25 de jun de 2019

Prévia da inflação desacelera para 0,06% em junho




Perguntas que todo monarquista já ouviu

Quando alguém ofende Maria, é como se estivesse - e está - a lancetar novamente o Cristo na Cruz

Paulo Henrique Cremoneze - Salvo o católico, cuja devoção mariana é abençoadamente obrigatória - ninguém é obrigado a crer em Maria como intercessora, mediadora, “toda pulchra”, advogada nossa, primeiro sacrário do Senhor.

Respeito o direito de não demonstrar devoção alguma a Nossa Senhora. Fico triste, mas sinceramente respeito. Fico triste porque se o próprio Deus a escolheu como Mãe é de se esperar dos homens carinho enorme.

Mas, não devotar a Maria o devido culto não significa salvo-conduto para ofende-la, diminui-la ou atacar sua magna dignidade. Maria está acima dos anjos e abaixo somente de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Quando alguém ataca Maria, ataca também todas as mães do mundo, as que honram a mais nobre das vocações, a maternidade.

Quando alguém ofende Maria, é como se estivesse - e está - a lancetar novamente o Cristo na Cruz.

Um fato que ninguém que acredita em Jesus como Salvador pode negar é que Maria é a sua Mãe, a Mãe de Deus e, consequentemente, nossa.

Repudiar Maria é magoar o coração do Senhor.

Se Deus “acatava” os pedidos de Maria (lembremos do milagre das Bodas de Caná), quem é o homem para não lhe endereçar, senão amor, ao menos respeito?

Paulo Henrique Cremoneze é Advogado, e escreve  uma coluna para o jornal A Tribuna sobre experiências no exterior.

O fim dos carros novos para Lula e Dilma

Guedes vê queda de 40% no preço da energia com plano para quebrar monopólio do gás


Um plano para abertura do mercado de gás natural no Brasil pode contribuir para uma redução de 40% no preço da energia no país em menos de dois anos, o que seria importante para impulsionar a economia brasileira, disse nesta segunda-feira o ministro da Economia, Paulo Guedes, ao apresentar resolução do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) sobre o tema.

“Um choque de energia barata é tudo que todos sonham..., tem muita coisa boa quando se faz uma coisa como essa... Estamos superotimistas que isso vai fazer o Brasil crescer”, disse o ministro Paulo Guedes, acrescentando que monopólios impedem o desenvolvimento.

O movimento, na linha de um outro plano de se quebrar o monopólio da Petrobras na área de refino de petróleo, visa intensificar a desverticalização em toda a cadeia de gás natural, após a petroleira estatal ter já vendido participações majoritárias em gasodutos por bilhões de dólares, como foi o caso da Transportadora Associada de Gás (TAG) e da Nova Transportadora do Sudeste (NTS).

Segundo o ministro, o Brasil já quebrou o monopólio na produção e agora vai quebrar também o da distribuição.

“Isso então é que deve reduzir o preço da energia. E os cálculos são esses, eu tinha uns cálculos até um pouquinho mais otimistas. Pode ser que a energia caia cerca de 40% em menos de dois anos até, mas são simulações”, disse o ministro, que anteriormente afirmou que o custo da energia poderia cair 50%.

Segundo ele, se o custo cair 40%, o PIB industrial subiria cerca de 8,5%, se for reduzido em 50%, o produto interno bruto do setor industrial subiria 10,5%.

O plano quer criar as condições para o acesso de mais agentes não só aos gasodutos de transporte, mas a todas as infraestruturas essenciais do setor, “proporcionando a abertura do mercado e a promoção da concorrência”.

A fim de viabilizar esse processo, entre as medidas propostas, destaca-se a recomendação do CNPE para que a Petrobras defina o quanto de capacidade necessita utilizar em cada ponto de entrada e zona de saída do sistema de transporte de gás natural, permitindo, assim, o acesso por novos agentes.

A Petrobras possui, por exemplo, participação de 51% na Gaspetro, uma holding que detém participações acionárias em 19 empresas de distribuição de gás natural, das 27 constituídas no país.

O CNPE recomendou também que o governo federal incentive os Estados e o Distrito Federal, por meio de seus programas de transferências de recursos e de ajuste fiscal, a voluntariamente modernizar a regulação dos serviços de gás canalizado, segundo a nota do conselho.

Mas Guedes ressaltou que não haverá “toma lá, dá cá”, e que os Estados não receberão recursos em troca de aderirem ao plano.

O ministro citou que o Estado do Rio de Janeiro, grande produtor de petróleo e gás do Brasil, já está tomando ações nesta linha.

Segundo ele, o Rio de Janeiro já percebeu essa oportunidade de atrair novos investimentos no setor de energia e concorda em abrir mão do monopólio na área de distribuição de gás.

O governo fluminense aprovou na semana passada regras que buscam mais competição no setor de gás natural, com a criação de um ambiente mais propício para o desenvolvimento de empreendimentos que dependem de grande consumo da molécula, em uma medida que foi comemorada pela associação que representa as grandes petroleiras no país.

Como exemplo de empresas interessadas em investir se o preço do gás cair, o ministro voltou a citar a mineradora Vale, que teria planos de investir 20 bilhões de dólares, como parte de um plano para investir na fabricação no Brasil de Hot Briquetted Iron (HBI), um produto à base de minério de ferro com maior valor agregado.

CONGRESSO
Também presente na coletiva de imprensa de divulgação da resolução do CNPE, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que apresentará a partir de terça-feira ao Congresso o desenho do novo mercado de gás, com medidas que devem ser objetivo de aperfeiçoamento legislativo.

Segundo o ministro, o governo não vai encaminhar uma proposta de projeto de lei ao Congresso, mas quer trabalhar com os parlamentares no desenho da legislação.

“É um projeto de lei, mas não emanado do Executivo”, disse Albuquerque.

Segundo a assessoria de imprensa do ministério, Albuquerque irá ao Senado na terça-feira, às 14h. Na quarta-feira, ele estará na Câmara dos Deputados.

O ministro afirmou que esta será a primeira vez que o setor público terá um conjunto de medidas orientando o fim do monopólio no setor de gás.

Ele afirmou que a resolução aprovada nesta segunda-feira pelo CNPE estabelecendo diretrizes para a liberalização do mercado de gás natural dialoga com outras duas resoluções recentes, uma que trata do refino e outra, do gás de cozinha.

Reportagem de Mateus Maia e Isabel Versiani

Bolsonaro diz que vai vetar lista tríplice para agências reguladoras


Presidente quer manter poder de influência nos órgãos


Marcelo Brandão - O presidente Jair Bolsonaro disse hoje (24) que vai vetar o trecho da Lei Geral das Agências Reguladoras que trata da indicação de dirigentes das autarquias. A nova lei, aprovada em maio pelo Congresso Nacional, prevê a elaboração de lista tríplice para a escolha de novos conselheiros, diretores e presidentes.

“A decisão, até o momento, para indicar os presidentes das agências é minha. A partir desse projeto, [passa a ser] uma lista tríplice feita por eles. Essa parte será vetada de hoje para amanhã”, afirmou. O presidente justificou a decisão por não querer perder a influência que tem nas agências reguladoras.

“As agências têm um poder muito grande e essa prerrogativa de o presidente [da República] indicar o presidente [da agência] é importante porque nós teremos algum poder de influência nessas agências”. Bolsonaro tem até amanhã (25) para sancionar ou vetar o projeto enviado pelo Congresso.

O projeto, de autoria do então senador Eunício Oliveira, tramitava há oito anos. A matéria passou pelo Senado, foi para a Câmara e, ao voltar ao Senado, sofreu alterações. Coube aos senadores garantir a proibição de indicações políticas nas agências. Conforme o texto enviado para sanção, os indicados para ocupar cargos precisarão ter ficha limpa, não poderão ter cargos eletivos – ser deputado ou senador, por exemplo – nem ser parente de políticos.

23 de jun de 2019

Cresce o movimento para retorno da monarquia no Brasil

Com o advento da internet e principalmente das mídias sociais facebook, whatsapp, Instagran, Twitter dentre outros está acontecendo um processo que está passando despercebido para a grande maioria da população, a democratização da informação, com isso, hoje a verdade conseguiu se sobrepor a mentira fazendo com que muitos brasileiros estejam descobrindo sua verdadeira história. 

Agora outros dois fatos agregadores para nos livrarmos dessa prisão histórica em que vivíamos é o excelente trabalho que vem fazendo D. Bertrand, que podemos chamar de ‘Porta-Voz’ da Casa Imperial Brasileira cujo irmão é D. Luiz de Orleans e Bragança chefe da Casa Imperial Brasileira e o primeiro na linha de sucessão, será o nosso Imperador assim que essa injustiça for desfeita, ou melhor que por justiça seja restaurada a Monarquia. 

D. Bertrand vem dando várias entrevistas em Tv’s e rádios desmistificando todo esse aparato cultural contra a monarquia no último século.

Indico três vídeos esclarecedores que foram entrevistas cedidas a Mariana Godoy,  Danilo Gentilli e Leda Nagle.


O segundo fato agregador é o excelente trabalho que a produtora Brasil Paralelo vem fazendo publicando séries históricas de excelente qualidade e principalmente apartidária fazendo com que os brasileiros tenham contato agora com a verdadeira história.

Uma dessas séries de 6 capítulos é 'A Cruz e a Espada' que você pode assistir no youtube clicando aqui. Não deixe de assistir.

Vários fatores contribuíram para a proclamação da república, mas para começarmos a contextualizar esse fato trágico da nossa história podemos citar dois que contribuíram muito. O Primeiro foi a abolição da escravatura assinada pela Princesa Isabel e a segunda foi uma dor de cotovelo, isso mesmo, você não leu errado. Historiadores dizem que quando Deodoro saiu do Campo do Santana em 15/11/1899 ele não bradou ‘Viva a República’, ele bradou ‘Viva o Imperador!’, ele inclusive era amigo pessoal de D. Pedro II. 

O golpe tinha como objetivo o Gabinete do Visconde de Ouro Preto que tinha desavenças com os militares (1/3 dos militares eram republicanos), aliás, existiam pouquíssimos republicanos à época por ser um partido nanico, os partidos mais efetivos eram os liberais e conservadores, prova isso o fato de que o máximo que o partido republicano conseguiu eleger foram 4 deputados, sendo que nas últimas eleições do Império em agosto de 1899  elegeram somente 2 deputados. 

O ápice da trama 
No entardecer do dia 15 foram dizer a Deodoro que quem iria assumir a Presidência do Conselho de Ministros no lugar do Visconde era Silveira Martins, cujo qual, Deodoro supria uma total aversão, porque quando foi comandante da Praça de Porto Alegre havia disputado com ele (Silveira Martins), o amor da filha do Barão do Triunfo, Adelaide, que acabou optando pelo Visconde de Ouro Preto.

O cara

Se podemos chamar um brasileiro de ‘O Cara’ essa pessoa é D. Pedro II, pra se ter uma ideia de sua visão vanguardista isso que você faz agora com seu celular onde aprendeu a palavra selfie, ele fez no século XIX, D. Pedro II buscava sempre a tecnologia. No Palácio de São Cristóvão, Rio de Janeiro, aproximadamente em 1860, D. Pedro II, com 35 anos fez seu auto retrato, confira essa história clicando aqui. 

Enfim, nosso Império assegurou a unidade territorial do Brasil ao contrário da espanhola que se dividiu em várias repúblicas, mas isso é assunto pra outra história ou se desejar existe muita biblioteca sobre esse assunto sugiro que leia.

Para quem gosta do facebook tem muita informação sobre D. Pedro II, clique AQUI para ser redirecionado.

Os arrependidos

Foram muitos os que se arrependeram, como por exemplo Rui Barbosa, Beijamin Constant, Quintino Bocaiuva, mas vamos começar por quem iniciou a proclamação, Deodoro da Fonseca. Há uma carta para seu sobrinho no arquivo nacional que ele diz textualmente: “República no Brasil é coisa impossível, porque será uma verdadeira desgraça. Os brasileiros estão e estarão muito mal educados para republicanos. O único sustentáculo do nosso Brasil é a Monarquia; se mal com ela, pior sem ela”. 

21 de jun de 2019

Da Série, Monarquia: 21/06/2019



Cerco aos hackers

A PF segue no encalço dos criminosos que violaram as conversas mantidas entre o ex-juiz Sergio Moro e integrantes da Lava Jato. Pistas estão sendo seguidas no Brasil e no exterior, e os policiais acreditam estarem próximos de alcançar os cabeças do grupo


Germano Oliveira - Desde que o site The Intercept Brasil revelou as trocas de mensagens privadas entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, e os procuradores da Lava Jato em Curitiba, o Brasil acompanha apreensivo à divulgação, em doses homeopáticas, do teor das interceptações – fruto da violação de celulares de autoridades brasileiras. O constrangimento ao qual foram expostos os integrantes da Lava Jato e o ex-juiz que se tornou símbolo do combate à corrupção no País pode mudar de lado. A Polícia Federal planeja-se para, nas próximas semanas, tentar emitir uma contundente resposta ao que classifica de ação orquestrada perpetrada por criminosos de alto calibre. Sob a coordenação do diretor-geral Maurício Valeixo, a PF acredita ter se aproximado dos hackers que invadiram a privacidade dos procuradores e expuseram as vísceras da Lava Jato. Em investigações preliminares, os agentes da Polícia Federal já identificaram conexões no Brasil, em especial em Santa Catarina, e no exterior, com o suposto envolvimento de agentes na Rússia e até em Dubai, nos Emirados Árabes. Segundo agentes ouvidos por ISTOÉ, a PF pode estar perto de alcançar os responsáveis pelo hackeamento ilegal, o que, se confirmado, constituiria uma bomba capaz de provocar uma reviravolta no caso.

NA NUVEM O ministro Sergio Moro saiu-se bem na sabatina do Senado na quarta-feira 19. 

Deltan Dallagnol (ao lado) comemorou (Crédito:Divulgação)
“Há um movimento claro para anular condenações e impedir investigações”

“Um grupo organizado se valeu de métodos criminais para a quebra do sigilo de autoridades” Sergio Moro, ministro da Justiça

As pistas da principal linha de investigação levam à Rússia. É onde reside o americano Edward Snowden, notório aliado do jornalista Glenn Greenwald, dono do site The Intercept Brasil. Em 2013, Snowden se aproximou dos irmãos bilionários Nikolai e Pavel Durov, que criaram o Telegram, um sistema de comunicação por mensagens similar ao Whatsapp. A PF suspeita que Snowden possa estar por trás do esquema de bisbilhotagem e divulgação das mensagens de membros do Ministério Público Federal. Recentemente, Snowden elogiou o Telegram por sua resiliência na Rússia, depois que o governo proibiu o aplicativo e pressionou para que liberasse o acesso às mensagens privadas dos usuários. Na PF, há quem acredite que o americano refugiado na Rússia possa ter se valido de recentes contatos com os Durov para ter acesso aos diálogos envolvendo as autoridades brasileiras.

Condinome: “lucky12345”

A partir da investigação sobre os passos de Snowden, informantes do Brasil na Rússia puxaram um outro fio do novelo: o que leva a Evgeniy Mikhailovich Bogachev, de 33 anos. Criador do vírus Cryptolocker e do ardiloso código Zeus, ele é procurado pelo FBI americano por crimes cibernéticos. Um rastreamento identificou que Slavic ou “lucky12345”, como é conhecido, teria recebido US$ 308 mil em bitcoins (a moeda virtual). Resta saber se o depósito foi realmente a contrapartida financeira por ele ter participado do processo de quebra do sigilo telefônico dos procuradores. O dinheiro teria circulado pelo Panamá antes de chegar a Anapa, na Rússia, onde foi transformado em rublos. Na última semana, o nome do agente russo veio à tona pela primeira vez através de um perfil anônimo no twitter. Embora parecesse inverossímil num primeiro momento, por conter erros de grafia e tradução, ISTOÉ confirmou que a PF segue sim o rastro da pista, considerada importante pelos agentes hoje à frente do caso. Em especial, pelos indícios de que Slavic, uma espécie de laranja no esquema, possa estar ligado a Snowden. Um relatório de segurança da Ucrânia aponta que “lucky12345” atua sob a supervisão de uma unidade da espionagem russa.


Mas por que os bilionários irmãos Nikolai e Pavel Durov, do Telegram, se aliariam a Snowden e Slavic na tentativa de desqualificar a principal operação de combate à corrupção da história recente do Brasil? Agentes da PF colheram informações que os levam a crer que os Durov, atualmente abrigados em Dubai, podem ter agido com motivações puramente ideológicas. Adeptos do islã, eles teriam ficado enfurecidos com a proverbial predileção do presidente Jair Bolsonaro por Israel em detrimento aos árabes. Em abril, depois de recebido com honras pelo premiê Benjamin Netanyahu, o presidente anunciou a criação de um escritório de negócios em Jerusalém “para a promoção de comércio, investimentos e intercâmbio” bilaterais. Netanyahu saudou a abertura de um gabinete brasileiro na cidade e pediu que aquele fosse o primeiro passo para a abertura da embaixada brasileira em Jerusalém – o que provocou a ira dos islâmicos e, consequentemente, dos Durov. Bolsonaro, ao alcançar o poder, foi o principal beneficiário da Lava Jato, conduzida por Moro. Desmoralizar o juiz e a Lava Jato significaria enfraquecer o bolsonarismo e trazer a esquerda lulista de volta ao jogo. Confirmada a tese, Greenwald teria sido a ponta final da operação comandada pelo trio Snowden, Slavic e Durov.

Não custa lembrar que Greenwald e Snowden foram parceiros num trabalho desenvolvido em 2013 e que expôs dados secretos da Agência de Segurança Nacional (NSA), do governo dos EUA. O material interceptado por Snowden, também de forma ilegal, foi divulgado por Greenwald no jornal inglês The Guardian e em outros jornais pelo mundo afora, como O Globo, no Brasil. Graças aos documentos vazados, o jornalista ganhou os prêmios Pulitzer e Esso. Pressionado a divulgar detalhes de sua operação, Snowden acabou se asilando na Rússia, onde passou a ser protegido pelo presidente Vladimir Putin. Enquanto que Greenwald se refugiou no Brasil, casando-se com o brasileiro David Miranda, atual deputado federal pelo PSOL e acabou fixando residência no Rio de Janeiro, de onde opera o The Intercept Brasil. Atualmente, Snowden é presidente da Freedom of the Press Foundation. Um dos co-fundadores é Greenwald. Na última semana, a PF considerou realizar uma operação de busca e apreensão dos computadores do dono do The Intercept e conduzi-lo para prestar depoimento, mas fontes ligadas ao ministro entenderam que esse fato poderia transformar o jornalista em mártir e o governo ainda corria o risco de ser acusado de cercear a liberdade de imprensa.

Trabalho de profissional

Algo é certo: a PF já sabe que o acesso ilegal ao aplicativo Telegram dos procuradores não foi realizado por amadores. “Não foi uma ação de um adolescente por trás de um computador. Tratou-se de um trabalho feito por uma organização criminosa altamente especializada”, endossou Moro em depoimento que prestou no Senado na quarta-feira 19. De fato, segundo fontes da PF, o trabalho de hackers na quebra de sigilo de celulares e computadores foi coisa de profissional. Além de envolver equipamentos caríssimos que alcançam a casa dos milhões de dólares, fogem completamente do padrão de hackers de menor poder destrutivo, conhecidos como “defacements”, que se notabilizaram por fazer as chamadas “pichações políticas” em sites e organizar malfadados ataques a transações bancárias. No dia 4, o suposto hacker tentou se passar pelo ministro da Justiça enviando uma mensagem a um funcionário do gabinete de Moro, depois de ativar uma conta no Telegram.


O DESIGNADO O delegado Maurício Valeixo, diretor-geral da PF, 

está à frente da operação destinada a encontrar os responsáveis 
pela violação das conversas (Crédito:Divulgação)
Sem descartar as pistas que surgem pelo caminho, na última semana, a PF adicionou uma organização criminosa que operava em Santa Catarina ao rol dos suspeitos. Na terça-feira 18, a PF desencadeou a operação “Chabu” (vulgo “deu errado”) em Florianópolis, com o cumprimento de sete mandados de prisão e 23 de busca e apreensão. O objetivo foi a desarticulação de uma quadrilha que vinha quebrando sigilos de autoridades no estado para o vazamento de operações policiais e ações de órgãos públicos. Para a PF, a quadrilha pode estar envolvida na operação de hackeamento dos celulares dos procuradores do Paraná.

Para a PF, Nikolai e Pavel Durov, do Telegram, teriam se aliado a Snowden, Slavic e Greenwald por razões ideológicas

Entre os presos, está o delegado da PF Fernando Amaro de Moraes Caieron e o policial rodoviário federal Marcelo Roberto Paiva Winter, ambos especializados em crimes cibernéticos e tráfico de drogas. Foram presos ainda o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (sem partido), e o ex-chefe da Casa Civil Luciano Veloso Lima. Todos eles utilizavam a estrutura da empresa Nexxera, de tecnologia, para cometer as ilegalidades. Segundo fontes ligadas ao diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, a análise dos documentos apreendidos será decisiva para apontar a existência do elo do grupo com os hackers da Lava Jato. Assim como a conexão Brasil-Rússia-Dubai, o elucidamento do caso parece estar próximo. Quem acompanha as investigações assegura: se os indícios encontrados até agora se confirmarem, a PF estará bem perto mudar o rumo do rumoroso episódio que monopolizou as atenções dos brasileiros nas últimas semanas.

Da Série: Um pouco de história - O Soldado mais velho do Brasil - 21/06/2019



O Cabo Anísio Manoel de Souza (gaúcho de São Gabriel), em 1935 com 113 anos ainda servia a Pátria, recusando ir para casa, negando a aposentadoria, quando diziam vá descansar ele respondia: Terei tempo para isso depois. 

É considerado o Soldado mais velho que ficou na ativa no exército Brasileiro.

Lutou na  Revolução Farroupilha e na Guerra do Paraguai.  

Fonte:https://www.facebook.com/groups/156087481737120/permalink/341740703171796/

“Eu já falei que o Sergio Moro é patrimônio nacional”


Em coletiva, Jair Bolsonaro acaba de repetir:

“Eu já falei que o Sergio Moro é patrimônio nacional. É um homem que, no meu entendimento, conseguiu um ponto de inflexão nesse grande mal que assola o país há décadas, que é a corrupção.”

O presidente acrescentou que Moro se saiu muito bem no Senado.

“Ele saiu mais fortalecido do que entrou. Para mim, é motivo de honra e orgulho tê-lo no Ministério [da Justiça].”

Tapetes de Corpus Christi pelo Brasil; FOTOS


  Veja mais fotos clicando AQUI.

O dia em que o BRASIL quase voltou para MONARQUIA (Felipe Dideus)

Bolsonaro participa da Marcha para Jesus 2019, em São Paulo


Veja essa e outras fotos clicando AQUI. 


20 de jun de 2019

Começa o processo de descomunização na Polônia




Pra quem chamava Bolsonaro de machista ele responde com nomeações de mulheres no governo




Vídeo – Primeiro Power On do Gripen E Brasileiro



Guilherme Wiltgen - O primeiro Gripen E brasileiro passou por mais uma fase de seu desenvolvimento, o “Power on”, quando a aeronave foi energizada pela primeira vez.


O Coronel Renato Leal Leite, chefe do Grupo de Acompanhamento e Controle na Saab da FAB, conta o que isso representa.

19 de jun de 2019

O soldado brasileiro que foi amigo do 'HOMEM DE HONRA'

Melhora a confiança do empresário, diz CNI


O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) alcançou 56,9 pontos em junho. A alta de 0,4 ponto em relação a maio interrompe uma série de quatro quedas consecutivas do indicador, que está 2,4 pontos acima da média histórica (54,5 pontos). As informações são da pesquisa divulgada hoje (19) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Os indicadores do ICEI variam de zero a cem pontos. Quando estão acima dos 50 pontos indicam empresários confiantes.

Segundo a CNI, o índice deste mês é 7,3 pontos superior ao de junho do ano passado, quando o otimismo dos empresários foi fortemente afetado pela greve dos caminhoneiros.

De acordo com a pesquisa, o otimismo é maior nas grandes empresas, segmento em que o índice de confiança de junho ficou estável em 57,6 pontos. Nas médias, o índice subiu um ponto em relação a maio e alcançou 56,7 pontos. Nas pequenas, o índice cresceu 0,7 ponto e ficou em 55,8 pontos.

Esta edição do  foi feita entre 3 e 12 de junho, com 2.400 empresas. Dessas, 940 são pequenas, 898 são médias e 562 são de grande porte.

Os farsantes


Deltan Dallagnol teve de desmontar mais uma vez a farsa do Intercept, explicando que o caso de FHC “sequer era de atribuição da força-tarefa Lava Jato de Curitiba, e que ela não teve qualquer participação na decisão de seu envio para outra unidade do Ministério Público Federal ou na análise de eventual prescrição”.

Ele repetiu também aquilo que já estava claro nas próprias mensagens roubadas:

“Sempre que a força-tarefa tomou conhecimento de fatos que poderiam revelar indícios concretos de crimes envolvendo altas autoridades, independentemente do partido a que pertencessem, foram adotadas todas as providências cabíveis.”

Da série: Monarquia - 19/06/2019

Presidente Bolsonaro sanciona Lei que combate fraudes previdenciárias no INSS

Leia tudo AQUI


18 de jun de 2019

Em menos de 24h Vice Presidente dos USA Mike Pence se refere à Venezuela duas vezes. A paciência Norte-Americana parece estar se esgotando


Brasil assina acordo com Centro de Estudos Espaciais da França

Ministro Marcos Pontes e o presidente da AEB, Carlos Moura, durante assinatura da Declaração Conjunta de Interesse entre Brasil e França
O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC) e a Agência Espacial Brasileira (AEB) assinaram nesta segunda-feira (17) uma declaração conjunta de interesse com o Centro Nacional de Estudos Espaciais da França. A iniciativa faz parte da visita oficial do ministro Marcos Pontes ao país.

O objetivo da parceria é estreitar os laços entre os dois países em assuntos aeroespaciais e prevê a cooperação para o intercâmbio de projetos em conjunto, inclusive iniciativas para o Centro Espacial de Alcântara no Maranhão, se o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas com os Estados Unidos for aprovado no Congresso Nacional.

A ideia do ministério é firmar tratados semelhantes com outros países. Dentro da programação da visita oficial, o ministro Marcos Pontes participou da abertura da Feira Internacional Paris Air Show, onde se encontrou com o presidente francês Emmanuel Macron.


CNES

Fundado em 1961, o Centro Nacional de Estudos Espaciais (Centre National d’Études Spatiales – CNES) é o órgão do governo responsável pela formulação e implementação da política espacial da França. Sua tarefa é criar os sistemas espaciais do futuro, levar as tecnologias espaciais à maturidade e garantir o acesso independente da França ao espaço. O CNES é um participante fundamental no programa espacial da Europa, fonte de iniciativas e propostas que visam manter a competitividade do país e do continente.

O CNES concebe e executa programas espaciais com parceiros na comunidade científica e na indústria e está envolvido em muitos programas de cooperação internacional.

A força de trabalho de mais de 2.400 funcionários da agência conta com cerca de 1.800 engenheiros e executivos, dos quais 35% são mulheres. Por meio de sua capacidade de inovar e de sua visão voltada para o futuro, o CNES ajuda a promover novas tecnologias concentrando-se em: espaço, ciências, observação, telecomunicações e defesa.

Fonte e fotos: MCTIC

Primeiro, os brasileiros passaram a não só dar bom dia nas redes sociais



Segundo, começaram a criticar os governos, depois, passaram a ir pra rua e reivindicar seus direitos.

Agora, tudo indica que vão começar a cobrar mais sério.
  
Será que vão invadir as instituições e botar a corja que atrasa o Brasil pra correr na marra ou não vão reelegê-los na próxima eleição? 

A sorte está lançada.

Destroços da greve: Morre mulher que inalou fumaça de pneus queimados em manifestação


Bruna de Pieri - Faleceu nesta segunda-feira (17), por volta das 14h30, a mulher que inalou fumaça de pneus queimados durante manifestação da esquerda contra a Reforma da Previdência em Belo Horizonte, na última sexta-feira, 14.

Edir Alves Guimarães, de 53 anos, estava internada no Centro de Tratamento Intensivo (CTI) do Hospital Risoleta Neves. Ela chegou na unidade de saúde com uma parada cardiorrespiratória.

Segundo a assessoria de imprensa do hospital, foi constatada pelos médicos morte encefálica, informou o jornal O Tempo.

O caso

Edir Alves Guimarães estava dentro de um ônibus, que passava pela avenida Antônio Carlos no momento em que socialistas queimavam pneus. A mulher inalou a fumaça tóxica e passou mal. Ela teve duas paradas cardíacas e ficou inconsciente. Seu estado de saúde era considerado gravíssimo.

Imunoterapia será principal droga contra câncer, diz Nobel de Medicina



Nos últimos anos, os avanços da oncologia revolucionaram a forma de tratar o câncer. Em 2018, dois pesquisadores ganharam o Prêmio Nobel de Medicina por seus estudos com a imunoterapia, um tratamento inovador que usa o próprio sistema imunológico do indivíduo para combater os tumores. Com a evolução da pesquisa ligada ao sequenciamento do genoma humano, uma nova perspectiva foi aberta nos ramos da oncogenética e da oncologia de precisão, com testes e terapias personalizados para cada paciente.

O programa Caminhos da Reportagem, que vai ao ar hoje (18) às 22h30,na TV Brasil, mostrará que as conquistas da medicina têm permitido afastar a associação do diagnóstico da doença com uma sentença de morte e, efetivamente, curar muitos tipos de tumores.

Diretamente de Quioto, no Japão, o pesquisador Tasuku Honjo, premiado com o Nobel, conversou com a equipe do programa sobre as vantagens da imunoterapia em relação aos tratamentos tradicionais. “Primeiro, a imunoterapia tem muito menos efeitos colaterais. A segunda vantagem é que o seu efeito dura mais tempo. Em terceiro lugar, esse tratamento é eficaz em praticamente todos os tipos de câncer”, afirma. Para ele, a imunoterapia será a principal droga para o tratamento da doença no futuro: “Exatamente como aconteceu com a penicilina. Inicialmente ela não curou todas as doenças infecciosas, porém uma série subsequente de antibióticos finalmente conseguiu banir quase todas as principais doenças infecciosas na nossa sociedade. É isso que espero”.   

A imunoterapia foi a última alternativa no tratamento do jornalista David Coimbra, que descobriu um câncer no rim já com metástase para os ossos. “O médico disse: olha, se tudo der certo, você tem mais cinco anos no máximo”. O prazo já passou e os tumores de David regrediram graças à terapia, a que ele teve acesso ao ser selecionado para participar de um estudo clínico em Boston, nos Estados Unidos.

Caminhos da Reportagem, TV Brasil, Câncer 
Divulgação TV Brasil
No caso de Dayane Sant’Anna, funcionária pública, a melhor alternativa apontada pelos médicos foi uma cirurgia preventiva, como a realizada pela atriz Angelina Jolie, em 2013. Um mapeamento genético mostrou que Dayane tem a mesma mutação da estrela de Hollywood, que aumenta em 87% a chance de desenvolver câncer de mama. Após curar um tumor, ela se prepara para enfrentar uma mastectomia bilateral para afastar de vez a doença: “Quando a gente se dá conta da finitude, a gente percebe que ou a gente aproveita isso agora, ou não sabe o dia de amanhã. A gente não sabe o que vem depois. Então, o momento é agora”.    

A aposta dos médicos é que a ciência caminha para descobrir novas formas de prevenção e tratamentos menos invasivos, que permitam ao paciente conviver com a doença. “Eu acho que nesse dia vai ser difícil morrer de câncer. Ele é uma doença vinculada à evolução da espécie, nunca vai desaparecer da nossa  vida. Mas que a gente pode derrotá-lo? Ah, pode”, aposta Bernardo Garicochea, especialista da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica.   

17 de jun de 2019

CPI do BNDES ouve ex-ministro dos governos Lula e Dilma




Mateus Benfatti - Nesta segunda-feira (17/6), na Câmara dos Deputados, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do BNDES, ouve o depoimento do ex-ministro do Planejamento do governo Lula e das Comunicações no primeiro governo Dilma, Paulo Bernardo Silva.

A presença do ex-ministro marido da senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), foi solicitada pela deputada Paula Belmonte (Cidadania-DF).

“Entendemos que, com as informações eventualmente fornecidas pelo convocado, a comissão terá condições de conduzir uma  investigação mais eficiente e consistente”, afirmou Paula.

A CPI investiga supostas irregularidades nas operações de crédito realizadas pelo BNDES entre os anos de 2003 a 2015.

* Com informações de Agência Câmara

Presidente Bolsonaro participa hoje da solenidade de assinatura da MP para Confisco de Bens de Traficantes

Exportações brasileiras crescem 10% em maio com vendas para os EUA

Atracação de navios no Caís do Porto do Rio de Janeiro, guindaste, container.
Produtos são exportados, em sua maioria, por navios    (Arquivo/Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Vitor Abdala - As exportações brasileiras cresceram 10% em maio deste ano, na comparação com maio do ano passado. Segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), o destaque ficou com as vendas para os Estados Unidos, que cresceram 72% no mês, na comparação com o mesmo período de 2018.

Ao mesmo  tempo, as exportações para a Argentina e a China tiveram queda. O comércio com o vizinho sul-americano vem caindo desde o início do ano por conta da crise econômica argentina. Já as vendas para a China vêm desacelerando desde março.

O aumento das exportações para os Estados Unidos pode ser explicado pela alta nas vendas de óleo bruto de petróleo (492%) e semimanufaturados de ferro e aço (322%) para aquele país. Os dois produtos responderam por 24% do total exportado pelo Brasil para o mercado norte-americano.

As importações brasileiras (provenientes de todos os países) cresceram 12,9% em maio. O saldo da balança comercial do país foi de 6,3 bilhões de dólares no mês. No acumulado do ano, as exportações recuaram 0,9%, enquanto as importações cresceram 1,8%. O saldo acumulado é de 22,1 bilhões de dólares.