Sul. A programação em torno da Relíquia, pertencente à Ordem Franciscana Secular (OFS), começou hoje e vai até o dia 17 de junho no Acre com visitas a Senador Guiomard, Vila Campinas, Brasileia, Xapuri, Assis Brasil, Cobija (Bolívia). O ponto alto da passagem da relíquia no estado acontece no dia 15 de junho com a romaria diocesana rumo ao Centenário Santuário São Francisco de Assis, em Brasileia.


Entre os locais de visitação nesta segunda-feira, a imagem foi levada à Secretaria de Empreendedorismo e Turismo (Seet) pelo ministro da Ordem Franciscana Secular de Rio Branco, Narciso Candido, e pela vice-ministra, Laudicéia Gomes, da Ordem Francisca Secular da Regional Norte, entre outros responsáveis pela organização da romaria.

Para a secretária de Empreendedorismo e Turismo, Eliane Sinhasique, é importante valorizar manifestações como esta, pois fortalecem a crença das pessoas e fomenta o turismo religioso no estado. “Eu tive o prazer de receber a relíquia na nossa secretaria. Os funcionários católicos, devotos de São Francisco, se reuniram em torno da relíquia e foi um momento de muita emoção”, diz.

A relíquia de São Francisco de Assis percorre o país em peregrinação desde 2015 e tem previsão de término em 2021, quando deverá ter visitado todas as fraternidades de todos os estados do Brasil em comemoração ao Jubileu de 800 anos da Ordem Franciscana Secular. A relíquia contém dois objetos enviados de Assis, na Itália: a imagem de São Francisco, presente da cúria geral dos Frades Menores Capuchinhos e um fragmento de osso do fêmur, ofertado pela cúria geral dos Frades Menores Conventuais.

O apostolado franciscano se baseia nos princípios da caridade, paz, justiça e ecologia. O tema da romaria no Acre é “Como Igreja de Rio Branco, caminhamos com São Francisco para uma Ecologia Integral”. O evento religioso tem na programação, ainda, a Celebração de Pentecostes e os 20 anos de sagração do bispo Don Joaquín Pertinez. No dia 17 de junho, a relíquia segue para Porto Velho.

A inimputabilidade de Adelio, o plano que não deu certo e o mandante que sai ileso


Um Juiz Federal de Juiz de Fora decidiu sobre o caso do Adelio Bispo. O acusado, que agiu de forma consciente, premeditando por mais de 15 dias aquele que seria o crime político mais assustador de todos os tempos, de fazer Jair Bolsonaro sangrar até a morte no meio da multidão, e que mudaria os destinos do Brasil, foi considerado “inimputável” porque tem “transtornos mentais”.

Não posso me pronunciar sobre a decisão, pois não li os autos e principalmente não tive acessos ao laudo psiquiátrico.

Se a Justiça diz que esse monstro tem problemas mentais, paciência! Quem somos nós para contestar a justiça dos homens.

Mas como cidadão vai aqui meu desabafo: o único transtorno mental desse crápula é de ter se filiado ao PSOL.

E, principalmente, lembremo-nos sempre de sermos gratos à justiça divina, que intercedeu por Bolsonaro, para não deixar o plano do (agora) “doidinho” dar certo.

Ainda sobre o “caso Adelio”, pensemos juntos aqui:

1) O plano, arquitetado por mais de 15 dias, era fazer Bolsonaro sangrar até a morte no meio da multidão; as pessoas ficariam tão traumatizadas que entrariam em choque, deixando de participar do processo político;

2) O plano deu errado; Bolsonaro não morreu, e o esfaqueador foi preso;

3) Rapidamente, um grupo de advogados começa a interceder pelo esfaqueador, representando-o no processo criminal já aberto, para que tenha uma defesa técnica de qualidade, alegando que o acusado sofre de “transtornos mentais”;

4) Alguns meses depois, após a realização de exames psiquiátricos no curso do processo, o laudo pericial comprova a doença mental, e o juiz da causa declara o esfaqueador inimputável;

5) Como desfecho, ele, esfaqueador, será internado compulsoriamente em um manicômio judiciário, de onde jamais sairá, e viverá dopado de drogas até o resto da vida;

6) O reconhecimento da incapacidade por transtorno mental faz com que o acusado não preste sequer para ser testemunha de algo, ou para uma confissão ou delação premiada;

7) O mandante fica impune, e seu anonimato, garantido.

FOI ISSO OU NÃO FOI?

Manifestação foi significativa e pode levar Congresso a aprovar projetos do governo, diz fonte


Lisandra Paraguassu - As manifestações do último domingo foram maiores do que o esperado e podem ajudar os parlamentares a “caírem em si” e trabalharem com o governo do presidente Jair Bolsonaro para aprovar projetos importantes para o país, disse à Reuters um importante auxiliar palaciano.

A avaliação no Planalto é que os atos foram “expressivos” e “significativos” em termos de mensagem.

“O número foi até acima do esperado, isso todo mundo achou. E foi expressivo porque mostrou que aquele pessoal que compareceu é o pessoal que está pensando no Brasil. É uma manifestação de gente com uma visão diferente, isso aí foi muito importante”, disse a fonte.

As manifestações aconteceram em cerca de 156 cidades de todos os Estados e do Distrito Federal, enquanto os atos contrários ao governo e em defesa da educação, em 15 de maio, aconteceram em cerca de 222 municípios.

Os principais alvos das manifestações a favor do governo acabaram por ser os deputados —especialmente o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o chamado centrão. De acordo com a fonte, o resultado das ruas deve levar os parlamentares a trabalhar com o governo.

“Eles (os parlamentares) têm que parar para pensar. Podem estar incomodados, mas vão cair em si. Não estão pensando no Brasil, estão pensando na reeleição de Bolsonaro, que não pode passar não sei o quê porque Bolsonaro pode ser reeleito? Não é hora de pensar nisso, tem que pensar no Brasil. A gente está caminhando para um buraco”, disse a fonte.

Mesmo que um grupo de parlamentares decida endurecer, o clima está mais propício para uma reacomodação da relação com o Executivo, avalia.

Nesta terça, Bolsonaro terá um café da manhã no Palácio da Alvorada com o presidente da Câmara, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Em suas falas depois das manifestações, Bolsonaro repetiu mais de uma vez que era preciso “ouvir a voz das ruas” e defendeu um “pacto pelo Brasil”.

“Ele quer fazer isso. Acho que todos eles querem”, disse a fonte.

Nesta segunda, o porta-voz da Presidência, Otávio do Rêgo Barros, repetiu a fala de Bolsonaro.

“Tem que aproveitar isso para tentar convencer os parlamentares que pelo amor de Deus parem de discutir e votem essa porcaria, aprovem a Previdência, depois vamos ver o que acontece. Se der errado, aí se execra o Bolsonaro, o governo dele, mas vamos tentar”, afirmou a fonte.

Apesar do otimismo do Planalto, no Congresso o clima não é o mesmo. Parlamentares ouvidos pela Reuters não consideram que as manifestações tenham tido todo o peso colocado pelo governo e que não alteram o andamento do Congresso. Ao contrário, avaliam os líderes, a beligerância com a Casa são um erro do presidente.

Tabata Amaral contraria PDT e apoia reforma da Previdência

Embora não esteja na Comissão Especial que analisará o texto da reforma no Congresso, ela disse que trabalhará para esclarecer parlamentares e população sobre pontos bons e ruins da proposta
                              (reprodução)
             

Integrante de um partido de oposição ao governo Jair Bolsonaro, a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP) ganhou os holofotes ao contrariar o próprio partido e defender publicamente a necessidade de uma reforma da Previdência.

Autodeclarada progressista, ela afirmou ao 'Estadão/Broadcast' que sente "uma tristeza muito grande" ao ver deputados e partidos se posicionarem contra a reforma. Um deles é o próprio PDT, que fechou questão contra a proposta.

"Eu não consigo entender. Quem é progressista, quem tem a luta social como algo do sangue mesmo, como que essas pessoas não se posicionam contra a desigualdade que é perpetuada pela Previdência?", disse.

Embora não esteja na Comissão Especial que analisará a partir desta semana o texto da reforma no Congresso, ela disse que trabalhará para esclarecer parlamentares e população sobre pontos bons e ruins da proposta.

Tabata fez críticas, por exemplo, às mudanças apresentadas pelo governo no benefício assistencial para idosos de baixa renda, o BPC, na aposentadoria rural, na aposentadoria de professores (cuja maior crítica da parlamentar é a ausência de uma valorização da carreira, a exemplo da proposta dos militares) e à falta de detalhes sobre o regime de capitalização que o governo quer criar para que os futuros trabalhadores tenham uma espécie de poupança individual para a aposentadoria.

Por outro lado, disse que o Congresso não pode se furtar diante da grave situação da Previdência, que deve ter um rombo superior a R$ 300 bilhões neste ano, considerando INSS e regime de servidores federais.

Para ela, a discussão sobre uma idade mínima, as alíquotas progressivas (que aumentam quanto maior é a renda do trabalhador) e o combate a privilégios nas aposentadorias de servidores vão na direção certa.

Eleição
Ao admitir méritos na proposta, Tabata se coloca em um campo distinto ao do deputado Paulinho da Força (SD-SP), que descartou votar em proposta capaz de reeleger Bolsonaro.

Ela classificou como "lamentável" colocar o cenário eleitoral como variável. "Espero que os deputados entendam o quão grave é a gente aprovar uma proposta injusta e o quão grave é não aprovar nenhuma proposta", disse.

Tabata é deputada de primeiro mandato e uma das fundadoras do Movimento Acredito, que pretende formar nova geração de lideranças políticas. Nascida na periferia de São Paulo, formou-se em Harvard, prestigiosa universidade americana. Foi a sexta deputada mais votada de São Paulo em 2018.

Já no Congresso, chamou a atenção ao travar duro debate com o ex-ministro da Educação Ricardo Vélez, criticando a falta de dados na audiência. E vem sendo alvo de críticas tanto da esquerda quanto da direita por não se denominar em nenhum dos campos e divergir com lideranças desses dois polos.

Embora sua principal bandeira seja a educação, ela disse que vem há dois anos estudando o tema da Previdência e critica o "debate raso". "Nossa Previdência leva dinheiro de quem tem menos para quem tem mais, perpetua desigualdades. Essa é a minha discordância com a esquerda", disse.

A falta de profundidade nas discussões também atinge, em sua visão, a trincheira dos governistas. Para ela, esses parlamentares aceitam medidas que podem ser injustas com trabalhadores para garantir a economia de R$ 1,2 trilhão em dez anos pretendida pelo governo.

Tabata já apresentou seis emendas sugerindo mudanças no texto e pretende apresentar outras três: "Não posso esperar de braços cruzados".