20 de ago de 2018

Prefeitura recebe novo veículo para reforçar serviços de saúde em Tarauacá


Na manhã do último sábado (18), a Prefeita de Tarauacá, Marilete Vitorino, acompanhada do Controlador Interno, Elivânio Maia, recebeu um veículo para ser utilizado na realização dos serviços da Secretaria Municipal de Saúde e Vigilância em Saúde.

A Caminhonete L-200 Triton foi adquirida para o município com recursos oriundos do Governo Federal. A aquisição do automóvel vai reforçar o setor, e a prefeitura vai poder oferecer um trabalho de melhor qualidade e mais eficiente na saúde do município.

O veículo deve atender todas as necessidades que as ações externas exigem e facilitar, principalmente, as ações realizadas nas comunidades rurais.

Justiça encerra um dos últimos processos da G7 e Sebastião pergunta: “Irão pedir desculpas agora, senão a nós, pelo menos a Deus?



Luciano Tavares - Foi rejeitada pela Justiça Federal no Acre a denúncia do Ministério Público Federal contra servidores de empreiteiras e gestores do Programa Ruas do Povo no caso G7, a famosa operação da Polícia Federal no Acre que prendeu 15 pessoas, entre secretários de Estado e donos empresas de construção civil, em maio de 2013, sob a acusação de diversos crimes.

A decisão da Justiça encerra mais um processo da G7 em que estavam arrolados Delcimar Bezerra de Souza, Acrinaldo Pereira Pontes, João Dimas Martins, Nayara de Araújo Pontes e Marcus Luiz Pereira.

Em seu Twitter, o governador Sebastião Viana, que teve um sobrinho preso na operação, se manifestou sobre um dos últimos processos encerrados da G7 pela Justiça.

“Quantos que covardemente atiraram as pedras sujas da acusação fácil, irão pedir desculpas agora, senão a nós, pelo menos a Deus? Que nada! Estarão com o olhar baixo, covardemente à espreita, para mais ataques de injúria, calúnia e difamação a pessoas que trabalham com respeito.”

Gladson Cameli garante mudanças para anistiar multas de produtores rurais do Acre


Cameli disse que pretende anistiar os produtores rurais das multas aplicadas pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre 


Cameli em agenda na Transacreana/Foto: Ascom

ASCOM - Em visita a vários moradores do estrada Transacreana, durante todo o dia de domingo (19), o candidato ao governo do Acre pela coligação Mudança e Competência, Gladson Cameli, percorreu vários ramais e reafirmou às famílias locais que seu governo começará da zona rural para zona urbana, destacando seu compromisso de acabar com a perseguição aos produtores rurais que há anos sofrem com multas injustas e milionárias.

Cameli disse que pretende anistiar os produtores rurais das multas aplicadas pelo Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC), sendo essa uma das propostas apresentadas pelo candidato em seu Plano de Governo registrado no Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

O compromisso decorre de reivindicações antigas dos trabalhadores do setor primário que atuam em todos os municípios e que por falta de alternativas econômicas, acabam desmatando além do limite legal para a formação de pastagem. Sensível à essa e outras situações envolvendo produtores rurais, Gladson tem reafirmado que caso eleito seu governo vai começar da zona rural para zona urbana.

 “É daqui que sai o nosso alimento. Outro absurdo, por exemplo, é que os produtores rurais tenham que tirar dinheiro do próprio bolso para comprar combustível e escoar a produção. Só quem vive e produz no Acre conhece a realidade. Mas, em breve o nosso povo vai se libertar dessa prática que tanto mal tem feito a nossa gente”, disse Gladson.

Dentre as propostas para os produtores rurais apresentadas por Cameli constam assessoria técnica, escoamento da produção, estímulo ao cooperativismo, recuperação e incorporação ao sistema produtivo agropecuário de mais de 500 mil hectares de capoeiras, retomada da produção de grãos, reestruturação da piscicultura, incentivo à agroindústria, bem como a manutenção dos ramais.


De acordo com o comerciante Francisco de Assis, morador da Vila Manoel Marques, outro problema enfrentado pelos moradores da Transacreana e que precisa ser resolvido de imediato é a questão do abastecimento de água. “Água aqui só a da chuva. Sempre prometeram uma obra para acabar com esse nosso sofrimento e nunca fizeram. Agora, deposito toda minha confiança e esperança no Gladson”, relatou Assis.

Segundo o candidato ao governo pela coligação Mudança e Competência, o momento agora é de apontar soluções e dar respostas aos anseios dos acreanos. “O governo não atende aos pleitos dos verdadeiros donos do Acre: o povo. Quero trazer de volta a dignidade e o respeito que eles merecem. Sei que se eleito as dificuldades serão muitas. Não vou criar expectativas as quais eu não possa cumprir. Mas, juntos vamos colocar o estado de volta ao eixo”, conclui Gladson.

Comitiva – A comitiva do candidato ao Governo do Estado, Gladson Cameli, que percorreu a Transacreana foi composta pelo candidato ao Senado da República, Sérgio Petecão (PSD), pelos candidatos a deputado federal Alan Rick (DEM) e Nelson Sales (Progressistas), bem como pelos candidatos a deputados estaduais Raimundo Vaz (PR), Antônio Pedro (DEM), Eliane Sinhasique (MDB) e Chico Doido, todos da coligação Mudança e Competência.

PHM Atlântico já está em águas brasileiras



No dia 17 de agosto, o Porta-Helicópteros Multipropósito (PHM) “Atlântico” realizou o primeiro Cerimonial à Bandeira após a entrada em Águas Jurisdicionais Brasileiras (AJB), estando a 150 milhas náuticas (aproximadamente 240 km) a sudoeste do arquipélago de São Pedro e São Paulo.

O momento foi repleto de emoção e grande significado para todos os tripulantes, uma vez que simboliza o início das atividades do futuro Capitânia da Esquadra na proteção das riquezas e dos interesses marítimos do País.

O Cerimonial à Bandeira é um conjunto de tradições, honras e sinais de respeito em uso nas Marinhas de Guerra, que remonta aos primórdios das navegações, quando os marinheiros levavam a bordo e deixavam em locais especiais as imagens das divindades que invocavam para os protegerem, quando se faziam ao mar.

Com o passar do tempo, as imagens foram substituídas pelos símbolos do poder e, mais tarde, pelos pavilhões nacionais, que perduram até́ os dias de hoje.

 FONTE: Marinha do Brasil

Marcus Alexandre poderá ser investigado pelo MPE por participar de reunião em igreja na Baixada da Sobral


Assessoria confirma que petista se reuniu com militantes e outros apoiadores de sua candidatura na igreja Wesleyana, no dia 7 de julho deste ano

 Banner do convite para reunião com o candidato do PT

Saimon Martins - O candidato do Partido dos Trabalhadores (PT) ao governo do Acre, Marcus Alexandre, poderá ser investigado pelo Ministério Público Eleitoral (MPE-AC), por ter participado de uma reunião no último dia 7 de julho, na sede da Igreja Evangélica Wesleyana, localizada na Baixada da Sobral, em Rio Branco.


A promotora de justiça eleitoral, Alessandra Marques, disse à reportagem do ContilNet que se ficar comprovado que algum candidato participou de reunião dentro de uma instituição religiosa, ele poderá até ter o diploma cassado.

“Essa prática é vedada nos períodos de propaganda eleitoral. Como a reunião foi anterior, pode ser um elemento para possível investigação de abuso de poder”, declarou Marques.

Questionada sobre uma possível cassação da candidatura do petista, a promotora foi enfática. “Pode acontecer até a cassação do diploma de um candidato eleito, mas isso depende da configuração de abuso, ou do poder político, ou do poder econômico”, explicou à promotora.

Assessoria confirma reunião

Promotora Alessandra Marques
Procurada pela reportagem do ContilNet, a assessoria de imprensa de Marcus Alexandre confirmou que a reunião ocorreu na Igreja Evangélica Wesleyana, no dia 7 de julho.

“Essa reunião aconteceu, sim. Não fomos notificados. Era uma reunião no período de pré-campanha. Não sei se você leu a lei eleitoral, mas reuniões em ambientes fechados, no período chamado de pré-campanha, sem o pré-candidato pedir votos, era permitido. Nosso posicionamento é de que não fomos notificados, mas temos a certeza de que não fizemos nada de errado, porque foi uma reunião com militantes no período de pré-campanha e lá não foi pedido votos”, disse a assessoria de Marcus Alexandre ao repórter Saimon Martins.

Recomendação do MPE

O Ministério Público Eleitoral (MPE-AC) instaurou um procedimento preparatório eleitoral. Os templos religiosos foram recomendados, pela instituição, acerca das condutas vedadas e das normas jurídicas referentes à propaganda eleitoral.

O procedimento leva em consideração que, no ordenamento jurídico brasileiro, é vedada a realização de propaganda eleitoral em templos religiosos, conforme o artigo 37, da Lei 9.504/97.

“Os templos de qualquer culto gozam de imunidade tributária, com a finalidade de promoverem a fé religiosa. A finalidade do procedimento é evitar que cultos sejam transformados em comitês de campanha e fiéis em cabos eleitorais”, destacou Alessandra Marques.

Processo na Justiça

O Ministério Público Federal no Acre (MPF-AC) denunciou, em 2016, o ex-prefeito de Rio Branco, Marcus Alexandre e Sérgio Nakamura, por irregularidades na execução de obras na BR-364. Os dois são ex-diretores do Departamento de Estradas e Rodagem do Acre (Deracre) entre o período de 2005 e 2008.

O órgão investiga o suposto desvio de R$ 700 milhões de dinheiro público para recuperação de ramais e pavimentação de estradas federais. A denúncia foi oferecida pelo procurador regional da República Alexandre Camanho e, segundo o MPF no Acre, aguarda recebimento pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, em Brasília.

Ao todo, o órgão instaurou 44 inquéritos para averiguar as irregularidades como: direcionamento de concorrências públicas, superfaturamento e sobrepreço.

Com fim da hegemonia da TV, internet pode ser decisiva nestas eleições


Fábio Gouveia, da Ufes, assinala que “a atenção não está mais concentrada na televisão”


Estado Capixaba - As próximas eleições podem ficar para história e registrar o fim da era da televisão aberta como o principal meio de informação dos brasileiros para acompanhar a disputa de votos por cargos públicos. Especialistas têm como hipótese a possibilidade de a internet ter mais peso do que nunca na decisão, e mudar em definitivo, a maneira de se fazer campanha eleitoral no país.


Pesquisadores de comunicação e consultores eleitorais assinalam que os 147,3 milhões de eleitores brasileiros escolherão seus representantes sob influência inédita de conteúdos compartilhados nas redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas, em especial no Facebook e no WhatsApp.

“Tem se especulado que esse pleito possa vir a ser a primeira eleição onde a internet assuma papel protagonista”, resume o sociólogo e cientista político Antônio Lavareda.

Nas plataformas da internet, diferente da televisão e do rádio, que veiculam o horário eleitoral gratuito, a comunicação é individualizada e interativa. Os conteúdos são mediados pelos usuários, em lugar de vídeos e peças sonoras veiculados para grandes audiências – sem possibilidade de resposta ou de reencaminhamento.

“A mensagem encaminhada, que consegue penetrar em grupos, é mais influente do que aquela que vem pela televisão”, afirma o estatístico e doutor em psicologia social, Marcos Ruben.

Fábio Gouveia, coordenador do Laboratório de Estudos sobre Imagem e Cibercultura da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), assinala que “a atenção não está mais concentrada na televisão” e, nesta campanha, os usuários “assumem papel de filtros disseminadores”, repassando ou retendo mensagens às pessoas com quem estão conectadas.

Christian Dunker, professor de Psicologia, aponta que a internet “viabiliza informação para uma quantidade grande da população que estava excluída do debate político”. Segundo ele, “isso ajuda a entender as formas de tratamento, usos de imagem, estratégias de retórica intimidativa e bipolarizante [hoje verificados] que eram menos acessíveis quando tínhamos a campanha baseada na televisão”.
Riscos

Os especialistas não desconsideram os riscos da próxima campanha eleitoral como a circulação de notícias falsas, deformação de mensagens, difamações generalizadas e manifestações de ódio e intolerância.

Para o jornalista Mário Rosa, especialista em gestão de crises de imagem, há forte possibilidade que, em paralelo à campanha positiva e com propostas no horário eleitoral, haja forte campanha negativa na troca de mensagens. “O disparo do WhatsApp não pode ser monitorado e nem auditado. Podem atacar e não vai se saber qual a origem dos ataques”, alerta Mário Rosa ao lembrar que “o objetivo da campanha eleitoral não é informar, mas convencer”.

Na mesma linha, Christian Dunker não afasta a possibilidade, especialmente ao fim da campanha, de serem disseminados “fatos políticos que possam vampirizar candidaturas e interferir nos resultados”.
Números

O Facebook chegou a 127 milhões de usuários neste ano no Brasil e o WhatsApp tinha cerca de 120 milhões de pessoas ligadas no ano passado (20 milhões a mais do que em 2016). Facebook e WhatsApp não informaram o crescimento de usuários que tiveram entre a eleição de 2014 e até o momento.

Segundo o Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal (SinditeleBrasil), nos últimos quatro anos, o número de usuários de aparelhos celulares 3G e 4G (que permitem acesso a redes sociais) passou de 143 milhões para 188 milhões – diferença de 45 milhões, superior à população da Argentina.

A Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar do IBGE contabiliza que “entre os usuários da internet com 10 anos ou mais de idade, 94,6% se conectaram via celular”.

Zé Gotinha faz a festa das crianças e protege contra pólio e sarampo em Tarauacá




Com participação do personagem “Zé Gotinha”, a Prefeitura de Tarauacá, através da Secretaria de Saúde, fez grande movimentação no dia “D” da vacinação contra a pólio e o sarampo. Na manhã de sábado (18), o Zé Gotinha visitou as Unidades Básicas de Saúde onde as crianças recebiam a vacina.


Devem ser vacinadas contra pólio crianças com idade entre 6 meses e 5 anos incompletos. A poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é uma doença provocada por vírus que afeta o sistema nervoso e pode levar à paralisia irreversível dos membros. A vacinação continua até o dia 31 de agosto.

O sarampo é uma infecção viral aguda altamente transmissível e com elevado potencial epidêmico, principalmente em populações com baixa cobertura vacinal. Sendo assim, a principal forma de proteção contra a doença é a manutenção de elevada cobertura vacinal com a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), aplicadas em crianças aos 12 meses e 15 meses de idade, respectivamente.

19 de ago de 2018

Reforma Trabalhista não tem culpa pelo desemprego


Considerando os dados disponíveis até o momento, e seja qual for sua opinião sobre a reforma, apontar a reforma trabalhista como causa do aumento no desemprego é apenas picaretagem estatística.


No último debate na Band, Ciro Gomes e Guilherme Boulos afirmaram que a reforma trabalhista “agravou a situação dos trabalhadores brasileiros”. Ciro, especificamente, associou a existência de “500 mil desempregados e intermitentes” à reforma.

E não são os únicos. Nos últimos meses, todos os grandes jornais sugeriram a mesma causalidade, inclusive Folha e Globo.

Felizmente, candidatos e imprensa estão errados. A associação entre desemprego e reforma depende de uma criteriosa tortura dos números.

Peço que o leitor não leia o texto pensando se gosta ou não da reforma trabalhista, mas lembrando da importância de rejeitar o que merece rejeição. Nenhum debate público sério sobrevive a quem analisa dados sem noções básicas de estatística.

É preciso entender o que ocorreu, e eis o fato gritado pelos críticos da reforma: a PNAD Contínua, pesquisa do IBGE que mede a taxa de desocupação no país, mostra um aumento de 0.4 pontos percentuais entre novembro de 2017 (mês no qual a nova legislação entrou em vigor) e junho de 2018 (último divulgado).

A população economicamente ativa é levemente superior a 100 milhões de pessoas, portanto 0.4% corresponde a pouco mais de 400 mil pessoas. Como Ciro inclui os intermitentes, é provável que tenha vindo daí os 500 mil citados no debate.

No gráfico abaixo, fica clara a primeira noção de estatística que é ignorada pelos críticos da reforma: a sazonalidade.



É possível notar duas coisas no gráfico. A primeira é o aumento do desemprego desde que a reforma trabalhista entrou em vigor, como pode ser visto na linha azul. A segunda é o aumento após todos os outros meses de novembro.

O tempo esfria entre novembro e junho, mas isso não é motivo para negar o aquecimento global. Da mesma forma, não faz sentido associar a reforma trabalhista ao aumento do desemprego entre novembro e junho, porque o desemprego geralmente aumenta entre esses meses.

O planejamento das empresas no início dos anos leva a mais demissões nos primeiros meses do ano, assim como mais contratações nos últimos. Essa é uma dinâmica sazonal, repetida ano após ano, e nada tem a ver com a CLT.

O gráfico evidencia esse fenômeno mostrando a variação da taxa de desemprego em todos os períodos equivalentes desde o início da série histórica:



Como é possível notar, o aumento de 0.4 pontos percentuais representa o melhor desempenho do mercado de trabalho nesse período desde 2012, quando os dados da PNAC Contínua começam. Só a virada de 2013 para 2014 foi melhor do que o atual período.

Sendo assim, como podemos avaliar os últimos números do desemprego?

A técnica mais simples para fugir da sazonalidade é sempre comparar um período com o seu equivalente do ano anterior. O último gráfico já fazia isso, comparando as janelas de novembro a janeiro em todos os anos.

No gráfico abaixo, está a variação entre a taxa de desemprego desde o mesmo trimestre do ano anterior. Nesse caso, estamos comparando junho com junho, maio com maio e assim por diante.



Curiosamente, foi exatamente após a aprovação da reforma que o desemprego passou a cair com relação ao mesmo trimestre do ano anterior. Durante todo o ano de 2017, já estava em curso uma desaceleração. Isso só se transformou em queda no fim do ano, coincidindo com a reforma trabalhista.

Não faz sentido estatístico comparar novembro e junho. Se Ciro, Boulos, Globo e Folha buscassem um peso e uma medida, a conclusão seria oposta: aplicando a mesma lógica às novas evidências, todos eles deveriam sugerir que a reforma trabalhista gerou empregos. E mesmo se fizessem isso, continuariam errados, mas por outro motivo.

Relações de causalidade – dizer “X causa Y” – são muito difíceis em ciências sociais. Diversos fatores podem afetar a taxa de desemprego, além da reforma. Um bom estatístico até seria capaz de controlar as outras variáveis para estimar o impacto das novas normas, mas o trabalho ainda é impossível para uma reforma que ocorreu meses atrás. E mesmo assim, seria uma estimação merecedora de cautela.

Além disso, há um problema teórico na narrativa. Toda estimativa de impacto deve ter por trás uma teoria da mudança. A teoria da mudança para a reforma trabalhista envolve a mudança do ambiente institucional, que passa a ver alguns contratos de trabalho de outra forma.

É importantíssimo compreender que, seja qual for sua opinião sobre a reformas, as instituições brasileiras nem mesmo sabem como lidar com a mudança. A Justiça Trabalhista tem protestado contra algumas delas e ainda não se formou uma jurisprudência clara, definindo como os casos serão julgados.

O verdadeiro efeito da reforma trabalhista ainda nem podem ser estimados, porque não se sabe ao certo como o projeto vai se transformar em novas práticas. Antes dessas questões serem pacificadas, é impossível medir seus efeitos na vida dos brasileiros.

Com isso, chegamos a duas conclusões, decepcionantes para quem gosta de um debate político simplista, dividido entre bem e mal.

A primeira desaponta principalmente o lado esquerdo do maniqueísmo: considerando os dados disponíveis até o momento, associar reforma trabalhista e desemprego é picaretagem estatística.

Já a segunda conclusão é mais democrática, decepcionando a todos. Hoje, a única resposta disponível para a relação entre reforma e emprego é “não sei, depende de muita coisa, esse assunto aí é complicadão”. Eis o custo de falar sobre política pública com a seriedade que o assunto exige.

18 de ago de 2018

ONU, Cuba e Venezuela ficam aqui óh! - Depois eu aponto onde fica a Geórgia e a Criméia, tá?

ONU, PT, jornalistas: um roteiro combinado



Era esperada a articulação da esquerda em nível nacional e mundial para vitimizar Lula e tentar pressionar a Justiça brasileira a infringir a lei e permitir que o corrupto e lavador de dinheiro seja candidato ao Planalto.

Na terça-feira, Lula assinou um artigo cheio lorotas no New York Times, repetindo que foi vítima de um julgamento político;

Ontem, PT e MST fizeram aquele teatro na frente do TSE, como se o tribunal fosse impedir o registro da candidatura do condenado, um ato burocrático a ser legalmente anulado no seu devido tempo;

Hoje, esquerdistas que aparelharam o Comitê de Direitos Humanos da ONU soltaram uma “recomendação” em favor da candidatura do condenado, fato imediatamente alardeado por petistas da imprensa brasileira e francesa (o petista Paulo Paranaguá, editor para a América Latina do Le Monde, mais precisamente) como uma “liminar” das Nações Unidas a ser imposta à Justiça brasileira.

O roteiro estava todo combinado, claro.

Prefeitura itensifica obras de saneamento básico com construção de galeria na Vila Seabra



A obra é uma reivindicação antiga da população e motivo de preocupação da Prefeita Marilete Vitorino, que tem feito um grande esforço para solucionar os problemas de alagamentos após chuvas nas ruas de Tarauacá.


A intenção é minimizar o transtorno com a chuva, período que ocorrem frequentes alagamentos. O Secretário de Obras, Raimundo Vitorino, explica que a intervenção no local vai sanar o antigo problema na Vila Seabra. 

O serviço que teve inicio nesta sexta-feira, 17, com a abertura de valas e construção da galeria. O que determina agora o ritmo da obra é a abertura das valas. Em determinados trechos o trabalho poderá exigir um pouco mais de tempo. Por conta disso a Secretaria não vai definir no momento o prazo de entrega da construção da galeria pluvial.

O plano de 1 trilhão de reais de Paulo Guedes


Paulo Guedes disse à Veja que o Brasil tem “cerca de 1 trilhão de ativos a ser privatizados”.

Além de vender estatais, o Posto Ipiranga de Jair Bolsonaro pretende também fazer concessões de estradas, hidrovias e reservas para exploração do turismo.

“Temos duas consultorias especializadas em infraestrutura e logística que estão montando um plano.”

Ranking mostra qual bateria de celular recarrega mais rápido



Douglas Ciriaco - Atualmente é comum ver empresas lançando smartphones prometendo recursos de recarga rápida. A ideia por trás disso é óbvia: se esses dispositivos consomem muita energia, ao menos você não precisa deixá-los muito tempo ligados à tomada para repor a bateria por completo.

Mas qual é o melhor sistema de recarga da atualidade? O site Phone Arena montou um ranking com o tempo médio de recarga de diversos aparelhos que alegam ter suporte a algum sistema de recarga rápida.

Ao todo, foram avaliados 39 aparelhos lançados entre 2017 e 2018 e o grande vencedor é o Huawei P20 Pro, que leva apenas 90 minutos para recarregar totalmente o seu tanque de 4.000 mAh. Em segundo lugar está o OnePlus 6 (3.300 mAh em 80 minutos), seguido do Huawei Mate 10 Pro (4.000 mAh em 102 minutos).

Vale lembrar que o que determina a posição de um aparelho no ranking é a velocidade de recarga, ou seja, a proporção de miliampere por minuto (mAh/min). Assim, os 10 primeiros da lista são os seguintes:

1. Huawei P20 Pro – 4.000 mAh em 90 minutos (44,44)
2. OnePlus 6 – 3.300 mAh em 80 minutos (41,25)
3. Huawei Mate 10 Pro – 4.000 mAh em 102 minutos (39,22)
4. Honor 8 Pro – 4.000 mAh em 106 minutos (37,74)
5. Samsung Galaxy Note 9 – 4.000 mAh em 109 minutos (36,7)
6. Motorola Moto Z3 Play – 3.000 mAh em 84 minutos (35,71)
7. OnePlus 5T – 3.300 mAh em 93 minutos (35,48)
8. Samsung Galaxy S8+ – 3.500 mAh em 99 minutos (35,35)
9. HTC U11+  – 3.930 mAh em 113 minutos (34,78)
10. Honor 10 – 3.400 mAh em 98 minutos (34,69)

Huawei P20 Pro
Huawei P20 Pro é o mais eficiente na hora de recarregar a bateria segundo análise do Phone Arena.

E o iPhone?
Como você pode notar pela lista acima, nenhum dispositivo da Apple aparece na lista. Também pudera, afinal os smartphones da Maçã não alegam ter um sistema de recarga rápida e isso fica comprovado no ranking.

Segundo essa avaliação, os três modelos do ano passado ocupam as três últimas posições: o iPhone 8 Plus leva 178 minutos para recarregar sua bateria de 2.691 mAh (15,12 mAh/min), o iPhone X demora 189 minutos para completar a bateria de 2.716 mAh (14,27 mAh/min) e o iPhone 8 leva 148 minutos para ter a sua bateria de 1.821 mAh recarregada (12,3 mAh/min).

A lista completa você confere aqui.

Prefeitura de Tarauacá leva atendimento médico para as comunidades da zona rural



A equipe da Secretaria de Saúde formada por médicos, enfermeiros, Dentista, técnicos de enfermagem entre outros profissionais, realizaram os atendimentos na BR 364 sentido Tarauacá/Cruzeiro do Sul. “O objetivo é aproximar os serviços de saúde do nosso município para a população que está mais distante da cidade” disse a Secretária de Saúde, Meirivânia Daniel.

A equipe deve permanecer com a ação durante 15 dias na zona rural. Após a consulta, os pacientes ainda contaram com a distribuição gratuita de medicamentos.

Além das consultas médicas, distribuições de medicamentos serão realizados testes de glicemia, Diabetes, aferição da pressão arterial, Limpeza Bucal e ainda vacinação para crianças e adultos.

17 de ago de 2018

Bolsonaro entra com pedido para impugnar Lula


Jair Bolsonaro entrou com pedido para impugnar a candidatura do criminoso Lula.

O pedido foi anexado ao processo do registro de candidatura de Lula no início da tarde desta quinta-feira, diz o UOL.

ES: Engenheira transforma Fusca em carro elétrico


Moradora de Vila Velha, a engenheira Aline Santos conseguiu fazer funcionar um Fusca com motor elétrico

Aline disse que intenção é comercializar kit, composto por motor, 15 células de bateria de lítio e painel, a R$ 45 mil. (Foto: Thiago Coutinho)

Tribuna on line - Felipe Pacheco - Parar o carro na garagem, ligar o veículo na tomada para “abastecer” e voltar a rodar pelas ruas no dia a dia. Essa ainda é uma realidade distante para a maioria dos brasileiros, mas uma engenheira capixaba espera mudar este cenário.

A engenheira eletricista Aline Gonçalves Santos, 31 anos, moradora de Vila Velha, elaborou um projeto e conseguiu equipar um Fusca com motor elétrico. Depois de dois anos de estudo sobre como fazer e quais componentes seriam necessários, ela espera implantar uma tecnologia para adaptar os carros no País.

“Hoje, a escassez do veículo elétrico no Brasil é muito grande. E esses veículos atualmente são muito caros, fora da realidade da maioria da população. A alternativa que a gente vê é a transformação do veículo”, explicou Aline.

O sistema elétrico implementado no carro, para substituir o antigo sistema à combustão, é composto por motor elétrico, 15 células de bateria de lítio – que compõem um banco de bateria – e um display que disponibiliza ao motorista informações como controle e temperatura da bateria.

De acordo com a idealizadora do projeto e fundadora da startup “MeuVeb”, a proposta é adaptar os veículos por um preço acessível.

Segundo Aline, a intenção é comercializar o kit a R$ 45 mil, bem abaixo da faixa de preço dos veículos elétricos no Brasil – em torno de R$ 200 mil.

A reportagem completa você lê na edição desta quarta-feira (15) do jornal A Tribuna.

Gleici questiona troca de cores em campanha de Marcus Alexandre: “É do Partido Verde?”


Vencedora do reality show enfatizou o abandono do vermelho em comentário no Instagram

Salomão Matos - A troca de cores na campanha de Marcos Alexandre (PT), ao governo do estado já era questionada há tempos. Mesmo na campanha para prefeito, em 2014, o petista já mostrava que queria fugir da cor que representa seu partido, usando, na maioria dos eventos, o laranja. Este ano ele parece querer quebrar ainda mais este vínculo e optou pela cor verde.

A nova “marca” adotada por Marcos foi duramente criticada pelos militantes.  Na manhã desta quinta-feira (16), quando iniciaram legalmente as campanhas, o conhecido militante Cesário Braga, que também ocupa o cargo de secretário de Organização Partidária do Partido dos Trabalhadores no Acre, fez uma postagem com a logo da campanha de Marcus Alexandre em seu perfil no instagram quee rendeu uma polêmica envolvendo a ganhadora do Big Brother Brasil 2018, Gleici Damasceno (também conhecida pelos seus posicionamentos políticos de esquerda e declaradamente petista).

Em comentário na postagem, a vencedora do reality show questionou a troca de cores na arte da campanha, que foi do tradicional vermelho para o verde. “É do partido verde a candidatura? Tinha que ser vermelho”, comentou Gleici.

Marcus, que evita até mesmo aparecer perto de Tião Viana e, ao contrário de seu líder, se cala diante da situação do ex-presidente Lula, parece estar mesmo disposto a esconder a maior marca de sua sigla: a cor vermelha. A decisão desagradou aos militantes que, mesmo a contra gosto, evitam falar da nova marca. Mas as piadinhas na internet apenas começaram.

MPF: General Mourão não cometeu crime ao defender possibilidade de intervenção militar



O general da reserva Hamilton Mourão, candidato a vice na chapa de Jair Bolsonaro, limitou-se a expor um pensamento e não cometeu crime ao defender em setembro de 2017 a possibilidade de intervenção militar como solução para a crise política no país.

A interpretação é do MPF do Distrito Federal, que, por meio do procurador Ivan Marx, decidiu no último dia 1º arquivar uma investigação aberta para apurar o caso, informa O Globo.

Quando ainda estava na ativa no Exército, o general fez a declaração durante um evento numa loja maçônica em Brasília, logo após o então PGR Rodrigo Janot ter denunciado Michel Temer ao STF.

“Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso. (…) Os Poderes terão que buscar a solução. Se não conseguirem, chegará a hora que nós teremos que impor uma solução. E essa imposição não será fácil, trará problemas, podem ter certeza disso aí”, disse Mourão na época.

Na investigação, foram ouvidos Mourão, Exército e Ministério da Defesa.

“Diante das informações prestadas e da atipicidade da conduta do general, não se constata neste momento fundamento para a propositura de ação penal pública”, concluiu Marx. “O conteúdo das manifestações, embora sugerisse a possibilidade de intervenção militar, não teve caráter de propaganda em público e não objetivou incitar terceiros ao cometimento de processos ilegais de alteração da ordem política. A palestra é forma de livre manifestação de pensamento, assegurada na Constituição.”

Não houve ilícitos nem na área criminal nem na cível, de acordo com o MPF-DF.

“Não constitui a referida manifestação propaganda em público de processos violentos ou ilegais para alteração da ordem política ou social, nem tem intuito de subversão da ordem política ou social ou de trazer animosidade entre as Forças Armadas ou entre estas e as classes sociais ou as instituições civis”, afirmou o procurador.

16 de ago de 2018

Sinhasique denuncia que Hospital do Câncer perdeu recursos por atraso na reforma


Ravenna Nogueira - A deputada estadual Eliane Sinhasique (MDB) usou a tribuna da Assembleia nesta quarta (15) para denunciar que as obras de reforma e ampliação do hospital de tratamento contra o câncer no Acre (Unacon) estão atrasadas por incompetência da Secretaria de Saúde do Estado (Sesacre).

“Fiz um ofício solicitando informações da Sesacre a respeito da obra e fiquei chocada com o que descobri. Houve falhas graves no processo de licitação e o Ministério da Saúde suspendeu o repasse da verba para a continuação da obra. Isso é um absurdo, perder recursos importantes por falta de gerência é algo lastimável. Como sempre quem paga o preço é a população”, disse.

A parlamentar destacou que para readquirir os recursos provenientes do Ministério da Saúde o governo terá de entrar na justiça “Pedi que o deputado Flaviano Melo intercedesse em Brasília para conseguir reaver os recursos que o governo do Acre perdeu por incompetência. Ele hoje me ligou e disse que a única saída é o governo tentar conseguir os recursos através da justiça. O ministro da Saúde, Gilberto Occhi informou que a Sesacre não cumpriu nenhuma etapa do processo e que por este motivo os recursos foram suspensos, isso é muito triste”, lamentou.

Sinhasique ressaltou que as obras do Hospital do Câncer de Barretos no estado já estão bem avançadas e demonstrou preocupação com pacientes diagnosticados com câncer que serão encaminhados ao Unacon “O Hospital de Barretos não trata o paciente ele apenas faz o diagnóstico, aí eu pergunto: Como esse paciente fará o tratamento se o hospital do câncer de Rio Branco ainda está em obra? Gente isso é muito preocupante, o hospital daqui não está preparado para oferecer um tratamento adequado a esses pacientes, tudo isso por incompetência da Sesacre”, afirmou a deputada.

A emedebista salientou que, segundo a diretora do Unacon, em média 15 pessoas são diagnosticadas com câncer por semana e encaminhadas para tratamento na unidade.

Gladson Cameli e Marcus Alexandre iniciam campanha de rua nesta quinta-feira


Senador cumprirá compromissos no Juruá; ex-prefeito optou por agenda eleitoral em Rio Branco

 Campanha de Gladson Cameli ao governo começa por Cruzeiro do Sul/Foto: reprodução

Archibaldo Antunes - A campanha de rua está permitida a partir desta quinta-feira (16), conforme a regra estabelecida pela justiça eleitoral. O senador Gladson Cameli, candidato de oposição ao governo do Acre, decidiu começar suas atividades de campanha pelo município de Cruzeiro do Sul, sua terra natal. Já o paulista Marcus Alexandre (PT), principal adversário de Gladson, optou por concentrar, por enquanto, sua agenda de compromissos na Capital, da qual foi prefeito. A reportagem tentou fazer contato com o coronel Ulysses Araújo (PSL), mas ele não atendeu às ligações.

Segundo a assessoria de imprensa de Gladson, nesta quinta pela manhã ele fará visitas aos comerciantes do centro de Cruzeiro do Sul. Em seguida participa de reuniões com empresários da região, a fim de ouvir o que eles têm a dizer e também expor propostas do seu plano de governo para o desenvolvimento socioeconômico do estado.

Membro de uma família tradicional, e reconhecidamente capaz de prosperar nos negócios, Gladson vem recebendo apoios importantes no segmento empresarial.

Às 15 horas, o senador do Progressistas participa de encontros com comerciantes do município de Rodrigues Alves e lá também se reúne com correligionários, militantes de oposição, apoiadores e simpatizantes.

No seu retorno a Cruzeiro do Sul, o candidato participa de encontro com candidatos do seu partido à Assembleia Legislativa do Acre.

Comitê Central Chame-Chame

Também com a agenda cheia, o primeiro dia de campanha do candidato ao governo pela Frente Popular, Marcus Alexandre, será dedicado a compromissos na Capital, da qual foi prefeito até renunciar ao mandato, em abril deste ano, a fim de concorrer à sucessão de Tião Viana.

Pela manhã, Marcus Alexandre participa de encontros com candidatos proporcionais do PT, líderes comunitários, militantes e apoiadores.

À tarde, o petista se dedicará à gravação de programa de TV para o horário eleitoral gratuito.

Marcus Alexandre inaugura comitê de campanha e grava programa de TV/Foto: reprodução

Em seguida, ele inaugura o seu principal bunker político, o comitê Central de Campanha Chame-Chame, conforme foi batizado o espaço localizado na Av. Getúlio Vargas, no bairro Bosque.

Segundo a assessoria de imprensa do candidato, durante a inauguração do comitê será apresentada a comunicação visual de campanha, incluindo o jingle.

Eleito em 2012 para a prefeitura de Rio Branco, Marcus Alexandre consolidou a imagem de gestor público dedicado e competente.

A vereadora de Tarauacá Janaína Furtado (Rede) e o professor David Hall (Avante) também disputam a eleição para o governo estadual.

Prefeita Marilete Vitorino vistoria funcionamento das unidades de saúde


A Prefeita Marilete Vitorino, realizou na manhã desta segunda -feira, 13, visitou todas as Unidades Básicas de Saúde para identificar como estar o andamento dos serviços de atendimento aos usuários do sistema.

A prefeita ouviu a equipe e indagou sobre o que precisaria para melhorar os serviços e proporcionar uma saúde de qualidade para população.

“A quantidade de moradores que procuram atendimento nos postos aumentou consideravelmente e os serviços têm que acompanhar essa expansão, uma vez que a saúde é uma das prioridades do  nosso governo”, destacou a prefeita.

Nas Unidades, a prefeitura oferece dentista, técnicos em laboratório, agentes comunitários de saúde – ACS e farmacêutico na UBS,  e medicamentos na Farmácia central do município .

Na atual gestão da Prefeita Marilete Vitorino, o atendimento de Saúde de Tarauacá passou a ter uma nova metodologia de atendimento — serviço de qualidade e bom atendimento.