22/08/2014

ISSO NÃO VAI DAR CERTO!


TENHO VISTO MUITA CRIANÇA SOLTANDO PIPA PERTO DE REDE ELÉTRICA DE ALTA TENSÃO. ISSO NÃO VAI DAR CERTO. NO RIO DE JANEIRO AS PIPAS VEM COM CARIMBO ALERTANDO SOBRE O PERIGO DE SE SOLTAR PIPAS PERTO DE REDE ELÉTRICA.

21/08/2014

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ - CORETO NA PRAÇA TARAUACÁ


ELES ESTÃO CHEGANDO - OS FAMOSOS QUEBRA-MOLAS


Assim como os sinais (semáforos), piscando o amarelo de alerta já há algum tempo o que eu credito a isso algo relacionado à Lei, também já são visíveis as placas que anunciam os quebra-molas que serão colocados na vias da cidade. Ainda bem, antes tarde do que nunca, pelo menos estão fazendo alguma coisa. 

Por isso, não reclamem, onde o povo ainda não atingiu um grau de “preocupação com o seu semelhante” ações desse tipo tem que ser implantada. É preferível perder 4 segundos a ver uma criança atropelada. 


ENQUANTO ISSO: NO PAÍS QUE ESTÁ EM PENÚLTIMO LUGAR NA EDUCAÇÃO


ME DIGAM, QUAL O PRAZER DE QUEBRAR UMA LUMINÁRIA DESSAS?

MÁSCARA DA POLÍTICA EDUCACIONAL NO BRASIL

Luiza Lessa - linguagem e cultura - Falam especialistas que o Brasil avançou nos últimos 20 anos, mas a educação freou o desenvolvimento desse período, segundo o IDHM 2013 (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal), divulgado na segunda-feira, 29/07/2014.

No Brasil, entra Governo e sai Governo e a conversa é sempre a mesma: “vamos investir em educação”. Em ano eleitoral, dizem os políticos: “o país avançou muito”. Talvez tenha avançado para o abismo, pois segundo índice divulgado pela Pearson Internacional, que faz parte do The Learning Curve (Curva do Aprendizado, em inglês) e mede os resultados de três testes internacionais aplicados em alunos do 5º e do 9º ano do ensino fundamental, o Brasil ficou em penúltimo lugar. Dão lições ao mundo a Finlândia e a Coreia do Sul, os dois primeiros lugares. O Brasil só ganhou da Indonésia. É um resultado vergonhoso.


Os dados não são invenção e não possuem coloração partidária. É a constatação de uma educadora que muito trabalha em prol de mudanças positivas. Uma educadora que contribuiu para composição dos livros didáticos do Estado de São Paulo. O Acre não quer ajuda nessa área, há, aqui, “medalhões nos salários”, mas que nada escrevem, falam bajulações. Isso não ajuda, prejudica o Estado, o sistema educacional como um todo.

Então, votando aos dados, eles saíram do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), do documento Tendências em Estudo Internacional de Matemática e Ciência (TIMSS) e do Progresso no Estudo Internacional de Alfabetização (PIRLS) que compreendem o aprendizado de matemática, leitura e ciência dos alunos.

Veja-se o Ranking Global de Habilidades Cognitivas e Realizações Educacionais:

1.Finlândia
2. Coreia do Sul
3. Hong Kong
4. Japão
5. Cingapura
6. Grã-Bretanha
7. Holanda
8.Nova Zelândia
9. Suíça
10. Canadá
11. Irlanda
12.Dinamarca
13. Austrália
14. Polônia
15. Alemanha
16. Bélgica
17. Estados Unidos
18. Hungria
19.Eslováquia
20. Rússia
21. Suécia
22.  República Tcheca
23. Áustria
24. Itália
25. França
26. Noruega
27. Portugal
28. Espanha
29. Israel
30. Bulgária
31. Grécia
32.Romênia
33. Chile
34.Turquia
35.Argentina
36.Colômbia
37. Tailândia
38. México
39.BRASIL
40.Indonésia

Fonte:Pearson/EIU

O desempenho de cada país mostra se ele está acima ou abaixo da média calculada a partir dos dados de todos os participantes. Segundo esses dados divulgados no último dia 27 de julho de 2014, 27 dos 40 países ficaram acima da média, enquanto 13 estão abaixo do valor mediano. O Brasil, que teve pontuação de -1.65, foi incluído no grupo 5, onde estão as sete nações com a maior variação negativa em relação à média global. É um dado assustador, fruto do descaso e do pouco compromisso com a educação brasileira.

A ONU, em 14/07/2014, por meio do Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), diz que o Brasil deve investir em "políticas educacionais ambiciosas", para mudar a sua demografia.Todos os dados apontam que o Brasil vai mal, muito mal nas políticas educacionais.

E como é um sistema educacional eficaz? É aquele em que os alunos aprendem, passam de ano e concluem a educação básica. Esta é uma afirmação de que poucos vão discordar. Entretanto, a maioria dos sistemas educacionais no Brasil não cumpre essa missão. Há descaso, desvio de recursos, investimentos pífios, salários aviltantes pagos aos professores, escolas sem segurança, mal aparelhadas, sem infraestrutura, que pouco ou nada atraem os jovens, que preferem as ruas, as drogas, a violência, os furtos. Quando não, ficam em casa e quando saem para a escola procuram ir para lugares mais agradáveis.

O governo brasileiro, por meio do INEP, definiu metas para os sistemas educacionais e as escolas aperfeiçoarem a qualidade da educação oferecida, criando um índice de qualidade, chamado IDEB, para cada um dos três segmentos da educação básica. Mas de tudo que se diz, fica a pergunta: essas metas no INEP são suficientes para o país sair do atraso educacional?

Há medidas urgentes: escolas em tempo integral; professores motivados; escolas aparelhadas para que as pessoas nelas desejem permanecer com alegria, satisfação. Então, qualquer política de melhoria da qualidade dos sistemas escolares devem contemplar os três aspectos simultaneamente: o professor deve ensinar; o aluno deve aprender e passar de ano.

Finaliza-se com a frase memorável de Eduardo Campos: “ O Brasil tem jeito”. Devemos exigir prioridade à Educação, sem ela NUNCA avançamos, exceto para cair no abismo.

*Luísa Lessa é da Academia Brasileira de Filologia e da Academia Acreana de Letras.

20/08/2014

NOVO VÍDEO MOSTRA A QUEDA DO AVIÃO DE EDUARDO CAMPOS


Ex-governador de Pernambuco de 49 anos estava em jatinho particular que caiu em Santos na manhã do dia 13 de agosto

O avião que transportava Eduardo Campos, candidato à presidência pelo PSB,  caiu após uma tentativa de pouso frustrada na última quarta-feira (13), em Santos. As causas são desconhecidas, mas um novo vídeo pode ajudar a esclarecer o caso.

O avião que transportava Eduardo Campos, candidato à presidência pelo PSB,  caiu após uma tentativa de pouso frustrada na última quarta-feira (13), em Santos. As causas são desconhecidas, mas um novo vídeo pode ajudar a esclarecer o caso.

As novas imagens foram registradas pelas câmeras de um prédio em construção e divulgadas nesta quarta-feira. Assista:



Além de Campos, outras seis pessoas que acompanhavam o candidato morreram no acidente. Eram elas o assessor de imprensa Carlos Percol, o assessor de Campos Pedro Vasconcelos Neto, o cinegrafista Marcelo Lyra, o fotógrafo Alexandre Severo, o piloto Marcos Martins e o co-piloto Geraldo da Cunha.

SE NÃO CONSEGUIU ASSISTIR AO VÍDEO CLIQUE AQUI

MUITOS ESTUDARAM CATEQUESE COM ESSE LIVRINHO

FACECOISAS - 20/08/2014

19/08/2014

BOMBA DE 500Kg DA 2ª É ENCONTRADA E FECHA PISTA DO AEROPORTO DE FRANKFURT


Trânsito em rodovia foi interrompido para remoção do artefato, que tem mecanismo de disparo retardado; próximo a Berlim, outra bomba foi encontrada

Pista sul do aeroporto de Frankfurt precisou ser fechada após bomba da 2ª Guerra ser encontrada
     
Uma bomba da Segunda Guerra Mundial foi encontrada na tarde desta terça-feira (19/08) nas proximidades do aeroporto de Frankfurt, na Alemanha, e obrigou o fechamento de uma das pistas para pousos. Uma rodovia também precisou ser fechada e provocou a interrupção do tráfego.

O artefato, de 500 kg, é de fabricação britânica e foi achado durante um trabalho de obras na rodovia A3, que liga Frankfurt à cidade de Wurzburg. De acordo com a polícia local, a remoção da bomba, enterrada a cerca de 1,5 metro de profundidade, é complicada, pois se trata de um artefato com retardamento químico de disparo, tal como uma bomba-relógio.

A pista sul do aeroporto de Frankfurt foi fechada e os aviões que se aproximavam do local ficaram proibidos de voar a menos de mil metros de altitude. Há registros de atrasos e pelo menos um voo da companhia Lufthansa, procedente de Florença (Itália), foi desviado para o aeroporto de Colônia-Bonn.

Berlim
Ainda nesta terça, outra bomba, de 100 kg, foi encontrada em Neuenhagen bei Berlin, cidade que fica nos limites da capital alemã. O artefato foi achado próximo a uma estação de trens regionais (conhecidos como S-Bahn) que servem, inclusive, Berlim, e obrigou o isolamento da área.

Como medida de prevenção, mais de mil pessoas precisaram sair de casa na região.

SHOW EM 3D EM DUBAI - A IMAGEM DIZ TUDO

TRIBUTO AO PASSADO - TARAUACÁ - JOANA PEREZ MISS ACRE EM 1971 SENDO ENTREVISTADA APÓS SUA VITÓRIA

MAIS DE 36 MIL FIÉIS PARTICIPAM DA PROCISSÃO EM HONRA À NOSSA SENHORA DA GLÓRIA


JURUÁ ON LINE

O ACRE EXISTE ATÉ NO CENTRO DO RIO DE JANEIRO

TARAUACÁ AGORA TEM UMA NOVA TV - É A TV NOVO TEMPO -

FOTO - RAIMUNDO ACCIOLY

EU FICO IMAGINANDO UM PRESIDENTE NO BRASIL FAZENDO ESSA AFIRMAÇÃO EM UM DISCURSO PRINCIPALMENTE EM UM COMÍCIO


TRADUZINDO:

"NÃO PERGUNTE O QUE O SEU PAÍS PODE FAZER POR VOCÊ, PERGUNTE O QUE VOCÊ PODE FAZER PELO SEU PAÍS". 

AQUI NO BRASIL O SENHOR IA TOMAR MUITA TOMATADA!

18/08/2014

JUIZ DEFERE LIMINAR PARA SUSPENDER A DIVULGAÇÃO DE NOVA PESQUISA DO VOX POPULI



 
Ray Melo - O Juiz eleitoral auxiliar do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), Jair Araújo Facundes, deferiu uma liminar suspendendo a divulgação da nova pesquisa com intenção de votos na disputa para o governo do Acre, realizada pelo instituto Voz Populi. O PSDB entrou com a representação eleitoral.

Os advogados do PSDB alegaram que a pesquisa apresentava diversas irregularidades e contestaram quatro pontos principais. Um deles seria a ligação contratual do Vox Populi com o governo do candidato à reeleição Sebastião Viana (PT). O contrato seria de R$ 1,7 milhão com a administração petista.

Segundo a decisão judicial, “quanto a sexo, idade, grau de instrução e nível econômico do entrevistado, de fato, não foi possível identificar claramente a presença de ponderação a respeito”, declara o juiz Jair Facundes, que também acatou a questão da expansão de entrevistados em Cruzeiro do Sul.

“Quanto à possível distorção quanto à expansão de entrevistas em Cruzeiro do Sul, também, o pedido de registro da pesquisa não foi claro quanto ao papel e influência no resultado da pesquisa”. A Justiça não considerou que a relação contratual do Vox Populi com o governo pudesse macular o resultado.

“Assim, visando resguardar a regularidade do pleito, defiro medida liminar requerida para determinar aos representantes que se abstenham de divulgar a pesquisa registrada sob número AC-00033/2014”, determinou o juiz Jair Facundes ao acatar o pedido da coligação de oposição.

O presidente regional do PT, Ermício Sena, disse que as contestações do PSDB foram encaminhadas ao Vox Populi, que deverá se pronunciar para sanar as irregularidades contestadas pelo PSDB. O dirigente acredita que os problemas serão sanados e os números da pesquisa serão divulgados.

A PRAÇA DE MANAUS - PARTE IV


Clique aqui para ir ao índice da obra
Ao longo dos séculos, as povoações se transformam, vão se adaptando às novas condições e necessidades de vida, perdem e ganham características, crescem ou ficam estagnadas conforme as mudanças econômicas, políticas, culturais, sociais. Artistas, fotógrafos e pesquisadores captam instantes da vida, que ajudam a entender como ela era então.

Um volume precioso para se avaliar as condições do Brasil às vésperas da Primeira Guerra Mundial é a publicação Impressões do Brazil no Seculo Vinte, editada em 1913 e impressa na Inglaterra por Lloyd's Greater Britain Publishing Company, Ltd., com 1.080 páginas, mantida no Arquivo Histórico de Cubatão/SP. A obra teve como diretor principal Reginald Lloyd, participando os editores ingleses W. Feldwick (Londres) e L. T. Delaney (Rio de Janeiro); o editor brasileiro Joaquim Eulalio e o historiador londrino Arnold Wright. Ricamente ilustrado (embora não identificando os autores das imagens), o trabalho é a seguir reproduzido, em suas páginas 996 a 1.008, referentes ao Estado (ortografia atualizada nesta transcrição):

Moraes Carneiro & Cia.
Foto publicada com o texto, página 996. 

Indústrias e comércio (cont.)

Tancredo Porto & Cia. - Esta importante firma exportadora foi fundada em 1895; são seus sócios os srs. coronel Tancredo da Silva Porto, José João Ribeiro do Amaral e Antonio de Menezes Cunha, todos brasileiros e naturais dos estados do Maranhão e Sergipe.

A firma ocupa dois grandes armazéns à Rua Marechal Deodoro, além de um depósito para borracha, castanha-do-Pará etc., que possui em um outro ponto da cidade. Os escritórios e sede da firma ficam nos edifícios à Rua Marechal Deodoro, sendo o estabelecimento muito bem montado. Ambos os edifícios são providos de elevadores elétricos, ligando os seus diversos pavimentos. O armazém principal é constituído por 4 pavimentos; os escritórios ficam no pavimento térreo do lado esquerdo; em frente à entrada principal, ficam a escadaria e o elevador elétrico. Ao longo das paredes está disposto o grande e variado estoque de que sempre dispõe a firma.

Nos pavimentos superiores ficam seções especiais, sendo de notar a esplêndida arrumação da quinquilharia no pavimento superior. Na adega tem sempre a firma uma grande variedade de vinhos e licores, tanto nacionais como estrangeiros. Um dos traços característicos dos armazéns dos srs. Tancredo Porto & Cia. é a ordem, método e extremo asseio, que se nota por toda a parte.

Faz a firma o comércio de toda a sorte de artigos, tais como ferragens, maquinismos, vinhos e licores, objetos de armarinho, fazendas, mobílias, artigos para navios e outros artigos diversos.

O armazém à Rua Marechal Deodoro, 56, é reservado a materiais, tais como cimento, arame e artigos de construção e de uso entre os seringueiros. Os armazéns são espaçosos e altos e os diversos pavimentos comunicam-se por meio de um elevador com duas toneladas de capacidade; o interior dos armazéns é de um acabamento esmerado e são eles bem arejados e claros. Há também um sistema de linhas férreas, de bitola diminuta, para facilitar a movimentação das mercadorias e as demais facilidades para o movimento de grandes pesos.

Possui a firma seis vapores, que fazem a navegação de vários rios e transportam passageiros e cargas. Recebem uma grande quantidade de borracha, castanha, cacau e outros produtos da Amazônia, que na maior parte são vendidos na praça de Manaus.

A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas, da qual foram já diretores os sócios srs. coronel Tancredo da Silva Porto e José João Ribeiro do Amaral.

W. Peters & Cia.
Foto publicada com o texto, página 996. 

Amorim Irmãos - Esta importante firma, com casa bancária e comercial, é estabelecida em Manaus à Rua Marechal Deodoro, 29, e é uma das mais conhecidas e reputadas no Norte do Brasil. Os sócios da firma são os srs. Fortunato Soares de Amorim e Joaquim Soares de Amorim. A casa foi fundada em 1893 pelos srs. Dias de Oliveira & Cia., no número 103 dessa mesma rua; em 1898 passou a ocupar o presente edifício, o qual foi aumentado em 1902. A atual firma foi adotada em 1909, quando os irmãos Amorim adquiriram o estabelecimento.

A firma representa, em Manaus, a casa bancária de Pinto da Fonseca Irmãos, do Porto (Portugal), e tem sucursais no Juruá e em Cruzeiro do Sul. Os srs. Amorim Irmãos possuem também seringais no Rio Juruá, para os quais têm um vapor fazendo o serviço de transporte de passageiros e cargas. Dali recebem grande quantidade de borracha, cacau etc.; para o depósito destes produtos, têm um grande armazém à Rua Marechal Deodoro.

Importam, da Europa, comestíveis, ferragens, utensílios caseiros, vinhos, águas minerais; dos estados do Sul do Brasil, carne, arroz, açúcar e café. Em seu armazém principal, há sempre um grande estoque destas mercadorias, tendo também a firma depósitos em outros pontos da cidade. Entre os seus artigos de importação ocupam lugar proeminente os produtos dos manufatores ingleses e norte-americanos. O estabelecimento tem mais de vinte empregados.

Os Srs. Amorim Irmãos têm tomado uma parte ativa no desenvolvimento da Associação Comercial do Amazonas, da qual é tesoureiro um dos irmãos Amorim, sendo o outro fiscal da Companhia de Seguros Lloyd Amazonense e tendo feito parte, durante algum tempo, da Junta Consultora Portuguesa em Manaus. Os srs. Amorim nasceram ambos em Portugal; estão, porém, há muitos anos no Brasil. Esta firma faz um largo movimento de negócios, principalmente para o interior do estado.

Amorim Irmãos: 1 e 2) Interior do trapiche; 3) Sede do estabelecimento - Foto publicada com o texto, página 997. 

Armazéns Andresen - Os Armazéns Andresen, conhecidos em todo o Norte do Brasil, foram fundados em 1883, pela importante firma J. H. Andresen, do Porto. Operam os Armazéns Andresen como casa importadora, exportadora, bancária, aviadora, comissária e armadora, e têm um capital realizado de Rs. 2.500:000$000, fazendo transações avultadas com as principais praças da América do Sul, Europa e Norte América.

Além do estabelecimento principal, no qual funcionam os escritórios, e que ocupa uma grande área às ruas Marcílio Dias, Guilherme Moreira e Praça Tamandaré, tem a firma vários anexos, situados em diferentes pontos da cidade. Possui uma frota regular, composta dos vapores Cabral, Andresen, Arinos, Manáuense, e dos rebocadores Miramar e Galgo. Estes vapores, amplos, arejados e construídos expressamente para navegação nos rios do Amazonas, põem os Armazéns Andresen em contato com os pontos comerciais do interior nos rios Juruá, Madeira, Purus, Solimões etc.

Preside hoje os destinos da casa o sr. Joaquim Rodrigues da Silva Dias, que tem longa prática comercial e é estimadíssimo no comércio de Manaus.

Mesquita & Cia. - Esta firma importadora e exportadora é um dos mais importantes estabelecimentos comerciais de Manaus. A casa foi fundada em 1909, tendo o seu chefe, sr. Mesquita, uma prática de 30 anos no comércio brasileiro. Os sócios da casa são os srs. José Claudio de Mesquita e José Rodrigues Cardoso, os quais, pessoalmente, dirigem os seus negócios em Manaus.

Fazem um grande movimento no comércio de borracha e de outros produtos nacionais, recebendo anualmente várias centenas de toneladas de borracha. Possui a firma, no Rio Solimões, um vapor, que faz o transporte de passageiros e cargas. A maior parte da borracha recebida pela firma é vendida na praça de Manaus; alguma, porém, é exportada, sendo esta firma uma das poucas que em Manaus fazem o comércio de exportação de borracha.

Os srs. Mesquita & Cia. importam tecidos, gêneros alimentícios, ferragens, maquinismos, vinhos, mobílias, e por assim dizer todos os artigos usados pelo seringueiro. O seu armazém fica situado em ponto central, na Praça Tamandaré, e aí mantém sempre a firma um sortimento completo dos artigos de seu negócio.

O sr. Mesquita fala o português e o inglês e tem viajado muito, percorrendo vários países. Foi durante vinte e cinco anos gerente dos Armazéns Andresen e foi já presidente da Associação Comercial do Amazonas, da qual é presentemente um dos diretores. Esta firma publica um boletim diário com as cotações e informações marítimas sobre o mercado da borracha.

Armazéns Andresen: 1) Sede do estabelecimento; 2) Entrada para o trapiche na Praça Tamandaré; 3) Depósito de borracha; 4) Os armazéns - Foto publicada com o texto, página 998. 

B. Levy & Cia. - É esta uma das mais importantes firmas de Manaus, com os seus armazéns e escritórios num belo e grande edifício de quatro andares, construído no ponto mais central do comércio da cidade, à Rua Marechal Deodoro, 27. Os sócios desta importante firma são os srs. Isaac J. Barros, Jacob J. Levy, Raphel S. Benoliel, Samuel José de Barros Levy, Abraham J. Levy e Isaac S. Benoliel, nascidos, uns em Tetuan e outros em Tanger (Império de Marrocos), porém naturalizados brasileiros. São todos dotados de grande experiência e critério comercial, o que tem concorrido para aumentar continuadamente o seu ramo de negócio.

Os dois primeiros sócios, srs. Isaac J. Barros e Jacob J. Levy, iniciaram o comércio da firma no ano de 1886, estabelecendo-se no Rio Madeira, sob a razão de Barros & Levy; com a expansão dos seus negócios, transferiram em 1897 a sua atividade comercial para a cidade de Manaus. Em 1900, tomaram para sócio o sr. Raphael S. Benoliel, e em 1904 o sr. Samuel Levy, passando a firma à nova razão social, que agora gira em sucessão da firma Barros & Levy. Em 1912, admitiram como sócios os antigos auxiliares e interessados srs. Abraham José Levy e Isaac S. Benoliel.

Os negócios da firma são geridos em Manaus pelos srs. Raphael Benoliel e Samuel Levy, atendendo aos negócios que a firma mantém na Europa os sócios srs. Isaac J. Barros e Jacob J. Levy. Os sócios srs. Abraham J. Levy e Isaac Benoliel viajam no Madeira, a bordo de dois magníficos vapores fluviais pertencentes à firma, Rio Machado e Rio Jamary, ambos construídos na Inglaterra, sendo o primeiro dotado de todo o conforto e luxo. Ambos os vapores são iluminados à luz elétrica e têm a maior simpatia do público que viaja neles.

No Rio Madeira a firma possui vastos terrenos com uma área superior a um bilhão e quatrocentos milhões de metros quadrados, atravessando parte desses terrenos a estrada de ferro Madeira-Mamoré.

A importante firma B. Levy & Cia. importa da Europa, América e estados da República Brasileira toda a classe de gêneros alimentícios, ferragens, tecidos, miudezas etc., e exporta para os mercados europeus e americanos. Vende também na praça de Manaus os gêneros que recebe dos rios do Amazonas, vindos especialmente dos rios Madeira, Jamari e Machado, consistindo esses gêneros em borracha, castanhas, cacau etc.

Os srs. Jacob Levy e Raphel Benoliel foram já diretores da Associação Comercial do Amazonas, e o sr. Samuel Levy é atualmente um dos diretores desta associação.

W. Peters & Cia. - Os srs. W. Peters & Cia., estabelecido com casa comercial e importadora, têm seus escritórios à Rua Marechal Deodoro, 39. A casa foi fundada em 1892 pelo sr. Cyril F. Kieman; o sr. W. Peters entrou, em 1903, para sócio da firma, a qual tomou então a denominação de Kieman & Peters. Em fins de 1911, a firma passou a ter a denominação de W. Peters & Cia. Em 1912, o sr. H. Green, primeiramente empregado da casa e depois, durante seis anos, gerente da mesma, foi admitido como sócio, sendo, portanto, atualmente os sócios o sr. Cyril F. Kieman, o qual, conquanto nascido em Inglaterra, reside geralmente na Alemanha, e os srs. W. Peters e H. Green, ambos residentes em Manaus.

Esta firma é agente de várias companhias, tanto nacionais como estrangeiras; entre outras, da Garantia da Amazônia; da Companhia de Seguros Marítimos e Contra Fogo Amazonense; da Munich Fire, Aix-la-Chapelle; da Hansa, Hamburgo; da Companhia Interesse Público.

São também os srs. W. Peters & Cia. agentes de várias casas comerciais, entre elas: de Clark & Cia.l, São Paulo; Poock & Cia., e de uma firma belga manufatora de armas. Os srs. Peters & Cia. exportam em larga escala borracha, castanha, couros e chifres. Têm também, sempre, um grande estoque de ferragens e mais artigos de uso dos seringueiros.

O sr. W. Peters é cônsul da Grécia em Manaus e foi também cônsul da Espanha; é de nacionalidade alemã e está no Amazonas há longos anos. O sr. Peters é diretor da Associação Comercial do Amazonas.

Agência Simon - Esta casa, conquanto de fundação recente, tornou-se rapidamente uma das principais casas importadoras e manufatoras de mobílias em Manaus. No estabelecimento situado à Avenida Eduardo Ribeiro, 27, há sempre um grande estoque de mobílias para residências e escritórios, pianos etc. A maior parte dos artigos da casa são importados da Inglaterra, continente europeu e Norte América; e os preços por que vende a Agência Simon são muito razoáveis.

O proprietário do estabelecimento, sr. Simon Horner, é de nacionalidade brasileira, tendo nascido no Rio Grande do Sul; esteve durante 10 anos na Europa, demorando-se principalmente na Alemanha. Reside em Manaus há 20 anos, e aí se tem principalmente ocupado no comércio de mobílias. O sr. Simon Horner é também leiloeiro oficial e faz os seus leilões no edifício da Associação Comercial do Amazonas.

Gaspar Almeida & Cia. - Esta casa, estabelecida em 1891, é hoje uma das mais importantes no comércio de borracha, negociando também como casa comissária. O proprietário único da casa é o sr. Luiz Eduardo Rodrigues, nascido em Portugal, mas que se acha no Brasil há mais de 40 nos, residindo geralmente no Pará e Manaus.

Em seu armazém se encontra sempre um grande e variado estoque de todos os artigos de uso dos seringueiros, os quais importa diretamente da Europa e Norte América.

O sr. Rodrigues possui extensos seringais no Rio Tapajós. Estes são em número de 13 e ocupam uma área de 400.000.000 de metros quadrados, produzindo anualmente 200 toneladas de borracha, a qual é vendida no mercado de Manaus.

A firma tem um vapor no Rio Tapajós e em outros rios, fazendo o transporte de passageiros e mercadorias. O sr. Luiz Eduardo Rodrigues é atualmente o presidente da Associação Comercial do Amazonas.


Mesquita & Cia.: 1) O trapiche; 2) Interior do escritório; 3) O depósito de borracha; 4) Seção de borracha bruta - Foto publicada com o texto, página 999. 

Militão Bivar - O sr. Militão Bivar, estabelecido à Rua Guilherme Moreira, 28, com casa comissária e importadora, é agente e representante de várias casas nacionais e estrangeiras, entre elas a Companhia de Seguros Equitativa do Brasil, Arens & Cia., Paes Carvalho & Cia., J. A. Sardinha, Tinoco Machado & Cia., Peixoto de Faria, Amaral Guimarães & Cia., Julio de Mattos & Cia., Rio de Janeiro; Mattos Lima & Cia., A. M. Brazil de Mattos, Manoel Franco, Humberto Maia, A. Gonzaga, J. B. de Hollanda Cavalcanti, Ceará; J. A. de Almeida & Cia., Americo Menezes & Cia., J. de Mello, Pernambuco; J. Manta & Cia., M. H. de Sá, Paraíba do Norte; J. Schuback & Sohn, A. W. Faber, G. Kanitz & Cia., W. Jagensberg, Badische Anilin und Soda Fabrik, Mombel Bossart & Fils, H. C. E. Eggeres & Cia., Maurice Maibum, Orenstein & Koppel, Europa; Anchor Buggy Co., Nova York.

O sr. Militão Bivar é brasileiro e tem publicado vários livros, entre eles uma Arithmetica Elementar, usada em diversas escolas primárias.

Fernandes & Góes - Os srs. Fernandes & Góes são estabelecidos à Rua Ramalho Junior, com casa exportadora e aviadora. Os sócios da firma são os srs. Firmino Teixeira Fernandes e João de Góes. A casa foi fundada em 1904 pelo sr. Fernandes sob a firma F. T. Fernandes, passando em 1909 à atual firma de Fernandes & Góes.

Importa a casa toda a sorte de artigos e mercadorias de uso dos seringueiros, sendo, porém, a sua especialidade, comestíveis, vinhos e utensílios caseiros. Recebe do interior borracha, cacau, castanha e outros produtos da Amazônia.

Ambos os sócios da firma são portugueses. Os srs. Fernandes & Góes são também agentes do vapor Adrianne, que faz o serviço de passageiros e carga nos rios Baixo Juruá e Solimões. Esta firma é uma das mais favoravelmente conhecidas no comércio aviador, sendo o sr. Fernandes muito estimado ns rodas comerciais de Manaus. A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas.

J. Barata Junior - O sr. Barata Junior é estabelecido sob a sua firma individual, à Rua Marcilio Dias, com casa importadora e aviadora, tendo como especialidade o comércio de fazendas e ferragens. O sr. Barata Junior estabeleceu-se em Manaus em 1896 e, depois de ocupar dois outros edifícios, estabeleceu-se definitivamente no edifício que hoje ocupa.

Além dos interesses de sua casa comercial, o sr. Barata dirige também uma agência financeira e toma a seu cargo quaisquer interesses de pessoas que se ausentam de Manaus. Foi já diretor da Associação Comercial do Amazonas, da qual faz parte. O sr. Barata Junior tem em seu estabelecimento todos os artigos de que necessitam os seringueiros, artigos esses que importa do estrangeiro. Recebe do interior borracha, cacau, castanha e outros produtos que vende na praça de Manaus.

José Furtado de Mendonça & Cia. - Esta casa é sucursal de uma conhecida casa do Pará e foi instalada em Manaus à Rua dos Andradas, 6, em 1902. O negócio da firma é o de importação e aviamentos. Possui ela também 14 seringais nos rios Acre e Purus e tem três vapores empregados no serviço de transporte de passageiros e cargas. Os seringais, de propriedade da firma, não estão ainda todos em exploração; entretanto, a sua produção de borracha eleva-se a 600 toneladas, anualmente.

O gerente da casa em Manaus é o sr. Arthur Cardoso, natural do Pará, que se acha com esta firma há oito anos. Os srs. José Furtado de Mendonça & Cia. fazem parte da Associação Comercial do Amazonas.

B. Levy & Cia.: 1) Sede do estabelecimento; 2) O escritório; 3) A lancha Rio Machado, pertencente à firma - Foto publicada com o texto, página 1.000. 

Levy Frères - Os irmãos Levy, M. A. e H. E. Levy, são os proprietários da conhecida casa importadora de instrumentos musicais, jóias e artigos de fantasia, situada à Rua Municipal, em Manaus. Esta casa foi fundada em 1877 pelo sr. D. Levy e teve sucessivamente as firmas de J. Levy, E. Levy & Cia. e M. A. Levy, antes de ser adotado o presente título de Levy Frères.

Os srs. Levy são de nacionalidade francesa e residem em Paris, sendo a casa em Manaus dirigida pelo sr. Lucien Levy. O estoque mantido pela firma em seu espaçoso estabelecimento à Rua Municipal é grande e variado; além de jóias e prataria de desenhos modernos, tem sempre a firma uma grande quantidade de artigos para uso doméstico e de instrumentos de música, gramofones e discos. Estas artigos são importados diretamente da Europa e Norte América.

Os srs. Levy Frères representam, também várias firmas manufatoras estrangeiras de nomeada, tais como a American Watch Co., USA etc.; fornecem instrumentos de música às bandas, orquestras e escolas de Manaus.

A firma faz um grande movimento comercial, recebendo uma quantidade considerável de borracha, castanha e outros produtos da Amazônia, os quais vende na praça de Manaus. A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas.

Julio Seixas & Cia. - Esta firma de importadores de ferragens de toda a espécie tem escritórios à Rua de Santa Cruz, 39. São seus sócios os srs. Julio Augusto do Cruzeiro Seixas e Paulo Nunes da Silva Matta, o primeiro natural de Portugal e o segundo nascido no Pará. O sr. Seixas veio para Manaus em 1893, tendo-se já ocupado, durante alguns anos, no mesmo ramo de comércio no Pará. A firma atual foi estabelecida em Manaus em 1897.

A casa tem sempre um grande estoque de toda a sorte de ferragens de uso local, inclusive armas e munições e artigos para navios, os quais são importados da Inglaterra, Europa e Norte América e vendidos a retalho e por atacado. Os sócios visitam a Europa alternadamente; a firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas.

Os sócios visitam alternadamente a Europa, e o sr. Vianna tem percorrido países longínquos, tais como a Groenlândia, Islândia etc. A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas, da qual o sr. Lyra foi já diretor.

D. Freitas & Cia. - Esta casa foi fundada em 1891 pelo sr. Domingos Freitas, falecido em 1902; hoje é propriedade da viúva Domingos Freitas e é dirigida por seu irmão sr. E. J. Veiga de Sá, ambos nascidos no Amazonas. A casa importa toda a sorte de drogas e remédios, preparando também remédios nacionais e aviando receitas médicas.

A casa enviou produtos seus à Exposição de Bruxelas, onde obteve um diploma de mérito, e à Exposição de Turim, onde obteve uma medalha de bronze. O sr. Veiga de Sá tem também uma farmácia à Rua Martins, 1, a qual foi aberta em 1912. A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas.

Günzburger & Co. - Esta importante firma aviadora, importadora e exportadora, tem como sócios os srs. J. Günzburger e E. Levy, e ocupa um bom edifício de tijolo à Rua Demetrio Ribeiro, 22. Recebe a casa cerca de 500 toneladas de borracha por ano, que, em sua maioria, vende em Manaus. Faz o comércio aviador, tendo sempre um grande estoque de toda a sorte de artigos de uso dos seringueiros.

A firma possui um vapor, que faz o serviço de transportes para o Rio Acre, e é também agente de vários vapores que fazem o serviço de passageiros e cargas em diferentes rios da Amazônia.

A casa foi fundada em 1902, sendo o seu fundador o sr. Günzburger, que é de origem alemã, e se acha no Brasil há 10 anos. A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas, e o sr. Günzburger é um dos diretores da Jutahy Rubber CO., de Manaus.


Comerciantes de Manaus e Pará: 1) Militão Bivar; 2) Visconde de Monte Redondo (Pará); 3) Pedro Araujo; 4) C. E. Borba; 5) Alberto Ribeiro d'Andrade; 6) J. M. Fernandes; 7) Antonio Ribeiro d'Andrade; 8) J. R. Vieira; 9) Guilherme A. de Miranda Filho (Pará); 10) A. Chermont (Pará); 11) F. T. Fernandes; 12) J. A. da Silveira; 13) M. A. Levy; 14) Sr. Mendonça; 15) L. F. Valle; 16) M. Areosa; 17) Simon Lifsitch; 18) Sr. Mendonça; 19) Luiz da Silva Gomes; 20) Evaristo José d'Almeida - Foto publicada com o texto, página 1.001. 

Vianna & Lyra - Os sócios desta firma, estabelecida à Rua Marechal Deodoro, 24, com casa importadora, são os srs. Alfredo Silva Vianna e Jacintho Lyra, ambos portugueses. Estabeleceram a sua casa em Manaus há cerca de 10 anos.

Em seu armazém, à Rua Marechal Deodoro, têm sempre um grande estoque de fazendas, modas e artigos de armarinho que importam das melhores manufaturas européias; têm depósitos à Rua Monteiro de Souza. São também agentes da Nestlé's Milk, da Água Mineral de Caxambu etc.

J. Rodrigues Vieira - Esta conhecida casa importadora tem como especialidade o negócio de inflamáveis. O sr. J. Rodrigues Vieira é sucessor da firma E. de Hollanda & Cia., da qual foi gerente durante vários anos; esta casa é uma das mais importantes em seu gênero no Amazonas.

O sr. Vieira é o maior comprador da Standard Oil Co. em Manaus, e faz um grande movimento em querosene, gasolina, petróleo, rifles, munições, fósforos etc. etc.; tem um depósito no rio para o seu material inflamável. O sr. Vieira importa também comestíveis da Argentina e Norte América, para os quais tem um armazém especial em Manaus.

O sr. J. Rodrigues Vieira nasceu no Pará e estudou aí e na França; visitou também a Inglaterra e fala várias línguas; faz parte da Associação Comercial do Amazonas.

Ferreira Valle & Cia. - Esta firma negocia no comércio aviador e de importação e tem como sócios os srs. Lourenço Ferreira Valle e Raymundo Alcibiades Valle, ambos naturais do Maranhão, que se estabeleceram em Manaus em 1903. Em seu armazém se encontra sempre um grande e variado estoque de artigos usados pelos seringueiros e artigos para navios. São fornecedores do Exército e da Armada e negociam também por atacado com o comércio do Amazonas; possuem também um vapor, o qual faz o transporte de passageiros e mercadorias em vários rios da Amazônia.

Os srs. Ferreira Valle & Cia. recebem do interior borracha, castanha e outros produtos do estado, os quais exportam para a Europa; possuem dois armazéns à Rua Marechal Deodoro. A firma faz parte da Associação Comercial do Amazonas e faz também parte do Congresso Comercial.

Algumas personalidades de Manaus: 1) Jacintho Lyra; 2) Dr. Henrique J. Moers; 3) Alvaro Miguez de Mello; 4) M. V. Carioca; 5) J. S. de Amorim; 6) J. Rodrigues da Silva Dias; 7) R. C. Monteiro da Costa; 8) A. da Silva Vianna; 9) Hugo Ohliger; 10) Emilio Albert Zarges; 11) A. C. de Miranda Corrêa; 12) Dr. Astrolabio Passos; 13) Dr. Jorge de Moraes; 14) F. S. de Amorim - Foto publicada com o texto, página 1.002. 

João Alves de Freitas & Cia. - Os srs. João Alves de Freitas & Cia. são estabelecidos à Rua Marechal Deodoro, 37, com casa importadora, exportadora e comissária; são também proprietários de seringais e de vapores. São sócios da firma os srs. João Alves de Freitas e Eduardo Fernandes, ambos de nacionalidade portuguesa.

A firma é proprietária de 8 seringais, onde tem um pessoal de cerca de 800 homens e de onde recebe cerca de 250 toneladas de borracha anualmente. Estes seringais, que ocupam uma área de mais de 800 milhões de metros quadrados, ficam de 17 a 25 dias de viagem, em vapor, de Manaus.

A firma foi estabelecida em 1901 e importa toda a sorte de mercadorias da Europa, Norte América e estados do Sul do Brasil. Faz parte da Associação Comercial do Amazonas, da qual os sócios foram já diretores. A firma possui também quatro vapores fazendo o transporte no Rio Juruá e outros, e ocupa em Manaus um bom edifício.

Maxim Holdun - Esta casa, com escritório à Rua Marechal Deodoro, 28, faz um largo negócio de comissões e importação. O sr. Holdun importa toda a sorte de artigos de uso dos seringueiros, os quais vende por atacado ao comércio de Manaus; recebe borracha do interior e é também agente, em Manaus, da lancha a vapor Jaquirana, a qual faz o transporte de passageiros e mercadorias para o Rio Purus.

O sr. Maxim Holdun nasceu na Bélgica; veio para o Brasil há 15 anos e é naturalizado cidadão brasileiro; é membro da Associação Comercial do Amazonas.

Semper & Cia. - Os srs. Semper & Cia. são sucessores da firma Bernardo Bockris & Cia. Importam toda a sorte de artigos de uso dos seringueiros e vendem em larga escala, localmente e para o interior do estado. São agentes, em Manaus, da máquina de escrever Royal e de outras especialidades; são agentes gerais de várias companhias de seguros marítimos e contra fogo e têm vapores seus nos rios Purus, Juruá e outros. Recebem do interior borracha, castanha, cacau, penas e outros produtos do estado, que exportam para a Europa e Norte América.

Os sócios da firma são os srs. H. Semper e H. Rannier, ambos de origem alemã, os quais fazem parte da Associação Comercial do Amazonas. Os escritórios da firma ficam situados à Rua Marechal Deodoro, 34 e 36.

The General Rubber Company of Brazil: 1) Classificando a borracha; 2) Depósito de borracha, Manaus; 3) Sede da companhia, Manaus; 4) A sede no Pará; 5) Escritório em Manaus - Foto publicada com o texto, página 1.003. 

Eugenio Garay - O estabelecimento comercial do sr. Eugenio Garay foi fundado em 1896 e durante vários anos teve as firmas de Julio Garay & Irmão e Julio Garay, fazendo apenas negócios em comissão. Em 1910 a firma iniciou o comércio de importação, passando a ter o título de Garay Campos & Cia. Em 1912, o estabelecimento passou a ser propriedade do sr. Garay, que negocia hoje sob a sua firma individual.

Esta casa faz um grande movimento de borracha, recebendo cerca de 240 toneladas por ano, que vende na praça de Manaus. O vapor Rio Curuçá faz o transporte de borracha e mercadorias por conta da firma nos rios Javari e Madeira. Os artigos de negócio da firma consistem em artigos de uso dos seringueiros, comestíveis, ferragens, fazendas etc., sendo todo o movimento comercial da casa feito unicamente com os seringueiros, isto é, com os proprietários de seringais.

O sr. Eugenio Garay é de nacionalidade húngara e está no Norte do Brasil há 16 anos; fala o inglês e várias outras línguas e é membro da Associação Comercial do Amazonas. O seu estabelecimento fica situado à Rua Marcílio Dias, 34 e 36.

Adelbert H. Alden, Ltd. - Esta importante casa exportadora foi estabelecida em Manaus, em 1896, pelo sr. Alden, e, em 1º de janeiro de 1910, organizada em sociedade anônima com a denominação acima. A sede da sociedade fica na Ocean House, 24 e 25, Great Tower Street, Londres, e a casa em Manaus à Rua Tenreiro Aranha.

Esta casa exporta, em larga escala, do Amazonas e Pará, borracha, castanha, cacau etc., fazendo um grande movimento, principalmente em castanha, produto este de que é o maior exportador do Amazonas. O armazém em Manaus ocupa um bom edifício de dois andares, ficando os escritórios no primeiro andar e os depósitos no pavimento térreo. O gerente da sociedade em Manaus é o sr. Frederico H. Sanford, natural dos Estados Unidos da América do Norte.

Cunha & Cia.: 1) Alfaiataria e oficina de costuras; 2) O armazém de varejo e escritório; 3) O armazém de varejo; 4) A oficina de costuras - Foto publicada com o texto, página 1.004. 

B. Antunes & Cia. - Esta importante casa da praça de Manaus foi fundada em 1874 pelo sr. Bernardo Antonio Antunes (visconde de Nazareth) e é filial da conhecida casa do Pará. Os sócios, atualmente, são os srs. João de Brito Antunes, Joaquim Gomes Nogueira, Marinus de Vriés e Luiz Dannu Libo.

A casa B. Antunes é grande importadora e exportadora e também casa armadora e aviadora, recebendo cerca de 1.000.000 de quilos de borracha anualmente. Os seus seringais ficam situados nos rios Ituí e Ati e são servidos pelos vapores Alliança e Massupurú, de propriedade da firma; é também agente dos vapores Sucre.

General Rubber Company of Brazil - A General Rubber Company of Brazil é sucessora, em Manaus e no Pará, dos srs. Gordon & Cia. A firma foi estabelecida em 1912, com um capital avultado, para ser empregado na compra e exportação de borracha. Os escritórios estão situados no centro da cidade, com entrada pela Rua Marechal Deodoro e pela Avenida Eduardo Ribeiro.

A firma Gordon & Cia. foi estabelecida em 1905 sob a direção do sr. W. S. Gordon, e desde essa época a firma representa a General Rubber Company, de Nova York, e os srs. W. M. Symington & Co., de Londres e Liverpool, no mercado de borracha bruta de Manaus.

A importância das exportações da firma se depreende dos algarismos a seguir. Das safra dos anos de 1906 a 1912, as exportações da firma foram: safra até 30 de junho de 1906, 1.062 toneladas; safra até 30 de junho de 1907, 3.030 toneladas; safra até 30 de junho de 1908, 2.173 toneladas; safra até 30 de junho de 1909, 1.924 toneladas; safra até 30 de junho de 1910, 3.941 toneladas; safra até 30 de junho de 1911, 1.641 toneladas; safra até 30 de junho de 1912, 3.433 toneladas.

Au Bon Marché (Lifsitch & Russo) - Foto publicada com o texto, página 1.005. 

Cunha & Cia. - Os sócios desta firma são os srs. José do Rosario e Candido Simplicio da Cunha. O sr. Cunha veio para Manaus em 1893 e o sr. Rosario em 1894; associaram-se em 1902, abrindo uma pequena loja na Rua dos Remédios. Em 1908 alargaram as suas operações e em 1911 compraram uma fábrica de roupas, na qual hoje empregam cerca de 60 operários.

Os srs. Cunha & Cia. têm também duas casas de vendas a retalho à Rua de Santa Cruz, onde têm sempre um grande sortimento. Uma destas casas é conhecida pela denominação de Paris na América. O armazém de vendas por atacado à Rua dos Remédios é outro estabelecimento de propriedade da firma, incontestavelmente uma das mais importantes e conhecidas no comércio de fazendas de Manaus, havendo sempre em seus estabelecimentos um grande e variado estoque de fazendas, roupas, artigos de fantasia etc., os quais são vendidos por todo o estado.

A firma tem também um grande estoque de gramofones e discos de fabricação norte-americana, e máquinas e material elétrico de toda a sorte. Só em discos, tem a firma uma seleção de 300 a 400 e continuamente recebe as últimas novidades no assunto. Na fábrica de roupa instalaram os srs. Cunha & Cia. maquinismos modernos, movidos por eletricidade.

A firma compra os seus artigos em todos os países do mundo; recebe borracha e outros produtos do estado. Tem cerca de 100 empregados em suas várias casas. O sr. Cunha é diretor da Beneficência Portuguesa e da Associação Comercial do Amazonas.

Au Bon Marché - Os srs. Lifsitch & Russo, importadores e negociantes a retalho, de artigos para senhoras, são estabelecidos à Rua Municipal, 67. Os sócios da firma são os srs. Simon Lifsitch e Louis Russo, ambos nascidos na Rússia, mas que residem no Brasil há muitos anos. O sr. Russo acha-se em Paris, onde faz as compras para a firma; e o sr. Lifsitch dirige a casa em Manaus, a qual é uma das mais conhecidas nesta cidade, para confecções para senhoras e crianças, vestidos, modas, perfumes, maletas e sacos de viagem, binóculos, chapéus de sol, sobretudos etc.

Os sócios têm larga experiência do mercado parisiense, que visitam alternadamente todos os anos; e têm sempre em seu estabelecimento as últimas modas, editando um bom catálogo de seus artigos. A vitrina do estabelecimento, no canto das ruas Municipal e Joaquim Sarmento, ostenta sempre grande número de artigos finos e artisticamente dispostos, os quais são freqüentemente substituídos por outras novidades.

Os sócios falam fluentemente várias línguas; e no estabelecimento fala-se correntemente, além do português, o francês, o alemão e o russo.

Pharmacia Borba, do sr. C. E. Borba - Foto publicada com o texto, página 1.005. 

Pharmacia Borba - O sr. Cleomene Borba é o único proprietário da Pharmacia Borba, estabelecida em 1887, hoje um dos primeiros estabelecimentos em seu gênero na cidade de Manaus.

O sr. Borba importa em larga escala toda a sorte de drogas e artigos farmacêuticos da Europa e Norte América. Executa em seu estabelecimento grande número de preparados nacionais e faz um grande movimento em aviar receitas. Em seu estabelecimento há sempre um grande estoque de drogas e artigos químicos, sendo as suas especialidades, preparados contra febres, xaropes para bronquites etc. O sr. Borba levou os seus produtos à Exposição de Chicago em 1893, e aí obteve um primeiro prêmio e uma medalha de ouro.

O sr. Borba nasceu no estado da Bahia, onde se formou em Farmácia em 1882; em 1884 veio para Manaus, fundando o estabelecimento de sua propriedade. É a Pharmacia Borba que fornece medicamentos ao governo estadual.

Araujo & Areosa - Esta firma foi estabelecida em Manaus, em 1910, sendo seus sócios componentes os srs. Pedro Araujo e A. D. Mattos Areosa, o primeiro brasileiro e o segundo português. Os srs. Araujo & Areosa são agentes, em Manaus, da Port of Pará, da Companhia Navegação do Amazonas e de várias companhias de seguros marítimos e contra fogo, assim como de várias casas comerciais estrangeiras. A firma importa também maquinismos caseiros e para escritório e artigos similares, e recebe grande quantidade de borracha, que vende na praça de Manaus.

O sr. Araujo fala várias línguas. Nasceu e foi educado nas vizinhanças de Manaus, e foi à Europa por várias vezes. O sr. Areosa está no Brasil há mais de 20 anos; é cônsul do Paraguai em Manaus; tem feito diversas viagens à Europa.

Gomes & Cia., proprietários de enormes seringais: 1) Entrada do trapiche; 2) O escritório geral; 3) Interior do trapiche - Foto publicada com o texto, página 1.006. 

Gomes & Cia. - Entre as importantes firmas estabelecidas em Manaus, para exploração de seringais e do comércio de borracha, bem como de outros produtos regionais da Amazônia, figura a dos srs. Gomes & Cia. Fundada, em 1891, pelo sr. Luiz da Silva Gomes, a firma atual data, porém, de 1910, tendo o fundador se associado com o sr. Evaristo José d'Almeida. Dos dois sócios atuais, o fundador, sr. Luiz Gomes, é brasileiro e reside no Rio Purus; e o sr. Evaristo d'Almeida é português e reside em Manaus.

A firma Gomes & Cia. é agente de vapores, comissionista e importadora; e o sócio sr. Luiz Gomes possui, na Amazônia, diversos seringais, numa extensão aproximada de 40.000 quilômetros quadrados, situados todos no Rio Purus e no seu afluente Ituxi. Dessa extensão, estão explorados cerca de 25.000 quilômetros quadrados, e existem 20.000 pés de seringa plantada. Os srs. Gomes & Cia. recebem e exportam, por ano, de 700 a 750.000quilos de borracha, conforme estatística publicada, sendo que desse total cerca de 500.000 quilos representam, mais ou menos, a parte explorada nos seringais do sr. Luiz da Silva Gomes.

Além da borracha, recebem os srs. Gomes & Cia. cerca de cinqüenta toneladas de castanhas por ano, assim como importam, da Inglaterra, França, Alemanha e Portugal e de outros estados do Brasil, diversas mercadorias próprias para fornecimentos ao pessoal que trabalha nos seringais.

De propriedade do sr. Luiz Gomes são 1 vapor, 4 rebocadores e 4 lanchas, destinados, quase exclusivamente, ao serviço comercial da firma, mas que também servem para o transporte de passageiros e cargas. Pelos rios da Amazônia existem vários depósitos e filiais da firma. Os seringais do sr. Luiz Gomes, que se acham quase todos em terra firme, no planalto Abunã, não estão sujeitos a inundações, e contêm grande abundância e variedade de madeiras, muitas das quais - como o cedro acacapu, o louro, a peroba e a maçaranduba - podem constituir bom negócio de exportação. O mais próximo desses seringais, que se acha no Rio Purus, dista de Manaus 4 dias de viagem; e ao mais distante, que fica no Rio Ituxi, a distância é de 12 dias.

Os srs. Gomes & Cia. representam várias companhias e firmas comerciais, nacionais e estrangeiras, fazem parte da Associação Comercial de Manaus e têm sido diretores da Companhia de Seguros Lloyd Amazonense. Os srs. Gomes & Cia., como outros proprietários de seringais na Amazônia, se queixam da falta de estradas de rodagem para o serviço nos seringais que se acham distantes dos rios navegáveis - inconveniente que trata de sanar o decreto federal de 5 de janeiro de 1912.

Quanto à casa em Manaus, é mais do que suficiente para acomodar o grande estoque da firma, tendo sido especialmente edificada para o seu comércio pelo sócio fundador sr. Luiz Gomes. O pessoal em serviço nos seringais, constituído por brasileiros e portugueses, está sob a administração direta do sr. Gomes; e os negócios em Manaus, sob a gerência do sr. Evaristo d'Almeida. O estabelecimento em Manaus fica situado à Rua Marcílio Dias, 29.

Gomes & Cia., proprietários de enormes seringais: 1) Sede do estabelecimento e depósito de borracha; 2) Borracha chegada do interior; 3) Seção da borracha - Foto publicada com o texto, página 1.007.