30 de abr. de 2020

EXCLUSIVO: VEJA AS MENSAGENS DE CARLA ZAMBELLI E SÉRGIO MORO | AQUI NA BAND

Senador quer ouvir Jean Wyllys sobre facada em Bolsonaro

Canal Hipócritas deixa mensagem realista


Da Série: Monarquia - 30/04/2020


Mais de 46,2 milhões de pessoas já receberam o auxílio emergencial


Isso representa a liberação de R$ 32,8 bilhões 


Mais de 46,2 milhões de brasileiros já tiveram a primeira parcela de R$ 600 do Auxílio Emergencial creditada em suas contas, o que representa a liberação pelo governo federal de R$ 32,8 bilhões, segundo o Ministério da Cidadania. O total de contemplados supera a população de países como o Canadá (37,5 milhões de habitantes), e a Argentina (44,5 milhões).

O aplicativo criado pela Caixa teve 67,5 milhões de downloads e permitiu 49,2 milhões de cadastros. A Central de Atendimento 111, para tirar dúvidas das pessoas, recebeu mais de 98,6 milhões de ligações. Os números foram atualizados pela Caixa Econômica Federal no fim da tarde dessa quarta-feira (29).

A estimativa do ministério é de que até 70 milhões de brasileiros recebam os recursos. "Já superamos 45 milhões de brasileiros contemplados, isso contando 14,2 milhões ligados ao Programa Bolsa Família, outros milhões do Cadastro Único Federal (que não são do Bolsa Família) e já estamos virando a casa dos 15 milhões via aplicativo", disse o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni.

O auxílio emergencial contempla integrantes do Bolsa Família e pessoas inscritas em outros programas que constam do Cadastro Único do Governo Federal, além de microempreendedores individuais, autônomos e contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que se encaixam nos critérios da lei.

Os beneficiários do Bolsa Família elegíveis recebem o crédito no mesmo calendário e na mesma forma do benefício regular.

*Com informações do Ministério da Cidadania

Covid-19: Brasil tem 78.162 casos; 44% dos pacientes estão curados


O número de óbitos subiu para 5.466


O Ministério da Saúde divulgou, nesta quarta-feira (29), que o Brasil registra 78.162 pessoas com covid-19. O número de óbitos subiu para 5.466. A taxa de letalidade é de 7%.

Até o momento, 34.132 pacientes foram curados da doença. 

São Paulo concentra o maior número de falecimentos (2.247). O estado é seguido pelo Rio de Janeiro (794), Ceará (441), Pernambuco (538), e Amazonas (380).  

Além disso, foram registradas mortes no Maranhão (166), Bahia (96) Pará (137), Espírito Santo (76),  Santa Catarina (44), Minas Gerais (80), Rio Grande do Sul (50), Paraná (82), Distrito Federal (28), Rio Grande do Norte (53), Amapá (31), Alagoas (41), Goiás (27), Paraíba (58), Roraima (seis), Piauí (24), Rondônia (15), Acre (17), Sergipe (12), Mato Grosso (11), Mato Grosso do Sul (nove), e Tocantins (três).

29 de abr. de 2020

Saab adquire a empresa brasileira Atmos Sistemas


Radar Meteorológico Banda X Dupla
Polarização Móvel (Mobmet)

Anderson Gabino - A Saab firmou um contrato para adquirir a empresa brasileira de defesa Atmos Sistemas Ltda. Os documentos da aquisição foram assinados no dia 06 de abril. Os procedimentos normais de fechamento se aplicam, e a conclusão é esperada para 30 de abril de 2020.

A Saab celebrou contrato para adquirir 100% da Atmos Sistemas, que tem operações em São Paulo. A Atmos é uma empresa de serviços especializados que fornece equipamentos eletrônicos, como radares climáticos e serviços avançados de manutenção e suporte aos mercados civil e de defesa brasileiros. A empresa foi criada em 2004 e possui 16 funcionários.

“Essa aquisição está alinhada ao objetivo de longo prazo da Saab de crescer no Brasil. A Atmos Sistemas é uma empresa inovadora com habilidade de desenvolver novas capacidades de suporte nos mercados civil e de defesa. Esta foi uma excelente oportunidade para estabelecer a área de negócios de Suporte e Serviços da Saab no Brasil e significa que agora podemos oferecer um escopo mais amplo de produtos e serviços no domínio civil e de defesa no Brasil”, diz Ellen Molin, vice-presidente senior e head da área de negócios de Support and Services.

A Atmos Sistemas também é uma das beneficiárias do Programa Gripen brasileiro, responsável pela manutenção de componentes dos sistemas de sensores da Gripen, como radar e equipamentos de guerra eletrônica.

“Esse é um forte compromisso com a capacidade de suporte do Gripen durante seu ciclo de vida. Reduz os riscos no âmbito do Programa Gripen brasileiro, aumentando a disponibilidade de peças de reposição e diminuindo os prazos de entrega. Isso ajudará a garantir uma solução de manutenção econômica para o Gripen no Brasil, bem como um excelente nível de disponibilidade para o sistema completo de armas ”, acrescenta Molin.

O nome legal da empresa mudará de Atmos Sistemas para Saab Sensores e Serviços do Brasil (Saab Sensors and Services Brazil) e permanecerá como uma entidade legal separada, integrada aos serviços e suporte da área de negócios da Saab.

“Do ponto de vista da Atmos, estamos muito felizes em fazer parte da família Saab. Nossas capacidades e equipe altamente qualificada, combinada à sólida e extensa experiência da Saab, permitirão a Atmos expandir e crescer “, diz o atual CEO da Atmos, Fabio Fukuda.

Fukuda permanecerá na empresa como consultor sênior, mas deixará o cargo de CEO. Ele será substituído pelo novo Diretor, Fabricio Saito, atualmente Gerente de Contas Principais no Brasil, dentro da unidade de negócios Gripen Support.

A aquisição está prevista para 30 de abril de 2020. A transação não terá efeito material ou financeiro relevante nos resultados da Saab em 2020.

Da Série: Monarquia - 29/04/2020

Ciência é Tudo - MCTIC mostra os esforços do Brasil pela vacina contra o coronavírus

Empresas de DEFESA adequam processos e desenvolvem produtos para combate à COVID-19



Por André Pinto - A ação “COVID19-Produtos ao Alcance de Todos”, do Ministério da Defesa (MD), por meio da Secretaria de Produtos de Defesa (SEPROD), conta com mais de 470 produtos cadastrados, oferecidos por quase 240 empresas. Lançada em 27 de março, a ação convoca as empresas da Base Industrial de Defesa (BID) a promoverem a reconversão produtiva, que viabiliza o desenvolvimento de produtos para auxiliar no combate à COVID-19 e os oferecerem às instituições de saúde.

Uma empresa fabricante de peças em materiais compostos, sediada em São José dos Campos (SP), fez a doação de protetores faciais ao Hospital São Francisco de Assis, de Jacareí. A empresa também está trabalhando na produção de mais equipamentos desse tipo, que serão repassados às secretarias de saúde dos municípios da região do Vale do Paraíba. A produção de protetores faciais começou há cerca de 20 dias e são produzidas 150 peças, em média, por semana.

Em outro ponto do País, em Jaraguá do Sul (SC), uma empresa Estratégica de Defesa começa a produzir, a partir da segunda quinzena de maio, respiradores para as instituições de saúde públicas. O plano é viabilizar a compra dos componentes necessários para produzir 500 respiradores. O planejamento da empresa é entregar 50 unidades por dia.

A produção foi viabilizada em função da assinatura de acordo de transferência de tecnologia com uma fabricante de equipamentos médico-hospitalares, que tem uma filial situada no mesmo município catarinense.

O segmento aeronáutico da região do Vale do Paraíba e de Campinas também se movimentou. Uma companhia do setor de defesa está produzindo 12 mil componentes essenciais para a fabricação de ventiladores pulmonares. A iniciativa envolve oito empresas do segmento e parte de ação de cooperação, que teve início em março com estudos técnicos e testes de bancadas. Juntas, as empresas vão apoiar a fabricação de 7 mil ventiladores com a produção de peças usinadas que serão entregues para outras duas indústrias.

As ações, desenvolvidas em conjunto com a cadeia de fornecedores do setor aeronáutico, englobam a fabricação de peças para a indústria de ventiladores e respiradores, a substituição de componentes importados para ventiladores, o desenvolvimento de sistemas de filtros de alta eficiência para transformação de leitos regulares em tratamento intensivo, e estudos para o desenvolvimento de respiradores simples, robustos e portáteis visando a rápida implementação e disponibilidade.

Outra empresa, instalada em São José dos Campos, especializada em projetar sistemas e produtos para o mercado aeroespacial, passou a desenvolver soluções para proteger profissionais da saúde na luta contra a pandemia. Uma delas é uma campânula, utilizada durante os procedimentos de intubação/extubação, momento considerado mais arriscado para contaminação da equipe, por conta da proximidade do paciente.

O produto, que foi desenvolvido com auxílio de médicos, proporciona um bom nível de isolamento às equipes médicas, respeitando as condições ergonômicas, de visibilidade e de campo livre de trabalho. Atualmente, o equipamento já é utilizado em dois hospitais de São José dos Campos. A empresa também adaptou sistema de monitoramento para identificar potenciais contaminados a distância, inclusive em áreas remotas.


Outra empresa estratégica de defesa do segmento de armas leves, localizada em São Leopoldo (RS), iniciou, com o apoio do 3º Batalhão de Suprimento do Exército Brasileiro, a fabricação de protetores faciais. A produção é de 3 mil unidades por dia. O projeto foi desenvolvido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS), que desenvolvia uma quantidade menor de protetores com impressoras 3D.

A inciativa faz parte das ações do Comando Conjunto Sul, que reúne militares da Marinha, Exército e Aeronáutica. A meta é de que, até o final desta semana, 60 mil protetores sejam distribuídos para instituições hospitalares indicadas pela Defesa Civil daquele Estado.

O cadastro das empresas e produtos foi disponibilizado para o Ministério da Saúde, às Forças Armadas, ao Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e ao Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS).

Operação COVID-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate à COVID-19. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando Aeroespacial (COMAE), de funcionamento permanente. A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia que recebeu o nome de Operação COVID-19.

As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Para conhecer mais sobre as ações, acesse o hotsite da Operação COVID-19.
Para acessar fotos da Operação COVID-19, visite o Flickr da Operação.
FONTE: Ascom

28 de abr. de 2020

Sayōnara, Xi: Japão inicia ‘êxodo industrial em massa’ da China


Os planos causaram arrepios no Partido Comunista Chinês, à medida que mais economias do mundo estão prontas para seguir o exemplo japonês

 Imagem: Reprodução

Thaís Garcia  - O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, propôs “construir uma economia menos dependente de um país, a China, para que o país possa evitar melhor as interrupções da cadeia de suprimentos”, informou a Nikkei Asia Review.

A proposta desencadeou um debate acalorado no mundo político chinês.

Os planos causaram arrepios no Partido Comunista Chinês, à medida que mais economias do mundo estão prontas para seguir o exemplo japonês. Reino Unido, UE e Estados Unidos podem seguir o exemplo.

Em Pequim, diz-se que os figurões do Partido Comunista Chinês (PCCh) estão em pânico.

Em Zhongnanhai, área no centro de Pequim onde os líderes do Partido Comunista Chinês e o governo do Estado têm seus gabinetes, “agora existem sérias preocupações sobre empresas estrangeiras que se retiram da China”, disse uma fonte econômica chinesa à Nikkei Asia Review. “O que foi particularmente discutido é a cláusula do pacote econômico de emergência do Japão que incentiva (e financia) o restabelecimento das cadeias de suprimentos”.

Se a pandemia não tivesse acontecido, a primeira visita de Estado do ditador comunista chinês, Xi Jinping, ao Japão já teria ocorrido, com Xi orgulhosamente declarando uma “nova era” das relações sino-japonesas. Ele teria aplaudido Abe, enquanto o Japão se prepararia para o próximo grande evento, as Olimpíadas de 2020.

Em vez disso, a viagem de Xi e as Olimpíadas de Tóquio foram adiadas, e as relações sino-japonesas se encontram em uma encruzilhada.

Nova Política de Abe

Os sinais da nova política de Abe eram visíveis em 5 de março.

Finalmente, o Japão conseguiu evitar o desastre do navio de cruzeiro Diamond Princess, mas ainda tinha o desafio de impedir a propagação do vírus chinês em seu território.

Naquela data, coincidentemente no mesmo dia em que o adiamento da visita de Xi ao Japão foi anunciado, o governo japonês realizou uma reunião do Conselho de Investimentos para o Futuro. Abe, que preside o conselho, disse que queria que as bases de fabricação de produtos de alto valor agregado voltassem para o Japão.

À mesa, estavam presentes líderes empresariais influentes, como Hiroaki Nakanishi, presidente da Federação Empresarial do Japão, o maior lobby comercial do país, mais conhecido como Keidanren.

“Devido ao coronavírus, menos produtos estão vindo da China para o Japão”, disse Abe. “As pessoas estão preocupadas com nossas cadeias de suprimentos”.

Dos produtos que dependem fortemente de um único país para fabricação, “devemos tentar realocar itens de alto valor agregado para o Japão”, disse o líder. “E para todo o resto, devemos diversificar para países como os da ASEAN [Associação de Nações do Sudeste Asiático]”.

As observações de Abe foram claras. Elas ocorreram quando as interrupções atingiram a compra de autopeças e outros produtos dos quais o Japão depende da China, impactando seriamente as atividades corporativas do Japão.

Abe estava formando uma política de “afastar-se da China”.

Com o Japão paralisado por causa do coronavírus chinês, a China estava observando atentamente, talvez se perguntando se estava prestes a sofrer um esvaziamento industrial.

Essa tendência abalaria as bases do modelo de crescimento de longa data da China.

Pacote econômico de emergência do Japão

Em seu pacote econômico de emergência adotado em 7 de abril, o governo japonês pediu o restabelecimento de cadeias de suprimentos atingidas pela proliferação do vírus chinês. Ele destinou mais de 240 bilhões de ienes (cerca de US $ 2,2 bilhões) em seu plano de orçamento suplementar para o ano fiscal de 2020 para ajudar as empresas domésticas a mudar a produção de volta para casa ou a diversificar suas bases de produção no sudeste da Ásia.

No dia seguinte, 8 de abril, o Comitê Permanente do Politburo Central do Partido Comunista da China, principal órgão de decisão do partido, realizou uma reunião em Pequim.

Ao falar na reunião, o ditador Xi Jinping disse que “à medida que a pandemia continua sua expansão global, a economia mundial enfrenta um risco crescente de queda”. Ele acrescentou: “Fatores instáveis ​​e incertos estão aumentando notavelmente”.

Xi, que também trabalha como secretário geral do partido, enfatizou a necessidade de manter o “pensamento final” – o que significa supor o pior – e pediu “preparação em mente e trabalho para lidar com mudanças prolongadas no ambiente externo”.

O Comitê Permanente do Politburo, composto por sete membros, geralmente se reúne uma vez por semana, e é raro que a realização e o conteúdo dessas reuniões sejam relatados.

Xi deu o chamado para se preparar para “uma batalha prolongada”, enquanto assumia o pior.

EUA x China

Nos EUA, também há discussões sobre a dependência da China.

Larry Kudlow, presidente do Conselho Econômico Nacional da Casa Branca, expressou sua intenção de considerar os custos de realocação de empresas americanas que voltam da China para casa.

A sugestão de Kudlow se encaixa na agenda “America first” (Estados Unidos em primeiro lugar) do presidente Donald Trump.

Consequências

Se os EUA e o Japão, a maior e a terceira maior economia do mundo, respectivamente, se afastarem da China, isso terá um enorme impacto na segunda maior economia do mundo, a própria China.

O pico do surto de coronavírus chinês na China já passou. Mas Zhang Wenhong, chefe de uma equipe de especialistas clínicos chineses em coronavírus, disse que uma segunda rodada de infecções ocorrerá em novembro ou mais tarde.

O coronavírus chinês surgiu em Wuhan, na China, possivelmente em outubro do ano passado e depois se espalhou globalmente. A repressão da China em postagens de informações e mídias sociais sobre o surto até meados de janeiro e sua resposta inicial adiada à crise da saúde pública acabaram contribuindo para uma catástrofe e provocando um alvoroço internacional.

Muito dependerá de como os EUA e a China reconstruirão suas respectivas economias atingidas pelo vírus chinês. Se grandes empresas estrangeiras se retirarem da China, isso se tornará um grande obstáculo ao avanço geopolítico e econômico do Governo do Partido Comunista Chinês no mundo.

‘Mapa’ do coronavírus identifica os principais pontos de entrada de vírus no organismo


Os cientistas estão criando um mapa do corpo humano para identificar locais onde o vírus COVID-19 pode entrar nas células humanas


Luiz Camões - A pesquisa, de várias instituições internacionais, incluindo o Imperial College London , até agora identificou pontos de infecção iniciais prováveis ​​para o SARS-CoV-2 (o vírus que causa o COVID-19) no nariz e nos olhos. Os receptores também foram encontrados no intestino e em órgãos vitais, como o coração.

Danos no tecido cardíaco e conseqüente insuficiência cardíaca são observados em até 20% dos pacientes com COVID-19.

Dra Michela Noseda – Autor do estudo

As descobertas, publicadas na revista Nature Medicine , destacam dois tipos de células específicas no nariz – chamadas células caliciformes e ciliadas, como prováveis ​​pontos iniciais de infecção pelo COVID-19.

Os cientistas descobriram que essas células têm altos níveis de proteínas de entrada que o vírus COVID-19 usa para entrar em nossas células.

A equipe, que inclui pesquisadores do Instituto Wellcome Sanger , do Centro Médico da Universidade de Groningen , da Universidade Cote d’Azur e do CNRS, em Nice , afirma que os resultados podem ajudar a explicar a alta taxa de transmissão do COVID-19.

O coronavírus SARS-CoV-2 requer duas proteínas principais, chamadas ACE2 e TMPRSS2, para entrar nas células humanas. A primeira é uma proteína receptora na qual o vírus pode se acoplar, enquanto a segunda é a chamada protease que ativa a entrada viral na célula.

Cientistas de todo o mundo estão tentando entender exatamente como o vírus COVID-19 se espalha, para ajudar a impedir a transmissão e desenvolver uma vacina e também para entender os mecanismos que levam a uma doença sistêmica devastadora em alguns pacientes.

Lesão cardíaca em pacientes com COVID-19
Embora se saiba que o SARS-CoV-2 usa um mecanismo semelhante para infectar nossas células como um coronavírus relacionado que causou a epidemia de SARS em 2003, os tipos exatos de células e as células-alvo que podem ser alcançadas pelo vírus após a infecção inicial não havia sido identificado anteriormente.

No artigo atual, os cientistas analisaram dados genômicos de mais de 20 tecidos diferentes de pessoas não infectadas. Os pesquisadores procuraram quais células individuais expressavam duas das principais proteínas de entrada usadas pelo vírus COVID-19 para infectar nossas células.

Michela Noseda , autora sênior do Instituto Nacional do Coração e Pulmão da Imperial, explicou que o estudo revelou insights cruciais – não apenas sobre como o vírus obtém acesso ao corpo, mas também como o vírus pode atingir órgãos fora das vias aéreas e levando a uma doença sistêmica: “Danos no tecido cardíaco e conseqüente insuficiência cardíaca são observados em até 20% dos pacientes com COVID-19. Assim, foi crucial investigar como o vírus poderia entrar nas células cardíacas, mapeando a localização do receptor SARS-CoV-2 no coração e as proteases que permitem que o vírus entre nas células.

Coronavírus

“Analisamos cerca de 500.000 células únicas de 14 corações humanos e identificamos três tipos de células que expressam o receptor de entrada: pericitos, encontrados na rede de pequenos vasos sanguíneos no coração; células musculares cardíacas; e fibroblastos, células que ajudam manter a estrutura do coração. Conhecer as células-alvo específicas e prováveis ​​do vírus no coração fornece informações cruciais necessárias para entender os mecanismos de dano e orientar as escolhas de tratamento.”

Vírus entra nos canais lacrimais
Para descobrir quais células poderiam estar envolvidas na transmissão do COVID-19, os pesquisadores analisaram dados do consórcio Human Cell Atlas. Este projeto tem como objetivo criar mapas de referência de todas as células humanas para entender saúde e doença. Mais de 1.600 pessoas em 70 países estão envolvidas na comunidade HCA, e os dados estão disponíveis abertamente para cientistas em todo o mundo.

O Dr. Waradon Sungnak, o primeiro autor do artigo no Wellcome Sanger Institute, disse: “Descobrimos que a proteína receptora – ACE2 – e a protease TMPRSS2 que pode ativar a entrada de SARS-CoV-2 são expressas nas células de diferentes órgãos, incluindo o células no revestimento interno do nariz. Revelamos então que as células caliciformes produtoras de muco e as células ciliadas no nariz apresentavam os níveis mais altos dessas proteínas do vírus COVID-19, de todas as células das vias aéreas. Isso torna essas células a rota de infecção inicial mais provável para o vírus. ”

As duas principais proteínas de entrada ACE2 e TMPRSS2 também foram encontradas nas células da córnea do olho e no revestimento do intestino. Isso sugere outra possível via de infecção através dos ductos oculares e lacrimais e revelou um potencial de transmissão fecal-oral.

Sarah Teichmann, autora sênior do Instituto Wellcome Sanger e co-presidente do Comitê Organizador da HCA, disse: “Enquanto construímos o Atlas de Células Humanas, ele já está sendo usado para entender o COVID-19 e identificar quais de nossas células são críticos para a infecção e transmissão iniciais. Essas informações podem ser usadas para entender melhor como o coronavírus se espalha. Saber quais tipos exatos de células são importantes para a transmissão do vírus também fornece uma base para o desenvolvimento de possíveis tratamentos para reduzir a disseminação do vírus.”

A Rede Biológica Pulmonar HCA global continua a analisar os dados, a fim de fornecer mais informações sobre as células e os alvos provavelmente envolvidos no COVID-19 e relacioná-los às características do paciente.

O professor Sir Jeremy Farrar, diretor da Wellcome, disse: “Ao identificar as características exatas de cada tipo de célula, o Human Cell Atlas está ajudando os cientistas a diagnosticar, monitorar e tratar doenças como COVID-19 de uma maneira completamente nova. Pesquisadores de todo o mundo estão trabalhando em um ritmo sem precedentes para aprofundar nossa compreensão do COVID-19, e esta nova pesquisa é uma prova disso. Colaborar além das fronteiras e compartilhar abertamente a pesquisa é crucial para desenvolver rapidamente diagnósticos, tratamentos e vacinas eficazes, garantindo que nenhum país seja deixado para trás.”

Da Série: Monarquia - 28/04/2020

Narcoditador Maduro sequestra Coronel oposicionista


O narcoditador Nicolás Maduro, que está com a cabeça a prêmio, segue tiranizando a população venezuelana. No último sábado, regime sequestrou Óscar Rafael Perez Romero


Fábio Gonçalves - No último sábado (25), capangas de Maduro, sem qualquer aviso prévio e sem justificativa legal, sequestraram Óscar Rafael Perez Romero, Coronel antichavista aposentado que estava refugiado na casa de amigos no povoado de Guarenas, estado de Miranda, a cerca de 40 km da capital Caracas.

O Coronel Óscar Romero tem laços definitivos com o Brasil. Venezuelano nato, depois de formado na Escola de Cadetes – tendo como colega Hugo Chávez, a quem ele nunca se afeiçoara –, Óscar veio para cá, no ano de 1979, a fim de cursar Educação Física na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). E foi no paraíso carioca que Oscar conheceu sua esposa e teve com ela seu filho João – filho que nos procurou, aflito, para que o ajudemos a denunciar a covardia que estão fazendo com seu pai, já idoso.

Depois de graduado, Óscar retornou à sua terra, com mulher e prole. Mais tarde, Coronel da ativa e vice-diretor da Escola de Cadetes, Oscar, imbuído de seus ideais e avesso ao projeto tirânico que se apoderava do país, participou da urdidura de um plano para a derrubada de Chávez – apadrinhado de Lula – ainda em 2002.

Como o plano fracassasse, Óscar exilou-se, só retornando ao país dois anos depois. Na volta, evitou a prisão, mas ficou fichado no Miraflores e sua ascensão ao generalato foi vetada pelo próprio Chávez. Dali a três anos, em 2007, ele se aposentou.

Já velho, mas com o mesmo desejo de ver seu povo livre ardendo no coração, Óscar participou da proclamação de Guaidó como presidente, em 30 de abril do ano passado, e entrou para uma lista negra do regime com os nomes de pessoas influentes que estavam apoiando a restauração democrática.

Mais recentemente, o nome de Óscar foi associado à tentativa de libertação de presídio militar de Ramo Verde, também no estado de Miranda. Ramo Verde é o calabouço para onde Maduro manda seus desafetos políticos. Lá esteve, por exemplo, Leopoldo López, líder da oposição.

Segundo relatos, há uma semana quatro oficiais tentaram libertar os presos políticos, todavia fracassaram. Torturados, os oficiais apreendidos mencionaram o nome do velho Coronel Libertador Óscar, com quem tiveram aulas numa faculdade.

Então, no sábado à noite, jagunços das Fuerzas de Acciones Especiales (FAES) invadiram com chutes e pontapés a casa dos amigos onde Óscar se refugiava e além dele levou outras quatro pessoas: sua atual esposa, Noraima Laviana Borque, o casal de amigos, que ainda não foram identificados, e um Sargento que ficava encarregado de levar-lhes a comida, Carrillos Fueron.

De acordo com as informações da embaixada venezuelana, Óscar e os outros detidos foram levados para o Centro de Inteligência e Contra Inteligência de Caracas. A julgar pelo local e pelas circunstâncias de prisão, acredita-se que eles estejam passando por sessões de tortura e que possam não sair dali com vida – como não raro acontece.

Toda a situação nos foi relatada pelo filho brasileiro de Óscar, que só pode fazer a denúncia pois mora no Brasil. Os familiares venezuelanos não podem se pronunciar por medo de retaliações do regime.

Clientes podem acessar serviços públicos com senha do Banco do Brasil


Ferramenta beneficia 25 milhões de correntistas do banco

Wellton Máximo - Cerca de 25 milhões de correntistas que usam o aplicativo ou o site do Banco do Brasil (BB) podem, a partir desta semana, acessar serviços públicos federais, estaduais e municipais sem a necessidade de um novo cadastro e de uma nova senha. A instituição financeira e a Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia integraram o login da conta corrente do banco ao Portal Gov.br.

Com o novo recurso, bastará que o usuário digite o número da agência, da conta e a senha de oito dígitos que usa nos canais eletrônicos do Banco do Brasil para ter acesso a 3.447 serviços públicos oferecidos no portal. Atualmente, 67% dos serviços oferecidos pela plataforma são completamente digitais, nos quais todas as etapas dispensam o deslocamento a algum órgão público e a entrega física de documentos.

O login único do Portal Gov.br também permite o acesso a serviços digitais do Distrito Federal, de oito estados e de quatro municípios. Os estados integrados à ferramenta são Alagoas, Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Santa Catarina. As cidades são Recife, São Paulo, Blumenau (SC) e Rio do Sul (SC). As 27 juntas comerciais também estão interligadas ao portal.

De acordo com o Banco do Brasil, o login único estimula a digitalização dos serviços públicos em meio à pandemia provocada pelo novo coronavírus. O acesso não se dá pelo site nem pelo aplicativo do banco. Ao clicar no botão de acesso do Portal Gov.br, aparece a opção de conectar-se com os dados bancários.

Segundo a Secretaria de Governo Digital, o processo é totalmente seguro. As únicas informações trocadas entre o Portal Gov.br e o Banco do Brasil são o nome do cliente e o Cadastro de Pessoas Físicas (CPF). Os dados cadastrais e financeiros do cidadão, assim como a senha bancária, continuam sob a guarda da instituição financeira, não sendo repassados ao governo em nenhum caso.

Nos estados e nos municípios que aderiram ao login único do Portal Gov.br, o cliente do Banco do Brasil poderá acessar praticamente todos os serviços públicos por meio da senha do home banking da instituição. Além de resolver pendências com a União, o usuário poderá pagar o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), arrecadado pelos estados, quitar o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e taxas de limpeza e de iluminação pública, administrados pelos municípios.

Atualmente, 58,5 milhões de pessoas têm cadastro no Portal Gov.br, o que equivale a pouco mais de um quarto da população brasileira. De janeiro a março, 3,66 milhões de pessoas por mês criaram perfis de acesso na página. Recentemente, o Ministério da Educação inseriu o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) à lista de serviços oferecidos pelo portal.

A montanha Matterhorn, em Zermatt, Suíça, foi iluminada com a bandeira do Brasil na última terça (21), em solidariedade aos brasileiros na luta contra o Coronavírus


27 de abr. de 2020

Cavaleiros de Aço - Episódio 04 - Recriação

A corrupção é política, econômica e midiática, diz Ernesto Araújo



Ricardo Roveran - O ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, disse ontem (26/4), no perfil dele no Twitter, que para enfrentar a corrupção é acabar com um sistema inteiro composto por poderes políticos, econômicos e midiáticos, que atuam dentro e fora do país.

Ele também falou sobre desarticular o Foro de São Paulo, defender a soberania e promover parcerias que gerem lucros e desenvolvimento para o país com liberdade econômica.

“Combater a corrupção? Para isso é preciso enfrentar e desmantelar todo um sistema político-econômico-midiático nacional e internacional. Isso é o que o PR @jairbolsonaro está fazendo desde o primeiro dia. A Lava-Jato foi e é parte crucial do combate à corrupção, mas não basta.

Não basta tampouco a competência técnica. É preciso liderança, fé, visão e patriotismo no mais alto grau, pois esse combate é impossível sem o apoio e a mobilização popular mais amplos da história do Brasil, e esses requisitos somente o PR @jairbolsonaro proporciona.

Não basta trabalhar no plano interno. Na política externa combatemos a corrupção desarticulando o Foro de S. Paulo, defendendo a soberania nacional e promovendo parcerias que incentivam o crescimento saudável e a modernização c/ base no investimento privado e liberdade econômica.“, tuitou o ministro.

10° Regimento de Cavalaria Mecanizado realiza Apronto Operacional das Subunidades Operacionais



O 10° Regimento de Cavalaria Mecanizado (10° R C Mec), Regimento Antônio João, seguindo as diretrizes emanadas pela Força Terrestre Componente Guaicurus, realizou no dia 24 de abril o Apronto Operacional das Subunidades Operacionais do Regimento Antônio João em Ordem de Marcha.


A medida tem por finalidade conferir o aprestamento da tropa que encontra-se em permanente prontidão para cumprir missões de combate e prevenção à pandemia do coronavírus (COVID-19).

A China não entendeu ainda o sentimento negativo que o mundo está tendo em relação àquele país

Embaixador chinês na Austrália ameaça aquele país dizendo que irão boicotar estudantes, turistas e negócios na Austrália se eles continuarem exigindo explicações mais claras sobre o início da pandemia


Marise Payne says Canberra rejects Beijing's
suggestion that there would be 
a Chinese boycott of Australia.
CREDIT:ALEX ELLINGHAUSEN

Anthony Galloway - Foreign Minister Marise 
Payne has slapped down a threat from Beijing that Australia's call for a global independent review into the coronavirus pandemic would result in a Chinese consumer boycott of students and tourists and a downturn in exports.

In an interview with The Australian Financial Review, the Chinese ambassador to Australia Cheng Jingye labelled Prime Minister Scott Morrison's push for an inquiry as "dangerous" and predicted it would fail to gain support among global leaders.

Mr Cheng also refused to confirm that the virus had started in a Wuhan wet market, in a sign Beijing is ramping up its propaganda campaign into the origin of the virus.

He warned the Morrison government that its pursuit of a global review into the COVID-19 pandemic could spark a Chinese consumer boycott of students and tourists visiting Australia, as well as sales of popular agricultural exports like wine and beef.

Senator Payne said the Australian government rejected "any suggestion that economic coercion is an appropriate response to a call for such an assessment, when what is needed is global co-operation".

"Australia has made a principled call for an independent review of the COVID-19 outbreak, an unprecedented global crisis with severe health, economic and social impacts," she said.

"This would be undertaken at an appropriate time, fully acknowledging that many countries are continuing to deal with the challenges of the virus.

"A transparent and honest assessment of events will be critical as we emerge from the pandemic and learn important lessons to improve our response in the future.

"We hope all members of the WHO would co-operate in such an effort, including to strengthen the WHO’s role in responding effectively to a pandemic."

Senator Payne's comments come after World Health Organisation official Margaret Harris told the Sydney Morning Herald and The Age that Australia's calls for an independent review had been welcomed on the global stage as it was a "great honest broker".

Mr Morrison and Senator Payne have been calling for a global review of the coronavirus pandemic that is independent of the World Health Organisation.

There are concerns within the international community that the rising level of tensions between the United States and China will curtail the global engagement needed to ensure the world is better placed to deal with the next major public health crisis.

Labor's foreign affairs spokeswoman Penny Wong said she hoped the Chinese ambassador was not directly threatening Australia with economic sanctions.

"I'd make the point that the Chinese ambassador spoke about not wanting to resort to recrimination, division and suspicion and what I'd say is that's precisely why we are supporting a call for an independent inquiry into the origin of the virus," Senator Wong told the ABC.

"We have to press what is right, what we believe is right, for us and for the international community, and making sure that humanity understands how this virus started is the right thing to do."

Mr Cheng said China disagreed with the Morrison government's campaign for an international inquiry because it was "politically motivated" and would detract from efforts to fight the virus.

"It's a kind of pandering to the assertions that are made by some forces in Washington," he said.

"Over a certain period of time, some guys are attempting to blame China for their problems and deflect the attention.

"So what is being done by the Australia side, the proposition is a kind of teaming up with those forces in Washington and to launch a kind of political campaign against China."

Saque do auxílio em lotérica e caixa eletrônico começa nesta segunda


Resgate em dinheiro para quem não tinha conta será conforme a data de nascimento e por meio de app, já que a poupança digital não tem cartão

Ana Vinhas Aplicativo Caixa Tem usado para o pagamento do auxílio emergencial 
WILLIAN MOREIRA/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O auxílio emergencial de R$ 600 poderá ser sacado em lotéricas e caixas eletrônicos, a partir desta segunda-feira (27), pelos beneficiários que não tinham conta em banco e receberam o pagamento pela poupança digital da Caixa. Para evitar aglomerações, o resgate em dinheiro será liberado de forma escalonada, de acordo com a data de aniversário.

A opção de resgate em dinheiro será liberada nesta segunda-feira para os nascidos em janeiro e fevereiro. Como a conta poupança digital não tem cartão, o saque será por meio do aplicativo Caixa Tem. 

Saiba como funciona o pagamento pelo aplicativo
1) O beneficiado que não tinha conta receberá um código pelo aplicativo onde foi feito o cadastro, que deverá ser utilizado para acesso à conta poupança digital aberta pela Caixa para a realização do pagamento.

2) O acesso e movimentação da poupança será por meio de outro aplicativo, o app Caixa Tem, disponível nas lojas de aplicativos Google Play e App Store. Para utilizar o aplicativo, basta que o usuário se cadastre utilizando o CPF. Além de movimentar a poupança digital, será possível consultar FGTS, PIS, Bolsa Família, entre outros serviços.

3) Quem recebe o crédito por meio dessa conta pode, por exemplo, pagar boletos e contas de água, luz, telefone, entre outras. É possível também efetuar transferências ilimitadas entre contas da Caixa ou realizar gratuitamente até três transferências para outros bancos a cada mês, pelos próximos 90 dias.

4) Mas para fazer o saque, só a partir desta segunda-feira. O resgate do dinheiro será escalonado, para evitar aglomeração em bancos e lotéricas. Segue abaixo o calendário de saque em espécie da poupança digital sem cartão nos canais de autoatendimento e lotéricas:

27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro
28 de abril – nascidos em março e abril
29 de abril – nascidos em maio e junho
30 de abril – nascidos julho e agosto
04 de maio – nascidos em setembro e outubro
05 de maio – nascidos em novembro e dezembro

5) Na data prevista para início do saque em espécie, o cliente terá esta opção habilitada no aplicativo Caixa Tem. Bastará informar o valor a ser retirado e será gerado um código autorizador para saque nos caixas eletrônicos e casas lotéricas.

Bolsa família

O pagamento do auxílio emergencial também será feito hoje a 1.917.991 pessoas das 1.353.741 de famílias beneficiárias do Bolsa Família cujo último digito do NIS é igual a 8.

A Caixa já liberou, desde o dia 9 de abril, o benefício para 37,2 milhões de pessoas, num total de R$ 26,2 bilhões. Dentre os inscritos pelo aplicativo e site da Caixa, 15 milhões já receberam o auxílio. 

A Dataprev, que avalia os dados para autorização do pagamento, já processou 37,3 milhões de cadastros realizados de 7 a 17 de abril. Desse total, 7 milhões de cadastros realizados e analisados de 11 a 17 de abril foram encaminhados na sexta-feira (24) para a Caixa, que deverá liberar mais pagamentos nesta semana.

Da Série: Monaruquia - 27/04/2020

TV Escola estreia 200 horas de programação inédita


No total, mas de mil horas de conteúdo estão disponíveis


A partir desta segunda-feira (27), a TV Escola exibirá mais de mil horas de conteúdo educativo. Desse total, 200 horas são de vídeos e documentários inéditos.

Estarão disponíveis no âmbito da iniciativa Seguimos Conectados, programas para o ensino fundamental e ensino médio, e de formação para professores e outros educadores - com destaque para o programa Hora do Enem, que prepara alunos para o Exame Nacional do Ensino Médio.

Além da internet, o sinal da TV Escola pode ser sintonizado via antena parabólica (digital ou analógica) em todo o país. O sinal também está disponível nas TVs por assinatura Sky (Canal 112), Telefônica TV Digital (Canal 694), Via Embratel (Canal 123), Oi TV (950) e NET Brasília (Canal 4). Em Brasília, a TV Escola pode ser assistida no canal 2.3 (digital). 

Segundo nota de divulgação da Fundação Roquette Pinto, o objetivo da iniciativa é “ajudar a reorganizar as rotinas de mais de 50 milhões de crianças e jovens brasileiros sem aulas por causa da Covid-19.”

Professores das redes de ensino pública e privada também podem colaborar com a programação da TV Escola enviando vídeo aulas pelo e-mail conexaoescola@tvescola.org. Uma curadoria de especialistas em educação analisará o material para decidir sobre a publicação na plataforma.

26 de abr. de 2020

Manifestações em apoio a Bolsonaro e Fora Maia estouram em todo país, inclusive em Brasília