9 de jan de 2015

POLICIAIS BOLIVIANOS ESPANCAM MOTORISTA E BRASILEIROS FECHAM PONTE DA AMIZADE EM PROTESTO


Fábio disse que foi abordado por policiais e teve a chave do veículo tomada.

A ponte da Amizade, localizada na cidade de Epitaciolândia, que liga o Brasil à Bolívia pelo Acre, está fechada por tempo indeterminado por vários caminhões e carretas, impedindo o acesso aos dois países. O tráfego só está liberado pelo lado da cidade de Brasiléia.

Segundo foi apurado, o protesto começou após um motorista brasileiro, Fábio Joanir Honesko (34), se envolver num acidente casual, onde sua carreta bateu num poste localizado na Avenida Internacional, no lado boliviano, que liga os dois países.

Fábio iria realizar exames de corpo de delito
para levar às autoridades – Foto: Alexandre Lima
Esse episódio aconteceu por volta das 2 da madrugada desta quinta-feira (8). Fábio disse que foi abordado por policiais e teve a chave do veículo tomada e, em seguida, foi conduzido à delegacia da cidade onde ficou até o seu patrão chegar e negociar sua saída.

Quando Fábio havia sido liberado, seguiu para o lado brasileiro, mas foi contido novamente por policiais bolivianos, onde se negou a voltar e foi travado uma luta corporal. O brasileiro foi imobilizado e após ser algemado, foi espancado e teve spray de pimenta jogado contra seu rosto por diversa vezes.

Novamente, com ajuda de seu patrão, o motorista foi liberado e levado para o lado brasileiro, onde recebeu ajuda e o seu caso levado às autoridades, além de passar por exames de corpo de delito.

Caminhoneiros fecharam a ponte que dá acesso à Bolívia em forma de protesto/Foto: o Alto Acre

Revoltados com o caso, os brasileiros resolveram fechar a ponte em protesto, com o obejtivo de chamar atenção das autoridades dos dois países, entendo que um simples acidente num poste que estaria praticamente no meio da avenida e que foi pago, não seria motivo para maltratar e espancar uma pessoa que estava trabalhando

O Alto Acre 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Atenção:
Comentários ofensivos a mim ou qualquer outra pessoa não serão aceitos.